quinta-feira, 14 de junho de 2012

Roma, saqueada pelo Islão em 846. Será ela, no futuro, conquistada como foi Constantinopla?



Muitos de nós ficariam surpresos se nos fosse dito que, no século 9, uma frota árabe baseada na Sicília navegou pelo Rio Tibre e ocupou e saquou Roma e o Vaticano por dias a fio, até serem derrotados e expulsos pela milícia papal, juntamente com exércitos do Sacro Império Romano e os contingentes francos. Este ataque foi breve, felizmente muito breve, mas os árabes conseguiram chegar a Roma - uma proeza que até mesmo Hannibal não pode alcançar! Para ser mais preciso, o ataque árabe ocorreu em 28 de agosto, no ano 846 DC, quando os árabes chegaram à foz do rio Tibre e navegaram até Roma.

Os árabes não conseguiram entrar no interior da cidade fortificada de Roma, que foi defendida pelos romanos, mas as igrejas de São Pedro e São Paulo, no Vaticano de hoje, que estava fora dos limites fortificados de Roma, foram violadas pelos árabes. O Papa Leão IV teve que fugir de Roma brevemente e apelar pela ajuda dos reinos vizinhos.

Em resposta ao apelo do Papa por ajuda, um exército começou a descida por terra a partir de Civitavecchia em direcção a Roma. Outro exército começou a marcha de Portus e Ostia.

Inutilmente saxões, lombardos, frísios e francos defenderam (a igreja de) São Pedro até o último homem. Os árabes levaram para longe todos os tesouros de São Pedro, rasgaram a prata das portas, as folhas de ouro do chão da confissão, devastaram a cripta de bronze do apóstolo, tomaram a cruz de ouro que estava sobre o túmulo de Pedro. Eles assolaram todas as igrejas do subúrbio do distrito.

O marquês Guy de Spoleto, chegou para ajudar a Roma, e com um pequeno grupo de corajosos que conseguiram derrotar os árabes que se retiraram parcialmente para Civitavecchia e em parte para Fondi, seguindo a Via Ápia.

Durante a sua retirada, os árabes infligiram em ruína e devastação em todo o campo romano. No Gaeta, o exército lombardo colidiu novamente com os árabes. Guy de Spoleto se viu em sérias dificuldades, mas as tropas bizantinas de Cesário, filho de Sérgio, magister militum em Nápoles, chegou a tempo. Mas em novembro de 846 a tempestade provocou numerosos danos aos navios dos árabes, alguns dos quais naufragaram na costa.

Aproveitando a retirada árabe, o Papa Leão IV, em conseqüência do ataque contra São Pedro, em 848, empreendeu a construção da Leonina Civitas para proteger a colina do Vaticano. As paredes que encerram foram concluídas em 27 de junho no ano 852 DC [1].

O islamismo é territorialista.

"A Profecia"

A tradição islâmica narra que Maomé teria dito que os muçulmanos conquistariam Constantinopla e depois Roma [2; 3]. O problema aqui não é discutir a validade de profecias (eu não vou entrar nesse mérito). O problema é quando existem grupos que agem como se eles fossem os agentes da profecia, tentando tornar a profecia em realidade.

Vejamos alguns exemplos recentes.

1. Abril de 2008. Yunis al-Astal, um alto clérigo muçulmano e representante do Hamas no Parlamento palestino deu um sermão na sexta-feira em que ele declarou que logo Roma, "a capital dos católicos" será rapidamente conquistada pelo Islã.O clérigo disse a seus ouvintes que "Muito em breve, se Alá quiser, Roma será conquistada, assim como foi Constantinopla, como foi profetizado por nosso profeta Maomé. Hoje, Roma é a capital dos católicos, ou a capital dos cruzados, que declarou sua hostilidade ao Islã ... " O sermão foi ao ar na TV Hamas Al-Aqsa. Ele ainda previu que Roma se tornaria "um posto avançado para as conquistas islâmicas, que vão se espalhar pela Europa toda, e depois vai se voltar para as duas Américas, e também para a Europa Oriental." (ver Vídeo número 1)

2. Outubro de 2008. Clérico iraquiano, Sheik Hareth Al-‘Ubeidi, Bagdá TV. (Vídeo número 2).

3. Março de 2010. Sermão de Clérico do Hamas em Gaza: Roma será conquistada pelo Islã Al-Aqsa TV (Hamas / Gaza). (Vídeo número 3).


 

Vídeo número 1


Vídeo número 2



Vídeo número 3


Bem, o que estes videos mostram na verdade é, primeiramente, uma tremenda arrogância por parte destes clérigos. E fica claro que eles praticam o conceito de Jihad como sendo a luta para disseminar o islamismo, com a consequente implementação da lei islâmica.

Que “religião” diferentemente única é esta, que se baseia em conquista territorial e não no espírito? A resposta é: o Islão não é uma religião, mas sim um sistema politico que exige que os seus aderentes defendam os seus preceitos com fanatismo religioso.

Mas isso não é só. A convicção é tamanha que um evento chamado “Islã na Itália: Cumprindo a Profecia” foi realizado em Londres em 2010! Veja o cartaz abaixo. [4]


Cartaz do evento “Islã na Itália: Cumprindo a Profecia.” 
Repare que o evento é aberto para homens e mulheres, porém segregados. 
E a comida é toda halal.

Eles não escondem o que querem. E por que deveriam? Com a cultura ocidental firmemente nas mãos de elites pós-cristãs, os muçulmanos não têm nada a temer. Os dhimmis europeus, infelizmente muitos de esquerda, praticamente colocaram o tapete vermelho para seus futuros senhores islâmicos com sua política de imigração islâmica em massa. Como os demógrafos prevêem que a população muçulmana na Europa irá ultrapassar 50% nos próximos 40-50 anos, a profecia muçulmana parece estar no seu horário. Assim, não precisamos ter medo dos terroristas muçulmanos pois o Islão irá conquistar Roma pacificamente, basta a Jihad demográfica. É só questão de tempo.

Atualização em 23 de outubro de 2014

Revista do Estado Islâmico mostra bandeira negra da Jihad sobre o Vaticano
Conquistar Roma é um desejo antigo do islamismo. Roma foi saqueada pelos muçulmanos no ano 846, motivo que levou a construção de um muro cercando a cidade. E ficou nisso.
Agora, a revista Dabiq, em sua última edição, chama por uma guerra contra a Igreja Católica. O artigo amaça "conquistar" Roma e "quebrar as suas cruzes", um simbologia que significa destruir o cristianismo (ANSA).

Eu me pergunto: quando a Europa se tornar islâmica, o que irá acontecer com o Brasil?

Fontes:


[2] Hadith escrito por Muslim.

[3] Sam Shamoun, Muhammad's False Prophecies, http:// answering-islam.org   




Um comentário:

Anacoreta, o Penitente disse...

O que acontecerá ao Brasil?

Nossas ameças são outras por enquanto: drogas, promiscuidade sexual, protestantismo (ateísmo), feitiçaria, escapismo (futebol, música ruim, bebidas, drogas, pornografia, TV, comunismo, video-games e outras futilidades),etc.

O islamismo demorará um pouco para chegar até aqui. Ficaremos sabendo quando muitos imigrantes islâmicos resolverem povoar esta terra [já acontece mas em pequenos números].