sábado, 8 de outubro de 2011

Comida Halal


A islamização do ocidente que nós testemunhamos hoje, especialmente a Europa, Canadá, EUA e Austrália, é provavelmente melhor exemplificada pela crescente introdução da comida HALAL, uma exigência da lei islâmica. A palavra halal indica o que é permitido para os muçulmanos, fazerem ou comerem. Isto por sí só não é um problema. O problema começa quando começamos a aprender que para uma carne de animal ser halal, o animal deve ser abatido de forma ritualistica, muito longe daquilo que se considera como moderno e humano. Para nós, o modo mais humano de se abater um animal é usando-se de operação de atordoamento, ou insensibilização, do animal antes do abate e da sangria. A comida halal exige que o animal, sem passar por qualquer processo de atordoamento, tenha a sua garganta cortada, após o que o animal é levantado de cabeça para baixo até que todo o sangue tenha sido drenado. 


Além do aspecto humano, existem outras considerações que sugerem porque os não-muçulmanos devem se preocupar a com a comida halal, independente da crueldade da sua prática ou de aspectos religiosos (talvez ainda não no Brasil, mas isso já acontece nos EUA, Canadá e Europa). 
  1. O primeiro problema está ligado a prática de emprego injusta. O abate halal requer que os muçulmanos façam todos os rituais halal. O resultado prático é que os muçulmanos começam a tomar conta da produção de alimentos de uma nação. A idéia que muçulmanos - que desejam eliminar os não-muçulmanos - controlem qualquer aspecto da produção de alimentos é preocupante.
  2. O segundo problema está ligado ao financiamento de terrorismo. Todos os produtos halal requerem a compra de certificação de alguma entidade islâmica - e muitas delas dão apoio financeiro a atividades de terrorismo contra o ocidente. 
  3. O terceiro problema é da imigração fraudulenta. Evidentemente, o abate halal requer que as nações ocidentais importem açougueiros halal das nações muçulmanas. A fraude é que os açougueiros halal deixam o emprego assim que eles obtém o status de imigrante. Deste modo, existe uma constante demanda de açougueiros halal, que são importados, advinhe de onde, das nações muçulmanas. 
  4. O quarto problema é que, enquanto os países ocidentais impõem controle de armas de fogo, facas não tem controle. Os açougueiros halal têm grande habilidade em cortar animais com facas. Importar devotos açougueiros halal é como importar eficientes soldados de infantaria inimiga para dentro do país. 
(Leia mais sobre o abate halal e sobre o engodo da Certificação Halal clicando aqui)

Um vídeo do YouTube que diz porque isto deve parar: Halal Horror. Outro vídeo, compara o abate humano com o abate halal (vído com cenas fortes):  Humane slaughter vs Halal slaughter.

video
Halal Horor



video

Humane Slaughter vs Halal slaughter
(RSPCA Australia Western Slaughter Vs Halal Slaughter)

Faça um favor a você mesmo: BOICOTE COMIDA HALAL!
.
O vídeo abaixo é uma reportagem da TV Australiana sobre a tortura que o gado australiano, exportado para a Indonésia, passa antes de ter o seu pescoço cortado, enquanto vivo e consciente, estando ele na direção de Meca. Os 10 segundos iniciais do vídeo mostram como o gado deveria ser abatido de forma humana. O resto mostra a barbaridade do abate halal.



video
Animal cruelty_torture_halal beef (disturbing)



Nenhum comentário: