terça-feira, 17 de setembro de 2013

Ensinamento islâmico: não-muçulmanos são iguais a cachorros


Os amantes dos animais em geral, e dos cães em particular, devem ter em mente que, no islão, ser comparado a um cão é o pior e mais degradante dos insultos.
Porção do artigo de Raymond Ibrahim Islamic Teaching: Non-Muslims Equal to Dogs.

Entre os que estão familiarizados com os verdadeiros ensinamentos do islão, é bem sabido que a vida - ou, como se articulada em árabe, o "sangue" - de um infiel, ou seja, o sangue de um não-muçulmano, não é igual à vida, ou ao sangue, de um muçulmano. Poucos sabem, porém, que entre algumas das coleções dos hadith mais respeitados no islão (hadith são narrativas das "tradições do profeta"), o sangue de um não-muçulmano não é melhor que o sangue de um cachorro.

De acordo com um hadith* durante o curso de uma discussão sobre os não-muçulmanos, o califa Omar al-Khattab - um dos dos companheiros do profeta - declarou: "Eles são pagãos, e o sangue de um deles é [como] o sangue de um cachorro. "

* registrado entre outros lugares, em Sunan Ahmed (jurisprudência Hanbali ) e Sunan al-Bayhaqi (jurisprudência Shafi'i ).






Um comentário:

jose pereira disse...

se ele acreditar que só existe um Deus como eles pode dizer como eles pode fala que ele não é pai de todos se ele é pai,como as pessoas que não são muculmanos pode ser cachorro se samos a mesma material,só samos diferentes nosso dna,cor ,raça,misa afinal samos a mesmo corpo,e todos vamos pra mesmo destino a seputura,