sábado, 28 de setembro de 2013

Jihad no Quênia: muçulmanos são soltos; não-muçulmanos são mortos


Jihad em um Shoping do Quênia

Jihadistas do grupo islâmico somali al Shabaab promoveram uma chacina em um shoping em Narobi, capital do Quênia. Pelas últimas contas, mais de
60 mortos e 70 desaparecidos.

Os jihadistas aplicaram a doutrina islâmica ao pé da letra. Os assassinos usaram uma oração muçulmana para distinguir os muçulmanos dos não-muçulmanos (provavelmente a Shahada). Quem rezasse a oração estava livre. Quem não rezasse
era morto no ato.

Uma testemunha disse "Eles não estavam falando Swahili (o idioma do Quênia). Eles falavam algo que parece ser árabe ou somali".

A imagem mostra um casal morto a tiros pelos pistoleiros muçulmanos na praça de alimentação. Eles passaram os seus últimos momentos abraçados.

A imagem também mostra a fonte de inspiração para este ATO DE AMOR A ALÁ: "Mate-os onde quer que você os encontre (Alcorão 9:5)"







Isso não se tratou de um protesto. Isto foi sobre matar não-muçulmanos.Essa é a real intenção de cada ataque terrorista islâmico.

Uma testemunha disse que os atacantes liberaram pessoas que foram capazes de provar que podiam rezar em árabe.

"Vi algumas pessoas se levantarem e dizerem algo em árabe e os homens armados a deixaram ir."

"Um colega meu disse que ele era muçulmano. Ele recitou algo em árabe e os terroristas o deixaram ir tambem."

"Eu vi um monte de crianças e idosos sendo mortos a tiros."

"Eu não entendo por que alguém iria atirar em uma criança de cinco anos de idade."

Porque a criança era um não-muçulmano. 

É pela mesma razão que os nazistas mataram crianças de cinco anos de idade. Islão é inerentemente tribal. É sobre ou escravizar os que estão de fora, ou matá-los se eles resistem.

Os não-muçulmanos não são pessoas. Assim, os muçulmanos os matam. É simples assim. A Shahada, que os terroristas muçulmanos, sem dúvida pediram para os reféns recitarem, é "Não há outro deus senão Alá, e Maomé é o mensageiro de Alá."

Ou você acredita nisso. Ou eles matam você.

Esse é o choque de civilizações, resumido em um momento sangrento.

E é também interessante ressaltar que os terroristas se referiam aos reféms como "os cristãos." Isso é importante pois ressalta quem eles vêm como inimigos, e que eles não fazem distinção entre cristãos, agnósticos, ateus, etc. 

O Quênia é 87% cristão. 


Jihad no Quênia: Terroristas muçulmanos estavam “vestidos como mulheres”

Advinha se os terroristas usavam perucas loiras, biquínis ou burkas? Eu aposto que eles usavam o traje islâmico, que é inerentemente ofensivo e misógino, e, mais do que nunca, também é uma questão de segurança. O que você diria? É claro que o artigo da SkyNews não explica o que "vestidos como mulheres" significa. Os reporteres não querem “ofender sensibilidades” ou pior, parecerem como sendo "islamófobos".

Em qualquer caso, a vestimenta que parece como um “caixão de pano,” totalmente velada, deve ser proibida, no interesse da segurança das pessoas de boa-vontade.

Tragédia do arquiteto britânico que embalou sua mulher grávida em seus braços enquanto eles morriam após serem sidos baleados  

Existem imagens que são chocantes demais. Uma delas mostra Briton Ross Langdon, arquiteto britânico, abraçando a sua mulher Elif Yavuz, grávida de 8 meses e meio, os dois mortos na praça de alimentação, com comida espalhada por todos os lados, sobre uma poça de sangue (foto acima). Elif era especialista em malária e trabalhava no Quênia pela Fundação Clinton. Eles foram mortos em nome de uma ideologia supremacista perversa e cruel (DailyMail). 


Elif Yavuz e o ex-presidente Bill Clinton

Jihadistas de toda a parte do mundo participaram da carnificina

A jihad é global e os “guerreiros sagrados” (mujahadin) agora vêm de todo o lado. A organização terrorista al Shabaab divulgou, orgulhosamente, o nome daqueles que participaram da chacina.  Aparentemente, um dos líderes dos mujahadin era Samantha Lewthwaite, conhecida como a “viúva branca.”  De fato, testemunhas dizem terem visto uma mulher branca vestindo um véu negro dando ordens, em árabe, para os homens armados.

O caso de Samantha Lewthwaite é mais um exemplo da jihad interior, a transformação que uma pessoa sofre ao se juntar ao islão: transformação de uma pessoa pacífica em um terrorista. Ela se casou com Lindsay Jermaine, um dos terroristas que participaram dos atentados em Londres, em 7 de julho de 2005. Lindsay morreu durante esta operação de jihad.

Samantha Lewthwaite foi detida, mas acabou sendo solta e vivendo na Inglaterra até 2009, quando ela desapareceu. Ela reapareceu no Quênia. Em 2011 ela começou a ser procurada pela polícia do Quênia sob a acusação de participar em uma conspiração para explodir um hotel. Aparentemente, ela fugiu para a Somália (DailyMail). Ela voltou a Nairóbi para este seu ultimo ato de amor a Alá.
  


Samantha Lewthwaite se casou, contra a vontade da família, com Lindsay Jermaine em 2002, apenas algumas semanas após eles terem se conhecido

 Segundo a al Shabaab, os terroristas incluiam homens, em seus 20 anos, oriundos dos EUA, Canadá, Londres, Finlândia e Somália.

Primeiro Ministro Britânico diz que ataque não tem nada relacionado ao islão
Enquanto que o mundo islâmico está mudo com o que aconteceu no shoping em Nairobi, no Quênia, políticos no Ocidente correm para defender o islão. Porque isso? Bem, no caso da Grã Bretanha, os árabes estão comprando tudo, de tal modo, que passou a ser um defensor dos interesses árabes e não dos valores britânicos.  O Primeiro Ministro havia dito anteriormente que “é a corrente principal da Grã Bretanha que precisa se integrar mais com o modo de vida islâmico do que o contrário” (FrontPage).  

A carnificina foi precedida de tortura

O nível de crueldade é inimaginável. Ele começa a subir à tona agora que o ataque terrorista acabou. O que se vê é revoltante. Os soldados quenianos afirmam encontrar cenas de tortura cometida pelos terroristas no shopping. “Olhos arrancados, corpos pendurados em ganchos, e dedos removido com o alicate.”  Eles dizem que crianças foram encontradas mortas em frigoríficos de alimentos com facas ainda em seus corpos, e que homens foram castrados e tiveram seus dedos removidos. Essas são punições islâmicas!

A maioria dos terroristas derrotados, por sua vez, teriam sido descobertos "queimados até as cinzas", incendiados pelos últimos extremistas vivos, em uma tentativa de esconder as suas identidades.

As vítimas ainda desaparecidas podem estar sob os escombros do shoping.

Ontem, soldados e médicos que estavam entre as primeiras pessoas que entraram no shopping depois dele ter sido recuperado na terça-feira, falaram sobre as cenas horripilantes.

"Você encontra pessoas com ganchos pendurados no teto", disse um médico queniano, que pediu para não ser identificado.

"Eles removeram os olhos, ouvidos, nariz. Eles pegavam a sua mão e a apontava como um lápis, para, em seguida, eles dizerem para a vítima escrever o seu nome com o sangue. Eles enfiavam facas dentro do corpo das crianças.

"Na verdade, se você olhar para todos os corpos, a não ser que aqueles que fugiam, os dedos foram cortados por um alicate, os narizes foram arrancados por um alicate. Aqui existiu dor."

Um soldado, que tirou fotos disse que ficou tão traumatizado com o que viu, ele teve que procurar aconselhamento. (DailyMail)

A descrição me faz lembrar de Beslan, o ataque islâmico que aconteceu na Rússia 9 anos atrás. O que será que os terroristas de Beslan têm em comum com os terroristas de Naoróbi? A reposta é composta por duas palavras. A primeira palavra é “is”; a segunda palavra é “lão.”


A foto mostra o rescaldo no Westgate Shopping Mall, onde o telhado do parque de estacionamento desabou esmagando três andares


Lembrete: o objetivo da al Shabbab é a implementação lei islâmica


8 comentários:

Lucas disse...

Excelente blogue. Eu tenho algumas sugestões, se aceitares:

1. Aumenta o tamanho do "Like" do Facebook, para que as pessoas vejam melhor. Eu vou colocar o teu "like box" no blogue "Expondo a Jihad"

2.Se tens os comentários moderados, não vale a pena que haja uma verificação de letras e números.

Bem, acho que é isso.

(OBS: Eu sou o editor do blogue "Perigo Islâmico".

Cumps.

Anônimo disse...

etnias exigem uma política democrática.Porém existe religião ainda diplomata autoritária(islamismo)..uma grossura,uma religião impor leis desumanas, onde em seu ato exige matar pessoas que não creem em sua crença. Certamente o islamismo não merece respeito.

Anônimo disse...

A sura ordena os fiéis a obedecer Maomé e não rejeitar qualquer parte do que ele tenha revelado.

Ordena também "ferir" e "subjugar" os “infiéis” na batalha2 . Este ayat é muitas vezes utilizado contra os muçulmanos, pois segundo seus opositores isso descreve a fé islâmica como violenta.

Os muçulmanos alegam que este ayat não deve ser entendido fora do contexto, que a poesia remete à Batalha de Badr, onde os moradores de Meca reuniram um exército para atacar Medina, e que o verso simplesmente ordenara para que eles se defendessem desta ameaça.

Quando se está em guerra vc recebe muitas ordens de superiores. Ou vc obedece ou paga pelos seus atos de desobediência ou deserta.

Hoje nas guerras que ouvimos falar mas que não vemos acham mesmo que soldados ou oficiais muçulmanos, cristãos, ateus ou de qualquer outra religião respeitam seus oponentes?

Rumores ou visões televisivas não nos mostram a verdadeira cara da guerra.

Nos revoltamos e procuramos julgar e condenar atos isolados de pessoas que interpretam mal aquilo que lêem e que muitas vezes nem lêem. Somente ouvem a palavra através de um líder religioso que interpreta não como Deus quer mas como seu coração quer.

Pessoas que não lêem os livros sagrados e procuram confiar em homens são facilmente manipulados e sofrem facilmente também uma lavagem cerebral.

Estou conhecendo o islamismo e não é essa visão de ódio que pregam como muitos dizem por aí por simplesmente seguirem ouvindo, vendo e indo atrás de mídias preconceituosas direcionadas a seu próprio interesse religioso, político ou ideológico.

Eu nasci em família católica. Fui coroinha, batizado e crismado. Mais adiante quase estudei para me tornar padre.

Na bíblia lembro de uma passagem que não me lembrava exatamente onde era mas, procurei na internet, onde Deus diz: "Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do Senhor". (Jeremias 17:5).

No antigo testamento há várias passagens de guerras contra outros povos que o próprio Deus incentivava o povo da época a tomar territórios. O que acham que eles faziam para matar naquela época somente com lanças, espadas, facas, punhais, etc. Não justificando tirar a vida de ninguém qual seja sua religião. Mas apenas uma recordação do que está escrito. E a época das cruzadas?

Acho que devemos antes de julgar e condenar uma nação ou uma religião por atos isolados de extremistas ou ultraconservadores procurar conhecer primeiro. E não simplesmente ter atitudes de certa forma terrorista contra pessoas que também lutam contra este tipo de atitude de pessoas imaturas na religião.

Detalhe, Hitler se considerava cristão (católico). Não se esqueçam.

José Atento disse...

Em primeiro lugar, não se deve usar nada contra os muçulmanos, porque a rigor, as maiores vítimas do islamismo são exatemente os muçulmanos.

Em segundo lugar, sim, é verdade que a suposta "revelação" deste verso se deu durante um evento na arábia no século sétimo. Contudo, ele é um comando universal. Se tens dúvida disso veja o tafsir de Ibn Kadir sobre o "verso da espada": http://www.qtafsir.com/index.php?option=com_content&task=view&id=2581&Itemid=64

O islão é muito bem estruturado. Na dúvida, busque os tafsir, não tente criar as suas próprias interpretações, porque aí deixa de ser islão.

Você diz ser um ex-católico. Interessante. Quer dizer que você trocou o seu exemplo de conduta. Antes era Jesus, um pacifista que pregava amor, reconciliação e aboliu o apedrejamento. Agora, o seu exemplo é Maomé, um Senhor da Guerra que roubou caravanas, atacou aldeias indefesas, escravizou e fez comércio de escravos, reintroduziu punições bárbaras como apedrejamento e crucificação, assassinou os seus oponentes políticos e todos aqueles que o criticaram, foi pedófilo, praticou incesto, foi pervertido sexual, praticou necrofilia, ... tudo isso como narrado por Sahih a-Bukhari e Sahih Muslim ...

Eu lamento muito por você.

Mas, por favor, não queira se tornar como Maomé ... você pode acabar um criminoso como ele.

Carlos Farias disse...

Ok José Atento. Me passe suas fontes confiáveis que tem todas essas informações negativas que você colocou no seu blog quanto ao islamismo e ao profeta.

Outro detalhe é que se tivermos de seguir ao pé da letra tudo o que os livros sagrados dizem, então tudo está em pecado neste mundo.

Eu não sei se você pertence a alguma religião, irmandade, seita, grupo, ateu, etc... mas, todos temos o livre arbítrio, ou seja, a escolha individual do que quer seguir ou acreditar. Isso não quer dizer como você mesmo insinuou que tenho que tomar cuidado para não me tornar um criminoso.

Você fala de intolerância mas isso parece que faz parte da sua essência, se lamentando por mim sem nem mesmo me conhecer.

Outro detalhe é que não concordo também com injustiças. Assim como cristãos foram mortos por cristãos e ainda o são, muçulmanos também são mortos por muçulmanos como você mesmo bem colocou. Você mesmo não está generalizando em um ponto e no outro massacra toda uma comunidade.

Como cristãos, muçulmanos também tem suas divisões. O budismo também tem suas divisões, entre outras religiões.

Agora sinceramente, tenho medo de pessoas como você. Pessoas que se acham inteligentes. Pessoas que não suportam injustiças como você mesmo coloca mas são intolerantes com outros seres humanos. Pessoas como você demonstram que não há diálogo saudável sem que venha ofender a outra parte com suas pré-convicções de sabedoria terrena.

No seu blog diz abaixo do espaço para postagem assim: A moderação de comentários foi ativada. Todos os comentários devem ser aprovados pelo autor do blog.

Ou seja, você modera comentários das pessoas que visitam seu blog mas não se auto modera.

Se você abriu um blog simplesmente pra valer a sua opinião e experiência de vida, então tente bloqueá-lo para visitas externas de pessoas que navegam pela internet. Pessoas como eu por exemplo que achei interessante quando abri e resolvi postar minha experiência sem procurar ofender ninguém. Abrindo assim uma porta de diálogo saudável, onde pessoas de bem tem como discutir, debater e chegar talvez num consenso comum, lógico dentro do mais alto respeito. Porque acredito que sem respeito não temos como dialogar e trocar experiências.

Talvez precise reavaliar sua postura linguística escrita para poder adquirir mais conhecimento de experiências diferentes da sua que não é uma verdade absoluta.

Outro detalhe é que religião é moldada através da cultura de cada nação. Criação conta muito nessa hora decisiva. Eu não aprendi a roubar e muito menos a matar. Meus pais me deram de exemplo honestidade, trabalho, humanidade, caridade e bondade.

Deus te abençõe e lhe tire essa amargura do seu coração.

A única raça que acredito é na raça humana. Ainda tenho esperanças. Assim como Deus tem na humanidade. Sabe por quê? Porque senão não nasceriam tantas crianças a todo momento no mundo.

José Atento disse...

A biografia de Maomé é um livro chamado Sirat Rassul Allah, escrito por ibn Ishaq. Voce pode comprá-lo em inglês http://www.amazon.com/The-Life-Muhammad-I-Ishaq/dp/0196360331.

Outra fontes sobre Maomé são os hadices de Sahih Muslim e Sahih bukhari.

Ler dá trabalho, mas ajuda a abrir os olhos. Sinto muito, Maomé foi um criminoso. Mas se voce se sente ofendido pelos crimes cometidos por um senhor da guerra do século sétimo, isso é problema seu.

Dizer a verdade não é ofensa, mas sim dizer a verdade.

Eu nunca disse que voce tem que tomar cuidado para não se tornar um criminoso, pois este é primeiro comentário seu que eu respondo.

Que ótimo que voce concorda que não se deve seguir tudo o que está no Alcorão. Com isso, voce afirma que voce não é muçulmano, pois voce não se escraviza à vontade de Alá!

E, para finalizar, você usou um raciocínio circular. Se existe algo específico que voce discorde, eu gostaria que voce indicasse claramente, de modo que eu possa mostrar as fontes islâmicas do que escrevo.


Carlos Farias disse...

Olá José Atento tudo bem.

Não esqueci de você.
É o seguinte, você me passou algumas referências e algumas passagens históricas do Islam.
Você deve ter conhecido o islam sunita. Eu estou conhecendo o islam xiita. Não sei se você conhece.
Só digo que muitas coisas que estão levando ao pé da letra como alguns sunitas wahabitas, não são praticadas pelos xiitas.
Algumas referências de leitura que você me passou, são referências sunitas. Por exemplo Ibn Abbas você deve saber quem foi já que se envolveu no islam durante tanto tempo e conhece muito bem. Se não souber o significado desta pessoa para o xiismo eu lhe explico.
Outra referência como Abu Bakir você também deve saber quem foi. Se não souber o significado desta pessoa para o xiismo eu lhe explico.
E já que me passou algumas referências pra eu ler, gostaria que se pudesse leia o livro: O Mensageiro do Islam e os Ahlul Bayt.
Peço que não me interprete mal mas, ainda estou conhecendo e sempre será benvinda opniões contrárias ou à favor desde que sejam dentro do mais alto respeito e sem ofensas.
Assim poderemos juntos estudar e chegar em um entendimento.
Abraço.

José Atento disse...

Oi Carlos. Existem diferenças entre os sunitas e os xiítas, claro, mas elas estão centradas na sucessão de Maomé. Existem Hadices que sunitas aceitam que os xiítas não aceitam, e vice-versa. No que nos interessa, porém, não existe diferença, pois as duas vertentes concordam no que se refere ao tratamento dos não-muçulmanos (káfirs) e quanto a obrigatoriedade da Jihad. E ambas as vertentes estão construídas sobre o mesmo Alcorão e as mesmas tradições de Maomé.

Por exemplo, este livro Sharia para os não muçulmanos discute os pontos da Sharia que são comuns. http://infielatento.blogspot.ca/2011/06/lei-islamica-sharia-para-os-nao.html

As duas consideram o não-muçulmano (kafir) imundo (naj):
108. O corpo inteiro de um Kafir, incluindo seu cabelo e unhas, e todas as substâncias líquidas de seu corpo, são najis.

E Alá odeia os kafirs do mesmo jeito.