quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Cante! Exulte! É Natal! ... Natal? Música? Isso é Blasfêmia contra o Islão!!!!


José Atento

Em 1735, J. S. Bach compôs mais uma das suas obras magníficas, desta vez, um Oratório de Natal (BWV 248).

Abaixo,  vídeos apresentam o coral de abertura da:

  1. Parte 1, para o Primeiro Dia de Natal - 25 de dezembro
  2. Parte 3, para o Terceiro Dia do Natal - 27 de dezembro - "Adoração dos Pastores"
  3. Parte 4, para o Dia do Ano Novo
  4. Parte 5, para o Primeiro Domingo do Ano Novo
  5. Parte 6, para a Festa da Epifania 
A condução do Coral Monteverdi e dos English Baroque Soloists é do maestro Sir John Elliot Gardiner. Espero que as legendas do vídeo ajudem a apreciar a obra, que é simplesmente maravilhosa.

A wikipédia tem um artigo sobre esta obra, que você pode consultar para maiores detalhes.

A exemplo de outros artigos que trataram de música clássica, pautada em temas cristãos, tal como Feliz Natal, pois para nós uma criança nasceu, eu desejo chamar a atenção para dois fatos muito importantes que são parte da lei islâmica (Sharia). O primeiro, é a proibição à música. A segunda, é que celebrar o Natal, ou qualquer outra festa que não seja islâmica, seja ela de cunho religioso ou não, é crime segundo a Sharia.

Então, vamos desejar Feliz Natal e ouvir música, pois quebrar a lei islâmica faz bem a saúde!

É inadimissível pensar que em pleno século XXI existem pessoas que são presas nos "paraísos islâmicos" por desejarem usufruir das liberdades mais básicas, quer sejam cristãos, ateus ou de outras religiões. Neste Natal, pense nelas. Uma oração, ou um pensamento bom, já é algo positivo. E, converse com sua família, parentes e amigos sobre isso.

Mas, o mais importante, não deixe que estes problemas te afetem.

FELIZ NATAL!








PS. Lembre-se que para o islão, desejar Feliz Natal é pior do que matar uma pessoa.



Um comentário:

Anônimo disse...

Feliz natal jose e um otimo 2015 com saude, felicidade e trabalho pois o resto vem de carona. :D
Aguardando seus proximos artigos sobre o livro.
Abraço