terça-feira, 30 de setembro de 2014

Califa ordena Jihad global; alguns muçulmanos obedecem e degolam infiéis nos EUA


O Califa Abu Bakr al-Baghdadi convocou os muçulmanos ao redor do mundo para promoverem Jihad. E isto está de acordo com a lei islâmica (Sharia) que diz:
(o9.0). Jihad não é apenas um dever individual do muçulmano, mas também é o principal dever do chefe de Estado muçulmano (o Califa):
"Ao califa  muçulmano é confiado a tarefa de levar o seu povo para a guerra e o comando ofensivo e agressivo da Jihad. Ele deve organizar a Jihad contra qualquer governo não-muçulmano que impeça a dawah (pregação para espalhar o Islão) em sua terra." (o25.0 – o25.9).
Sharia o25.9 diz:
"(Quando o califa nomeia um governante em uma região, o dever deste governante inclui) se a área tem uma fronteira adjacente às terras inimigas, (ele irá) empreender a Jihad contra os inimigos, dividindo os despojos da batalha entre os combatentes e deixando de lado um quinto para destinatários merecedores. "
E também:
"O Califa faz guerra contra os judeus, cristãos e zoroastas até se tornarem muçulmanos ou então até aceitarem pagar o imposto do não-muçulmano, desde que eles tenham primeiro sido convidados para entrarem no Islã ou paguem a Jizya, o imposto dos não-muçulmanos, (de acordo com a palavra de Alá Altíssimo – 9: 29). "
Um vídeo de 42 minutos postado esta semana na internet traz uma ameaça clara do Estado Islâmico (EI) aos cristãos, ateus, ... a todos os kafir em geral. Ela conclama os muçulmanos a fazerem jihad!
Matem os ateus de qualquer forma e ataquem os civis. 
Vamos conquistar o Roma, quebrar suas cruzes, e escravizar suas mulheres, com a permissão de Alá, o Altíssimo. 
Se puder, mate um infiel americano ou europeu, especialmente franceses, australianos, canadenses ou qualquer um que promova a guerra infiel, incluindo todos que aderiram à coalizão contra o Estado Islâmico. Mais uma vez confiaremos em Alá e mataremos de qualquer maneira que for possível. 
Quebre a cabeça deles com uma pedra, ou mate-os com uma faca, ou atropele-os com seu carro, ou derrube-os de um lugar alto, ou sufoque-os, ou envenene-os… você pode destruir tanto seu sangue quanto sua riqueza.
A mensagem está cheia de ameaças de assassinato, auto-glorificação e citações do Alcorão. Mesmo apenas uma leitura superficial do texto mostra o absurdo de se afirmar que a ideologia do Estado Islâmico não tem nada a ver com o Islão.

Pois bem, as degolas começaram. Em Oklahoma, nos EUA.

Alton Nolen se converteu ao islamismo na prisão, adotando o nome de Jah’Keem Yisrael. Em 2011, ele foi condenado por porte e uso de drogas e resistência à voz de prisão. Recentemente, sua página no Facebook incluiu imagens de Osama bin Laden, de combatentes do Estado Islâmico (a quem ele se refere como "meus irmãos") e uma decapitação. Ele também se mostra, em uma imagem, fazendo o sinal da mão característico de um lutador da ISIS, e acrescentou citações do Alcorão e exortações a seus irmãos muçulmanos para serem mais rigoroso e corretos em sua observância do ritual islâmico e moralidade, dizendo que a Sharia está chegando.

O açougueiro de Oklahoma

Foi relatado recentemente que Nolen tentou converter os colegas de trabalho ao Islão. Após Nolen voltar para a fábrica Vaughn Foods, de onde ele havia sido suspenso, ele decapitou Colleen Hufford, de 54 anos,  antes de esfaquear Traci Johnson, um colega de trabalho de 43 anos. Ao ver isso, responsável pelo setor, Mike Vaughn, que tem licença de porte de arma de fogo, parou assassino com um tiro. A delegacia de polícia local chamou Mike Vaughn de herói, pois ele salvou a vida de Traci Johnson, como a vida dos demais trabalhadores. Fox informou que o suspeito e a segunda vítima estão em hospitais em condição estável.

O "bravo jihadista" estava gritando "frases islâmicas" enquanto ele despejava a sua fúria sangrenta sobre as vítimas.

E qual a reação dos muçulmanos? Durante a entrevista à imprensa muçulmanos estavam lendo em voz alta trechos do Alcorão. Após a entrevista, policiais foram cercados por muçulmanos gritando "Louvado seja Alá."

O governo dos EUA se recusa a chamar as degolas de Jihad. 

 Muçulmanos cercam a polícia em Oklahoma

E uma outra degola quase acontece ...

Jacob Mugambi Muriithi, um muçulmano do Quênia, foi preso depois que ele ameaçou decapitar um colega de trabalho na Bellevue Nursing Home. Muriithi disse ao colega que ele "representava o ISIS e que ISIS mata cristãos".





Fontes:

http://noticias.r7.com/internacional/em-nova-mensagem-estado-islamico-pede-que-ateus-sejam-mortos-22092014

http://noticias.gospelprime.com.br/estado-islamico-quebrar-cruzes/

http://www.dailymail.co.uk/news/article-2771940/Fired-Muslim-convert-store-worker-beheaded-female-colleague-lost-job-argument-stoning-women.html

http://www.thegatewaypundit.com/2014/09/breaking-muslims-shouting-praise-allah-surround-ok-police-following-press-conference-on-beheading/

http://www.thefederalistpapers.org/us/second-oklahoma-muslim-threatens-to-behead-coworker-claims-he-represents-isis

A transcrição da mensagem do EStado Islâmico está neste link:

https://ia801400.us.archive.org/34/items/mir225/English_Translation.pdf

http://www.jihadwatch.org/2014/09/islamic-state-we-will-conquer-your-rome-break-your-crosses-and-enslave-your-women-by-the-permission-of-allah

Um comentário:

Cláudio André disse...

Os muçulmanos são um castigo de Deus pela apostasia dos cristãos. Esquecemos Deus e Ele se retirou de nos, permitindo a ação de Satanás. Não há como não pensar nele quando vemos os jihadistas! Essa batalha não será ganha com armas mas com o arrependimento e o retorno a Cristo.