terça-feira, 26 de agosto de 2014

Arcebispo de Mosul, no exílio, alerta que nós seremos vítimas de perseguição em breve


"Os nossos sofrimentos são um prelúdio para pessoas como vocês, os europeus e os cristãos ocidentais, entendam que vocês também sofrerão no futuro próximo"
"Tentem nos entender. Os seus princípios liberais e democráticos não valem nada aqui."
"Vocês estão em perigo. Vocês devem tomar decisões fortes e corajosas, mesmo à custa de contradizer seus princípios."
"Vocês têm que refletir sobre a nossa realidade no Oriente Médio, porque vocês estão dando boas-vindas em seus países a um número cada vez maior de muçulmanos." 
"Vocês acham que todos os homens são iguais, mas isso não é verdade. Islão não quer dizer que todos os homens são iguais. Seus valores não são os nossos valores. Se vocês não entenderem isso em breve vocês vão se tornar vítimas do inimigo que vocês acolheram em suas casas."
O alerta feito pelo Arcebispo de Mosul deveria reverberar nos nossos ouvidos, corações e mentes, pois ateus, agnósticos, cristãos, judeus, budistas, hindus, macumbeiros, xintoístas, etc., são TODOS "descrentes" ou "não-muçulamos." Todos estão na "linha de tiro" da jihad islâmica.

Mas "descrentes" e "não-muçulamos" são termos neutros. Ao invés, o Alcorão usa a palavra Kafir, e a palavra Kafir não é uma palavra neutra, mas sim uma palavra altamente depreciativa e aviltante. Segundo o Alcorão, o Kafir é mau, nojento, a mais baixa forma de vida. Kafirs podem ser enganados, odiados, subjugados, escravizados, torturados e mortos. Assim, a palavra usual "descrente" não reflete a realidade política do Islã.

A palavra Kafir compreende todos os "descrentes", independente do nome com o qual eles se diferenciam. Todos eles podem ser tratados da mesma forma.

É interessante notar que as escrituras islâmicas dedicam uma grande quantidade de energia para o Kafir. A maioria  do Alcorão (64%) é dedicada ao Kafir, e quase toda a Sira (biografia de Maomé, 81% dela) lida com a luta de Maomé contra os Kafir. O Hadice (Tradições de Maomé) dedica 32% do texto ao Kafir. No geral, a Trilogia (Alcorão + Sira + Hadice) dedicam 60% do seu conteúdo para o Kafir. (1)

O Kafir pode ser degolado:
47: 4 Quando você encontrar os infiéis no campo de batalha, cortem-lhes as suas cabeças até que os tenha derrotados completamente e depois leve os prisioneiros e amarre-os com firmeza.
Pode-se tramar contra o Kafir:
86:15 Eles tramam e elaboraram esquemas contra você [Maomé], e Eu tramo e elaboro esquemas contra eles. Portanto, lide calmamente com os infiéis e deixe-os sozinhos por um tempo.
O Kafir pode ser aterrorizado:
8:12 Então o Senhor falou a Seus anjos e disse: "Eu estarei com você. Dê força aos crentes. Vou plantar o terror nos corações dos infiéis, corte as suas cabeças e até as pontas de seus dedos!"
Um muçulmano não é o amigo de um Kafir:
03:28 Os crentes não devem tomar Kafirs como amigos em detrimento de outros         crentes. Aqueles que fazem isso não terão a proteção de Alá e vão ter apenas a si mesmos como guardas. Alá avisa a temê-Lo pois tudo retorna para ele.
O Kafir é amaldiçoado:
33:60 Eles [Kafirs] serão amaldiçoados, e onde quer que eles forem encontrados, eles serão presos e assassinados. Essa foi a prática de Alá com aqueles que vieram antes deles, e você não vai encontrar nenhuma mudança na forma de atuação de Alá.
Mas espere aí, José. Os cristãos e os judeus não são o "povo do livro"?

Os muçulmanos dizem que cristãos e judeus são o "Povo do Livro" e os irmãos na fé de Abraão. Mas no Islão, você é um cristão, se e somente se, você acreditar que Cristo foi um homem que era um profeta de Alá; não existe Trindade; Jesus não foi crucificado nem ressucitou; e que Ele voltará para estabelecer a lei islâmica (Sharia). Para ser um verdadeiro judeu, você deve acreditar que a Torá foi corrompida, e que Maomé é o último na linha de profetas judeus.

Aviso ao Ocidente: Arcebispo de Mosul diz que os cristãos ocidentais, em breve, serão vítima de perseguição

O exilado arcebispo caldeu de Mosul, Amel Nona tem algumas palavras duras de advertência, para aqueles no Ocidente, que pensam que as perseguições do Iraque "não pode acontecer" onde eles estão. "Os nossos sofrimentos são um prelúdio para pessoas como vocês, os europeus e os cristãos ocidentais, entendam que vocês também sofrerão no futuro próximo", diz Nona.

LOS ANGELES, CA (Católica Online) - Em uma mensagem extremamente poderosa, Nona ressalta que os cristãos, que vivem em Mosul a mais de 1700 anos, e agora estão sendo expulsos ou mortos pelo Estado islâmico.

"Os nossos sofrimentos são o prelúdio das pessoas que você, os europeus e os cristãos ocidentais, também sofrerá no futuro próximo," Pensamos que estes trágicos acontecimentos não nos afetam. Arcebispo Nona diz. "Perdi minha diocese. A configuração física do meu apostolado foi ocupada por radicais islâmicos que nos querem convertidos ou mortos. Mas minha comunidade ainda está viva."

Em seguida, Nona faz uma crítica dura contra a 'política de fronteiras abertas', tal como praticada por muitas nações ocidentais. "Tentem nos entender. Os seus princípios liberais e democráticos não valem nada aqui."

"Vocês têm que refletir sobre a nossa realidade no Oriente Médio, porque vocês estão dando boas-vindas em seus países a um número cada vez maior de muçulmanos." Nona então disse que muitos pensam que esses imigrantes estão vindo para encontrar emprego ou para escapar da violência. Na verdade, diz Nona, muitos estão vindo com fins missionários, para converter, de uma forma ou de outra, todos para o Islão.

Nona disse que os nossos pontos de vista constitucionais e sentimentais nos cegam, não para o evento, mas para as suas causas.

"Além disso, vocês estão em perigo. Vocês devem tomar decisões fortes e corajosas, mesmo à custa de contradizer seus princípios", diz Nona.

O que reforça a linha de pensamento de Nona é o fato de que muitos muçulmanos que imigram para a Europa ou para as Américas muitas vezes não assimilam. Eles formam seus próprios enclaves, onde eles podem praticar a sua própria religião, sob a sua própria lei.

"Vocês acham que todos os homens são iguais, mas isso não é verdade. Islão não quer dizer que todos os homens são iguais. Seus valores não são os nossos valores. Se vocês não entenderem isso em breve vocês vão se tornar vítimas do inimigo que vocês acolheram em suas casas."

fonte: Catholic Online

O fato é que estamos sendo avisados. Vamos virar o rosto para o lado fingindo que nada acontece ou vamos agir e nos defender, antes que seja tarde demais?

Vamos esperar o Brasil ficar do mesmo jeito que a Europa se encontra hoje até começarmos a agir?

(1) Dados do Center for the Study of Political Islam.




3 comentários:

AF disse...

Enquanto isso, os ateus como o Gregório Duvivier atacam e atacam o cristianismo, mas dificilmente atacam o islamismo e AMAM viver em países de maioria cristã.

Mais uma vez repito a frase do Blog do Mr. X:

"O ateísmo militante anticristão não vai criar uma sociedade de ateus - vai apenas apressar o triunfo do islamismo."

Até mesmo, quem diria, Richard Dawkins (o ateu eugenista que vive na Inglaterra - um país em que a situação está crítica) se pronunciou sobre isso:

"Tanto quanto sei não há Cristãos a explodir prédios. Não conheço Cristãos que façam ataques suicidas bombistas, nem conheço uma grande denominação Cristã que acredita que a apostasia deva ser punida com a morte.Eu tenho sentimentos divididos em relação ao fim do Cristianismo uma vez que o Cristianismo pode ser uma fortaleza contra algo pior."

Anônimo disse...

Tenho vontade fuzilar o Ísis em peso

Anônimo disse...

Maomé foi o maior psicopata de todos os tempos! Essa raça de mussumanos já nascem mentindo que são de paz quando seguem uma lei que o unico objetivo é matar quem não é mussumo!Quando a gente conversa com eles,eles que amam a gente e pensando em nos matar! O mentecapto do Lula ainda doou um território pra ele fazerem uma embaixada aqui no Brasil!