quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Indonésia: onde a Sharia se faz presente, cada vez mais


José Atento
É comum ouvir muçulmanos e apologistas dizerem que a Indonésia é um exemplo de tolerância do islão. Eu estou listando abaixo um pequeno número de exemplos recentes que mostram que este não é o caso. Na verdade, a Indonésia, um país que foi colonizado pela Holanda e, portante, recebeu uma influência em termos legais deste país, vem sofrendo um gradativo processo de retorno ao fundamentalismo islâmico desde que alcançou a sua independência. Esta radicalização, é claro, se acelerou com a influência saudita com os seus petro-dólares e a exportação da sua doutrina wahabista. E, para piorar, a Província de Achém adotou oficilamente a lei islâmica Sharia
(Jakarta Globe).
Governo de Achém força a aprovação da lei islâmica (Sharia) para todos, inclusive para os não-muçulmanos
A Província de Achém (Aceh em indonésio) foi onde o islamismo chegou pela primeira vez no sudeste asiático, devido a sua localização (é a parte mais ocidental da ilha de Sumatra).  Desde a independência que Achém deseja autonomia. Agora, com o estatus de Território Especial, está em processo avançado de implementação da Sharia, inclusive para não-muçulmanos, sob o pretexto se ter uma "justiça igual para todos." (Jakarta Globe) Sob a Sharia, não-muçulmanos são tratados como cidadãos de segunda-classe.

Mais notícias (em ordem cronológica)

Indonésia: estudantes açoitados 100 vezes por sexo fora do casamento
Eles são solteiros. Caso contrário seriam apedrejadas. Três homens e três mulheres. (Express)

Indonésia: governador (cristão) de Jakarta acusado de blasfêmia
Basuki Tjahaja Purnama, Ahok como é mais conhecido, é o primeiro líder político em mais de meio século. Ele se elegeu governador da capital do país. Mas a lei islâmica não permite que muçulmanos sejam governados por não muçulmanos. Então, 200 mil muçulmanos de verdade sairam às ruas acusando-o de blasfêmia por ele ter citado um verso do Alcorão durante a sua campanha. A polícia acatou a acusação e o interrogou por mais de 8 horas. (Jakarta TimesJakarta Times)

Indonésia: criança morre queimada como resultado de jihad contra uma igreja
Cinco islamistas atiraram uma bomba incendiária  em uma igreja, que resultou na morte de uma criança de dois anos por queimaduras. Outras 3 crianças estão em estado grave. A jihad ocorreu na Província de Kalimantan Oriental, na Ilha de Borneo. (Voice of the PersecutedJakarta Globe).

Indonésia: mulher açoitada em praça pública por namorar
uma ofensa chamada "khalwat" Isso ocorreu na Província de Achem, em frente a mesquita Al Furqon. O namorado também foi açoitado. (Sun)
https://youtu.be/WEsYK_ObYtM OK


Indonésia: governo faz vistas grossas para a Sharia
O Ministro do Interior, Tjahjo Kumolo, voltou atrás no seu compromisso de abolir a regulamentação abusiva da Sharia no país. Ele disse "Nós não interferimos com as normas baseadas na Sharia islâmica." A lei da Provincia de Aceh é a Sharia. E, a Sharia é aplicada regularmente em outras partes do país. (hrw, junho/2016)

Indonésia: polícia prende mulheres que usam calças apertadas
Na foto, duas meninas sendo detidas por usarem calças muito justas. Um policial sharia acompanha mulheres capturadas vestindo calças apertadas durante uma blitz de rua no distrito de Arongan Lambalek na província de Achém, na Indonésia, em 26 de Maio, 2016. (hrw, Reuters)

Indonésia: proibição total de cerveja entra em vigor
Quando ele tomou posse, em outubro, presidente Jokowi, apesar de ser muçulmano praticante, foi saudado como um presidente disposto a lutar por uma Indonésia mais secular e pluralista. No entanto, sua abordagem para lidar com os males sociais até agora têm sido duras, e complacentes com a Sharia. Cerveja, em geral, só é encontrada em lojas especializadas e nos locias turísticos. Agora, a lei seca vai ser total. Lembre-se disso, quanto alguém te disser que a Indonésia é um exemplo de pais islâmico tolerante e moderado. (The Economist)

Paróquia do Sagrado Coração atacada aos gritos de Alá é o Maior
Ataques aconteceram durante o horário das missas por grupos de homens montados em motocicletas. Após décadas de co-existência pacífica, Yogyakarta tornou-se um centro da violência anti-cristã (AsiaNews).

Supremacistas islâmicos forçam o fechamento de sete igrejas
No Distrito de Cianjur, em média 40 igrejas são fechadas a cada ano (Barnabás Fund).

Polícia da Virtude funcionando a todo vapor em Achém
Aqueles que desejam externar amor em Achém, ou mulheres sem hijab, ou conversa entre homens e mulheres que não sejam da mesma família, cuidado. Isso agora é crime em Achém, e a "polícia da virtude" está de olho em você (Independent).

Mesquita dos Ahmadia fechada
Os Ahmadia são considerados como hereges pelo islão, e por isso, perseguidos ao redor do mundo islâmico (Jakarta Globe).

Ateísta preso por não crer em Alá
Sim, ele foi preso por isso. Na verdade, como os seus pais são muçulmanos ele era muçulmano automáticamente. Ao deixar de ser muçulmano ele se tornou um "apóstata." E para piorar ele se juntou a um grupo de ateus holandeses no Facebook (New York Times).

Indonésia, paraíso dos jihadistas
Todos os 36 terroristas islâmicos que detonaram as bombas islâmicas no balneário de Bali, em 2002, matando mais de 100 turistas, foram soltos. No islão, matar infiéis não é crime (Daily Telegraph).

Centenas de islamistas impedem a construção de uma igreja
Homens armados, liderados por imãs, ocuparam o terreno que pertence a um grupo cristão (Asia News).

Achém sem festa de Ano Novo
Um hotel em Achém cancelou uma festa programa para o Ano Novo devido a ameaças de islamistas (AsiaNews).

Muçulmanos fazem protestos contra o Natal
Os cristãos da Indonésia não tem paz nem para celebrar o Natal, considerado como anti-islâmico. Vários imãs proibiram os muçulmanos de desejarem "feliz natal" para os cristãos (Standard Digital).

Conselho de "doutores do islão" (Ulema) exigem que as escolas católicas ensinem o islamismo
Este é um exemplo inequívoco de "tolerância" islâmica para com os não-muçulmanos (Asia News).

Defensores da Fé Islâmica atacam igreja protestante
Centenas de homens atacaram igreja durante o culto. Os fiéis tiveram que fugir (AsiaNews).

Jihadistas da Indonésia sonham com o sangue dos cristãos
Presidente da Indonésia mandou que fosse reforçado o policiamento em torno das igrejas no Natal devido a ameaças concretas que grupos jihadistas da indonésia fizeram (Reuters).

Ataque contra as celebrações de Natal
Membros da Ulema pedem ao governo que coibam as celebrações de Natal (OnIslam).

"Jesus é um cachorro", "matem os cristãos"
Comtinuam os ataques a igrejas. Desta vez, cartazes foram colocados chamando Jesus de cachorro e ameaçando os cristãos de morte (Interntional Christian Concern).

Concurso de Miss Mundo na Indonésia é cercado por ameaças
Jihadistas chamam o concurso de "concurso das prostitutas. Protestos ocorrem aos gritos de Allahu Akbar (AFP; AP).

Última Sinagoga é destruida 
Pessoas que não foram identificadas (e nem presas) demoliram a sinagoga, que ira ser declarada com patrimônio cultural (Times of Israel).

Muçulmanos atacam grupo de estudos do Alcorão
Radicais não concordam que o Alcorão seja estudado ou interpretado de modo diferente ao deles (Jakarta Globe).

Concurso de Miss Muçulmana (oposto a Miss Universo) 
Mas para ganhar a muçulmana tem que ser pura, piedosa, ter comportamento modelar em um mundo moderno. Mesmo assim, os mais devotos querem detonar o concurso (AFP).

Miss Muçulmana

Polícia da Virtude ferida por conflito com amantes da música
Os policiais tentaram acabar com um concerto, mas foram atacados por mais de 100 ouvintes (Jakarta Globe).

Muçulmanos jogam coquetel molotov em escola católica
O cardeal pede aos carólicos que permaneçam vigilantes (Jakarta News).

Ramadã é celebrado jogando bombas em templo budista
O atentado ocorrou quando os budistas rezavam no templo (AP).

Dezessete igrejas fechadas
Todas localizadas na província de Achém. (Asia News).

Suprema Corte suspende a venda de bebidas alcoólicas
Islamização ganha mais impulso (Asia News).

Aumenta o número de casamento de meninas e poligamia  
Consistente com a lei islâmica e o exemplo de Maomé (Asia Sentinel).

Autoridades, sob pressão de "devotos", fecham igreja protestante em Java Ocidental
O grupo Frente dos Defensores Islâmicos (FPI) fechou uma igreja protestante acusando o pastor de estar propagando o Evangelho em uma área predominantemente muçulmana. No processo, os "devotos" destruiram parte da igreja e confiscaram cadeiras, instrumentos musicais mesas e automóveis. As autoridades mativeram a igreja fechada, e nunhum dos vândalos foi punido. (Fonte)

Indonésia: jihadismo em Jakarta, homem-bomba e tiroteio 
A capital, Jakarta, foi palco de atentados pela causa de Alá. Um homem bomba na entrada da cafeteria Starbucks frequentada por extrangeiros, resultando em 2 mortos e dezenas de feridos. Outros jihadistas se refugiaram no Teatro Djakarta. De um total estimado em 14 jihadistas, apenas 3 foram presos (BBC). (jan. 2016)

Indonésia: lista de alguns outros atentados anteriores

A lista não é completa, pois não inclue os atentados contra igrejas cristãs e templos hindús e budistas.
  • Julho 2009: Sete pessoas morreram e dezenas ficaram feridas quando dois mujahadin suicidas se explodiram dentro dos hotéis Marriott e Ritz Carlton, em Jacarta (fonte). 
  • Outubro 2005: Ataques suicidas em Bali deixam 20 mortos, incluindo os bombardeiros (fonte)
  • Setembro 2004: Bomba fora embaixada australiana em Jacarta mata pelo menos nove pessoas (fonte)
  • Agosto 2003: Bomba em Jakarta Marriott Hotel mata 12 e fere 150 pessoas (fonte)
  • Outubro 2002: atentados de Bali matam 202, incluindo 88 australianos (fonte)
  • 24 dezembro de 2000 - na véspera de Natal, uma série de explosões varreram a Indonésia. Elas faziam parte de ataques terroristas alta escala  da Al-Qaeda e Jemaah Islamiyah. Os ataques envolveram uma série de atentados à bomba contra 24 igrejas em Jacarta,Pekanbaru, Medan, Bandung, Batam Island, Mojokerto, e Sukabumi, resultando na morte de 19 pessoas e ferindo outras 120 (fontefonte). 
PS. Todos os 36 jihadistas que participaram dos atentados em Bali, que não foram sentenciados à morte, foram postos em liberdade em 2014 (Daily Telegraph).





Um comentário:

Anônimo disse...

Me pergunto se um dia a igreja catolica vai perceber q precisa ser feito novas cruzadas contra esses bárbaros