sábado, 8 de novembro de 2014

Emirados Árabes Unidos financia a islamização do Brasil


Não existe a menor condição que um grupo irrisóriamente minoritário cresça a não ser por inflências externas. E é exatamente isso que está acontecendo com o islamismo no Brasil. Tem existido um investimento maciço por parte de governos e entidades extrangeiras que estão promovendo a propaganda islâmica, junto a políticos e governantes, e junto à porção da sociedade mais carente e mais fácil de ser ludibriada. 
O vídeo abaixo mostra a "ação social" promovida pela Federação das Associações Muçulmanas no Brasil (FAMBRAS), entidade cujo objetivo é o de divulgar o islão e o de suprir as necessidades da comunidade muçulmana no Brasil. O vídeo mostra uma "ação comunitária" na Vila de Santa Catarina, região sul da cidade de São Paulo. Como esta "ação" é dedicada a uma população que não é muçulmana, conclui-se que ela acontece com o intuito de divulgar o islão, ao se apresentar como algo "caridoso." 

O próprio vídeo (cujo título é "islão solidário") mostra cartazes sendo distribuídos para a população com os dizeres "Islam é Vida", "Islam é Paz",  "Islam é Confraternização" e "Islam é Amor." Esta é a "ação social" islâmica,  feita para angariar simpatias e novos adeptos.  


A "população carente" da Vila de Santa Catarina mostra os cartazes que lhes foram dados pelos organizadores da "ação social"

Segundo o vídeo, as organizações que promoveram este evento foram o governo dos Emirados Árabes Unidos e a Crescente Vermelha, usando a experiência do Colégio 24 de Março, que já organizou campanhas de atendimento semelhantes anteriormente.  

O governo dos Emirados Árabes Unidos atuando no Brasil? Distribuindo cartazes dizendo "Islam é Amor"? Pergunta: o governo brasileiro teria permissão de promover atendimento aos trabalhadores extrangeiros sujeitos a condições de trabalho semi-escravo nos EAU, empunhando cartazes dizendo "Cristianismo é Amor"? A resposta a esta pergunta tem "4 sílabas": ene, á, ó, til. 

Se vocês quiserem conhecer o verdadeiro islão, vejam o que acontece nos "paraísos islâmicos", porque é lá onde a lei islâmica é aplicada. 

E o que a Crescente Vermelha (dos Emirados Árabes Unidos) está fazendo no Brasil, quando nós temos a Cruz Vermelha? Vamos rever o que é a Crescente Vermelha, como um exemplo do nível de intolerância que existe no islamismo. No final do século dezenove, começaram a surgir entidades voltadas ao atendimento de feridos durante as guerras, no que culminou na criação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que agregava as organizações Cruz Vermelha de diversos países. A ação se tornou global. Nos anos 1960 houve uma reação contrária ao emprego da "odiosa cruz" como um símbolo de paz e neutralidade por parte dos recém-criados países de maioria islâmicas, o que os levou a usarem a crescente islâmica, dái surgindo a Crescente Vermelha. Esse fenômeno é 100% islâmico. Todos os demais países, independente de serem budistas, hindus, ou comunistas, têm as suas Cruz Vermelha próprias. De modo que hoje existe o Comitê Internacional da Cruz Vermelha e da Crescente Vermelha. Mas nenhum país vê a cruz, neste contexto, como um símbolo religiosos, apenas os muçulmanos. 


Cruz Vermelha ao redor do mundo

A Crescente Vermelha, só para os muçulmanos


A FAMBRAS não esconde que recebe apoio extrangeiro. Este apoio internacional é estampado no site da FAMBRAS, que afirma ter construído 37 mesquitas no Brasil, com o apoio das embaixadas dos países islâmicos, visando fortalecer a prática do islão, incentivando novas conversões e desenvolvendo a cultura islâmica no território nacional.

Agora, me responda a seguinte pergunta. Qual é o "padrão cultural" que une muçulmanos da Indonésia, do Irã, da Arábia Saudita, da Inglaterra e da Suécia? São os "padrões culturais" contidos na lei islâmica (Sharia). São estes "padrões culturais" que a FAMBRAS busca desenvolver no território nacional. Ou seja, islamizar o Brasil.

O vídeo é, claro, pura propaganda. Ele mostra mulheres portando o simbolo da Crescente Vermelha, como se fossem enfermeiras, sem fazer nada, apenas distribuindo panfletos, enquanto que as alunas do Colégio 24 de Março fazem todo o trabalho. E o vídeo mostra também o depoimento de um médico (no minuto 2:47) dizendo que os 18 exames que foram disponibilizados constituem-se um serviço inédito no Brasil. Esses exames incluem pressão arterial, exame de vista, exame de tipo sanguíneo, hepatite C, e exame de câncer de mama. Quer dizer então, doutor, que graças à generosidade do governo dos Emirados Árabes Unidos, da Crescente Vermelha e da Fambras, os brasileiros finalmente podem medir a pressão arterial e fazer exame de vista?

Outra coisa que, sinceramente, me revoltou no vídeo, foi deles terem usado a população que eles dizem estarem ajudando como peça de propaganda. A população teve que fazer uma fila dentro de um galpão para ganhar presentes (minuto 3:30). Parecia o estereótipo que se faz dos colonizadores europeus dando bugigangas para os índios nús. Só que desta vez, o estereótipo era real! Eram as melhores pessoas (como o Alcorão se refere aos muçulmanos) dando as bugigangas para os nativos infiéis.

Aviso. A população brasileira não precisa de uma campanha de um dia para resolver os seus problemas de saúde. Montar uma barraquinha por um dia, fazer um exame, e depois ir embora e nunca mais voltar não resolve nada. Serve apenas como PEÇA DE PROPAGANDA. E este é o caso desta "ação comunitária", que aparenta ter a intenção de querer passar uma imagem fantasiosa, sanitizada e água-com-açucar do islamismo.

Repito: para conhecer o verdadeiro islão basta olhar como os não-muçulmanos (incluindo aí os ex-muçulmanos) são tratados nos "paraísos islâmicos."

Se o governo dos Emirados Árabes Unidos estivesse realmente interessado em fazer o bem, ao invés de fazer uma campanha mequetrefe de um dia, ele iria financiar um hospital por várias décadas. Isso sim seria uma ação efetiva e eficiente. Mas ajudar os infíéis neste nível seria ir contra o Alcorão?

video





9 comentários:

Anônimo disse...

Prezado, o mais importante não é dito no texto. É possível pregar, realizar culto aberto e público ou fazer proselitismo de alguma religião que não a islâmica em algum país de maioria islâmica? Não. Muitas cidades sagradas islâmicas até a entrada de não islâmicos é proibida. Então, por que eles se arrogam no direito de pregar o islã em outros países de maioria não islâmica? E por que os Estados não aplicam o princípio da reciprocidade e não proíbem essa prática que os mesmos Estados que financiam e executam não permitem em seu próprio solo?

Anônimo disse...

Você poderia traduzir ou apenas sintetizar esses artigos que falam sobre Maomé se vestir de mulher (Aisha)?

http://www.answering-islam.org/Responses/Abualrub/mhd_cross_dressing1.htm

http://www.answering-islam.org/authors/shamoun/rebuttals/abualrub/mhd_crossdressing3.html

José Atento disse...

Vou adicionar este assunto na minha lista. Obrigado pela sugestão!

Sim, Maomé era uma pessoa que gostava de moda bem eclética ...

Titon disse...

Islam é terror, Islam é intolerância, Islam é guerra, Islam é fundamentalismo, Islam é escravidão, acha que não? Pesquise...

Jose Augusto Vieira disse...

Dom Pedro, há tempos e tempos, já dizia: "NESTAS TERRAS, EM SE PLANTANDO, TUDO DÁ".
Aqui é terreno fértil para todo tipo de bandalheira, a começar pelos nossos políticos e governantes, plantando e fazendo germinar a semente da incompetência, da desordem política e social. É o perfil que o PT imprimiu e ainda imprime nas nossas instituições. Nosso futuro é o
SALVE-SE QUEM PUDER! - Vide a Venezuela -.

Anônimo disse...

Mesmo querendo fazer caridades, já temos a cruz vermelha,mudaram o nome porque a única coisa que essa religião carrega é ódio da cruz. Não podemos fechar os olhos para isso, porque é a realidade . A cruz vermelha não esta ligada a religião, que nem a bandeira da Suíça, muçulmanos pediram para tirar a cruz porque os ofendem. E antes de mais nada ,eles estão em terras cristãs, primeiro...tem que respeitar a minha religião,para depois eu respeitar a deles.

Anônimo disse...

Muitos estão dizendo que eles tem que respeitar a religião da terra que eles estão,eu acho certo tem que respeitar mesmo mas, amigos e amigas, vocês acham mesmo que eles respeitam algo ? Vocês vão ver a Europa lá pra 2050 infestada de muçulmanos, a Europa vai ser Muçulmana, se não fizermos algo contra esses radicais o quanto antes... tchau civilização ocidental.

Anônimo disse...

Islamização no brasil? Ta ficando louco ? se islam é a religião da paz porque são tão intolerantes?

Adriano Erico Gonzaga disse...

Descobri seu blog recentemente e posso afirmar que o islamismo é um verdadeiro cancro duro, um tumor malígno difícil de erradicar! E é claro que essa "assistência" árabe jamais daria certo com os evangélicos! Nunca eles engoliriam essa farsa, essa seita perversa de doentes mentais!