domingo, 23 de junho de 2013

Mais uma decapitação em Londres


Enquanto que os  brasileiros estão na rua lutando pela democracia, contra a corrupção e pela boa gestão das finanças públicas, muçulmanos ingleses ameaçam "decapitarem aqueles que insultam o islão". (insultar aqui significa, resistir a islamização)


E eles são sérios no que pregam:

Cristão em cadeira-de-rodas assassinado por radicais muçulmanos em Londres
("Wheelchair Bound Christian murdered by Muslim Radical in London")

19 de junho de 2013

Mais um assassinato doentio em Londres, feito por um muçulmano, aconteceu no fim de semana, quando uma homem deficiente em cadeira-de-rodas homem teve a garganta cortada. Daha Mohammed, 51 anos, de Abbotts Close, Thamesmead, foi acusado do assassinato de Colin Greenaway e apareceu no tribunal de magistrados de Bexley hoje. Colin foi descrito como um "grande vizinho e amigo" por Gary Cook, que mora no apartamento em cima, e disse que ele precipitou-se depois de um dos prestadores de cuidados de seu vizinho bateu à sua porta em torrentes de lágrimas, no sábado. Colin 56 anos, estava confinado a uma cadeira de rodas por ter tido dedos amputados devido à gangrena. Sr. Cook disse que não compreender o que aconteceu, dizendo que muitas vezes teve uma grande gargalhada com o Sr. Greenaway, e só o viu apenas dois dias antes de ser assassinado pelo covarde muçulmano. Ele disse: "Colin foi um vizinho e um amigo e eu não posso acreditar no que aconteceu. "Eu o conheço há cerca de 10 anos, ele me ajudou e eu o ajudava. Porque ele estava em cadeira de rodas eu ir buscar algo para ele na loja, se ele precisava de alguma coisa "Ele continuou:" Eu não posso acreditar que algo assim poderia acontecer nessa área, todo mundo é tão legal.

Um exame post-mortem em Greenwich Mortuária deu a causa da morte como feridas causadas por  incisão na garganta.(London24).

Esta notícia não foi veiculada na grande imprensa, pois existe uma tentativa de esconder problemas causados por muçulmanos enquanto que aqueles que reclamam acabam sendo presos.




Nenhum comentário: