segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Exemplos de "Direitos" das Mulheres sob o Islã - PARTE 1

--
Leia uma lista dos "direitos" das mulheres sob o islão AQUI.

Exemplos mais recentes estão sendo listados na PARTE 2

(Você pode estar se perguntando: porque é que eu tenho que me preocupar com isso? Porque esta droga está se espalhando pelo mundo, inclusive no Brasil!)
--
(atualizações em setembro de 2013)


Xeque: mulheres que dirigem geram crianças com problemas de saúde - Fernando Moreira: O Globo
Existem muitas feministas que, infelizmente, só se preocupam com as suas redondezas ... se existem mulheres endo realmente preseguidas elas se calam ... Se elas reclamassem o que acontece em outras partes ficaria evidente que os direitos femininos que temos são muito avançados.

Grupos muçulmanos bucam legalização do casamento infantil na Índia Dos 3.404 casos de casamentos de menores de idade relatados em 2012 no estado de Kerala, 2.827 casos foram notificados a partir da comunidade muçulmana sozinha. Assim, cerca de 85% dos casamentos pedófilos são por muçulmanos (e eles são uma minoria), o que diabos é que todos esses homens muçulmanos querem com as crianças o tempo todo? Realmente isso é doentio e me faz querer vomitar (Atheist Republic).

Inglaterra: Muçulmano devoto bate na mulher para ela usar o véu islâmico
Um muçulmano devoto sujeitou sua esposa a um ano de pancadaria, aterrorisando-a para que ela vestisse o véu islâmico, foi preso, mas pode sair livre - em apenas oito semanas (MailOnline). Uma pena de apenas oito semanas!

Irã passa uma nova lei permitindo que um homem possa se casar com sua filha adotiva de 13 anos de idadeAtivistas de direitos humanos dizem que projeto de lei aprovado legaliza a pedofilia (The Guardian).

“As mulheres muçulmanas não se importam se você se sentir desconfortável com elas usando o niqab”
Em um artigo no Huffighton Post, uma mulher muçulmana diz que as muçulmanas não estão nem aí se você se sentir desconfortável com o modo que elas se vestem. Isso é bem islâmico, pois para eles, o islão é superior e o resto é que deve se adaptar.

Mas vá você fazer um muçulmano ortodoxo se sentir desconfortável?

A questão toda é que o véu islâmico, seja ele qual for, sinaliza o apego da mulher que o usa para a ideologia mais conservadora e reacionária do islão, a crença de que Alá quer que os muçulmanos governem politicamente os não muçulmanos através da lei Sharia.

O uso do véu é um sinal de desdém da mulher que o usa para se impor às normas culturais da cultura ela está tentando colonizar. Indica que ela não tem a intenção de assimilar a cultura ocidental, mas sim que ela deseja que o ocidente seja parte de uma colônia da Sharia.

Sim, as mulheres muçulmanas têm e devem ter o direito a véu.

Mas elas também devem saber que os não muçulmanos entendem toda a sua mensagem, de forma alta e clara.



Paquistão: Uma quadrilha de muçulmanos estuprou uma menina cristã e tentou forçá-la a abraçar o islão
Essa é uma tática aplicada na qual a mulher é estuprada primeiro, e, sentindo-se insegura, acaba aceitando a pressão dos estupradores. Essa é mais uma história de uma menina pobre, e mostra um dos modos usados para limpar étinicamente os cristãos de uma região. http://www.youtube.com/watch?v=ySqubBTeGYY

Indonésia: Estudantes do sexo feminino na Indonésia podem ser forçadas a se submeterem a 'testes de virgindade'
De acordo com Muhammed Rasyid, chefe de Educação no Sul da Sumatra, os testes de virgindade irão  "proteger as crianças da prostituição e sexo livre." O planos do Sr. Rasyid exige que mulheres jovens com idade de 16 a 19 tenham seu hímen verificado a cada ano até a formatura. É a terceira proposta deste tipo na Indonésia, país de maioria muçulmana. O Partido islâmico da Justiça Próspera disse ao Jakarta Post que "a virgindade é sagrada, portanto, é uma vergonha para uma aluna perder a virgindade antes de se casar." (The Guardian)

GB: Mutilação Genital
2.000 mulheres vítimas de mutilação genital procuram ajuda em hospitais de Londres em apenas três anos, mas número real é "muito maior do que os números oficiais mostram"
- 300 vítimas necessitaram de cirurgia para reparar os danos causados pelo ritual brutal
- Uma dúzia de crianças precisaram de ajuda médica, incluindo uma com uma 'ferida aberta'
- Especialistas dizem que os números não dão uma imagem completa do número crescente de casos

Autoridade Palestina denuncia mulheres que protestam contra crimes de honra, e as exorta, ao invés, a matar judeus
Esta foi a reação do "governo da Palestina" à uma manifestação de mulheres contra os chamados "crimes de honra." (Frontpage)

Iêmen: menina de 8 anos morre durante lua-de-mel com marido de 40 anos
Iémen: Rawan, uma menina de oito anos de idade, morre de hemorragia interna na sua "noite de nupcias". Ela morreu depois do ato sexual que rompeu o seu utero, apos o casamento com um homem 5 vezes a sua idade. A ativista de direitos humanos, Arwa Othman, disse que nenhuma providencia foi tomada contra o "marido."  Quase 14 por cento das meninas do Iêmen se casam antes da idade de 15 e 52 por cento antes da idade de 18 anos. O grupo Human Rights Watch disse que muitas das criança iemenitas, ao se tornarem noivas, são mantidos fora da escola, quando chegam à puberdade. (Yahoo News).

Tres presos e condenados por assalto e estupro
Três homens (muçulmanos) suspeitos de coordenarem uma rede de prostituição de menores de idade (pedófilos) foram presos por (apenas) 24 anos por estupro e agressão sexual em uma menina de 18 anos (apesar de outras 5 também tersm sido estupradas). Naeem Ahmed, 24, Nabeel Ahmed, 25, e Hassan Raza, 23, se revezavam para abusar a menina de 18 anos de idade, depois delas a te-la entorpecido com bebida e drogas. (Mail Online)


Taleban apedreja por adultério
O Teleban matou uma mulher por adultério, e a culpa pela falta de chuva
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=mmqXVfmXxxI


--
(atualizações em agosto de 2013)


Alemanha: Muçulmano mata bebê ainda para nascer porque esposa viu um doutor masculino ...
Um muçulmano dá socos na sua namorada grávida várias vezes no abdômen, porque ela foi examinada por um médico. Graças aos golpes pesados, o feto sofreu hemorragias cerebrais enquanto ainda estava no ventre de sua mãe e morreu. O muçulmano pegou 2 anos e 9 meses pelo crime. Seu nome é Ahmad Sherzai, de origem afegã, mas com cidadania alemã. Sua namorada era de origem alemã e de uma família católica (LiveLeak). 


Aviso para as mulheres não-muçulmanas: não se casem com muçulmanos! É melhor não arriscar!


Arábia Saudita: viúva de 75 anos leva 40 chibatadas depois que ela permite que dois homens entrem em sua casa para lhe trazer o pão

Ela violou regras barrando as mulheres de encontro com não-parentes do sexo masculino, um tribunal decidiu. Os dois homens, incluindo o sobrinho do falecido marido também foram considerados culpados e condenados a penas de prisão e chicotadas. A viúva argumentou que um deles era como filho para ela, porque ela o amamentou quando ele era um bebê. Mas o tribunal descartou a evidência. Na tradição islâmica, a amamentação estabelece um grau de relação maternal, mesmo que uma mulher amamente uma criança que não é biologicamente sua (Daily Mail).


--
(atualizações em julho de 2013)

Misoginia islâmica: cobrir-se toda é a única forma que as mulheres muçulmanas têm para não serem molestadas
A lei islâmica não as protege

Austrália: Centenas de meninas de 17 anos de idade são levados para a Austrália para se casar, dentro de um programa de vistos do governo

Os números mostram que mais de duas centenas de meninas de 17 anos de idade tiveram vistos para se casarem, concedidos ao longo dos últimos cinco anos - uma figura chocante, de acordo com defensores de segurança infantil. Centenas mais 18 -, 19 -, e 20 anos de idade, também receberam o visto depois patrocinado por homens mais velhos. A maioria dos adolescentes são do Oriente Médio ou em países do Sudeste Asiático (MobileNewsAus). Os islamistas sabem, como poucos, usar as brechas da legislação em proveito próprio.


Paquistão: Enfermeira Católica vive com medo, porque ela não quer se casar com homem muçulmano

Ghulam Muhammad, um empresário muçulmano influente e temido no Distrito Sanghar, Paquistão, ameaçou raptar Nazia Masih e desfigura-la com ácido, porque ela se recusou a casar com ele. O homem é conhecido pela polícia por causa de várias denúncias de sequestros e estupros contra ele. No entanto, ele vive na impunidade. Agora, toda a família de Nazia está em perigo. "Somos cristãos e os pobres", disse ela. "No Paquistão, a nossa honra e a nossa propriedade não são seguros." Para um padre católico em Karachi, "Isto é uma vergonha". As autoridades "precisam fazer algo para protegê-los." (julho/2013, AsiaNews) O islão não respeita as minorias. 


No Dubai, mulher norueguesa é presa por ter sido estuprada 
Isso é consistente com a lei islâmica com respeito a estupro. A empresária norueguesa Marte Dalevl estava a trabalho no Dubai. Foi estuprada. Se ela conhecesse a lei islâmica teria ficado quieta (como fazem as muçulmanas), ou nunca teria ido ao Dubai (apesar da indicidência de estupro ter se multiplicado nos países escandinavos com a imigração muçulmana). Ela deu queixa, mas como não tinha quatro homens para dar testemunho, ela foi acusada de comportamento licensioso, teve seu passaporte confiscado, acusada de perjúrio, e finalmente, condenada por um tribunal. Lei islâmica em ação. (Terra)



A "Jihad do Topless" da FEMEN
Existem mulheres que tem coragem no peito e lutam contra o islamismo ... leia aqui.

(atualizações em junho de 2013)
Afegã de 8 anos não resiste à noite de núpcias
História narrada por Mustafa Kazemi, funcionário do governo afegão e correspondente de guerra. Menina de 8 anos negociada por seu pai para se casar com o imã local de quase 60 anos de idade. Na noite de núpcias, como o imã não conseguia penetrar na vagina da menina, ele pegou uma faca e abriu a vagina da dela. Ele tampou a boca da menina com o seu véu e continou o ato sexual independente do fato da menina estar sangrando sem parar. A menina entrou em choque e faleceu algumas horas mais tarde. Este é um resumo. A história toda é chocante. Casamento de homens velhos com crianças é sancionado na lei islâmica, por seguir o exemplo de Maomé que se casou com Aisha quando ela tinha 6 anos (e a consumiu quando ela tinha nove). Isso mostra também o desdém com as mulheres, tratadas como propriedade.

Inglaterra abre "disque circuncisão feminina" 
Com o aumento da população muçulmana, aumento este devido principalmente a imigração maçiça, a incidência de circuncisão feminina aumentou tanto que um serviço telefônico foi criado para dar apoio às vítimas (jun/2013, BBC).

Criança síria acorrentada e obrigada a ver seus pais serem mortos por serem shiítas
De acordo com a página do Facebook da Verdade Síria, a foto acima é de uma criança que vive na região de Deir ez-Zor, no leste da Síria, na fronteira com o Iraque. Ela foi amarrada pelos membros do "Exército Sírio Livre", o mesmo que tem o apoio do governo dos EUA (administração Obama), e que é constituído na sua maioria por jihadistas sunitas extrangeiros.

(atualizações em maio de 2013)


Assédio sexual no Egito chega a proporções epidêmicas
Ativistas no Egito dizem que o problema do assédio sexual está atingindo proporções epidêmicas. Para muitas mulheres egípcias, assédio sexual - o que, por vezes, transforma-se em violentos ataques ao estilo da máfia - é um fato da vida diária. E, como sempre, tem gente que culpa a vítima: "Se as meninas se vestissem de modo respeitável, ninguém poderia tocá-las. É a maneira das meninas se vestirem que faz que os caras venham para elas" vêm para eles " (2012, BBC).


Australiana é estuprada e presa por 8 meses nos Emirados Árabes Unidos
Dubai vem sendo promovida como um paraíso de luxo de alta classe no deserto, mas a realidade é brutalmente diferente, como australiana Alicia Gali descobriu. Gali conseguiu um emprego nos Emirados Árabes Unidos, em uma das maiores redes hoteleiras do mundo, da Starwood. O que aconteceu depois torna esta história um alerta para cada mulher planejando viajar pela região. Gali estava usando seu laptop no bar para os funcionários do hotel, quando a bebida foi enriquecida. Ela acordou em um pesadelo horrível: ela havia sido brutalmente estuprada por três de seus colegas. Sozinha e assustada, ela foi para o hospital. O que Alicia não sabia é que, sob as estritas leis da sharia, seguidas pelos Emirados Árabes Unidos, se o estuprador não confessar, um estupro só pode ser caracterizado com a testemunha de quatro homens adultos muçulmanos. Como ela não tinha nenhuma testemunha, ela foi acusada de ter relações sexuais ilícitas fora do casamento, e jogada em uma cela imunda, durante oito meses. (maio/2013, YahooNews)

Inglaterra: Confirmado, mais de 2.400 crianças e jovens foram  vítimas de quadrilhas de abuso sexual em apenas 14 meses
Pelo menos 27 policiais estão investigando 54 gangues de aliciamento de crianças pela a prática de abuso sexual em várias partes da Inglaterra (Telegraph). Essas gangues têm sido protagonistas de crimes horrendos, como os sete homens de origem paquistanesa que foram condenados por realizar crimes de depravação "medieval" contra meninas de 11, em Oxford. O ministro da Justiça, Damian Green, disse  que comunidade paquistanesa na Grã-Bretanha deve resolver urgentemente o problema das quadrilhas que aliciam e abusam de meninas brancas jovens. (Telegraph). O Lorde Morris de Aberavon, ex-procurador-geral do Trabalho, toca em um ponto importante ao questionar porque a investigação tem demorado tanto tempo: "É o medo de serem acusados de racismo, ou é o fato de que muitas dessas meninas vulneráveis ​​vêm orfanatos?" Ou seja, existe o medo da polícia ser chamada de racista por investigar crimes cometidos por asiáticos (a palavra usada pela imprensa inglesa quando ela deseja esconder que um crime foi cometido por um muçulmano). O fato é que o serviço social inglês também sofre do mesmo problema. Devido a isso, o serviço social falhou em proteger as meninas. Os assistentes sociais se recusaram a proteger estas crianças de abuso horroroso ao longo de oito anos - os pais de uma menina de 12 anos implorou em vão com eles para intervir mais de 70 vezes; uma outra mãe telefonou para o serviço social mais de 100 vezes para denunciar que sua filha estava desaparecida - mas os serviços sociais também foram ativamente coniventes, como quando um atendente domiciliar comprou uma "lingerie sexy" para uma criança de 13 anos de idade, antes de enviá-la para ser drogada com heroína e estuprada (Telegraph). A conexão islâmica destas gangues foi feita por um líder islâmico que acusou alguns imãs por terem encorajado a gangue de Oxford, ao dizerem aos seus seguidores que as mulheres brancas mereciam serem "punidas." Em todos os casos, os membros das gangues são muçulmanos enquanto que as vítimas são meninas menores (Telegraph). (maio de 2013)


A quadrilha do sexo de Oxford. Da esquerda para a direita, começando de cima: Akhtar Dogar, Anjum Dogar, Kamar Jamil, Assad Hussain. Em baixo: Mohammed Karrar, Bassam Karrar and Zeeshan Ahmed

Egito avisa que dar alguns direitos às mulheres pode destruir a sociedade

O governo egípcio da Irmandade Muçulmana se declarou contrário à declaração dos direitos das mulheres (da ONU), ao dizer que ela causará a destruição da sociedade, permitindo que as mulheres possam viajar, trabalhar e usar contracepção sem a aprovação do seu marido, dando poder também para que elas controlem os gastos familiares. A declaração daria ainda às "mulheres plenos direitos para apresentar queixas judiciais contra o marido, acusando-os de estupro ou assédio sexual, obrigando as autoridades competentes a tratar maridos com punições semelhantes às prescritas para estupro.” A Irmandade Muçulmana advertiu que a declaração daria liberdade sexual às mulheres, legalizaria o aborto, forneceria contraceptivos a adolescentes, daria igualdade às mulheres no casamento o que resultaria em que  homens e mulheres compartilhassem tarefas, como apoio às crianças e outras tarefas domésticas. Ele disse que a declaração permitirá uma "igualdade de direitos para os homossexuais, e proporcionará proteção e respeito para as prostitutas." Segundo alguns diplomatas, o Egito propôs uma alteração que permitiria que países evitassem a aplicação da declaração quando ela se chocasse com as leis nacionais, valores religiosos ou culturais. Mas alguns diplomatas dizem que isso minaria inteiramente a declaração. (Março/2013, Yahoo News -- leia também sobre este assunto em Perigo Islâmico).

A lei islâmica não pode ser alterada pela mão do homem. Ela é perfeita pois foi dada por Alá. 


Canadá: Mulher muçulmana se recusa a mostrar a sua face em testemunha de assédio sexual
Uma mulher identificada como N.S. se recusa a mostrar sua face durante audiência com juiz. Ela acusa dois parentes de terem abusado dela quando criança. Em casos desta natureza, é importante ver a expressão facial durante as as testemunhas (Abril/2013, Yahoo News). Essa mulher é sortuda de morar em um país onde a lei islâmica (ainda) não se aplica. Se este fosse o caso, ela já teria sido apedrejada.

Mulher de 69 anos se casa com ‘príncipe dos sonhos’, um egípcio de 26 anos, e acaba morta no balneário de Hurghada


O sonho desta senhora parece igual ao de tantas outras, arrumar um garotão. Só que ela se esqueceu, ou não sabia, que o garotão era muçulmano. Depois que eles se casaram, ele não só tinha outra esposa, como exigia dinheiro, carros e a posse do apartamento dela no balneário. Ela foi morta por amigos do seu marido garotão (jun/2013, Daily Mail). O melhor que as mulheres não muçulmanas fazem é ficar bem longe dos homens muçulmanos. 



(atualizações em 9/12/2012)

Malala Yousafzai, a menina paquistanesa de 14 que sofreu atentado por advogar o direito das mulheres à educação e não serem propriedade dos homens

As organizações Tehrik-e-Taliban Pakistan, al-Qaida e grupos conservadores do Paquistão procuram defender o atentado dizendo que ela merece ser morta por ter blasfemado contra o islã ao promover valores ocidentais e ser contra a jihad. O Taliban disse que vai tentar matá-la novamente (Time World, AllVoices)

  

Apedrejamento
Maomé foi realmente uma pessoa insana. Ele participou do apedrejamento de uma macaca por adultério! Desde quando os macacos se casam e são punidos por adultério?
Narrado 'Amr bin Maimun:.. “Durante o período pré-lslamico da ignorância eu ví uma macaca sendo apedrejada por um grupo de macacos porque ela havia cometido adultério. Eu me juntei aos macacos para apedrejá-la.” (Bukhari, Volume 5, Livro 58, Número 188)
Muitos países muçulmanos abandonaram esta forma bárbara de punição devido à influência secular democrático-ocidental (o lado positivo do colonialismo). O apedrejamento até a morte por adultério, é uma forma legal de punição no Irã, Arábia Saudita, a parte predominantemente muçulmana do norte da Nigéria, a parte do Afeganistão e do Paquistão controlada pelo Taleban e a região controlada pelos islâmicos da Somália. A província de Aceh, na Indonésia, legalizou o apedrejamento de adúlteros em 2009. Nos países governados pela Sharia governado, como a Arábia Saudita e o Irã, o apedrejamento é uma forma de punição legal. Os infratores são mortos por apedrejamento em uma base regular, mas esses casos têm pouca atenção da imprensa no mundo exterior. Apedrejamento à morte de adúlteros e / ou fornicadores são também relatados em países como o Sudão, Turquia, Nigéria e Paquistão, perpetrados extra-judicialmente através de fatwas pelo imãs local ou por tribunais islâmcos das aldeias.  
Somália: O grupo islâmico Al-Shabaab condena mulher à morte por apedrejamento. Seu crime: "ofensa sexual." O homem que participou da ofensa não foi encontrado. (Africareviewew
Irã Corpo de quatro mulheres apedrejadas até a morte mostram marcas de tortura (Mohaba News). 
Mali: Casal apedrejado até a morte. (CNN
Nigéria: em 2003, uma pressão mundial reverteu a condenação de Amina Lawal à morte por apedrejamento. Ela havia sido condenada por uma corte islâmica no norte da Nigéria, região de maioria muçulmana controlada pela Sharia (CNN). Mas a maioria dos casos de apedrejamento passam desapercebidos da opinião pública mundial. 
Mais Crimes de Honra:

  • Toronto: mãe muçulmana tem garganta cortada por deixar os filhos adotarem a cultura canadense. Randjida Khairi, mãe de 6, foi esfaqueado cinco vezes no peito e nas costas. Ela se afogou em seu próprio sangue, um processo que levou entre cinco e 10 minutos. O marido de 65 anos, Peer Khairi, original do Afeganistão não aceitava que ela deixasse os filhos se vestirem e se comportarem como canadenses (Oct/2012, National Post).
  • Estudo sobre tendências mundiais em crimes de honra mostra que Muçulmanos cometem 91 por cento dos crimes de honra no mundo todo (2010, The Middle East Quaterly).
  • Autoridade Palestina perdões ou suspende penas em casos de assassinatos de honra (2012, Gulf News).
  • A Síria, em 2009, cancelou uma lei que limitava a duração das penas para crimes de honra, mas "a nova lei diz que um homem pode ainda se beneficiar de circunstâncias atenuantes em crimes de paixão ou honra" desde que ele sirva pena de prisão não inferior a dois anos no caso de assassinato '. (BBC)
  • "E em 2003, o Parlamento da Jordânia votou contra, por motivos islâmicos, uma disposição legal destinada a endurecer penas para crimes de honra. Al-Jazeera informou que "os islâmicos e os conservadores alegaram que a lei iria violar as tradições religiosas e destruir famílias e valores." (Al Jazeera)

Enquanto que as autoridades não tiverem a coragem de dizer a verdade sobre o assassinato de honra, haverá muitos mais assassinatos desse tipo.


Sharia em ação no Arizona (EUA): família queima, bate e acorrenta filha na cama por recusar casamento arranjado

O título já diz tudo (Fox 10 News, jihadwatch).

 


"As mulheres justas são, portanto, obedientes, guardando o segredo para a guarda de Deus. E aquelas que você tema serem rebeldes, admoeste-as, prenda-as nos seus quartos, e bata nelas” (Alcorão 4:34).


Mulheres afegãs protestam da sentença de 100 chicotadas para menina de 16 anos vítima de estupro

Mas protestar contra a sentença de 100 chicotadas é para protestar contra o Islã. De acordo com o Alcorão (24:2), a pena para prostituição é 100 chicotadas. A fim de acusar alguém de um pecado sexual (como estupro), o acusador deve produzir quatro testemunhas do sexo masculino (Alcorão 24:4). Se o acusador não pode produzir quatro testemunhas do sexo masculino, o homem não pode ser acusado de estupro. E se ele não pode ser acusado de estupro, a menina é presa com sua admissão de que o sexo ilícito tenha ocorrido (o que ela admitiu quando ela o acusou de estupro). Por isso, ela será dada 100 chibatadas por fornicação. Bem-vindo à Sharia. (DailyMotion)

 

E na mesma toada, nas Ilhas Maldivas a justiça condenou uma menina de menina de 16 anos a 100 chicotadas por ato sexual. (4/set/2012, Indian Express)


O marido pode matar a esposa se ela for pega em flagrante de adultério, mas ela não pode fazer o mesmo
http://infielatento.blogspot.ca/2012/08/orque-o-marido-pode-matar-esposa-se-ela.html

Taliban londrino: use o véu islâmico ou nós a mataremos
O 'taliban londrino' está ameaçando mulheres por não se cobrirem e tentando banir gays como uma forma de impor a lei islâmica (que por sinal, tem valor jurídico na Grã-Bretanha) (Abil/2011, Mail).

Menina de 16 anos comete suicído por ser obrigada a se casar com seu estuprador
No Marrocos, a corte de justiça decidiu que era melhor que ela se casasse com o estuprador para resguardar a sua honra. Ela foi então levada para viver com a família do estuprador, agora seu marido, que a maltratava. Traumatizada, a menina Amina tomou veneno para rato terminando com a sua vida (Set/2012, Al Arabyia).

Jihad do Estupro

Lembre-se: Maomé foi um estuprador, o Alcorão permite o estupro, e a lei islâmica dá aos muçulmanos a permissão legal para eles estuprarem mulheres não-muçulmanas. E veja também nas manchetes abaixo, que a imprensa politicamente correta tenta majoritariamente esconder os perpetradores do estrupo e porque eles estupram (talvez isso seja um tentativa de “se nós formos bonzinhos e tolerantes com eles, eles vão ser bonzinhos e tolerantes conosco” – isso não acontece).

 

Líder muçulmano culpa as mulheres por ataques sexuais: na Australia, o mais importante clérico muçulmano Sheik Taj Din al-Hilali, culpou mulheres vestidas indecentemente, e que não usam as vestimentas muçulmanas, por serem presas de homens, comparando-as com  “carne” abandonada que atrai animais vorazes. O clérico disse ainda que “Se ela estivesse  em seu quarto, em sua casa, no seu hijab, o problema não teria ocorrido,” e que com respeito ao “estado de zina (adultério), a responsabilidade cai 90 por cento do tempo sobre a mulher. Por quê? Porque ela possui a arma de sedução (igraa).” (2006, Mail Online)

 

Jihad do estupro na Dinamarca: Mais da metade de todos os estupradores condenados têm origem imigrante. Iraquianos, iranianos, turcos e somalis dramaticamente representados ... (2012, jihadwatch, BT)

Oslo, Noruega: 69 por cento de aumento no número de estupros (76 estupros em 91 dias). Participação dos não-ocidentais nos estupradores de 100 por cento. (2012, jihadwatch, Olosby)

Stavanger, Noruega: Nove em cada dez estupradores são "homens de grupos minoritários" (2012, jihadwatch, Document.No)

 

Suécia: em Julho, polícia relatou uma média de cinco estupros por dia em Estocolmo (2012, jihadwatch)

 

Fatwa permite que Mujahideen (guerreiros sagrados) sequestrem, prendam, e tenham relações sexuais com mulheres infiéis: em 28 de outubro de 2011, o fórum jihadista Minbar Al-Tawhid Wal-Jihad publicou uma fatwa do Sheikh Abu Al-Humam Athari, um membro do Conselho da Sharia, na qual ele inequivocamente permitiu os mujahideen capturarem mulheres infiéis "e ter relações sexuais com elas, mesmo aquelas casadas, sob a alegação de que a certidao de  casamento para os infiéis são dissolvidos logo que elas se tornem cativas. (MEMRI, jihadwatch, Nov/2011)

 

Lembre-se: o homem tem atração sexual. Para se viver em sociedade, esta atração é reprimida. Mas ao invés de reprimir, o Islã permite, e até incentiva, a perversão sexual e o estupro, quando efetuado sobre mulheres não-muçulmanas.

 

Parlamento iraniano busca diminuir ainda mais a idade minima para mulheres se casarem: de 10 para 9 anos de idade.

Reportado por Mohaba News (7/Julho/2012): 


O Parlamento iraniano emitiu recentemente um comunicado que eles consideram a lei (atual) que proíbe o casamento para garotas abaixo de 10 como anti-islâmica e ilegal. De acordo com o parlamentar Mohammad Ali Isfenani Devemos considerar como sendo 9 anos a idade apropriada para uma menina ter atingido a puberdade e qualificados para casar. Não se fazer isso é o mesmo que desafiar a lei islâmica Sharia.”

 

Ao longo das últimas semanas, mais de 75 meninas menores de 10 anos foram forçados a se casar com homens muito mais velhos. Legalizar esta prática seria eficaz legalizar o sexo entre uma criança e um adulto com mais de 18 anos.

 

Mas porque isso? Porque o pedófilo, digo, profeta Maomé, se casou com Aisha quando ela tinha 6 anos mas “apenas” consumiu o casamento quando ela tinha 9. E como o Alcorão diz que Maomé é o perfeito exemplo de conduta impedir casamento com crianças é anti-islâmico (como prescrito pelas 8 escolas de jurisprudência islâmica (sunitas e xiítas)).


Multidão ataca sexualmente mulheres que participavam em comício anti-assalto sexual no Egito
Ironia. As mulheres acabam sendo vítimas daquilo que elas reclamavam contra. Uma multidão de centenas de homens agrediram sexualmente as mulheres que participavam de uma marcha exigindo um fim ao assédio sexual. Os atacantes sobrepujaram os guardiões ​​masculinos, perseguindo, tateando e molestando várias das manifestantes na Praça  Tahrir, no Cairo (Junho, USA Today).

Crime de Honra no Egito
Dois irmãos em uma aldeia em Assuit, Egito, dilaceram sua mãe, irmã e tia, "depois de descobrir que as ações de sua irmã eram contrários à moral". Os dois irmãos, Ahmed Mukhtar, 35, e Abd al-Basit, 24, foram posteriormente preso e confessaram os assassinatos em detalhe (Junho/2012, Raymond Ibrahim). 

Crime de Honra na Alemanha
Homem muçulmano de origem turca decapita a sua mulher na frente de seus seis filhos, enquanto gritava "Allahu Akbar!" ou "Deus é maior!" Mais tarde, ele jogou fora a cabeça desmembrada da sua esposa do telhado de seu apartamento." O crime ocorreu em Berlim. (Junho/2012, Mail Online)

Rede de estupro de meninas órfãs na Inglaterra
Com a condenação de nove homens pela condução de uma rede de crime organizado de natureza sexual, desde estupro ao tráfico sexualtodos os detalhes horríveis de mais de duas décadas de violência sexual contra jovens, predominantemente meninas brancas que vivem em lares de crianças no norte da Inglaterra, foram revelados. A quadrilha enganou um númerdo estimado de 47 meninas (o número pode ser bem maior), entre 12 e 16 anos, com presentes, álcool e drogas antes de passá-las para ter sexo "com vários homens por dia, várias vezes por semana" em apartamentos, casas, carros, táxis e lojas de kebab. Depois de telefonemas para convidá-las para vir e fazer sexo com uma garota, os homens vinham em quantidade, como que se carregados por um veículo de carga. Uma menina de 13 anos foi forçada a fazer sexo com 20 homens em uma noite (Mail).

O Juiz disse que a quadrilha fazia as meninas de presas em parte porque elas eram de "comunidade e religião" diferentes das dos condenados (Mail).

Vale ressaltar dois fatos. O primeiro, que crime sexual é algo que ultrapassa fronteiras. Contudo, apenas o Islão tem prescrições que permitem o estupro de mulheres infiéis. Como dito por um dos condenados:  seria "impensável fazer isso com as meninas muçulmanas porém fazer isso com as as corrompidas meninas brancas é aceito." O segundo fato, como realçado pela autora da reportagem, é que as autoridades se recusam a sequer mencionar a origem dos condenados (todos do Paquistão) com receio de serem taxadas de racistas ou islamófobas. Este ato congelou a ação preventiva da polícia e serviços de assitência social, tendo, neste caso, traído e condenado as meninas a um enorme sofrimento. "Isto é um escândalo absoluto. Eles (polícia e serviços sociais) foram petrificados pelo receio de serem chamados de racistas, revertendo deste modo para o padrão do políticamente correto."

Mais notícia sobre mutilação da genitália feminina na Grã-Bretanha
Mohammed Abdul, o Imã da mesquita de Bristol, foi filmando incitando seus seguidores a levarem mulheres e meninas para fora do país de modo que elas possam ser legalmente circuncidadas (Abri/2012, Mail). 

Mutilação Genital Feminina na Grã-Bretanha
Algumas notícias da Grã Bretanha sobre Mutilação da Genitália Feminina:
  • Um médico, um dentista e um praticante de medicina alternativa foram filmados secretamente oferecendo-se para realizar ou organizar a mutilação genital feminina (MGF), de acordo com o jornal britânico Guardian (Abril, 2012)
  • Em dezembro de 2011, Dr. Abdul Ahmed - repare o nome do médico - (63 anos), foi afastado do registo médico ontem por grave má conduta profissional por oferecer a realização da mutilação genital em £ 50 por hora.
  • De acordo com a Forward, uma instituição de caridade que luta contra a MGF, cerca de 100.000 mulheres no Reino Unido sofreram mutilação (Guardian).
Uma pergunta: qual o risco de que algums médicos no Brasil venhma a "se vender" para esta prática?

Gangue de somalis promove sequestro, estupro e venda de meninas infiéis brancas
O maior caso de tráfico humano na história dos EUA. Uma gangue de 29 somalis foi presa em Minneapolis (EUA). Eles são acusados de fazerem parte de uma rede de prostituição e tráfico de menores nos estados de Minnesota, Ohio e Tennesse. As gangues se auto-denominavam Somali Outlaws, Somali Mafia e Lady Outlaws. Eles agiam desde 2000 encobertos pela comunidade de imigrantes da Somália que é numerosa em Minnesota. Os advogados de defesa e acusação se recusam a comentar sobre o caso (um comportamento usual quando os envolvidos são muçulmanos). Um trabalho vem sendo feito junto as vítimas, que não podem ter seus nomes identificados por serem menores de idade (Abril/2012, Cleveland.com).

Comentários:
  1. Não é nada demais tráfico humano de infiéis. Maomé fez isso.
  2. Não é nada demais estuprar infiéis. Maomé fez isso.
  3. Não é nada demais sequestrar infiéis. Maomé fez isso.
  4. Estupro, sequestro e tráfico humano existem e são feitos inclusive por não-muçulmanos. A diferença é que a lei islâmica faz vistas grossas no tocante a punição para crimes cometidos por muçulmanos contra não-muçulmanos. 
Leia sobre estupro e escravidão sexual aqui.
(
Fatwas sobre "amamentação de adultos"
Em maio de 2007, Dr. Izzat Atiya, chefe do Departamento de Hadith da Universidade Al Azhar (Egito), emitiu uma fatwa, ou decreto legal islâmico, dizendo que as trabalhadoras devem "amamentar" seus colegas de trabalho, a fim de poderem trabalhar na companhia um do outro. A lógica é que ao “amamentar” o companheiro de trabalho ele passa a ser parte da família, deste modo, seu guardião. Esta fatwa foi baseada em um Hadith – uma ação documentada do profeta Maomé e, consequentemente, uma das fontes de jurisprudência da Sharia. Muitos egípcios naturalmente protestaram sobre a fatwa, muito embora ninguém pudesse realmente demonstrar que isso era anti-islâmico; pois a fatwa conformava-se com os preceitos da jurisprudência islâmica. Ainda assim, devido aos protestospoucas mulheres egípcias estavam ansiosas para "amamentar" os seus colegas de sexo masculino – a fatwa caiu no esquecimento.

Três anos depois, em 2010, uma alta patente da Arábia Saudita, Sheikh Abdul Mohsin Al-Abaican, emitiu uma fatwa afirmando que "as mulheres poderiam dar o seu leite para os homens para estabelecer um grau de relação maternal e contornar uma proibição estrita religiosa que proíbe a mistura entre os homens e mulheres sem grau de parentesco próximo. "Mas, ao contrário da fatwa anterior, "o homem deve tomar o leite, mas não diretamente do peito da mulher. Ele deve beber-lo [a partir de uma xícara] e então [ele] se torna um parente da família, um fato que lhe permite entrar em contato com as mulheres sem quebrar as regras do Islã sobre a mistura entre os sexos. "

Agora, em 2012, ativistas islâmicos do Kuwait re-examinaram as fatwa relativas ao “aleitamento materno adulto” no contexto das relações entre um homem e sua esposa. Tres Sheiks do Kuwait estão de acordo em que a atividade não é proibida de acordo com a Sharia, eles estão divididos sobre as indicações a serem seguidas.

Esta é uma polêmica que mostra algo muito importante: por mais absurdo que isto possa parecer ninguém pode dizer que não é algo intrinsicamente islâmico pois as fatwas advém de interpretações da lei islâmica (Sharia) e do exemplo do profeta Maomé. (Abril/2012, Raymond Ibrahim)

Uma das muitas caricaturas que apareceram no Egito, em resposta às fatwas relativas ao aleitamento materno adulto: o homem diz, "Eu tenho alguns biscoitos e estou aqui apenas para mamar no café da manhã."


Loja de langerie na Arábia Saudita
Esta foto pode parecer engraçada, mas ela retrata a triste realidade do mundo muçulmano. A segregação entre homens e mulheres nos países islâmicos faz com que os homens jovens cresçam sem qualquer compreensão das mulheres e sem capacidade de interagir com elas como iguais. Como se pode esperar que tais homens se tornem maridos normais? É um crescimento disfuncional. Qualquer mulher que se casar com um muçulmano nesta condição está procurando por problema.


Livro ensina os muçulmanos como bater e controlar as suas esposas
O livro "Um Presente para os Casais Muçulmanos" é um guia de casamento que aconselha os homens muçulmanos sobre como bater nas mulheres. O livro de 160 páginas, publicado pela Idara Impex em Nova Delhi, na Índia, foi escrito por Hazrat Maulana Ashraf Ali Thanvi. No prefácio do livro o escritor se apresenta como um "escritor prolífico sobre quase todos os tópicos de ensino islâmico." O livro encontra-se esgotado, mas está disponível em livrarias on-line islâmicas e até mesmo através do eBay. 

Nas primeiras páginas do livro está escrito que "pode ser necessário usar força para contê-la ou até mesmo a ameaçá-la.Mais tarde, o autor informa que "o marido deve tratar a esposa com bondade e amor, mesmo que ela tenda a ser estúpida e lenta às vezes.A página 45 contém os direitos do marido, que incluem a incapacidade de sua esposa para deixar "a sua casa sem sua permissão", e que sua esposa deve "satisfazer seus desejos" e "não permitir-se ficar desleixada ... mas ela deve embelezar-se para ele ... Em termos de punição física, o livro informa que um marido pode repreendê-la, "bater com a mão ou vara," reter dinheiro dela ou "puxa-la pelas orelhas", mas deve "abster-se de espancá-la excessivamente."

Tarek Fatah, uma voz muçulmana moderada diz que o lojista deve ser cobrado para a venda de um livro"Eu não diria que é o ódio, mas é incitar os homens a bater as mulheres", disse o Fatah, que identificou o autor do livro como um proeminente estudioso islâmico. "Isso é novo para você, mas a comunidade muçulmana sabe que isso é generalizado, de que uma mulher pode ser surrada. Os líderes muçulmanos vão negar isso, mas ... " (Março/2012, Toronto Sun). 
Eric Brazau mostra a sua cópia de "Um Presente para os Casais Muçulmanos" em frente a entrada do jornal Toronto Sun. (Terry Davidson/QMI Agency)

Humor: mulher dirigindo de burqua
video

Egito celebra o Dia Internacional da Mulher ...
condenando a Convenção contra a Discriminaçao de Gênero da ONU (de 1978) por ela ser incompatível com os valores islâmicos contidos na lei islâmica Sharia (Março/2012, Al Arabyia).

Mulheres do Iraque dizem que crimes de honra necessitam de leis mais duras
Assassinato no Iraque é crime cuja punição pode ser a morte, mas quando se trata de crime de honra a pena é de no máximo dois anos. Pelos menos 84 mulheres foram mortas em crimes de honra no Iraque em 2011 (Mar/2012, Al Arabyia).

Meninas estupradas por gangue islâmica na Inglaterra
As meninas tem 15 e 16 anos e foram presas em um apartamento no final de semana. O Alcorão (4:24; 23:5-6) diz que os homens podem ter sexo com as mulheres que "a sua mão direita possuir." De um ponto-de-vista puramente islâmico, os 5 tarados (Shamrez Rashid, 20, Amar Hussain, 21, Jahbar Rafiq, 28, Adil Saleem, 21, Aqueel Rahman, 20, and Amer Islam Choudhrey, 20) estavam apenas fazendo valer os seus direitos: os de fazerem sexo com infiéis conquistadas. O site onde esta notícia foi retirada tem um sugestivo sub-título: "onde o Islão se espalha, a liberdade morre." (Islam versus Europe)

Candidato a presidente do Egito quer todas as mulheres cobertas
"É o senhor do mundo que assim o deseja," disse Hazem Islmael. Ou então, que elas mudem de religião. Mas deixar o Islão é crime! O que este cara quer? O pior é que 75% dos egípcios votaram nos partidos que querem a implementação da lei islâmica (14/2/2012, Al-Arabyia).

Irã se moderniza: pena para adultério passa a ser enforcamento
Uma nova lei pretende substituir o apedrejamento como pena para adultério. A morte agora será apenas por enforcamento (Eurasia).

Menino de 12 anos mata irmã de 22 a pedidos do pai
Na Turquia. O motivo foi para defender a honra da família, já que a jovem Acar se recusou a se casar com um homem que já tinha pago o dote para o pai, algo comum no interior (10/2/2012 , Zaman). 


Manifestação contra violência familiar no Distrito de Beyoglu, em Instambul. Violência contra a mulher é um problema crônico na Turquia, notadamente no interior, onde as pessoas são mais "religiosas." 99.9% da Turquia é composta do muçulmanos.



Kirgistão: lei para acabar com sequestro de noivas esbarra na prática da poligamia
A lei, que visava combater o sequestro de noivas, acabaria servindo para combater a poligamia, muito praticada apesar de ser ilegal neste país. O sequestro de noivas, e consequente casamento forçado, é celebrado por clérigos islâmicos, o que acaba sendo respeitado pelas comunidades locais. Relatório mostra que 45% dos casamentos celebrados na província de Karakol (é isso mesmo) em 2010 e 2011 foram forçados. A noiva acaba consentindo sob ameaças de exclusão social e estupro (8/2/2012, EurasiaNet).

Mulheres deformadas após ataque com ácido

O maior incentivo ao crime é a impunidade. Nós temos muitos exemplos no Brasil no tocante aos chamados "crimes de colarinho branco."

No mundo islâmico existem vários exemplos de crimes que passam sem punição. Um deles são os ataques às mulheres.

Mas, porque eles passam impunes? Em primeiro lugar, devido ao fato da mulher pertencer ao homem. Em segundo lugar, por existerem prescrições sobre o marido punir a sua esposa (link). e, finalmente, a lei islâmica prescreve que retaliação não existe quando o pai mata os seus filhos (lei islâmica o1), subentendendo-se aí a ampliação deste "direito" do homem sobre as esposas. O resultado de tudo isso é impunidade.

A foto ao lado é de uma mulher afegã que teve o nariz arrancado pelo marido. As fotos abaixo são de vítimas de ataques com ácidos.

Veja matéria do O Globo sobre isso que saiu em 2010.



No Canadá, Imã diz que mulher só pode casar com a permissão de um "guardião"
A islamização espalha a ideologia para fora do mundo islâmico. Ao responder a pergunta de uma muçulmana, que vive sozinha, se ela pode tomar a sua própria decisão sobre quando e com quem se casar, um imã responde que a mulher só pode casar com a permissão de um guardião (pai, avô, irmão, algum adulto). Sem isso, o casamento não tem valor (MC).

Ao perguntar se ela pode se casar com um cristão, o Imã responde citando o Alcorão (2:221)
E não dê as suas filhas em casamento para um não-muçulmano até que ele creia apenas em Alá. Na verdade é melhor que ela case com um escravo muçulmano do que com um não-muçulmano livre.  
Casamento de crianças na Indonésia
45% das meninas entre 10 e 15 anos na província de Sualesi do Sul são casadas, e que os maridos acham que se casando com elas afastam o risco de cometer adultério e contrair AIDS (8/2/2012, JakartaGlobe).

Aumentam os casos de açoitamento de mulheres e circuncisão feminina nas Ilhas Maldivas
A gente imagina as Ilhas Maldivas como um paraíso turístico. É verdade, existem ilhas apenas para os turistas. No resto do país, todos os cidadãos são obrigados a serem muçulmanos. É isso o que define a constituição deste arquipélago. Esta constituição segue a tendência de aumento do fundamentalismo religioso, sob influência árabe. A cultura local é na verdade matriarcal, onde a herança vem da mulher. Mas isto foi alterado pelo governo sob pressão dos grupos islâmicos.

A Comissária de Direitos da Mulher da ONU, Navi Pillay, conclamou o governo maldivo a abolir a prática do açoitamento de mulheres por terem sexo fora do casamento (punição semelhante raramente é imposta aos homens). A resposta a este pedido foram manifestações de rua, onde os manifestantes expunham cartazes dizendo "banem a ONU", "O Islã não um brinquedo", e "Açoitem Pillay."

Outros relatos dão conta do aumento da cincuncisão feminina, principalmente nas ilhas mais periféricas (TheAge, 25/1/2012).

Mulheres turcas vítimas de estupro "permitido"
O caso da menor de 11 anos Z.Ç levada a um hospital por seu marido de 25 anos traz a luz a situação dos casamentos islâmicos entre homens adultos e crianças. O médico diagnosticou a menor como grávide de 8 meses, e disse que ela com certeza foi estuprada (25/1/2012, StoneGate).

Norueguesa é espancada por noivo egípcio por se recusar a casar
Todos sabemos que existe violência contra a mulher, e ela deve ser, e é combatida. Porém, a lei islâmica abre uma brecha perigosa criando situações onde é halal (permitido) que isso aconteça. A partir daí, é ladeira abaixo (Voice of the Copts).



Pai muçulmano sequestra filhos para a Tunísia
Um fato lamentávelmente comum decorrente do fato de, sob a lei islâmica, a mulher, os filhos serem propriedades do marido. Nos EUA. Edeanna Johnson Chebbi teve seus dois filhos sequestrados pelo seu ex-marido, o tunisino Faiçal Chebbi, que não os devolveu após ficar com as crianças durante um dos períodos de visita judiciais. Dias mais tarde ela recebeu um telefonema da Tunísia dizendo que as crianças não seriam devolvidas. Segundo as leis da Tunísia, ele não cometeu crime algum (Nov/2011, TunisiaLive.net).

Mulher decapitada na Arábia Saudita sob a acusação de feitiçaria
Amina Bint Abdulhalim Nassar foi decapitada em Dez/2011. Embora feitiçaria não esteja nem na lei, o governo saudita geralmente usa esta acusação contra pessoas que o governo considere ameaçadoras. Em 2011, 76 pessoas foram mortas pelo governo por decapitação (Care2). Em Junho/2011, uma empregada da Indonésia foi decapitada por ter matado o seu padrão, porque ele a impedia de retornar para a sua família em Jacarta (Telegraph). 

Muçulmano francês preso por agredir enfermeira que retirou a burka da sua esposa durante o parto
Essa história permite ver o nível de fanatismo que os "muslóides" (que melhor termo para descrever isso?) são inculcados. Nassim Minourme, 24 anos, primeiro chamou a enfermeira de "estrupadora" pelo fato dela estar fazendo "exames íntimos" na sua esposa, que estava com contrações. A sua esposa pediu ao marido que permitisse o exame, mas ele respondeu ameaçando-a com divórcio. Ele foi levado para outra sala. Mas ao ver que o véu havia sido retirado ele entrou na sala de parto e agrediu a enfermeira (Dez/2011, FoxNews).

Governo iraniano quer controlar a moda feminina
Esta é uma notícia que deixa os meus amigos da Esquerda "excitados." Um governo que quer controlar todos os aspectos da vida dos cidadãos (bem, neste caso, principalmente das mulheres), chegando ao cúmulo agora de querer definir o que é moda. Não que as mulheres iranianas tenham alguma escolha. A lição é a seguinte: um governo não tem nada que se intrometer na vida das pessoas. Mas, no Islão, é exatamente isso o que acontece. E os muçulmanos são aqueles que se submetem, eles são os "escravos de Alá." (Washington Post, Dez/2011)


UN Watch Condena Irã, Paquistão e Burma no Forum de Direitos da Mulher da ONU.
A ONG UN Watch condenou o Irã pela perseguição às mulheres da minoria Baha'i, pois enquanto que as mulheres muçulmanas têm direito à educação, este direito é negado às mulheres da fé Baha'i. Situação semelhante ocorre no Paquistão, onde as mulheres Hindus têm negado acesso a escola com base na sua religião. Além disso, existem expressões anti-Hindus sendo propagadas nas escolas, o que viola o Artigo 26 da Declaração Universão de Direitos Humanos que provê que "educação deve promover entendimento, tolerância, e amizade entre as nações, raças e grupos religiosos." E Myanmar (Burma) onde a junta persegue o grupo minoritátio muçulmano dos Rohingyas. Vale aqui um comentário. Repare que a UN Watch menciona 3 países, sendo que em um deles, Myanmar, muçulmanos são perseguidos. A lição é que o "mal" é algo que existe, e que deve ser enfrentado. O problema ao lidar com o Islão é que o "mal" foi sacramentado nos escritos sagrados, no Alcorão, na Sunna e na lei islâmica, sendo deste jeito muito difícil de ser mudado e combatido (BurmaNews).

Marido decepa dedos da esposa para evitar que ela estude
Bangladesh: ela começou a estudar sem a autorização do marido. O marido, Rafiqul Islam, tapou os olhos e a boca da esposa dizendo que iria dar um presente a ela, antes de atacá-la (Dez/2011, BBC). Segundo a Lei Islâmica, a mulher é propriedade do homem.




Homem corta ponta do nariz e dos dedos da esposa 
Aconteceu no Paquistão, onde uma lei que proibia a violência doméstica caducou no Senado devido a pressão de partidos religiosos. Advinha de que religião são estes partidos (Dez/2011, Emirates). Segundo a Lei Islâmica, a mulher é propriedade do homem.


Taliban corta fora seio de mulher durante amamentação, e pede para que as outras que comam os pedaços
Este fato aconteceu no Paquistão e é documentado por um relatório da ONU (Dez/2011, Indian Express).

Aumento alarmante de "ataques de honra" muçulmana no Reino Unido: polícia revela que milhares aconteceram no ano passado
Pelo menos 2823 casos de violencia em "defesa da 'honra", com maior número de ocorrências em Londres. Estes ataques são punições geralmente realizadas contra as mulheres muçulmanas, acusadas ​​de trazer vergonha para suas famílias, e incluem raptos, mutilações, espancamentos e assassinatos. As famílias muitas vezes negam a existência dos ataques. Segundo Dianna Nammi, diretora da IKWRO, "os criminosos são ainda considerados como heróis dentro da comunidade, porque eles são a defesa da família e da honra  e reputação da comunidade. " Dianna Nammi acrescentou que "muitas coisas" são consideradas desonrosas, incluindo: ter um namorado, ser vítima de estupro, recusar um casamento arranjado, ser gay ou lésbica e em alguns casos usar maquiagem ou trajes inadequados (3/Dez/2011 Mail). Estes números tendem a crescer com a contínua islamização da Inglaterra. Até o dia que vai ser proibido divulgá-los. 

Afeganistão, um inferno para as mulheres
Reportagem da Revista Veja (em 2010) que, apesar de não discutir o porque das coisas (referência à lei islâmica), mostra as dificuldades da vida das mulheres sob a Sharia.

Sauditas temem escassez de "virgens" se mulheres puderem dirigir
Um relatório "científico" afirma que o relaxamento da proibição que impede as mulheres de dirigir automóveis também veria os sauditas, homens e mulheres, recorrerem à homossexualidade e pornografia. As conclusões surpreendentes foram feitas por estudiosos muçulmanos da Majlis al-IFTA 'al-A'ala, o mais alto conselho religioso da Arábia Saudita, em conjunto com Subhi Kamal, ex-professor na Universidade Rei Fahd. O relatório adverte que permitir que as mulheres dirijam iria "provocar uma onda de prostituição, homossexualismo, pornografia e divórcio". Dentro de dez anos após a proibição ser levantada, os autores do relatório afirmam, não haveria mais " virgens " no reino islâmico. E salientou que um "declínio moral" já pode ser visto em outros países muçulmanos, onde as mulheres não podem dirigir (1/Dec/2011, Mail). (Lembre-se: sob o Islão, mulheres são propriedades do homem, além de serem deficientes em inteligência -- e se uma mulher foi estuprada, a culpa é dela). 

Lei de Proteção da Família no Irã
O governo do Irã chama isso de Lei de Proteção da Família, mas ativistas a chamam de lei "anti-família." Esta lei dá aos homens o direito de tomarem uma segunda esposa sem a permissão da primeira, e garante o direito do homem em ter um número ilimitado de casamentos temporários, que podem durar de 10 minutos a 99 anos. Esses arranjos vêm da Sharia e tem existido no Iran, mas a Lei da Proteção da Família os torna oficiais  (29/Nov/2011, Fox News)

Condenada por ter sido estuprada
Segundo a lei islâmica, uma mulher para provar que foi estuprada deve ter o testemunho de 4 homens (vamos e venhamos, algo impossível de acontecer). Isto de acordo com o Alcorão (24:11-20). Caso a pobre estuprada não tenha as testemunhas, melhor ela ficar caladinha e torcer para não engravidar, pois se isso acontecer ela vai ser acusada de adultério, e ser punida com isso. 

Foi isso que aconteceu com a jovem Galnuz, de 21 anos, presa do Afeganistão desde 2009. Ela foi estuprada pelo primo do marido. O agressor negou ter estuprado Galnuz e disse que a jovem, se deixar a prisão, correrá risco de ser vítima de um assassinato de honra - cometido provavelmente por sua própria família (29/11/2011, O Globo). 



Atualização: devido a pressão internacional, o presidente do Afeganistão irá liberar Galnuz desde que ela se case com o seu estuprador (seja uma das quatro). PS. Ela teve o parto na prisão. (1/12 O Globo). O que você acha deste história? Ela se repete (desde o século 7).

As Gatinhas do Iemen
A foto mostra mulheres no Iemen usando suas roupas tradicionais. De onde vêm esta "bela" tradição iemenita? Advinha?

NProfeta! Diga a suas esposas e filhas, e todas as mulheres muçulmanas, para usarem capas e véus cobrindo todo o seu corpo (cobrindo-se totalmente exceto para um ou dois olhos para ver o caminho). Isso vai ser melhor. Elas não vão se aborrecer e nem serem molestadas. [Alcorão 33:59]. 

Enquanto as mulheres se cobrem, mas o homens não. Essa é a igualdade de direitos de gênero no Islão.

"Islamistas dizem ter vencido eleições no Marrocos"
Esse notícia do O Globo chama a uma reflexão. O fato é que sempre que existem eleições em países de maioria islâmica, os partidos que defendem a implementação da lei islâmica (Sharia) acabem eleitos. Porque isso? Porque é dever de todo o muçulmano lutar pela implementação da Sharia, de modo que o Islão tenha controle político sobre tudo. Eles são inculcados disso desde criançinha, quando são educados (lavagem cerebral) nas Madrassas (onde eles aprendem a odiar tudo o que é não-muçulmano). E o que as mulheres podem esperarar vivendo sob a lei islâmica? A foto mostra as mulheres "progressistas" votando.


Escritora Libanesa teme extremismo e questiona democracia sem participação da mulher
Em entrevista publicada no jornal O Globo
de hoje (20/Nov/2011), a jornalista libanesa Joumana Haddad se diz cética quanto aos rumos tomados pela "Primavera Árabe" e sobre o papel reservado às mulheres. "O mundo árabe está caindo aos pedaços," diz ela.  "As pessoas não vão compreender o quanto o extremismo religioso é terrível até sentirem a pressão de viver sob ele", disse a autora de "Eu matei Sherazade." Durante a entrevista ela disse "não posso me dar o luxo de ser otimista. No Líbano, somos treinados para a decepção." Sem dúvidas. Qual o futuro da "Primavera Árabe" sabendo-se que, no Egito a Irmandade Muçulmana deseja implementar a Lei Islâmica (Sharia) (WND), na Líbia o líder interino do governo 'diz que a Sharia será a base do país' (Mail) e, na Tunísia o recém-eleito líder de governo pelo partido Ennahda declara como objetivo o retorno do Califado (sistema de governo dos impérios islâmicos baseado na Sharia) (DailyStar). Veja o que é a Lei Islâmica.



Será este o futuro das mulheres no Egito?
Com toda a publicidade da chamada "Primavera Árabe," vem ao conhecimento esta candidata às eleições no Egito. Madame Salah defende que "mulheres são deficientes em inteligência e religião, e que não é permitido a elas estarem em autoridade ou ocupar o cargo da presidência." Ela advoga a aplicação da Sharia, incluindo a decepação de mãos e pés para criminosos, a proibição para que homens e mulheres se misturem, e que a roupa para mulheres e homens sejam: preta para as mulheres e branca para os homens.


É deste jeito que o Islã liberta as mulheres? (18/Nov/2011, Andrew Bostom, PJMedia).



Mulheres devem cobrir olhos provocativos na Arábia Saudita
De acordo com reportagem na Al Arabiyya News, a Comissão para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício da Arábia Saudita declarou que irá começar a "interferir com" e "ordenar" as mulheres a cobrirem os seus olhos caso "eles provoquem fitna [sedição, caos]." O porta-voz acrescentou que "os nossos homens têm todo o direito de fazer isso." A imagem é retirada da reportagem da TV (16/Nov/2011, Raymond Ibrahim, PJMedia).

Mulheres no Egito amarradas e conduzidas como camelos
A foto abaixo, tirada durante um recente protesto no Egito, mostra mulheres cercadas por uma corda e sendo conduzidas como camelos. Repare no lado direito da foto mão de um homem segurando e puxando a coleira. Isto é feito, diz-se, como uma medida preventiva para evitar que as mulheres se misturem com os homens durante os protestos. Textos islâmicos comparam as mulheres como camelas. Um lembrete para aqueles que pensam que a história deve sempre trazer progresso, 50 anos atrás, a maioria esmagadora das mulheres egípcias se vestiam com roupas modernas, sem cobrirem os cabelos, e nunca se subjeitariam a serem amarradas como camelos  (10/Nov/2011, Raymond Ibrahim, PJMedia).


Na Alemanha multicultural, aumenta o caso de casamentos forçados
Esta é uma prática que vem como consequência do fato da mulher pertencer ao homem (9/Nov/2011, O Globo).

Mulher punida após protestar contra o véu
Mulher iraniana narra a sua vivência sob o jugo do Islão. Ela foi presa por 2 anos, estuprada e teve a sua perna quebrada por se recusar a usar o véu.



Fatwa 2134, sobre poligamia: 
    Poligamia por sí só já é algo degradante para a mulher. Mas o pior são os motivos apresentados para defende-la. Um exemplo é a Fatwa (édito religioso) recentement editada, que diz:
Poligamia é permitida por diversos motivos, por exemplo:
1- A energia sexual do homem é, em geral, maior do que da mulher. Então, em alguns casos, uma esposa não é suficiente para satisfazer os desejos conjugais do seu marido.
2- Gravidez e parto afetam negativamente a forma e a atração física que a mulher possui.
3- Em termos mundiais, o percentual de mulheres é maior do que o de homens, eventualmente, deve existir uma solução, qual seja, ou permitir adultério e prostituição, ou permitir a poligamia.
4- Um marido pode tomar conta de mais do que uma esposa ao mesmo tempo, quer seja socialmente, monetariamente e mesmo sexualmente com eu mencionei acima. Entretanto, o oposto não é correto, devido a capacidade física e psicológica que Alá altíssimo deu para os homens.
Direito das Mulheres Muçulmanas no ... Canadá!
Foi noticiado em jornais canadenses (The Star; National Post) que um escola pública em Toronto promove orações islâmicas todas as sextas-feiras. Isso, por sí só, já vai de encontro a prescrição de que orações, de qualquer natureza, são proibidas nas escolas canadenses (isso ocorreu nas décadas de 60 e 70, quando deixou-se de rezar o Pai Nosso nas escolas públicas). Pior ainda é o fato de como as crianças são organizadas para a oração islâmica. veja na foto abaixo. Primeiro os meninos, que entram pela porta de frente, depois as meninas, que entram pela porta de trás, e por último as meninas que estiverem menstruando, que não podem orar por estarem impuras. Este é o Islão para as mulheres, que vem sempre depois dos homens, sendo que as mulheres que estiverem menstruadas são impuras. Nós pensamos que isso é ridículo. Mas esta mentalidade está ganhando força. Acontece até no Canadá, um país que consideramos como "progressista." E situações semelhantes ocorrem em outras escolas em Toronto e em outras cidades do Canadá (Ottawa Sun).

E ao ser perguntado sobre isso, o diretor do distrito do qual a escola pertence disse: "nós temos a responsabilidade e a obrigação de acomodar as necessidades da fé." De que fé ele se refere? Cristãos, judeus, hindus, budistas, etc, não encontram estas regalias nas escolas canadenses! O que este diretor está fazendo, mesmo sem saber, é impor a Lei Islâmica, usando o dinheiro do contribuinte canadense. (July/2011)


Os casos de Shakila e Mujahedeh, mortas pelo honra do homem
O marido de Shakila achou que ela tinha um caso com um menino. Por isso, ela a matou com 60 facadas. Shakila fugiu de casa por se recusar a se casar com um homem que tinha idade para ser seu avô. Ao voltar para casa ela foi morta pelo seu pai. No Afeganistão. (Julho/2011, Al Arabyia).

Clube da Poligamia
Funciona desde 2009, no Indonésia, o Clube da Poligamia. Segundo a fundadora do Clube, Gina Puspita, "há muitas vantagens para as mulheres em casamentos polígamos." Ela diz que nos casamentos polígamos "aprendemos a controlar nossos desejos e ciúmes e isto nos leva para mais perto de Alá". (BBC)

Clube das Mulheres Obedientes
Um grupo de muçulmanas inaugurou, na Malásia, o Clube das Esposas Obedientes, entidade que defende a submissão incondicional das mulheres à vontade de seus maridos como forma de reduzir o índice de divórcio e de violência doméstica. Segundo o clube, "males sociais" como o alcoolismo, o consumo de drogas e a prostituição têm suas origens em esposas rebeldes que se afastam do caminho de Alá. A vice-presidente da entidade, a médica Rohaya Mohamed, diz que "os abusos dentro do lar ocorrem porque as mulheres não obedecem às ordens de seus maridos. Eles sempre têm a razão, que tem origem divina, o que não os exime de sua responsabilidade, que é sustentar a família." Ou seja, a culpa é da esposa. (Terra)

Oslo: todos assaltos sexuais que resultam em estupros cometidos por pessoas de origem "não-ocidental"   
Se voce ver o vídeo, você vai perceber que o termo "não-ocidental" é um artifício politicamente correto para se referir a pessoas cuja "religião" permite ao homem tudo, e a mulher não tem "direito e nem opiniões". Veja bem. Na Noruega, estupro é crime. Mas sob a Lei Islâmica (Sharia) se a mulher não tiver a testemunha de 4 (isso mesmo, quatro) homens para provar o estupro  a mulher pode ser acusada de comportamento ilícito (ou adultério se for casada) e ser açoitada ou mesmo apedrejada. E isso acontece nos países de maioria islâmica.



Jovem de 17 anos apedrejada ... na Ucrânia!
Tem gente acha que a Europa está longe do alcançe da Lei Islâmica (Sharia). Nem tanto. Jovem muçulmana de 19 anos apedrejada até a morte por ter participado de concurso de beleza (O Globo). Um dos assassinos, um adolescente de 16 anos, diz não se arrepender pois a jovem havia violado a Sharia. Isso mostra que mesmo que Alá não mande a sua "punição" vai ter sempre um "religioso" para aplicar a "lei de Alá." E que as maiores vítimas do Islão são os próprios muçulmanos.

Divórcio, Estilo Islâmico
Sob a lei islâmica, a Sharia, um homem pode se divorciar da sua esposa simplesmente repetindo 3 vezes "eu me divorcio de você." Agora, dentro da era da comunicação eletrônica, uma nova modalidade de divórcio islâmico surge: o divórcio SMS. A esposa foi informada do divórcio por mensagem de texto. Agora, ela quer esclarecimentos na corte islâmica se este procedimento é válido.
Egyptian woman in legal test of SMS divorce
Ao final da notícia, diz-se que "de acordo com as estatísticas oficiais do Egito, um divórcio acontece a cada 6 minutos."
Isto contradiz o que ouvimos de apologistas do Islão, de que sob o islão existe estabilidade familiar.

Veja mais exemplos AQUI (Parte 2)


61 comentários:

Boo disse...

Vai parecer um pouco maluco o que eu vou falar agora, mas se em um futuro (talvez não tão distante) o islã penetrar no brasil com leis e o diabo a 4.
Eu para defender minha liberdade, vou lutar ao estilo olho por olho e dente por dente.

Anônimo disse...

Muito bom o seu blog, bem interessante. E sempre com a indicacao da fonte, gostei! Nao sou crente mas acho que as pessoas tem o direito as suas crencas, desde que nao prejudique os outros. O Islao extremista e' um atentado aos direitos humanos! - Filipa Castro

Vagner Fonseca disse...

As leis do Islã são totalmente condenáveis, eu acredito eu li coisas que jamais poderia imaginar nesse blog, estou em estado de choque, essas mulheres tinham de ser resgatadas....

Vagner Fonseca disse...

Interessante nós sabermos o que se passa por aquelas bandas, também não vejo problema as pessoas seguirem suas crenças, convicções, desde que sejam pessoas normais, não demonios escondidos atrás de um livro das trevas aos quais eles tiram as punições mais desumanas da terra, isso é um estupro aos direitos humanos, os executores dessas crueldades tinham de morrer, todos, estou em estado de choque com essa matéria, que isso nunca chegue ao nosso país...

Sara disse...

o nojo q sinto dessa religião não da nem pra mensurar.
Acho q quem professa essa religião envergonham a humanidade...

Anônimo disse...

o mais interessante nisso e que muitas feministas apenas reclamam quando há agressão contras mulheres nos países democráticos mas se calam com os islâmicos.

Anônimo disse...

e as feministas reclamam apenas dos países democráticos.

Anônimo disse...

E de pensar que começaram a fazer pesquisas aqui no Brasil dizendo que as mulheres merecem ser estupradas por causa das roupas curtas. Tentativa de imitar as leis Islamicas? é para se pensar!! até nos livros escolares já estão ensinando sobre o islã.

José Atento disse...

Que livros escolares estão ensinando sobre o islão? Ensinando como?

Anônimo disse...

O problema que essa praga está infestando o mundo. Esse é o método que eles usam para infiltrar e dominar. A democracia deveria ter um meio para se proteger de si mesma. Proibir esse lixo vir para o ocidente e devolver para o país de origem esses maníacos. Fiquem por lá com suas loucuras. Creio que a terceira guerra mundial será religiosa, aliás Nostradamus previu esse acontecimento.

Anônimo disse...

Respeito todas as religiões, mas o islão radical deve ser combatido e esmagado até que não sobre o último pervertido.

Anônimo disse...



Islã é a vergonha da humanidade, tenho nojo dessa religião.
Todos os dias ficamos sabendo dos horrores dessa maldição religião, vezes aparece aqueles supostos bonzinhos muçulmanos dizendo que são os fanáticos que interpretaram erradamente mas esses mesmo demonstram fanatismo e muito preconceito

Anônimo disse...

O Islamismo é uma religião com doutrinas extremamente corretas, porem existe alguns muçulmanos com filosofias de fanatismo como o Estado Islamico, massacrar mulheres , crianças não condiz o que o Alcorão ensina, agora se funcionasse para acabar com os corruptos existente no Brasil teria minha aprovação sim.

José Atento disse...

"doutrinas extremamente corretas" ... não sei bem o que voce quer dizer com isso. Mas você já teve a oportunidade de ler o que a lei islâmica diz? A lei islâmica (Sharia) é praticada, em diversos níveis, por todos os países islâmicos.

http://infielatento.blogspot.ca/2011/06/lei-islamica-sharia-para-os-nao.html

Anônimo disse...

Maldita seja a religiao e a quem faz

Anônimo disse...

Um Islamista encontrou um amigo meu outro dia em Parauapebas e notou que o irmão era cristão. ambos estavam em uma barraca de comida e o cristão chamou a dona da barraca de irmã, então o musulmano disse se fosse no pais dele o irmão seria morto naquela hora. Se eu estivesse lá acho que o demente e que teria.

Estelita disse...

Bem... todo "extremismo", "fundamentalismo", é condenável, em qualquer setor da vida, e como eu conheço apenas "Muçulmanos", e não extremistas, eu sei que tais atrocidades não são usuais. Além do que, a Religião não é responsável pelos atos de seus seguidores. É o mesmo que dizer que o CRISTIANISMO é culpado pelos Padres Pedófilos, Pastores usurpadores, tráfico e traficantes de droga, pseudos-cristãos que matam apenas por prazer... como notamos, tanto entre os Judeus, Cristãos, Muçulmanos, há os bons e os maus seguidores.
Estelita

José Atento disse...

Estelita: é importante não confundir muçulmanos individuais com o islão.

Agora, o islão é capaz de tornar pessoas boas (muçulmanos seculares) em péssimas pessoas (muçulmanos devotos). Veja bem, não foi o islão quem inventou a pedofilia, mas ao sacralizar o casamento pedófilo de Maomé, a pedofilia foi consolidade na lei islâmica. Não foi o islão quem inventou o estrupro, mas ao sacralizar os estupros cometidos por Maomé, a lei islâmica torna estupro algo permitido se feito sobre mulheres não-muçulmanas. Não foi o islão quem inventou o apedrejamento como punição, mas ao sacralizar o que Maomé fez, tornou o islão o único regime político que ainda usa deste ato bárbaro.

A lista é longa.

Sinto muito decepcioná-la, mas quem tentar seguir Maomé fundamentalmente irá se tornar um criminoso como ele foi.

Anônimo disse...

Meu cunhado se converteu ao islamismo e fez da vida de minha irmã um inferno! Agora ela só sai de casa quando ele deixa, até para comprar pão na esquina ela deve pedir permissão. Meus dois sobrinhos são considerados também superiores à ela e na ausência do pai, os dois são os guardiões da mãe, mesmo que sejam crianças entre 5 e 8 anos!

Ela só pode sair com as roupas que ele escolhe para ela, roupas que ele acha que estão de acordo com as regras do Islã. Ela até me disse que gosta de usar o Hijab, o problema é que por qualquer motivo ele se desagrada dela e a força á sair usando o niqab e ela me disse que sente muita vergonha e incômodo de usar essa roupa que é quente, sufocante e desajeitada, a impede de comer qualquer coisa na rua de se movimentar com liberdade pois enrola no corpo com qualquer brisa, abafa a temperatura do corpo, etc.

Ela também é proibida de falar com o resto da família sem que o marido esteja presente. Apesar do alcorão dizer que os islâmicos devem tratar bem os cristão e judeus na prática é todo mundo visto como infiel e ameaça então para que não corra o risco de desviarmos minha irmã do caminho sagrado ela tem dia e hora marcado para ver a família, tudo controlado por ele, até os assuntos discutidos. Quando ela quer desabafar ela tenta dar um jeito de usar o celular escondida quando ele está trabalhando ou dormindo, ma tudo bem disfarçado, pois se ele fica sabendo ele bate nela! E a comunidade acha lícito que uma má esposa apanhe, e denunciar é a pior coisa que ele poderá fazer, pois terá que enfrentar a dura realidade de um julgamento islâmico (pelo menos não é pela Shahira) e ser taxada de má esposa, discriminada e ofendida.

RASEK disse...

Muito me preocupa com este crescimento do islamismo pelo mundo. Pobre França, pobre Inglaterra...
Estas nações tinham que fazer leis que freassem esta religião, e seus adéptos. Perde a cada hora a sua identidade, a Europa!!
O mundo ocidental tinha que adotar uma espécie de reciprocidade moral com estes estados muçulmanos, pois lá, o cristão, o não muçulmano, o infiel, quase não tem direitos e são até perseguidos.
Odeio esta religião!!
Odeio este bandido que chamam de profeta!!

RASEK disse...

LAMENTÁVEL QUE OS CRUZADOS NÃO TENHAM BLOQUEADO O CRECIMENTO DESTES MISERÁVEIS HÁ 900 ANOS!!

Anônimo disse...

credo. ela não mora no Brasil não né.
cadeia num puto destes!

Anônimo disse...

Nossa Religião escrota ..E tem quem defenda esses doentes,insanos ...

Lágrimas Melancólicas disse...

Rezo para que o Islamismo torne-se a religião oficial do mundo, só assim pra por as pessoas la linha.

José Atento disse...

Isso é uma visão 100% islâmica. Parabéns pela sua honestidade. Afinal, o islão é 100% compulsão e não existe liberdade de escolha.

E, por não existir liberdade de escolha, não existe virtude, mas apenas robôs autômatos que se sairem fora de linha devem ser eliminados.

RASEK disse...

LÁGRIMAS MELANCÓLICAS.
Você só pode estar de brincadeira!!
Não posso crer que um brasileiro acostumado ao estilo de vida ocidental, reze para que esta ideologia pífia e criminosa vigore algum dia por aqui.
Tu "tá" de sacanagem né?

Marcel Seminarista disse...

Nunca deixe de fazer este trabalho rapaz....

Espero que o Brasil acorde antes de ser morto pelo sistema maldito desta "religião".


PARABÉNS

Igor Andrade Ribeiro disse...

tenho 17 anos fasso estudo de direitos vou completar 18 em abril e lendo isso para fazer um trabalho sinto nojo do mundo esse tal de alcorao deus ala alaaa u cacete bando de filhos da puta que multilao e exploram mulheres como submeter uma menina de 8 anos a se casar com um de 40 e perde a vida com apenas 8 anos de idade por um ato sexual esse mundo nao esta perdido esta perdida e a humanidade se eu soubesse falar a lingua deles diria que esse tal de maome e mais um fdp cruel antigo e que todos os homens islamicos sao os caos do inferno causando a seu proprio povo o inferno nao tenho nem palavras se eu fosse deus salvaria as mulheres e explodiria a cabeca de cada um deles .

Leia Dovericch disse...

Oi,achei muito interessante seu blog estar alertando para os riscos de uma mulher de outra religiao nao cair nessa...as vezes vao enganadas achando que sao sheiks que tem dinheiro e passam por todo tipo de coisa....

Leia Dovericch disse...

Nunca fui contra religiao nenhuma ,mas agora vejo que tenho nojo,abomino uma religiao que prega o estupro e o espancamento de criancas e mulheres,que tratam as mulheres como lixo e pedaco de carne...Logo em um mundo cheio de doencas como o HIV,estuprar essa coitadas que tiveram o azar de nascer num país desses aí islamitas....

Leia Dovericch disse...

ESSE TIPO DE BLOG ABRE OS OLHOS DO BRASIL PARA O CRESCIMENTO DESSA RELIGIAO,QUE PREGA ESSAS COISAS,O FANATISMO RELIGIOSO....SE EU NASCESSE NUM PAÍS DESSE EU JÁ ESTAVA MORTA PORQUE NUNCA ABAIXEI MINHA CABECA PARA HOMEM NENHUM E NENHUM HOMEM ME DOMINA NAO,SE ELE BATER COM CERTEZA ELE VAI APANHAR,POSSO TER UM BRACINHO MAGRINHO,MAS A PORRADA FAZ ESTRAGO.

Leia Dovericch disse...

O seu blog de início quando li achei que incitava o preconceito contra o islao,mas voce nos deu razoes serias para nao considerar essa religiao como nossa nunca em um mundo distante daqui a uns tempos.Voce está de parabens, continue abrindo os olhos e vamos divulgar mais sobre os direitos iguais ,a mulher também é um ser humano e valioso ela gera filhos,merece ser independente,ter suacarreira,estudo sua vida.!

Anônimo disse...

Indignação!! Nojo compulsa! Como pode ainda em pleno 2015 ainda existir monstros em nome Maomé que deve tá fogo inferno e mesmo assim tem bando Loucos que seguem ele sendo assim covardiamente e a sangue frio matam mulheres, bebês, crianças... vi uma foto de 01 bebê vivo tendo 01 faca sendo penetrada na testa por ser Cristão, estou até agora CHOCADA..Até quando? pelo amor de Deus essas crianças e Mulheres precisam serem Resgatadas...

Anônimo disse...

Indignação!! Nojo compulsa! Como pode ainda em pleno 2015 ainda existir monstros em nome Maomé que deve tá fogo inferno e mesmo assim tem bando Loucos que seguem ele sendo assim covardiamente e a sangue frio matam mulheres, bebês, crianças... vi uma foto de 01 bebê vivo tendo 01 faca sendo penetrada na testa por ser Cristão, estou até agora CHOCADA..Até quando? pelo amor de Deus essas crianças e Mulheres precisam serem Resgatadas...

Leia Dovericch disse...

Meu Deus!Nunca eu vi escrito em nenhum lugar difamacoes sobre Jesus Cristo durante sua passagem na terra.Até hoje a Igreja segue na linha de que os padres nao podem casar porque Jesus nao era casado.Entao sinto minha religiao a melhor.Porque eu li neste blog que ELES (ISLAO)SE ACHAM SUPERIORES E È O MUNDO OCIDENTAL QUE TEM DE SE ADAPTAR A ELES...nunca eu vou

Leia Dovericch disse...

Nao entendo porque a ONU nao faz nada pra ajudar essas criancas e mulheres,e essas feministas que aparecem na internet e também nao fazem nada! Parece que estao interessados só no petróleo de lá e o resto que sofra...Quem faz mal a um bebe faz mal a Deus e queimará nas profundezas do inferno,deveria haver uma campanha internacional pra que isso acabe,se todos os países se importassem e condenassem quem faz essas atrocidades...

Anônimo disse...

isso nao pode acomtecer se um dia acomtecer voce pode ter serteza vai estourar uma guerra sangrenta e eu vou ser a primeira a passar a mao num fuzil e ezecutar uma grande parte deles estamos num pais democratico ou o comgresso nao deve aceitar mais nenhum musumano cortar todas as relaçoes comeciais negocios politicos em nosso pais nos temos que iguinoralos issolalos do nosso comvivio

Anônimo disse...

O deus dos muculmanos os fazem assim... Masss será que o deus dos cristãos é melhor?
Porque as religiões cristãs ensinam que se você não fizer tudo certinho,quando morrer irá para o inferno,será TORTURADO eternamente no fogo do inferno...tsc tsc tsc
No fim das contas acho que Religião é escravidão e tortura mental..
Deus,eu creio que existe e um dia vai arrumar essa zona;Mas enquanto isso não acontece eu me apego a uma só lei: Amar ao próximo como a mim mesmo.

Anônimo disse...

Meu Deus, nunca li tanta barbárie junta... o que dizer disso tudo? é podre, é nojento, é asqueroso, sem palavras... isso é a podridão da humanidade o que fazem a estas mulheres! monstros que disseminam essa religião escrota, queimem no inferno por toda eternidade! que o capeta coma seus fígados e queime até o último pedaço dos seus corpos por toda a eternidade...

Leia Dovericch disse...

Respondendo ao anonimo de 15 de julho de 2015 as 14:36: Vc nao percebe a diferença?CRISTIANISMO: Se nao fizer tudo certo iremos para o inferno (exemplo,assassinar)...Já na lei de maomé...Se fizer tudo errado irá para o paraíso(exemplo,assassinar,decapitar,casar-se com crianças)

Anônimo disse...

Desde o começo me arrisquei muito em comentar com o meu nome aparecendo...porque sabemos que no Brasil já tem redes que apóiam o estado islamico(nao merecem o respeito de ninguém,portanto esse nome deve ser escrito com letras minúsculas mesmo,escrever em letra maiúscula é um sinal de exaltação que a gramática no Brasil ou o mundo exige mas me recuso a escrever iniciais em maiúscula para um monte de lixo que decapitam inocentes em nome de alah).
Nao me seria estranho se apoiadores lixos por aqui tambem começassem a rastrear ips de quem comenta contra essa legiao de demonios,entao estou alerta.

RASEK disse...

ISLÃ=MISOGINIA=ARROGÂNCIA=PREPOTÊNCIA=ATRASO CULTURAL=MALDADE=VINGANÇA=ESTUPRO=ÓDIO

Igor Andrade Ribeiro disse...

Bom entendo vcs que tem medo de se identificar e realmente é arriscado , mas esses demônios que decapitão , estrupão e assassinam crianças mulheres e bebes , só vão para um caminho a lareira do inferno vão arder em 3 metros de labaredas de fogo , eles fizeram a religião deles , por que um Deus que eles clamam e diz que matar é o caminho para a paz nossa da nojo de pensar , eles matam todos que creem em Deus , decapitarão 21 cristões na beira de uma praia , um animal de 45 anos de idade só posso identificalo assim por que um animal se cazar com uma menina de 8 anos de idade e após uma relação sexual a menina morrer de hemorragia interna não é religião são um bando de filhos da puta máome é o cacete porrada e bombas neles . Tinham que castrar esses bostas e coloca eles de bunda em pernas de 3 de construcao de predio até a morte deles. Vou concursa nos bombeiros kkk mas to afim do exercito e me candidatar na onu pra ir como força de apoio e chumbar epes que aparentemente ja estao condenados .

Heloisa Helena disse...

Estou horrorizada, moramos num país maravilhoso pelo que li, ouvi.Peço ao nosso Deus, pai amado e misericordioso, criador de todos nós que nunca permita que essas criaturas cheguem até aqui. e tenha misericordia de mundo´ horrível.

Anônimo disse...

Eu também

Anônimo disse...

Morro de medo...Eles estão criando força no mundo e agora com esses êxodos os adeptos vão crescer e essa religião vai de dissiminar...Só Deus mesmo para conter!

Anônimo disse...

Só Deus para conter. Que Deus proteja o Brasil. Que Deus proteja as outras nações! Vamos orar, só Deus para nos salvar!!!

Jania Matias disse...

Entrego ao diabo todos esses terroristas !

Anônimo disse...

Não é atoa que esses países nunca encontram a paz, e os maiores prejudicados são seu próprio povo.

Luiz Alexandre disse...

Se as autoridades do mundo ocidental se comportarem como "bonzinhos", então será o fim da sociedade ocidental. Esta praga deveria ser dizimada de uma só vez.

Anônimo disse...

Senti um odio enorme por esse Maóme

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marcos Silva disse...

Conte comigo, vai ser um prazer!😠😠😠

Marcos Silva disse...

Sinceramente eu não gosto de mulçumanos. Independente que sejam ou não radicais justamente por causa desta doutrina chula que ele tentam impetrar nos países que não são mulçumanos. Um nojo.

Marcos Silva disse...

Concordo!!!

Marcos Silva disse...

Tem merda na cabeça no lugar de cérebro.

Marcos Silva disse...

Reza mais reza pra Lúcifer, porque só ele é que vai ouvir suas asneiras.

Unknown disse...

A coisa é séria, e as pessoas fazem piadas. Estamos vivendo um momento de 'Revolução Religiosa' no mundo todo. Vejam todos os últimos acontecimentos, ataques terroristas na Europa, refugiados espalhados pelo mundo. É preocupante.

Momade Ali disse...

Bom dia a todos..nao seja paranoia hoje século 21 toda informacao esta aberta para qualquer pessoa. .porq nao investigar preceber o islam Depois julgar. .querem julgar algo que Vcs nao preceberam? Algo que Vcs nao leram? Outros ate falam com as mesmas palavras dos textos a cima. .o islam e uma Religiao da humanidade vao estudar o islam ...dever e direito da Mulher no islamo Estao bem em detalhes no Alcorao. .mulher antes do islamo foi usada como objecto...com islam veio dar luz que mulher e valor para que a sociedade estaja de boa saude mulher de que ficar present.

José Atento disse...

A mulher vem sendo usada como objeto pelo islão a 1400 anos. Leia este resumo, com as fontes, e depois venha tentar contra-argumentar. Claramente, quem não leu foi você.

http://infielatento.blogspot.ca/2009/09/o-manual-de-lei-islamica-reliance-of.html

RASEK disse...

MOMADE ALI. Creio que quem não tenha lido tenha sido o senhor. O Islã é fragorosamente misógino, contra a mulher em todos os sentido. Esta história de que a cobre da cabeça aos pés para protege-las dos olhares de cobiça, é desculpa machista acintosa. Vocês muçulmanos não permitem qualquer liberdade às mulheres, não as deixam escolher a vida que quiserem seguir.
Eu estudo o Islã.