sábado, 19 de janeiro de 2008

Islão não tolera outras religiões - Exemplos


Enquanto que os islâmicos tem portas abertas para construir mesquitas e madrassas (escolas muçulmanas) em todos os países do Ocidente e difundir a sua ideologia (travestida de "crença religiosa"), o mundo islâmico cria todos os obstáculos para a difusão, ou simples existência, de outras religiões. Sob o Islão não existe liberdade de religião.

Mas quando os meses sagrados tiverem transcorrido, mate os idólatras onde quer que você os encontre, e capturai-os, e cerque-os, e arme ciladas para eles usando de todos os estratagemas (da guerra); mas caso eles se arrependam, observem a oração e paguem o zakat [ou seja, se tornem muçulmanos], abra o caminho para eles. Sabei que Alá é Indulgente, Misericordiosíssimo. (Alcorão 9:5)
Abaixo, faz-se referência perseguição ao budismo, hinduismo, aos yazidis e aos ahmadis.

Atualização em setembro de 2016

O ódio islâmico contra os Bahá'í, "ex-muçulmanos" sob perseguição eterna

Leia sobre mais este ódio patológico dos islâmicos clicando aqui.

Atualização em agosto de 2016

Jihadistas dizem "nós matavamos todos que eram infiéis. É a nossa religião." 
Os jihadistas, presos, disseram isso durante entrevista. Mas, de onde eles tiraram esta idéia? Do Alcorão 9:5. (Muslim Issue)

Atualização em junho de 2016

Bangladesh: clérigo hindú assassinato pelo ISIS
O ISIS continua a sua campanha de assassinatos em Bangladesh (Washington Post). O líder do ISIS em Bangladesh é um canadense (National Post).

Índia: muçulmano vandaliza templo hindú, e ataca mulheres
Ele estava se vingando a notícia (falsa) que o califa al-Baghdadi havia sido morto (Scroll).

Nações Unidas reconhece o genocídio dos iázides
O relatório foi apresentado nesta semana pela Comissão Internacional Independente de Inquérito sobre a Síria, presidida pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro. (Nações Unidas). Falta agora reconhecer o mesmo para os cristãos. Estamos esperando.

Atualização em maio de 2016

O trauma e pesadelo sem fim dos refugiados iázides 
Mesmo os iázides que fugiram para a Alemanha sofrem com o trauma da perseguição: os muçulmanos os apavoram.

https://youtu.be/JAXpEtg0lh4 OK
                                                

Atualizacão de dezembro de 2015

Bangladesh: muçulmanos detonam templo hindú, e atiram nas pessoas que fugiam
O soldados de Alá tem o sadismo de matar explodindo, e depois matar atirando. Allahu Akbar! (fonte)

Atualizacão de setembro de 2015

A liberdade de religião vai ser extinta em Bangladesh: islã será a religião oficial do país 
Em uma decisão tomada no dia 7 de setembro, o Supremo Tribunal de Bangladesh confirmou a nomeação do islã como a religião oficial do país. Embora não haja essa opção na Constituição original de 1972, ela foi estrategicamente introduzida por um dos governantes militares em 1988.

De acordo com o comunicado de um relator especial da ONU, em visita ao Bangladesh, alertando sobre a liberdade de religião e crença: “O país pretende manter a fama de ser um Estado secular, mas até quando? Tendo o islã como religião estatal significa extinguir com a liberdade de religião e massacrar as minorias religiosas”. A decisão do tribunal destaca que os governantes são bem relacionados com o islã radical, o que torna insegura a vida dos cristãos e das minorias, em especial dos muçulmanos convertidos recentemente”. (Portas Abertas)

Atualizacão de agosto de 2015


Tailândia: Preso jihadista que explodiu bomba em templo
Trata-se de um turco. O que é que levou um turco a sair da Turquia para explodir uma bomba em um templo hindú na Tailândia? (fonte)
Atualização: o segundo jihadista foi preso. Ele é chinês uigur. O que eles têm em comum? O islão e a vontade de executarem a jihad armada (matar pelo amor de Alá). (fonte)

Atualizacão de junho de 2015

Índia: Jihad em Bengala Ocidental
Bengala Ocidental é uma província da Índia que tem 30% de muçulmanos. Ativistas de direitos humanos hindús relatam os ataques contra os hindús, casas e comércio, bem como o estupro de meninas, sendo que 3 delas foram "desovadas mortas" após o estupro. (fonte)

Afeganistão: Siques 
Algo pouco conhecido, mas existe uma comunidade sique no Afeganistão, mas está sendo extinta. Eram 100 mil em 1990, mas agora não passam de 2 mil. Eles deixam o país devido a intolerância e discriminação (APRT). Por que será que onde os islão é majoritário, a vida dos não muçulmanos se torna intolerável? 
Este mapa mostra a distribuição da população sique (sikh) 


Myanmar: monge pede para países islâmicos acolherem refugiados
Nem o país, a Tailândia e a Austrália são obrigados a aceitar refugiados muçulmanos (os de Bangladesh, mais especificamente). Porque não mandá-los para a Indonésia, Malásia e Brunei? (fonte)

Mais sobre Myanmar
A perseguição que muçulmanos bengaleses e Rohingya perpetram contra budistas em Myanmar mas que a mídia convencional faz questão de ocultar, ressaltando apenas as retaliações desesperadas da população nativa, cansada de tantos massacres e acuada pelos supremacistas islâmicos.
A testemunha que narra o vídeo é do povo Rakhine e o vídeo traz filmagens documentais das multidões de fundamentalistas islâmicos enfurecidas em seu intuito assassino, armados com facas e pedaços de pau, incendiando casas e jogando pedras, gritando slogans jihadistas e incitando à decapitação dos Rakhine, inclusive com crianças e adolescentes igualmente ensandecidos na frente da turba agressora.
A testemunha ainda relata como seus pais lhe contavam do massacre de 1942, no qual os fundamentalistas islâmicos mataram seus avós, e como tiveram que fugir da aldeia para não serem exterminados também em outro massacre,entre outros detalhes assustadores. (Fonte e Vídeo)



Atualizacão de maio de 2015

Muçulmanos rohingya bebem urina para sobreviver
Sim, o ocorrido com essas pessoas é trágico, mas sabe-se que se esse muçulmanos entrarem uma vez em Burma (também conhecida como Mianmar), muitos mais o farão. E como muitos de vocês já acompanham o blog, já foi denunciado por aqui que o povo de maioria budista não quis que fosse aberta uma sede da OIC (sigla em inglês para a Organização para Cooperação Islâmica), que dirá esses muçulmanos que alegam (e fazem isso também na Europa) que o referido território no país budista os pertence por direito, e sabe-se que ao conquistá-lo, os conflitos aumentarão e os birmaneses sofrerão (e a ONU, bem, vai ficar quietinha e nada irá fazer). E como foi salientado no artigo, três países estão os rejeitando (apesar dos apelos da ONU), e eles são: Tailândia, Malásia e a infame Indonésia. Mas nesses dois últimos países, a maioria da população é muçulmana. Se nem eles querem esses refugiados, porque Burma é obrigada a aceitá-los?
E suponho que essas pessoas se encaixem nessa definição:

"Muruna – a suspensão temporária da Sharia, permitindo que imigrantes muçulmanos pareçam "moderados". Então, através do princípio da Hégira (imigração muçulmana), os primeiros muçulmanos são como uma espécie de Cavalo de Tróia. A comunidade Káfir (Não-muçulmana) fica com a falsa impressão de que os primeiros imigrantes não são uma ameaça, pelo menos até que a comunidade muçulmana tem ganhado força." http://www.onislam.net/english/news/asia-pacific/486073-rohingya-muslims-drink-urine-to-survive.html

Atualizacão de abril de 2015

Hindús são obrigados a se reverter ao Islã para salvar as suas casas da demolição
"Cerca de 80 famílias Valmiki em Rampur anunciaram a abraçar o Islã, a fim de "salvar as suas casas da demolição". Cinco deles começaram uma greve de fome por tempo indeterminado contra o plano do governo de ampliar as estradas em Topkhana, como o corpo municipal disse, limpando as "invasões".
A polícia registrou um caso contra 86 membros da comunidade Valmiki para encenar uma agitação contra Ministro do Desenvolvimento Urbano Azam Khan, depois de protestos de trabalhadores.
O problema começou em 6 de abril, quando as autoridades municipais marcaram as casas para demolição em Topkhana."
""O Apóstolo de Alá disse:" Eu fui ordenado para lutar contra as pessoas até dizem: "Ninguém tem o direito de ser adorado senão Alá". E se eles dizem isso, orar como nossas orações, enfrentar o nosso Qibla e abater como nós abatemos, em seguida, seu sangue e propriedade serão sagrados para nós e não irá interferir neles, exceto legalmente. "(Bukhari 8,387)

Então, se eles não se tornam muçulmanos, seu sangue e propriedade não são sagrados e pode ser "interferência." (Fonte)

Atualizacão de fevereiro de 2015

Mais de 4 mil pessoas mortas nos últimos 7 anos por extremistas maometanos no sul da Tailândia
Vítimas são policiais, militares, professores, monges e até mesmo famílias pacíficas.
A imprensa na Tailandia não noticia muito estes eventos.
Este vídeo (extremamente gráfico) mostra membros de uma família inteira enforcados ou degolados, adultos e crianças. Distrito de Narathiwat, no extremo sul da Tailândia.


Jihad na Tailandia
Tailandia: Maometanos devotos deixam 13 feridos com carro bomba em vizinhança budista populosa no sul da Tailândia, região com forte presença de muçulmanos separatistas desejosos que implantar a Sharia. (dailystar)

Atualizacão de dezembro de 2014
Vídeo: Yazidis convertidos à força pelo Estado Islâmico
http://infielatento.blogspot.ca/2014/12/video-yazidis-convertidos-forca-pelo.html

Perseguida pelo Estado Islâmico e refugiada entre curdos, minoria yazidi vê futuro incerto
Mulheres e crianças capturadas são entregues como escravas para jihadistas como ‘prêmios de guerra’
http://oglobo.globo.com/mundo/perseguida-pelo-estado-islamico-refugiada-entre-curdos-minoria-yazidi-ve-futuro-incerto-14922707

Atualizacão de novembro de 2014
Grupo jihadista indiano pede ataques contra não-muçulmanos
Discurso de ódio claramente destinado aos hindús. O grupo conclama os muçulmano: "Mate os adoradores de ídolos onde quer que você os encontrar ... matá-los, se puder, apunhalá-los, jogue pedras em suas cabeças, envenene-os, os atropele, queime os seus campos - e se você não conseguir ... cuspa em suas caras." Isso tudo vem do Alcorão 9: 5. (Reuters)

Atualizacão de outubro de 2014


Grupos muçulmanos paquistaneses pedem ao governo que declare uma jihad contra a Índia 
(Dawn). Esses membros da "religião da paz"  só pensam em guerra. 

A fuga das populações Yazidis e a ajuda humanitária para os refugiados no Iraque
Neste relato ouve-se que os muçulmanos árabes se viraram contra os seus vizinhos yazidis e cristãos quando o ISIS chegou, e que as mulheres foram presas e escravizadas sexualmente.


Atualizacão de agosto de 2014

Quem são os Yazidis?
De repente, graças ao “amor fraternal” dos mujahadin (os “soldados sagrados” da Jihad Islâmica), tomamos conhecimento desta comunidade milenar, os Yazidis, sendo dizimada.

Os Yazidis são da etnia curda, mas seguem uma religião que pode ser considerada como uma mistura zoroatrismo, cristianismo e islamismo.

Os Yazidis adoram um semi-deus, o “anjo-pavão”, que é considerado um dos “anjos caídos” (chamado por eles de Malek Tawwus). Mas, ao contrário de Lúcifer, o “anjo-pavão” foi perdoado por Deus e restourado ao paraíso. Eles creem em reencarnação.  Por estes motivos, eles são considerados pelo Estado islâmico como sendo adoradores do diabo e apóstatas, logo, merecedores da morte.

Eles mantém a sua religião através de Oradores, homens que aprenderam a totalidade do seu livro sagrado, que, acredita-se, foi roubado pelos britânicos durante o período colonial.

Um lado negro é que, a exemplo dos muçulmanos, eles têm a tradição de matar os apóstatas (aqueles que deixam a religião yazidi).

Esta comunidade tem sido perseguida ao longo dos séculos. Mas desta vez, eles estão à beira do extermínio total.

Extermínio da minoria religiosa Yazidi
Isto é o que começou a acontecer desde a metade na semana passada no norte do Iraque. Um número estimado de 50.0000 curdos iraquianos da minoria religiosa Yazidi fugiram de suas casas como resultado dos assassinatos em massa cometidos pelo Estado Islâmico (Califado).  Essas pessoas não têm comida, água, leite para seus filhos, nem mesmo um abrigo onde possam se proteger do calor do sol durante o dia ou do frio da noite (Washington Post).  O presidente Obama, sob pressão popular, autorizou ajuda humanitária desde o final-de-semana.

A minoria Yazidi é uma seita que mescla partes do antigo zoroastrismo com o cristianismo e o islamismo.

Os mujahadin ("guerreiros sagrados") matam ou escravizam todos aqueles que eles vejam como diferentes. (Lembre-se que eles lutam pela implantação da lei islâmica, a Sharia).




Mais sobre o massacre dos Yazidis
Militantes do Estado Islâmico mataram ao menos 500 membros da minoria étnica iraquiana Yazidi durante sua ofensiva no norte, afirmou à Reuters no domingo o ministro de Direitos Humanos do Iraque. Gangues do Estado Islâmico executaram ao menos 500 Yazidis após tomarem Sinjar. Os militantes sunitas também enterraram vivas algumas de suas vítimas, incluindo mulheres e crianças. Cerca de 300 mulheres foram sequestradas como escravas. (G1) Lembre-se, os Yazidis estão sendo perseguidos por serem considerados pelo Estado islâmico como sendo adoradores do diabo e apóstatas.

Militantes do Estado Islâmico dizem a famílias que se convertam ou morram
As famílias dos vilarejos de Koja, Hatimiya e Qaboshi estão cercadas pelos militantes sunitas que articulam uma ofensiva pelo norte do Iraque, provocando a fuga de milhares de yazidis e cristãos e indignação internacional (G1).


O Massacre dos Yazidiz em Shingal, 2007

Tomei conhecimento de um outro ataque contra os Yezidis em 2007, em Shingal. O resultado: 800 mortos, 1.500 feridos, milhares de famílias destruídas.  Em 14 de agosto de 2007, terroristas da Al Qaeda usaram vários veículos totalmente carregados com explosivos para destruirem completamente as aldeias Yezidi Siba Sheikh Kidir e Qatahniya, localizadas em Shingal, Iraque. Naquela data, este foi o pior ataque terrorista da história depois dos ataques de 11 de setembro.  Benjamin Mixon, o ex-tenente-general e comandante do exército dos EUA no Iraque, disse sobre o massacre de 2007: "Este é um ato de limpeza étnica, e se quiser, quase genocídio" (Kurdistan Tribune).

Atualizacão de julho de 2014


Os Ahmadis são um secto do islamismo,  fundado na Índia perto do fim do século 19. O seu criador, Mirza Ghulam Ahmad (1835-1908), que alegou ter cumprido as profecias nas tradições de várias religiões do mundo e trazer o triunfo final do islão. Ele alegou ser o Mujaddid (reformador divino), o prometido Messias e Mahdi esperado pelos muçulmanos.

Os sunitas consideram os Ahmadis hereges, e, portanto, legalmente, podem serem mortos sob a lei islâmica. As Ahmadis estão proibidos de ler o Alcorão em público e estão sujeitos a discriminação.

Exemplo: Tribunal no Quirguistão torna os Ahmadis ilegais. Segundo a decisão do tribunal  os muçulmanos que aderem à doutrina Ahmadi no Quirguistão não têm o direito de registrar com o Estado, e não podem organizar-se como uma comunidade religiosa. (Asia News)

Atualizações de junho de 2014


Fé Proibida: conheça os países com maiores índices de perseguição religiosa
Exceto um (Coréia do Norte) todos os demais são paises islâmicos governados pela Sharia (R7)


Atualizações de março/abril/maio/2014


"Eles basicamente mataram os monges enquanto eles oravam em seus santuários, porque eles educadamente pediram à comunidade muçulmana para não construirem uma mesquita ao lado de seus sagrados santuários" (http://youtu.be/IgUUP8ZBC0U). São pouco os lugares no mundo onde a jihad não se faz presente na atualidade. ...

Malásia: juiz diz que enormes estátuas budistas e hindus são uma afronta ao Islã
As estátuas "enormes" de um templo Hindu em Batu Caves e de templo budista em Penang são uma afronta ao islão, como uma religião que proíbe a idolatria, a Corte de Apelações juiz aposentado disse. (Comentário: exceto é claro a pedra negra em Meca)

Datuk Mohd Noor Abdullah ressaltou que essas esculturas de divindades não-muçulmanas não devem ser construídas a céu aberto, mas devem ser colocadas dentro de um local fechado.

"Com uma enorme estátua, você está mostrando que a sua religião é toda poderosa", disse Mohd referindo-se à estátua de 42,7 metros de altura de Lord Murugan, o deus guerreiro Hindu, em Batu Caves em Selangor.

Apontando para a Constituição Federal, que afirma que o islão é a religião da federação, o ex-juiz insistiu que o islão está acima das outras religiões.

"Quando os não-muçulmanos constroem esses grandes ídolos, eles ferem os sentimentos das pessoas ", ele disse. Ele acrescentou que os não-muçulmanos tiveram a liberdade de culto, mas que essa liberdade deve ser exercida de uma forma em que "os muçulmanos não se sintam ameaçados."

O juiz aposentado também criticou a estátua de 30,2 metros de altura de Kuan Yin, a Deusa da Misericórdia, em um templo budista em Air Itam, Penang .

"O islão proíbe imagens (dos deuses) . Aqui, você permite imagens de Buda no país. Isso não é consistente com o islão. Mas se você encobri-la, você pode permitir isso", disse Mohd Noor .
 (Malaysian Digest).

Lembrete: a região compreendida hoje pela Malásia foi budista e hindú por séculos antes que o mujahadin chegassem e forçassem o islão goela abaixo da população malaia. FB

Sikhs, os guerreiros que se contrapuseram aos conquistadores muçulmanos e salvaram a Índia


A história da conquista da Índia, no seu significado mais amplo da palavra (como a região composta hoje pelo Afeganistão, Paquistão,Bangladesh e Índia) é uma das narrativas mais cruéis e sanguinárias da história. Os hindus e budistas, com seu caráter pacifista, não tiveram organização para se defender até a fundação so sikhismo, pelo Guru Nanak, no século XV. O Sikhismo tem relações amigáveis ​​com outras religiões. No entanto, durante o reinado Mughal da Índia (1556-1707), esta nova religião emergente teve relações tensas com os dominadores mugais muçulmanos. Os mais proeminente gurus sikhs foram mortos pelos mugais por que estes se opunham a perseguição das comunidades religiosas minoritárias promovida pelos mugais. Posteriormente, o Sikhismo se militarizou para se opor a hegemonia mugal. O surgimento do Império Sikh, sob o reinado do Marajá Ranjit Singh, foi caracterizado pela tolerância religiosa e pelo pluralismo com cristãos, muçulmanos e hindus em posições de poder. O estabelecimento do Império Sikh é comumente considerado o auge do Sikhismo a nível político , durante o qual o Império Sikh passou a incluir  a Caxemira, Ladakh e Peshawar. Os sikhs são tão kafirs (infiéis) quanto eu e você. KAFIRS TO MUNDO, UNI-VOS! 

Atualizações em fevereiro de 2014

Bangladesh: muçulmanos atacam templo hindú e deixam uma ameaça de bomba a menos que eles os budistas se 'convertam ao islão' 
Religião da paz e da tolerância (Daily Star). (os hindus e budistas estão sendo gradativamento expulsos de Bangladeh, uma região de onde eles são nativos) 

Indonésia: Muçulmanos Ahmadia torturado até a morte
O islão é contra tudo o que não for muçulmano (ateísmo, agnosticismo, budismo, cristianismo, etc ...) e a perseguição é feroz onde o islamismo for maioria. Na Indonésia, os Ahmadia (que são uma vertente do islamismo, porém considerados como apóstatas pela vertende principal do islão) estão sendo perseguidos barbaramente. http://youtu.be/_dExfGGcz7s 



Atualizações em dezembro de 2013

Quase um milhão de hindus de Bangladesh desapareceram em uma década
No que deve ser uma grande surpresa para a Índia, mais de 900 mil Bangladesh hindus desapareceram do país durante a última década (2001-2011). Isto foi relatado oficialmente pelo Bangladesh Statistical Bureau (BSB) e pelo Instituto Nacional de População de Pesquisa e Treinamento (NPRTI) de Bangladesh. (hinduhumanrightsO que ocorre em Bangladesh é mais um exemplo de genocídio de uma população nativa. As terras hindus, e os budistas, foram ocupadas pelos exércitos maometanos há vários séculos atrás, e lei islâmica (Sharia) implementada em diversos níveis deste então. Onde a Shaira se instala, a cultura nativa morre.

Malásia: história budista sendo erradicata
Onde o islão se instala, ele promove uma erradicação da cultura nativa. Você sabia que o Afeganistão era budista, que o Paquistão era hindú, que o Irã era zoroastra, que o Oriente Médio, o Norte da África e a Turquia eram cristãos? As civilizações nativas destes locais se foram. E este processo continua. Malásia: o local do mais antigo local de  templo budista-hindú, sítio Candi, está sendo demolido e limpado. Ele é considerado o maior sítio arqueológico da Malásia, onde mais de 50 templos antigos, foram desenterrados. Mas o governo islamista da Malásia demora a agir, dando tempo para a erradicação deste vertígio do passado pré-islâmico da Malásia.https://www.facebook.com/BuddhistDefenceLeague


A JIHAD É GLOBAL - Burma
Este vídeo é muito chocante e brutalmente violento. Um budista Arakanese sendo espancado até a morte por uma multidão de muçulmanos bengalis (Rohingya). Tem existido uma séria de notícias que coloca os muçulmanos rohingya como vítimas dos budistas arakanese. Na verdade, está acontecendo o contrário. Isso é Jihad. Os Rohingya têm imigrado ilegalmente para Burma, e estão expulsando os budistas de sua terra natal. (Facebook)

Menina budista sequestrada, estuprada , forçada a se converter ao Islã. Forçada a pisar em fotos de Buda, obrigada a usar burca
Uma gangue de bengalis muçulmanos sequestrou uma garota budista birmanesa em 6 de novembro de 2011, em Hpa-an, a capital do Estado de Karen, no sudeste da Birmânia/Mianmar. Ela foi estuprada e forçada a se converter ao islamismo em uma cerimônia que envolveu pisar em imagens de Buda e profanar uma estátua de Buda. Em seguida, ela foi forçada a se casar com o estuprador e líder da quadrilha, " Hussein -by Arkar Naing ', em um tribunal islâmico ilegal. A partir desse ponto, ela foi forçada a usar uma burca islâmica , cobrindo-a totalmente, e ela foi levada além fronteira para a Tailândia contra a sua vontade. Com a ajuda de bengalis muçulmanos na cidade fronteiriça tailandesa de Maesot ela foi mantida como prisioneira em um campo de refugiados por mais de um mês.Burmese e autoridades tailandesas e de Burma foram levadas até o acampamento por um monge budista tailandês que soube da situação. A garota budista seqüestrada acabou sendo resgatada. (scribd) Sequestro, estupro, casamento forçado, conversão forçada … esta história se repete ao redor do mundo, feita pelos muçulmanos mais religiosos. 

Atualizações em novembro de 2013
  • Muçulmanos acusam seguidores de outras religiões de serem idólatras. Porém, eles rezam 5 vezes por dia virados para um meteorito negro enclausulado dentro de um quadro metálico com a forma de uma vagina.

-x-x-x-x
  • Bali, Indonésia. Esta é a ÚLTIMA ilha Hindú na Indonésia. A Indonésia já foi uma terra pacífica composta de hindus, até que o islão apareceu. Entenda uma coisa também, essa é a mais bela ilha na Indonésia e ela está sob ataque. O Hinduísmo está em declínio aqui també. Em 1990, 90% da população era hindu. Hoje ela é um pouco menos de 80%. Dentro de 50 anos os muçulmanos também se tornarão a maioria nesta última ilha. Esta ilha também foi bombardeada por jihadistas islâmicos em 2002.

  • Arábia Saudita: Cidadão do Sri Lanka em risco de ser decapitado por rezar para Buda: um jovem do Sri Lanka, empregado como auxiliar doméstico, foi preso na Arábia Saudita por rezar para uma estátua de Buda, o que é considerado um crime de acordo com a lei islâmica Sharia. Em ocasiões anteriores, muitas trabalhadoras domésticas de Sri Lanka foram obrigados a abraçar o islã, e usar o traje tradicional. Até agora quatro jovens do Sri Lanka foram decapitados no país. (Fonte: The Chakra)
  • Últimas Notícias da Índia:  20 mil (!) muçulmanos queimaram 30 hindus vivos, em Jammu e Caxemira, após o Eid Namaz (um época onde os muçulmanos devem mostrar a sua generosidade e dar presentes). Os seguidores desta religião pacífica queimaram 300 casas e lojas de hindus. Os Muçulmanos deram este presente para os hindus na ocasião do Eid .... Todos os motins foram pacíficos, e os hindus foram queimados vivos sem muita dor ... Todos os mensageiros da paz desejam um Feliz Eid ... (ago/2013, Shangmarg

  • Índia: Mujahideen Indiano reivindica autoria de atentado e explosões em templo budista, e diz que Mumbai será o próximo alvo da jihad (jul/2013, Hindustan Times).

Nenhum comentário: