segunda-feira, 2 de junho de 2014

Cartazes surgindo em manifestações ... um bom sinal ... um bom começo


Existe esperança que mais e mais pessoas tomem consciência sobre o islão e a lei islâmica e se posicionem contra eles e em prol da liberdade e da livre escolha. Abaixo, um exemplo, e alguns comentários.
Uma manifestação chamada "Marcha por Jesus" reuniu 500 mil no Rio ontem. Alguns cartazes chamaram a atenção. É bom ver cristãos tomando consciência.

Contudo, o problema com o islamismo não é que ele seja anti-cristão. O problema é que ele é CONTRA TUDO aquilo que for considerado NÃO-ISLÂMICO!

De modo que TODOS estão sob a mira de tiro do islão. TODOS nós somos kafir, um termo tremendamente negativo que abrande todos os não-muçulmanos. Segundo o Alcorão, o kafir é a mais perversa das criaturas.

Segundo o Alcorão o kafir pode ser roubado, segregado, sequestrado, convertido à força, estuprado, torturado, morto. E isto continua acontecendo nos dias de hoje.

O problema com o islão não é religioso, mas político, pois o objetivo final é a implantação da lei islâmica.

Como seria bom que todos os demais grupos que congregam kafirs, como os ateus, agnósticos, gays, lésbicas, de todas as cores e raças. possam também tomar ciência do que o islão realmente representa.

Ser contra o islão não significa que um ateu tenha que virar cristão ou que um gay tenha que mudar seu estilo de vida. Na verdade, ser contra o islão representa exatamente PRESERVAR O NOSSO ESTILO DE VIDA baseado na liberdade e livre-escolha.

Que bom seria se em em manifestações de ateus e gays pudessemos começar a ver também cartazes chamando a atenção sobre o islamismo? Quem sabe se a "marcha das vadias" (*) não começa a imitar a FEMEN e também se manifestar contra o islão?

Afinal, somos todos, TODOS, não-muçulmanos, kafir, imundos, TODOS sob a mesma mira de tiro.

(*) PS. Eu considero a "marcha das vadias" uma perda de tempo, mas, como eu sou um otimista, talvez este movimento possa se tornar algo útil. Será?






(leia mais exemplos da islamização do Brasil)


Nenhum comentário: