quinta-feira, 23 de maio de 2013

Muçulmanos gritando Alá Akbar esquartejam soldado britânico em plena luz do dia em Londres


Veja últimas atualizações ao final do artigo.

Hoje em Woolwich, Inglaterra, um soldado britânico (Lee Rigby) foi esquartejado por dois muçulmanos ingleses armados com facas e um facão. Um dos assassinos, falando com um sotaque Inglês, disse no vídeo:
Há muitas, muitas ayas [versos] no Alcorão que dizem que devemos combatê-los como eles lutam contra nós, olho por olho e dente por dente. Peço desculpas que as mulheres tiveram que testemunhar isso hoje, mas na nossa terra, as mulheres têm que ver o mesmo. Vocês nunca estarão a salvo. Derrubem o seu governo; eles não se importam com vocês.
Um dos assassinos discursa para uma câmera depois do crime

Testemunhas também informaram que os assassinos tentaram decapitar o soldado, e que eles pediram aos espectadores para chamar a polícia, e se moveram na direção da polícia como se para atacá-la, assim que ela apareceu.

Enquanto que alguns disseram que os assassinos eram loucos, o contrário parece ser o caso. Eles parecem ter agido de acordo com uma determinada lógica teológica que pode ser entendida com base em ensinamentos islâmicos. Durante este massacre, eles encontraram tempo, com calma e clareza, para explicar as suas motivações para a câmera.

O assassino foi capturado em vídeo fazendo referência a trechos de textos sagrados islâmicos. "Nós temos que combatê-los como eles lutam nós" é uma referência a uma frase encontrada várias vezes no Alcorão:
"Lute pela causa de Alá contra aqueles que vos combatem ... E os esquartejem onde quer que sejam pegos e os expluse de onde eles o expulsaram, pois fitnah (opressão, perseguição) é pior do que o esquartejamento; ... se eles lutarem com você, mate-os. Essa é a recompensa daqueles que suprimem a fé. "(Sura 2:190-9)
 "Lutem juntos contra os politeístas, como eles lutam todos juntos" (Sura 9:36)
"Permissão para lutar (contra descrentes) é dada para aqueles (crentes), que são combatidos, porque eles têm sido injustiçados e certamente, Alá é capaz de dar a eles (os crentes) a vitória" (Sura 22:39)
A palavra árabe para "luta" usada nessas passagens do Alcorão é qātilū, que significa literalmente lutando para matar.

A referência de "olho por olho, e dente por dente" é também do Alcorão (embora em última análise, emprestada de várias passagens da lei mosaica):
E nós prescrevemos para eles deste modo: a vida pela vida, e o olho pelo olho, e o nariz pelo nariz, e a orelha pela orelha, e dente por dente, e para feridas, retaliação. (Sura 05:54)
Os assassinos muçulmanos estão aqui invocando uma regra religiosa de que é permitido lutar e matar pessoas que travam uma guerra contra os muçulmanos. Como Bin Laden disse em sua carta ao povo americano:
"É ordenado por nossa religião, e pelo intelecto, que os oprimidos têm o direito de devolver a agressão. Não esperem nada de nós, mas Jihad, resistência e vingança. "
 A crença de que parece subjacente ao ataque em Woolwich é de que o governo britânico está travando uma guerra contra os muçulmanos em terras muçulmanas, sendo, portanto, legítimo para os muçulmanos a jihad contra os ingleses. O povo britânico, que votou no governo, também são considerados pessoalmente culpados, é por isso que "eles nunca estarão seguros" e lhes é dito para "derrubarem o seu governo".

A frase "vocês nunca estarão a salvo" é uma reminiscência de uma instrução de Maomé aos seus seguidores para convidar os não-muçulmanos para o islã, dizendo-lhes Aslim taslam "Aceite o islã e você estará seguro". A implicação é que os não-muçulmanos não estão seguros porque o seu sangue e propriedade podem ser tomados até que se convertam. Assim, Maomé disse a seu primo Ali, na véspera do ataque contra os judeus de Khaibar:
"Lute (qātilū) até que testemunhem o fato de que não há outro deus senão Alá e Maomé é o Seu Mensageiro [ou seja, até que se convertam ao islamismo] e quando eles fizerem isso, então o seu sangue e suas riquezas são invioláveis [seguros] das suas mãos. "(Sahih Muslim. Livro dos méritos dos Companheiros do Profeta 4:29:5917).
 Parece que os assassinos desejavam o martírio, de acordo com as suas crenças, porque eles pediram aos espectadores para chamarem a polícia e atacaram a polícia assim que ela chegou no local.

Este massacre nas ruas de Woolwich em Londres tem todas as características de um ataque teologicamente motivado,  e a chave para compreendê-lo pode ser encontrada no Alcorão e nos ensinamentos de Maomé.

Os pontos de vista adotados pelos assassinos são interpretações "legítimas" do Alcorão e dos ensinamentos de Maomé e podem ser contestados. O que não pode ser contestado é a fonte de onde eles encontraram a sua inspiração.

O texto acima é uma tradução livre da porção de um artigo escrito por Mark Durie no seu blog. Mark Durie é um vigário anglicano, em Melbourne, na Austrália, e autor de A terceira opção (The Third Choice).

----------------
Atualizações:

em 25 de maio:

Um exemplo do fator transformativo do islamismo (transformar pessoas boas em seguidores fiéis de Maomé): Michael Adebolajo, 28, o homem empunhando uma facão ensanguentado no vídeo do ataque infame, foi criado cristão, mas ficou "obcecado" com o islã quando adolescente (Daily Mail).

em 25 de maio: O primeiro ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, disse que o assassinato é uma "traição ao islão." Enquanto isso, a organização Al-Shabaab, emitiu várious twiters dizendo que "Não é uma "traição" do Islã como ele (Cameron) coloca, mas sim um "retrato" do Islã. Um dos twiters vem com a ameaça: "Toulouse, Boston, Woolwich ... Onde vai ser o próximo (ataque)? Você apenas tem que sorrir e aguentar, é inevitável."

Pergunta: Que tipo de problema psicológico afeta os líderes ocidentais que torturam a lógica a fim de desculpar ou obfuscar a raiz do problema?

em 25 de maio: Anjem Choudary, clérico islâmico inglês em cujo grupo os assassinos faziam parte, alertou para a possibilidade de mais ataques, dizendo, dentre outras coisas, que existe chance de que novos ataques deste tipo ocorram.


Michael Adebolajo visto junto a Anjem Choudary em uma manifestação pró-sharia em Londres em 2007.


-----------------
em 8 de junho:

Vídeo mostra muçulmanos britânicos rindo pelo assassínio de Lee Rigby: 



---------
Em 4 de dezembro de 2013

Jihadista que decapitou soldado britânico em uma rua de Woolwich, à plena luz do dia, se auto-intitula 'Soldado de Alá' em depoimento a polícia (Fox News)

Comentário: É impressionante que cada jihadista travando a “guerra santa” (Jihad) sabe exatamente quem ele é, e por que ele faz o que faz, citando capítulo e versículo Alcorão, mas o Ocidente se recusa a acreditar ou aceitar essa terrível realidade, em detrimento de suas vítimas, passadas e futuras . Em vez disso, somos informados pela elite cultural e política rendida que o problema é "islamofobia." 

---------
Em 22 de dezembro de 2013

Um dos assassinos, Michael Adebowale, sofreu uma série de episódios psicóticos desde que ele cortou Lee Rigby à morte. Em um destes incidentes, Adebowale renunciou ao islão e disse aos policiais na prisão de Belmarsh sul de Londres que já não acreditavam no Alcorão. (Mirror)

Comentário: Eu me pergunto ... esse cara tinha uma personalidade psicótica quando ele era cristão? Quando ele era cristão, ele matou muçulmanos em nome de Jesus? Ou em nome de qualquer outro deus? Então ele veio a sofrer uma personalidade psicótica quando ele se tornou um muçulmano, por isso a sua nova religião foi a causa do seu transtorno mental? E o Ocidente não para de dar privilégios aos fiéis desta religião ...


O islão tem esta capacidade única: a de transformar pessoas boas em psicóticos assassinos.

---------
Em 30 de janeiro de 2013

Michael Adebolajo, um dos assassinos do soldado britânico Lee Rigby, está apelando contra a sua condenação, alegando que ele é um soldado de Alá e que o que ele fez foi um ato de guerra. (BBC)

O nome que Michael Adebolajo adotou após sua conversão para a religião da paz é Mujaahid Abu Hamza, mas a notícia da BBC não diz isso. A Grã Bretanha de hoje está acovardada depois de ter importado milhões de muçulmanos ortodoxos, e agora tenta "apazigua-los" omitindo a verdade. Como disse Churchill, "Um apaziguador é alguém que alimenta um crocodilo esperando ser o último a ser devorado." 


2 comentários:

Anônimo disse...

Boa publicação. O islã vem sufocando o cristianismo com mto sangue em países como Irã, iraque, egito, somália....
Mas no ocidente os governos estão "abrindo as pernas" para o irlã. Ou seja, países ricos e tradicionalmente cristãos estão alimentando essa ideologia sanguinaria e perversa com essa balela que o Islã é uma religião pacifica.

Anônimo disse...

o islã é uma religião maldita, eles forçam a conversão, se você não se converter eles te matam, matam crianças no oriente, idosos e etc odeiam Judeus e Cristãos, são loucos, torturam pessoas de bem , por causa da religião, são hipócritas, aqui no ocidente são uns amores , porém no oriente são monstros, deixem eles ganharem um pouco mais de espaço aqui no Brasil e vocês vão ver o nosso País um caos.