quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Jihad contra o Natal

José Atento
Porque o governo do Brunei, a Somália e o Tajiquistão proibiram celebrações do Natal, sob a alegação que a visibilidade das celebrações poderia abalar a fé dos muçulmanos? E chegando a ameaçar quem celebrasse o Natal com 5 anos de prisão? O governo destes países fez isso por 3 motivos principais:
1. É um crime contra a lei islâmica Sharia expor muçulmanos a qualquer outra coisa que não seja islâmica, e o Natal é uma celebração cristã. 
2. O Natal é kufr (descrença) e shirk (idolatria) pois festeja-se o nascimento de Jesus dentro da narrativa cristã de que Jesus é Deus, o que fere o conceito islâmico de crença em Alá. Além do mais, os cristãos são idólatras e descrentes
3. Aceitar a celebração do Natal, ou mesmo apenas desejar feliz natal é uma mostra de amizade para com os cristãos, e isso é algo terminantemente proibido por Alá no Alcorão.
Os fatos mostram que se o número de muçulmanos se tornar suficientemente grande, de modo a que eles influenciem as leis, eles vão impor a Sharia, pois a Sharia é a implementação legal do islamismo. E a Sharia não é nada boa para os não muçulmanos, as mulheres e os homossexuais (leia aqui um resumo do que não presta). 
É imperativo nos darmos conta dos fatos, e que os fatos se sobrepõe a qualquer sonho ou ideologia.

O islamismo é regido pela lei islâmica Sharia e os muçulmanos têm o dever religioso de lutar pela implementação da Sharia onde quer que eles vivam, e impôr a Sharia sobre os não muçulmanos. Muçulmanos que vivem em países ocidentais (como no Brasil) e apologistas dizem que o islão é tolerante ao mesmo tempo que tentam esconder o que acontece nos países com maioria populacional muçulmana. Quando os fatos que acontecem nestes países islâmicos vêm à tona, eles disfarçam, ou dizem que o que acontece não é o islão, ou dizem qualquer outra coisa para nos forçar a mudar de assunto (por exemplo, nos acusar de racista, xenófobo ou islamófobo). O fato é que o que os países de maioria populacional fazem é impor a Sharia, em estágios distintos. Por exemplo, nem todos apedrejam adúlteras, mas, em todos eles, um muçulmano que deixar de ser muçulmano vai passar por apuros, com seus ex-irmãos muçulmanos ou mesmo com o governo.

Só existe um modo de se saber como é viver sob a Sharia: ver o que acontece nos países islâmicos!

Tanto o Alcorão quanto a Suna (a tradição de Maomé) trazem preceitos que proíbem que muçulmanos sejam expostos a outro conceito de vida diferente do islamismo (seja outra religião ou ateísmo). Mas porque isso? A lógica é simples. O islamismo se considera como a "religião perfeita" e Maomé como o sêlo dos profetas (no sentido dele ter sido o "último profeta" - mas os Mórmons também não dizem que Joseph Smith foi o último profeta?). De modo que, segundo a ótica islâmica, expor muçulmanos a outra religião, ou ao ateísmo, seria retirá-lo do estágio superior onde ele se encontra. E isso é um crime contra o islão, contra a Ummah (a comunidade islâmica) e contra a Sharia.

Os muçulmanos rezam diáriamente estes versículos do Alcorão:
"Mostra-nos o caminho reto, o caminho daqueles a quem Tu favorecestes; Não o (caminho) daqueles que ganham tua ira, nem daqueles que se desviam." (Alcorão, 1:5-7
Um Hadice de Bukhari (12:749) deixa claro que "aqueles que ganham Tua ira" se refere aos judeus, ao passo que "aqueles que se desviam" refere-se aos cristãos.
O Mensageiro disse: ‘Não leve o Alcorão em uma jornada com você, pois eu temo que ele caia na mão dos inimigos. O inimigo pode retê-lo e começar a discutir sobre ele com você. (Hadice de Muslim Livro 020, Número 4609
Ou seja, não se deve dar a oportunidade alguma para que a fé de um muçulmano seja questionada.

(Além do mais, existe o preceito de que cada muçulmano que rejeite a fé islâmica deve ser morto.)

Agora, veja o que dizem as Condições de Umar, e como elas foram incorporadas na Sharia. No tocante aos "cidadãos não muçulmanos" eles:
(6) são proibidos de mostrar abertamente vinho ou carne de porco, (tocar sinos de igrejas ou mostrar cruzes,) recitar trechos da Torá ou do Evangelho em voz alta, ou fazer uma exibição pública dos seus funerais ou dias de festa. 

Trecho do Manual de Lei Islâmica 'Umdat as-Salik wa 'Uddat an-Nasik, página 608

Adicione-se a isso, o fato de o Natal ser consideraco shirk, que significa idolatria, e kufr, que significa descrença. Em um vídeo, o imã Abu Mussab Wajdi Akkari, nascido no Líbano, chega a dizer que desejar feliz natal é pior do que assassinato! A lógica nos conduz ao seguinte raciocínio: se desejar Feliz Natal (ou se portar algum símbolo natalino) for pior do que assassinato, então a punição para este crime (dizer Feliz Natal) deve ser maior do aque punição referente a matar uma outra pessoa.

O imã Zakir Naik, um famoso pregador islâmico da Indonésia, chega a afirmar, na sua fã-page do Facebook, que "eu espero que muçulmano algum deseje ou atualize o seu status [no Facebook] sobre o Natal porque celebrar o Natal é contra o islão, contra Alá, e contra o profeta [Maomé], de modo que fique ciente que isso é um pecado muito grande."


Outras perspectivas islâmicas que reforçam esta visão aqui e aqui.

E, finalmente, aceitar celebração natalinas é mostrar sinais de amizade para com os cristãos, algo que Alá veementemente proibiu, por exemplo:
"Ó vós que credes, não tomem os judeus e os cristãos como os amigos! Eles são amigos uns dos outros; e aquele que dentre vós tomá-los como um amigo, então certamente ele é um deles, porque Alá não encaminha os iníquos." (Alcorão, 5:51
Existem outros versos que dizem o mesmo (Alcorão 5:80; 3:28; 3:118; 9:23; 53:29; 3:85; 3:10; 7:44). Mas isso não é de se estranhar, afinal "os não muçulmanos são as criaturas mais desprezíveis." (Alcorão 8:55). Além dos dizeres de Maomé nos Hadices (Muslim 1:417 e 2167; Abu Dawud 41:4815 e 41:4832; Bukhari 59:572) e na biografia de Maomé (Ishaq 262 e 252).

Os fatos mostram que se o número de muçulmanos se tornar suficientemente grande, de modo a que eles influenciem as leis, eles vão impor a Sharia, pois a Sharia é a implementação legal do islamismo.

"Aslim, Taslam!" ... converta-se para o islão e você estará à salvo.


Abaixo, alguns exemplos desta Jihad contra o Natal que o islamismo promove.

Egito: Mosteiro de Santa Catarina fechado, celebrações do Natal canceladas
Este mosteiro é patrimônio cultural da humanidade pela UNESCO. Celebração do Natal ortodoxo (6 de janeiro) foi cancelada pelo governo, que prefere fechar um evento cristão a oferecer segurança. (Raymond Ibrahim, 2018)

Egito: 230 mil agentes de segurança para proteger as igrejas cristãs durante o Natal
Eles irão proteger as 2626 igrejas durante as celebrações natalinas. Centenas de cristãos morreram este ano em ataques de jihadistas islâmicos contra igrejas. No Egito, a maior celebração natalina é no dia 7 de janeiro para os cristãos do rito copta, contudo, a minoria que não é ortodoxa celebra no dia 25 de dezembro.  (Christian Post, 2017)

EUA: o candidato a mártir islâmico que explodiu uma bomba no metrô de Nova York, declarou que escolheu o metrô por causa dos cartazes sobre o Natal
Segundo a lei islâmica é proibido aos não muçulmanos tornarem públicas suas festas religiosas. (SMH)

Ameaças de 'Jihad contra o Natal 2017' amedronta a Alemanha, França e o Reino Unido
Leia o artigo em https://infielatento.blogspot.com/2017/12/ameacas-de-jihad-contra-o-natal-2017.html

Alemanha: mercados de Natal com segurança redobrada
A foto mostra a igreja memorial Kaiser Guilherme, em Berlin. Esta igreja foi parcialmente destruída durante a segunda guerra mundial e foi deixada deste jeito como um memorial. Ano passado, durante uma feirinha de Natal (algo muito típico na Europa Central) um jihadistas atropelou algumas das pessoas que visitavam a feirinha, matando pouco menos de dez pessoas. A feirinha vai acontecer de novo. Contudo, blocos de concreto estão sendo colocados na calçada para evitar uma repetição do ano passado. Ao redor da Alemanha, o cuidado com a segurança está sendo redobrado.
Não existe nada de novo no que está acontecendo. Isso é apenas a história se repetindo. Um aumento do islamismo leva a uma acréscimo na insegurança dos infiéis. Os dois casos mais recentes que podemos pensar são Líbano e Myanmar. (2017)


Filipinas: ataque à bomba contra igreja católica na véspera do Natal deixa 16 feridos
Explosão de uma granada lado de fora de uma igreja católica deixou 16 feridos. Isso ocorreu na Ilha de Mindanao, onde jihadistas islâmicos atuam. (FortuneVeja)

Alemanha: jihadista atropela multidão em Mercado de Natal em Berlim
  1. Anis Amri, um refugiado (e jihadista) da Tunísia que entrou na Alemanha como refugiado, e está foragido, (NY Times) retribuiu a gentileza alemã matando infiéis (káfirs). O Estado islâmico reivindicou o ataque de Berlim (NY Post). Nem precisaria pois o ataque segue o exemplo de Maomé, que geralmente atacava as tribos árabes à traição, pela manhã, bem cedinho, e sem aviso.
  2. Declaração do Presidente-eleito Trump sobre o ataque da jihad em Berlim: "Os terroristas islâmicos continuamente massacram os cristãos ... como parte de sua jihad global." (JihadWatch) Enquanto isso, a declaração da Casa Branca (Presdiente Obama) foi oca e vazia como sempre (The White House).  Aparentemente, a chanceler Merkel, A Louca, foi advertida semanas atrás pelo Departamento de Estado dos EUA (JihadWatch).
  3. O jihadista Anis Amri tomou o caminhão de um motorista polonês, Lukasz Urban, que resistiu ao assalto e acabou baleado e morto. Aparentemente, a resistência de Lukasz impediu que o massacre fosse maior (Guardian). 
  4. Anis Amri era um verdadeiro jihadista. Ele chegou à ilha italiana de Lampedusa como refugiado, se fazendo passar como criança, apesar dele ter 19 anos. Ele participou de um motim dentro de um centro de refugiados, tacando fogo no mesmo. Ele foi preso, servindo 2 anos na Sicília. Ao ser solto, a Tunísia se recusou a o receber de volta. ele então fugiu para a Alemanha. Após o atentado ele fugiu para a Itália, onde acabou sendo morto durante tiroteiro com a polícia (Daily Mail). (Leia mais sobre Anis Amri aqui). 
E agora, Alemanha? Vai fazer o quê? Continuar arriando as calças? Ou se impor como nação soberana?

https://youtu.be/kmZucMJgyOY OK

Grã Bretanha: família de cantores muçulmanos recebe ameaças de morte de muçulmanos por foto de sua árvore de Natal
Mesmo existindo cristãos na família, os extremistas acusaram a família de "insultar o Islã" e advertiram sobre "retribuição". Eles consideram a celebração de Natal da família como "um insulto ao Islã" e disseram que eles eram "uma desgraça para a fé". (Daily Star, 2016)

Áustria: adolecentes "turcos" atacam celebração associada ao Natal
A Áustria, bem como alguns outros países ao redor dos Alpes, possui um tradição na qual jovens se vestem de Krampus, uma figura metade-bode, metade-demônio, que pune as crianças mal comportadas. Ele é uma espécie de "anti Papai Noel." Na verdade, é tudo pretexto para se divertir. Mas, numa cidade perto de Salzburgo, 40 jovens vestidos de Krampus foram atacados por um "grupo de turcos", que se sentiram provocados pela festa. Apenas um turco, de 15 anos, foi preso (The Localsobre o Krampus, 2016).

Áustria: refugiado interrompe teatro infantil de Natal para recitar o Alcorão
Durante teatro de Natal do jardim de infância em Oberndorf, um muçulmano da Somália, vestido de branco, foi para o palco, mandou as crianças sairem, e começou a recitar o Alcorão, para surpresa dos pais e professores. Dois pais abordaram o "refujihadista" que resistiu e a polícia teve que ser chamada. O prefeito da cidade estava assistindo o teatrinho. (Heute via Pamela Geller, 2016)

Grã-Bretanha: policiais fortemente armados guardam a Catedral de Canterbury, e o seu presépio, em Londres
Imagine o que o futuro reserva com o aumento da imigração muçulmana? (Daily Mail)


Indonésia: polícia faz arrastão contra empregados de Shopping usando chapéus de Papai Noel 
O Conselho da Ulema (nação islâmica) da Indonésia emitiu um decreto proibindo que muçulmanos usem chapéus de Natal. Para evitar que empregados muçulmanos os usem (mesmo por livre vontade) a polícia escoltou membros da Frente dos Defensores do Islão em uma ação de busca nos Shopping Centers da capital da Java Oriental, Surabaya.  (
Jakarta Post, 2016)


Governo do Brunei, Somália e Tajiquistão criminalizam o Natal
Celebrar o Natal dá cadeia, pois pode afetar a fé dos muçulmanos (fonte, fonte, fonte, 2015)

Cisjordânia: palestinos tacam fogo em árvore de Natal 
Dois palestinos são presos após atearem fogo em árvore de natal em Zababdeh, perto de Jenin, na Cisjordânia. Zababdeh é uma das poucas vilas com maioria cristã. Apenas 2% da população da Cisjordânia é cristã. Outros tantos palestinos tentaram criar confusão durante as celebrações de Natal em Belém. Vinte foram presos. (DailyStar, 2015)

Palestinos se vestem de Papai Noel e jogam pedra na polícia israelense
Eles queriam que algum deles ficassem feridos para dizer "vejam só como os israelenses são malvados, eles não tem dó nem do Papai Noel." (WND)

Patriarca de Jerusalém recebido à base de pedradas no caminho de Belém
O Patriarca Fouad Twal, chefe da Igreja Católica na Terra Santa, foi atacado por palestinos ao entrar em Belém para as celebrações do Natal (fonte).

Sudão: pouco motivos para celebrar Natal pois governo continua a destruir igrejas e reprimir cristãos
Governo sudanês continua a prender pastores e leigos, e a decisão sobre a destruição de igrejas fica à cargo do Alto-Conselho para Dawa e Orientação, ou seja, os muçulmanos decidem (AllAfrica).

Jordânia: rei faz mensagem natalina cheia de referências ao islão
Islamizando o cristianismo (Aleteia, 2015)

Pessoas festejam o Natal, mesmo sob o risco de serem presas
Pessoas corajosas, cristãs e ou não, colocam fotos na mídia social ‪#‎MyTreedom‬ para desafiar a Sharia nos países islâmicos, que banem o Natal, sejam símbolos cristãos ou não. Se forem pegos, podem ir para o "xilindró de Alá." (Daily Mail, 2015)

Alemanha: cristãos atacados após celebração de Natal. Muçulmano grita "Eu sou muçulmano. O que são vocês?"
Isso aconteceu em Berlin após na madrugada do dia 25. Quatro homens foram atacados por outros quatro que se identificaram como muçulmanos. Os quatro sairam feridos, bem como um quinto que veio à ajuda deles. (Breibart, 2015)

Egito: fatwa proíbe muçulmanos de desejar Feliz Natal ou Feliz Páscoa
Fazer isso é kufr. Muçulmanos podem felicitar cristãos na data do aniversário ou por casamentos (fonte, 2015).

Turquia: Papai Noel malhado nas ruas, converte ao islão
Na já tradicional "malhação do Papai Noel" nas ruas, desta vez terminou com o bom velhinho se convertendo ao islão (Today's Zaman, 2015)

Filipinas: ataques jihadistas no Natal deixam 14 mortos
Vários ataques em vilas do sul do país perpetrados pelo grupo Bangsamoro na véspera e no dia de Natal. As Filipinas é um país predominantemente católico, mas muçulmanos desejam criar um enclave islâmico no sul (USA Today).

Turquia: São Nicolau, que nasceu na Anatólia, não é bem-vindo da sua terra natal
Dizem que São Nicolau trouxe paz entre os pagãos e os cristãos no século 4. Mas hoje, para os muçulmanos turcos, ele significa o "nós contra eles" (fonte, 2014).

Lei na Indonésia criminaliza desejar "Feliz Natal" ou "Feliz Ano Novo"
Agora nem cristãos nem ninguém podem dizer "Feliz Natal" e nem "Feliz Ano Novo" na Indonésia. (Shoebat, 2014)

Mais "farra natalina" dos jihadistas de plantão ao redor do mundo
(1) Canadá: Yaqoub Ali, 26 anos, foi preso após atentado no Shopping Tanger Outlet, em Ottawa (ottawasun, 2014).

(2) Filipinas: atentado mata 4 e fere 30
Uma bomba caseira explodiu na entrada de um mercado na cidade de Mlang, quando os clientes estavam comprando frutas e castanhas para celebrar o ano novo. A autoria foi do grupo Movimento da Liberdade Islâmica Bangsamoro, que deseja a forçar a criação de um estado islâmico independente, dentro deste país predominantemente católico. (abcnews, 2014)

Turquia: Papai Noel caçado nas ruas
"Na Turquia, um pais muçulmano, nao celebra-se Natal. Obviamente. Porém, o contato com o ocidente (TV, imigrantes etc) faz com que eles integrem a "cultura" do Natal na celebraçao de Ano-Novo (ex. Jingle Bells, papai-noel, arvores de "natal" e luzes sao colocadas em alguns lugares para celebrar o ANO-NOVO turco). Irritado, o governo, mais precisamente um vereador de Bolu, Mahmut Alan, montou uma pequena peça de teatro em seu distrito - na qual papai noel é expulso da cidade por um sultao muçulmano. Basicamente a peça de teatro é o sultão (ator) correndo atras do papai noel (ator), gritando aos "suditos" (gente na rua): Atirem-no para fora dessa cidade!"" (Daily News, 2014)

Notícia vinda da "moderada" Jordânia: Homem é acusado de terrorismo por se vestir como Papai Noel e distribuir presentes
Imagine-se vivendo em um país onde é um crime manifestar em público qualquer expressão de Natal, ou, pior ainda, mostrar qualquer coisa relacionada uma fé ou a falta dela? Isso acontece hoje no mundo islâmico. Isso acontece mesmo em países que poderíamos considerar como "moderados". Veja o que aconteceu a Papai Noel, na Jordânia. Conforme relatado pela imprensa árabe, um homem vestido como Papi Noel foi preso em Amman, enquanto "ele estava distribuindo presentes em várias partes do país. Ele foi acusado de evangelizar, incitar a luta sectária, e realização de atividades de tudo caridade não autorizadas de que se enquadram no âmbito da legislação anti-terrorismo." Ele não foi preso por uma multidão louca, mas pelas autoridades jordanianas. (fonte, 2014)


Muçulmanos ultrajados pelo Natal promovem sua Jihad particular
(1) Mais um atropelamento nesse período de Natal
Muçulmano atropela e acaba matando casal no Reino Unido.
Nome do acusado: Mobein Ali.
http://pamelageller.com/2014/12/uk-muslim-driver-hits-two-pedestrians-with-his-car-kills-them.html/
(2) Grupo de jovens muçulmanos atacam igreja e gritam palavras de baixo calão para os fiéis no meio de uma celebração de Natal na cidade alemã de Mönchengladbach-Rheydt.
http://pamelageller.com/2014/12/germany-muslims-attack-church-goers-force-their-way-into-the-st-marys-church-shouting-shit-christians.html/
(3) Casal de namorados dinamarqueses é surrado com correntes por jovens muçulmanos somalianos em seu caminho de volta ao lar na meia-noite de Natal em Copenhagen
http://speisa.com/modules/articles/index.php/item.577/nanna-i-was-beaten-with-chains-on-christmas-eve.html
(4) Alemão deseja Feliz Natal a três muçulmanos e acaba esfaqueado pelas costas em Colônia.
http://www.dcclothesline.com/2014/12/26/german-stabbed-back-muslim-wishing-two-muslim-women-merry-christmas/
(5) França: Novo atropelamento de civis, e um ataque a uma delegacia. É o 2º atropelamento registrado em 3 dias, além de ataque à delegacia. Dez ficaram feridos em Nantes; motorista se apunhalou depois do acidente. (globo.com)
Natal em Dubai: 
Cidadãos britânicos que residem em Dubai são avisados pela autoridades britânicas a não celebrarem o Natal para evitarem serem presos e condenados com sentenças longas. (Breibart, 2014)

Rússia: muçulmano escala o telhado da catedral Ortodoxa Russa de Kazan, em Moscou, e começa a gritar a 'Chamada à oração muçulmana’ na véspera do Natal ortodoxo 
Segundo relatos, ele foi detido pela polícia e enviado para um hospital psiquiátrico (The Moscow Times, 2014). Mas ele não está agindo como um loucoele está apenas agindo como um supremacista muçulmano típico. Agora, imagina um cristão subindo em uma mesquita em algum buraco islâmico para rezar o Pai Nosso, o que aconteceria com ele?


Desejar "Feliz Natal" é pior do que assassinato

Veja o que diz um clérigo islâmico do Líbano a este respeito. http://infielatento.blogspot.ca/2014/12/natal-pior-que-assassinato.html

Mais uma escola dos EUA bane o Natal, e demais feriados cristãos, sob pressão dos líderes comunitários muçulmanos
Desta vez, foi em Montgomery, estado de Maryland. O meu palpite é que isso irá durar até que apenas as datas islâmicas passem a ser feriado. Afinal, agir diferente seria racismo e islamofobia.
O multiculturalismo cego e o politicamente correto (marxismo cultural) estão nos matando. (PCMD Gazette, 2014)

Turquia: campanha anti-Natal
Grupos muçulmanos estão circulando a imagem abaixo (The Blaze, 2013 ).


Turquia: imagem de Papai Noel circuncizada e esfaqueada em Istanbul
Para eles, Papai Noel representa o Natal (fonte, fonte, 2013).

Turquia: mesquita expõe cartaz em dia de Natal dizendo para muçulmanos não serem amigos de cristãos ou judeus
O cartaz mencionava o Alcorão 5:51 (fonte, 2013)

Natal em Bagdá, no Iraque
"Gostamos de celebrar esse dia porque nos lembra do amor de Deus e de suas promessas sobre nós. Porém, por causa da segurança limitada, a liberdade de comemorar o Natal está diminuindo cada vez mais. Algumas pessoas não podem sair de casa para comemorar na igreja." Lembre-se de orar por cada cristão que não tem a mesma liberdade que você para celebrar o nascimento de Jesus (Missão Portas Abertas).

Dinamarca: maioria muçulmana vota contra árvore de Natal
O Conselho da cidade de Kokkedal, composto de 9 pessoas sendo 5 muçulmanos, votou contra a cidade ter uma árvore de Natal este ano (Post, 2012). Este é um exemplo do que acontece quando muçulmanos alcançam a maioria.

Tajiquistão: homem vestido como Papai Noel foi assassinado
Um homem vestido da versão russa de Papai Noel (Ded Moroz) foi esfaqueado até a morte por uma multidão aos gritos de "Você káfir (infiel)". (KyivPost, 2012)

Nigéria: bombas explodem em igrejas no dia de Natal
Um total de 40 pessoas morreram em uma série de explosões. A maioria das vítimas ocorreram na Igreja de Santa Tereza, após a missa (Daily Mail, 2011).

Reino Unido: grupo muçulmano lança poster contra o Natal
Eles denunciam o Natal como algo malvado e perverso (fonte)

Reino Unido: Cruz Vermelha bane celebrações natalinas
Empregados foram alertados para retirarem todos os enfeites de Natal para evitar ofender os muçulmanos (Mail, 2002)
























terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Elin Krantz, apenas mais uma vítima, estuprada e morta no altar do multiculturalismo


Tendo em vista o alarmante aumento de estupros na Europa, correlacionados com o aumento da imigração islâmica (por exemplo, a Suécia é a capital européia do estrupro, e o aumento da incidência  de estupros na Alemanha - aliando-se aí o fato de Maomé ter sido um estuprador), vamos rever o caso de Elin Krantz, uma bela loura sueca de 27 anos, estuprada e morta no altar do multiculturalismo.

Em setembro de 2010, Elin foi estuprada até a morte por um imigrante etíope. O seu corpo foi largado em meio a rochas como se fosse lixo, até ser encontrado um tempo depois, após uma busca exaustiva. Câmeras de TV à bordo de um trem mostraram que ela estava com um grupo de amigos (eles voltavam de uma festa) às 2 horas da manhã. Todos os seus amigos sairam do trem antes dela. Ao chegar na sua estação, ela saltou. Ela estava sozinha, afinal, a Suécia, como o "paraíso socialista" que era, era um lugar seguro para as mulheres. Só que o etíope Ephrem Yohannes, que estava no mesmo trem, saiu do trem na mesma estação atrás de Elin.  

(Grato a Sandro Molina pela foto)

O assassino, Ephrem Yohannes, tinha 23 anos de idade. Ele viveu nos Estados Unidos durante um tempo e cometeu vários crimes. Em seguida, ele se casou com uma mulher etíope e emigrou para a Suécia ("Imigrants, Welcome"). Após o assassinato de Elin Krantz, em junho de 2011, ele foi condenado a apenas 16 anos de prisão (vivendo em uma prisão sueca, feito hotel, às custas do contribuinte sueco) e depois disso ele vai simplesmente ser deportado da Suécia. 


Na época, chegou-se a especular que Elin Krantz fosse membro do grupo "Nós Amamos a Diversidade" (We Love Diversity), que ficou famoso por ter feito um vídeo onde uma mulher loura aparece fornicando com um negro ao som do hino nacional da Suécia. Pensou-se que Elin teria participado do vídeo. Na verdade, a mulher que aparece no vídeo balançando sobre o negro é uma outra ativista, Michela Eklund. Veja a "screen capture" abaixo. 

De qualquer modo, fica claro o crime que vem sendo cometido em nome do "multiculturalismo" e a lavagem cerebral à qual a população sueca (e européia em geral) vem sendo submetida. Vende-se a idéia que os imigrantes irão se comportar como os suecos, integrando-se totalmente aos padrões civilizatórios, quando isso não é verdade, particularmente quando se verifica o padrão de comportamento de um grupo particular de imigrantes, que desejam implementar a Sharia onde eles moram.  


O mais bizarro neste crime foi que jornais da Suécia na época, inicialmente, reportaram o crime como tendo sido cometido por um sueco (seria isso para manter a narrativa que os "imigrantes" vão se comportar como os suecos?).


As próximas "virgens do multiculturalismo"?

Referências:





sábado, 26 de dezembro de 2015

Diálogo Inter-Religioso - Exemplos (Islamização do Cristianismo)


O nível de insanidade que vem acometendo autoridades religiosas é tamanho que eu resolví agrupar as entradas sobre "Diálogo Inter-Religioso" em um único artigo, para facilitar a leitura. De início, eu sugiro que se leia os artigos:
Mensagem ao Papa Francisco frente à perseguição dos cristãos ao redor do mundo, e no Oriente Médio, e sobre o “diálogo inter-religioso” com o islamismo http://infielatento.blogspot.ca/2014/09/mensagem-ao-papa-francisco-perseguicao.html
Crislão = Cristianismo + Islão ... um estratagema para enganar idiotas
http://infielatento.blogspot.ca/2015/02/crislao-chrislam-crislam-cristianismo-islao.html

Abaixo, seguem uma lista de artigos publicados no blog bem como pequenas notícias ou artigos externos.

O Papa Francisco e sua falta de bom-senso no tocante à crise migratória na Europa

O que ele prega é contrário ao Catecismo da Igreja Católica


Por que São Tomás de Aquino se opõe a fronteiras abertas?

Cada nação tem o direito de distinguir, por país de origem, quem pode migrar para ela e aplicar políticas de imigração apropriadas, segundo o grande erudito medieval e santo Tomás de Aquino.

Papa Francisco não se intimida frente a ameaças turcas quanto ao Genocídio Armênio
Leia o artigo todo no link.

O Papa Francisco e o Grã-Imame da Al-Azhar
Leia o artigo todo no link.

Papa Calisto III e sua reação contra a jihad turco-otomona do século XV

Para o Papa Francisco, 'jihad' é o mesmo que 'evangelizar'

Papa Francisco: o que pedir ao Grão-Imame da Universidade Al-Azhar
E o que os muçulmanos nunca irão fazer


Alemanha: arcebispo de Colônia abraça o islão

Jesuítas promovem o islamismo no Rio de Janeiro (?)
http://infielatento.blogspot.ca/2015/02/jesuitas-promovem-o-islamismo-no-rio-de-janeiro.html

Autoridades cristãs brasileiras dão credibilidade ao islão, traindo ao Brasil e a Igreja
http://infielatento.blogspot.ca/2014/12/autoridades-cristas-dao-credibilidade-ao-islao.html

CARTA ABERTA AOS BISPOS E À IGREJA NO BRASIL
http://infielatento.blogspot.ca/2014/12/carta-aberta-aos-bispos-e-igreja-no-Brasil.html

Cardeal de São Paulo e Rabino paulista caem no engodo do diálogo inter-religioso
http://infielatento.blogspot.ca/2014/11/cardeal-de-sao-paulo-e-rabino-paulista-idiotas-uteis.html

Será que este Cardeal aposentado se converteu para o islão, ficou senil ou é apenas um idiota útil?
http://infielatento.blogspot.ca/2014/09/cardeal-mccarrick-idiota-util.html

Islamização acontece aos poucos. Um exemplo em São Bernardo do Campo
http://infielatento.blogspot.ca/2014/08/islamizacao-Sao-Bernardo-do-Campo.html

Arcebispo de Mosul, no exílio, alerta que nós seremos vítimas de perseguição em breve
http://infielatento.blogspot.ca/2014/08/arcebispo-de-mosul-avisa-o-ocidente-sobre-o-islao.html

Quem sabe mais sobre o islão: um cardeal da Nigéria ou um bispo dos EUA?
http://infielatento.blogspot.ca/2014/04/bispo-EUA-cardeal-Nigeria.html

Carta aberta para o Papa Francisco, com respeito a sua exortação apostólica Evangelli Gaudium
http://infielatento.blogspot.ca/2013/12/carta-aberta-Papa-Francisco-Wilders.html

O Bispo que não reza, e o Papa que só vê o bem em tudo
http://infielatento.blogspot.ca/2013/12/o-papa-que-ve-apenas-o-bem.html



Notícias

(outubro 2018)

Itália: Arcebispo diz que devemos acolher jovens migrantes para substituir os “europeus em extinção”

“O desafio para a Itália é conciliar um país que está morrendo com jovens que vêm de outros lugares, para começar uma nova história." Em compensação,  "imigrantes africanos, que vivem há várias décadas na Itália, disseram que o país deveria fechar suas fronteiras para impedir uma guerra civil entre a comunidade africana e os italianos pobres". (Breitbart)

(agosto 2018)


Alemanha: Igreja Evangélica busca o lucro com a imigração em massa, mesmo sob o corpo morto de uma jovem mulher
Sophia l de 28 anos estava a caminho de casa em meados de junho, indo de carona de Leipzig para Amberg, ambas na Alemanha. Ela sumiu, depois que ela tinha subido para o caminhão de um homem marroquino de 41 anos. Mais tarde o corpo queimado dela foi encontrado na Espanha.

No serviço fúnebre de ontem, o presidente do Conselho da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD), Heinrich Bedford-Strom, disse:
"Talvez ela ainda estivesse viva se tivesse vivido com desconfiança. Mas isso seria uma vida melhor? Poderia ter sido a vida dela? Como ela poderia radiar o amor e a alegria de viver que pertencia a ela e qdeixam sua marca na vida de tantas pessoas que nunca perecerão?"
Obviamente que Bedford-Strom  não está impressionado com a morte de Sophia, pois ele continua a defender uma Europa de fronteiras abertas e uma imigração sem obstáculos para pessoas de todo o mundo.


O Conselho da Igreja Evangélica na Alemanha é uma gigantesca empresa social com mais de 500 mil funcionários. A igreja protestante é um dos maiores beneficiários da imigração em massa ilegal. (jungefreiheit)

(julho 2018)


Por que São Tomás de Aquino se opõe a fronteiras abertas?

Cada nação tem o direito de distinguir, por país de origem, quem pode migrar para ela e aplicar políticas de imigração apropriadas, segundo o grande erudito medieval e santo Tomás de Aquino.
Leia o artigo no blog.

O Papa Francisco e sua falta de bom-senso no tocante à crise migratória na Europa

O que ele prega é contrário ao Catecismo da Igreja Católica

Bispo italiano diz que está pronto para "transformar todas as igrejas em mesquitas" para ajudar a causa da migração muçulmana em massa

Itália: Revista católica compara Salvini ao diabo
A Famiglia Cristiana, uma revista católica, comparou o ministro do Interior Matteo Salvini ao diabo, em uma crítica alucinante às suas políticas anti-migrantes. A capa dizia: “Vade retro, Salvini.” O Sr. Salvini respondeu à Famiglia Cristiana através do Twitter escrevendo que, embora ele não seja um cristão "perfeito", "não creio que mereça isso". Ele acrescentou: "Estou confortado pelo fato de receber o apoio diário de tantos homens e mulheres da igreja". (thetablet)

Papa teme pela presença cristã no Oriente Médio
O papa Francisco manifestou no sábado a preocupação de que os cristãos desapareçam do Oriente Médio em meio a "indiferença assassina", quando líderes da Igreja da Síria e do Líbano pediram aos países ocidentais que ajudassem a devolver os refugiados sírios (France24). Em geral, o papa se mostra preocupado apenas quando se encontra com os líderes do Oriente.

Itália: governo quer crucifixos pendurados em todos os órgãos do governo
Mas, para surpresa geral, o assessor do Papa Francisco é contra a medida. Reverendo Antonio Spadaro preferiu politizar e usar algo que deve ser visto como positivo para criticar a política migratória do novo governo italiano, dizendo "O crucifixo grita amor ao inimigo e recepção incondicional" (CTV). Ele está errado. O crucifixo lembra o sacrifício individual de Jesus, que convida (e não obriga) os outros. O crucifixo também representa as raízes da nossa civilização e a resistência que precisa ser exercida contra a intrusão do islamismo que busca impor a lei islâmica (Sharia). E onde a Sharia governa, a civilização e culturas locais morrem.

(maio 2018)
Suécia: bispo luterano (Igreja da Suécia) apoia transmissão da chamada à reza islâmica
Isso irá ocorrer todas as sextas-feiras por três minutos, segundo permissão da polícia. Os muçulmanos e o bispo alegam que isso vai aumentar a integração. Diversos políticos locais e nacionais se declaram contra a medida, alegando que isso irá ampliar as divisões (Breitbart).

EUA: universidade católica e universidade metodista abrem salas de oração apenas para muçulmanos, onde segregação entre os sexos é permitida
Isso ocorreu na Univerdiade de Davenport, no estado do Iowa, e na Universidade Metodista, no Texas (College_Fix_1College_Fix_2).

(março 2018)
Bélgica: cardial vaticano Sarah diz que Ocidente está cometendo suicídio ao esquecer suas raízes cristãs
Original da África Negra, o cardeal diz que uma árvore sem raízes não se sustenta. (Breitbart)

(fevereiro 2018)
Suécia: bispo advoga pela chamada à oração islâmica em voz alta
O bispo Modeus, da Igreja Luterana sueca, está apoiando o pedido dos muçulmanos da cidade de Växjö de poderem transmitir a sua chamada à oração, cinco vezes por dia. Ele disse que quer ouvir isso junto com os sinos das igrejas [Bispo idiota, mude-se para a Arábia Saudita e peça permissão para construir uma igreja e todar o sino 5 vezes por dia, seu traidor sem fibra.] A Igreja Luterana sueca, a maior do país, é a mesma que elegeu uma bispa lésbica que defende a criação de espaço para as orações islâmicas dentro das igrejas. Não é de se estranhar a igreja sueca venha perdendo milhões de fiéis ao longo dos anos. A Igreja Sueca pertencia ao governo, mas passou a ser semi-autônoma desde 2000. Ela, contudo, reflete o pensamento do governo feminista da Suécia.  (Breitbart)

A bispa lésbica da Igreja da Suécia

EUA: para "im-pastora" metodista "nós somos todos muçulmanos"
Karen Oliveto é uma lésbica praticante e bispa da região "Big Sky" dos Metodistas Unidos dos EUA (Pulpit and Pen).


Grã-Bretanha: igreja promove evento inter-religioso "A Jihad de Jesus"
A igreja anglicana de Blackburn se juntou com islamistas e está promovendo um seminário baseado no livro de um escritor "cristão" australiano intitulado "A Jihad de Jesus: a luta pacífica sagrada em busca da justiça." Eles estão politizando Jesus em prol do islamismo (até onde eu me lembre, não usar o santo nome de Deus em vão é um dos dez mandamentos - exatamente isso que esses "cristãos" estão fazendo.) (lancashiretelegraph).

(dezembro 2017)
Europa: a islamização do Natal
"Uma submissão inaceitável e involuntária ao Islã" (Gatestone)
A reinvenção da teologia do Natal se baseia na falsa premissa de que o Jesus da Bíblia é o Jesus (Isa) do Alcorão. Esta fusão religiosa, por vezes chamada de "Chrislão", está ganhando terreno em um Ocidente ignorante no que diz respeito à Bíblia.
Uma escola em Lüneburg adiou uma festa de Natal porque um estudante muçulmano reclamou que as canções de Natal cantadas na escola eram incompatíveis com o Islã. Alexander Gauland, líder do partido anti-imigração Alternativa para a Alemanha (AfD), ressaltou que a atitude da escola representava "uma submissão inaceitável e involuntária ao Islã" e nada mais era do que uma "covarde injustiça" para as crianças não muçulmanas.
"O termo 'Natal', símbolo da nossa fé e cultura, não discrimina ninguém. A remoção dos símbolos natalinos não garante o respeito de ninguém, não produz uma escola e uma sociedade acolhedora e inclusiva, ao contrário, fomenta a intolerância contra a nossa cultura, nossos costumes, nossas leis e nossas tradições. Temos plena convicção que as nossas tradições devem ser respeitadas". -- Samuele Piscina, político de Milão.
Grã-Bretanha: igreja celebra nascimento do "Profeta Maomé" e de Jesus
Esta celebração conjunta aconteceu na Igreja de Todos os Santos em Kingston-upon-Thyne. Note como este evento está "marcando o aniversário do profeta Maomé", mas não está esperando o aniversário do Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus. Maomé é reconhecido como profeta, enquanto Jesus não obtém sua profecia nem seu sacerdócio; nem o seu reinado nem o papel messiânico. É o exaltado Profeta Maomé, juntamente com um Jesus sem atributos. Isso acontece porque, na cabeça dos cristãos envolvidos em "diálogo inter-religioso",  mencionar a divindade de Jesus iria, naturalmente, alienar muitos muçulmanos (Achibishop Craymer).

Grã-Bretanha: coral muçulmano celebra Alá na Catedral de São Paulo (anglicana) em Londres
Em um culto, com a presença de membros da família real britânica, o coral muçulmano cantou:
Não se desespere e não perca a esperança
Porque Allah está sempre ao seu lado
Querendo Allah, querendo Allah,
Você encontrará o seu caminho
Retorne para Allah
Ele nunca está longe
Coloque sua confiança Nele
Levante suas mãos e ore
Ohhh  Allah
Guie meus passos, por onde eu não devo andar
Você é o único que pode me mostrar o caminho
Me mostre o caminho
Ou seja, na igreja anglicana não é mais Jesus que mostra o caminho, mas sim Alá. (Gospel Prime)

Igreja irá remover bancos para atrair muçulmanos a cultos ecumênicos
“É importante estimular a coesão social e a interação entre muçulmanos e cristãos", afirma responsável pelo templo.
A igreja anglicana St. Thomas Werneth, em Oldham, na Inglaterra, mantém uma escola de educação infantil anexo ao templo. Em um levantamento este ano, descobriu que nenhum dos pais dos seus alunos se declara cristão. A maioria é islâmico e um percentual menor se declara “sem religião (Gospel Prime). 

(novembro 2017)
Papa Francisco exige que mundo resolva a crise dos muçulmanos rohingya
Ele disse isso durante sua viagem a Mianmar e a Bangladesh. (Yahoo)
Eu acho intrigante a retórica forte do Papa Francisco quando o assunto é a defesa dos muçulmanos. Por que ele não adota a mesma retórica em prol dos cristãos?

(set 2017)
Polônia: bispos pedem que 1 milhão de poloneses rezem na fronteira celebrando vitória sobre o islã
Eles conclamam os católicos a rezarem o terço para celebrar a vitória na Batalha de Lepanto, e também para pedir pela salvação do seu país (Breitbart).

(julho 2017)

Como se preparar para um evento "conheça seus vizinhos muçulmanos"
Um artigo que descreve como estes eventos promovidos por mesquitas não passam de propaganda para enganar os trouxas, mostrando uma versão higienizada do islamismo.

Lei Islâmica Sharia e Dez Mandamentos: nada em comum
Artigo de Nonie Darwish explica que o islamismo foi criado 600 anos após o cristianismo não para afirmar a Bíblia, mas para descreditá-la; não para coexistir com o "povo do livro" - cristãos e judeus - mas para substituí-los. (Descurtindo o Islã)

Papa Francisco: "defensor do islamismo"
Ahmed Muhammad al-Tayyib, o Grão-Imã da Universidade Al-Azhar, no Egito, o maior centro islâmico do mundo sunita, agradeceu o Papa Francisco por defender o islamismo contra as acusações de violência e terrorismo." O Papa Francisco torna-se o primeiro papa a ter este reconhecimento. Até onde eu saiba, espera-se que o papa em Roma seja um defensor do cristianismo! (Crux)

PS. Por favor, não usem esta notícia para começar uma briguinha entre protestantes e católicos. Não existe nada mais improdutivo do que protestantes e católicos discutindo sobre diferenças que as pessoas de fora não enxergam. Além do mais, para o islamismo, ambos são kufar (infiéis) e merecem o mesmo tratamento!
Além do mais, o papa não é a única liderança religiosa que está errado com respeito ao islamismo. Existem muitos líderes protestantes e igrejas protestantes que tem feito muito pior. O problema é sério, muito sério.
PS2. Me refiro a todos os protestantes, incusive os evangélicos.

(junho 2017)
"O Islã está Ganhando Força na Europa com a Bênção da Igreja"
Já há inúmeros observadores católicos questionando a cegueira da Igreja em relação ao perigo que a Europa está enfrentando. (Gatestone)

Facebook suspende  temporáriamente sacerdote católico por criticar o Islã
O Facebook temporariamente suspendeu a conta do sacerdote católico Pe. John Higgins. Aqui está o post "ofensivo" (ChurchPop):
A Civilização Ocidental tem estado sob o ataque da ideologia da jihad islâmica desde o século 7. As invasões extremistas e totalitárias têm sido responsáveis pelas mortes de milhões. Isso não é uma "religião da paz",  isso é uma filosofia de conquista. As Cruzadas foram uma tentativa para manter cristãos e judeus em segurança em Israel e em outras partes do Oriente Médio, mas "intelectuais" modernos têm as classificado como horríveis. Os espanhóis expulsaram os jihadistas violentos para fora da Espanha. Os austríacos defenderam Viena deles. Carlos Martelo lutou contra eles no norte da França e agora nós estamos presenciando seus novos esforços de conquista e dominação  do mundo usando tecnologia moderna na sua tentativa insaciável em subjugar qualquer um que não professe e viva a sua crença. Eles abusam de mulheres, matam as pessoas gays, assassinam, e estupram crianças e justificam isso como a "vontade de Alá." Não é! Existem muçulmanos bons e pacíficos. E então existem os islamistas que são defendidos pelos ignorantes que se recusam a aprender história.

(fevereiro 2017)
Grã-Bretanha: Os muçulmanos superam os cristãos em mais de 30 escolas administrada por igrejas
A Igreja Anglicana da Inglaterra estimou que cerca de 20 de suas escolas têm mais alunos muçulmanos do que cristãos, enquanto que, de acordo com o Serviço de Educação Católica, em cerca de 15 escolas católicas o mesmo ocorre. Muitas das escolas parecem estar acomodando as práticas cristãs e muçulmanas. Algumas incorporaram orações islâmicas em seus atos de adoração e permitem que as meninas usem véu como parte do uniforme oficial. A Escola Primária de Todos os Santos, em Bradford, administrada pela igreja anglicana, vende hijabs para seus alunos. Especialistas em educação sugeriram que as escolas sejam transformadas em escolas seculares para evitar que os alunos se confundam. (Breitbart)

Leitura do Alcorão nas igrejas é uma “tendência preocupante”
Católicos e protestantes parecem não conhecer teor do livro sagrado do Islã (Gospelprime)

(janeiro 2017)
Escócia: versos que negam divindade de Cristo lidos em igreja anglicana
Liderança da igreja convidou muçulmana para ler o Alcorão, o que por sí só já é uma traição (Gospel PrimeBBC). Os fiéis que reclamaram estão sendo investigados pela polícia por "discurso de ódio (Christian Today).

Grã-Bretanha: capelão real que criticou a leitura do Alcorão que nega a divindade de Cristo em igreja é forçado a se demitir
O Reverendo Canon Ashenden se demitiu após uma conversa instigada pelo Palácio de Buckingham. (Express)

Italia: arcebispo alerta "seremos todos muçulmanos por causa da nossa idiotice"
Arcebispo Carlo Liberati disse que a decadência moral e religiosa favorece o islão, criticando a igreja por apoiar demais os imigrantes muçulmanos esquecendo dos cristãos. (Gospel PrimeExpress)

Líderes cristãos de várias seitas se manifestaram contra o plano do presidente dos EUA, Donald Trump, de dar preferência às minorias religiosas ao aceitar refugiados
(Sinceramente, é difícil de aceitar isso!)
Entre os que se opõem estão a Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos eo Serviço Mundial de Igrejas multidenominacional.
Embora claramente motivados por um admirável senso de igualdade, suas objeções não fazem sentido à luz da realidade enfrentada pelos cristãos em todo o Oriente Médio, mas na Síria e no Iraque em particular.
Em março de 2016, o Departamento de Estado dos Estados Unidos declarou que os ataques do ISIS contra os cristãos constituem genocídio. Não houve qualquer mudança para alterar essa classificação e os valores de direitos humanos concordam que as populações cristã e yazidi, em particular, estão em maior nível de risco por causa da perseguição contra eles devido à sua fé.
Dos refugiados admitidos oriundos da Síria em 2016, 99% eram muçulmanos e apenas 1% eram cristãos.

(novembro 2016)
Austrália: pastor evangélico abre a sua igreja para as orações islâmicas da sexta-feira
O pastor Peter Humphris, traidor, ainda tem a audácia de dizer que "Maomé abrigou cristãos na primeira mesquita em Medina, Arábia Saudita no século VII." Idiota. Onde você leu isso? Você foi enganado pelo imã! Maomé nunca abrigou cristãos, muito pelo contrário, ele mandou expulsar todos os cristãos e judeus da Arábia. (Noticia Gospel)

(setembro 2016)
EUA: Resistência! Cardeal afirma que cristãos e muçulmanos não adoram o mesmo Deus
Cardeal americano Raymond Burque, ex-diretor da Suprema Corte do Vaticano, abre o verbo e diz claramente que cristãos e muçulmanos não adoram o mesmo Deus, pois Alá é um governante, a Sharia é a lei deles, e eles acreditam que a Sharia deve governar todos os homens.  O Cardeal disse que a Sharia não fundamentada no amor, e que dizer que todos nós cremos no amor não é incorreto. O Cardeal afimar que existem diferenças na abordagem relativas ao proselitismo e, notadamente, o conceito de Jihad. Ele concluiu dizendo que o mais importante para nós hoje é compreender o islão a partir dos seus próprios documentos e não projetar os nossos valores sobre eles. (NCRegister)

Declarações do Papa no seu retorno da Polônia
Eu estou intrigado com o Papa Francisco, que continua oferecendo folhas de oliveira para o Islão. Ele fez isso, novamente, durante entrevista no avião retornando da Polônia, onde ele se reuniu com 2,5 milhões de jovens católicos durante o Encontro Mundial da Juventude. Neste evento, o Papa também disse que não irá estar presente no próximo Encontro Mundial da Juventude daqui a dois anos, no Panamá. O Papa anteriormente havia dito que sua vida seria encurtada. Será que ele sabe algo que nós não sabemos? Os leitores do blog e desta página sabem que eu tenho sido crítico da postura do Papa quanto ao islão, mas o Papa vem, ao longo do seu pontificado, oferecendo folhas de oliveira, tentando construir pontes e derrubar muros, apenas para ver os seus esforços (ingênuos, do meu modo de ver) recusados por parte dos islâmicos. Qual a lição que podemos aprender quando o líder da maior religião do mundo* (o cristianismo) tem seus esforços de paz sistemáticamente rejeitados pelo islamismo?
* Desculpe se algum protestante não gostar desta afirmação, mas o fato é que o único lider do cristianismo cuja voz tem alcance mundial é o Papa. Eu espero que vocês compreendam o contexto deste texto.
"A ideia de conquista é inerente à alma do Islã, é verdade" 
(Papa Francisco, em entrevista ao jornal francês "La Croix")

Suécia: igrejas rumo ao Crislão
"Os sacerdotes têm medo de falar sobre Jesus durante a missa." — Eva Hamberg, episcopisa e professora, que renunciou ao sacerdócio em sinal de protesto e deixou a Igreja.
"A Igreja da Suécia pode estar caminhando para o Crislão" -- uma mistura do cristianismo com o Islã. Os sacerdotes suecos, ao observarem o fervor religioso dos muçulmanos que vivem na Suécia,  agora tomam parte, entusiasmados, de diversos programas de confraternização entre as religiões.
"O envolvimento que a Igreja da Suécia demonstrou em relação à vulnerabilidade dos cristãos palestinos, foi substituído pela indiferença para com a limpeza étnica dos cristãos da Síria e do Iraque. Naqueles países, as atrocidades são cometidas na maioria das vezes pelos muçulmanos, sendo evidentemente o bastante para que a Igreja da Suécia se debruce sobre questões ambientais e climáticas." — Eli Göndör, estudioso da religião." (Gatestone)

No subúrbio de Fisksätra, em Estocolmo, onde predominam os imigrantes, a Igreja da Suécia começou a arrecadar fundos com o objetivo de construir uma mesquita."

Itália: católicos devem rezar em silêncio para não incomodar os refugiados muçulmanos
Os católicos da igreja de Santo Antônio, em Ventimiglia, ficaram surpresos quando funcionários da Cáritas disseram que eles não poderia rezar o terço, apenas rezar em silêncio, por uma questão de respeito aos refugiados que estão alojados na igreja. Um grupo de católicos pediu ao padre para que os refugiados fossem levados para uma outra igreja. A resposta do padre foi conduzir este grupo para uma outra igreja. (Breitbart)

Alemanha: igreja celebra jihadista em "enterro multi-religioso"
Uma igreja cristã na Alemanha realizou uma cerimônia de funeral pela morte de um imigrante adolescente que foi morto lutando pelo ISIS depois de se tornar um muçulmano e fugir para a Síria. A idéia foi do pastor da igreja protestante de St. Paulii, em Hamburgo. (Mail)

Grã-Bretanha: Aliança Evangélica exorta os cristãos a se aproximar dos muçulmanos
Programa “Visite minha mesquita” ocorre neste final de semana. O “Visite Minha Mesquita” é promovido pelo Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha. (Gospel Prime).

Aliança perigosa: ANAJURE faz parceria com grupos islâmicos
Em 30 de outubro de 2015, a ANAJURE (Associação Nacional de Juristas Evangélicos) estabeleceu parceria com FAMBRAS (Federação das Associações Muçulmanas no Brasil) em defesa da liberdade religiosa no Brasil, como se grupos muçulmanos conseguissem contribuir para a promoção da liberdade religiosa. (Julio Severo)

Canadá: alguns bravos protestam contra o islamismo
Isso aconteceu em Toronto. Um punhado de cristãos, alguns ex-muçulmanos, fizeram um protesto próximo ao prédio onde ocorria a convenção Revivando o Espírito Islâmico. Uma palestina ex-muçulmana convertida para o cristianismo, expôs, em árabe com tradução para o inglês, argumentou que o Alcorão é um livro discricionário, satânico, cheio de ódio contra os judeus, e que ensina os muçulmanos a amar a morte e matar os infiéis. Ela citou o "hadice do ódio" que diz que o Dia do Juízo não virá até que os muçulmanos exterminem os judeus. Ela indicou a fonte do problema como sendo o próprio Alcorão, dizendo que quem o ler ou o rejeita ou se torna um terrorista. Ela disse a verdade afirmando que Maomé foi um "mentiroso" e um "falso profeta". Um número de participantes na convenção aproximaram-se dos manifestantes cristãos, os ofendendo, acusando-os de discurso de ódio e desejando a mulher a ser queimada no fogo do inferno antes de deixar o local. A polícia foi chamada a intervir, permitindo que os dois grupos conversassem (fonte). Nunca tenha medo de falar a verdade.

Bispo de Pádua, Itália, se curva para o Islão
"Eu estou pronto para voltar atrás tanto quanto puder em nossas tradições cristãs para termos paz". O bispo concordou a anular a montagem do presépio para ter em troca da paz e a amizade dos islâmicos. Ou seja, ele aceita o seu status de cidadão de terceira-classe e obedece a Sharia, que proíbe a exibição de símbolos religiosos de outras religiões. (fonte)

Igreja luterana na Alemanha critica evangelização de muçulmanos
Documento recebe críticas por afirmar que evangelização `ameaça a paz social´.
O artigo diz "Os luteranos são a maioria na Alemanha e conhecidos pela sua liberalidade teológica. Perto de completar meio milênio, os ideais lançados por Lutero mostram constantes sinais de enfraquecimento no solo onde nasceu." (fonte)

Alemanha: igreja retira altar e cruzes para poder abrigar muçulmanos
O pastor da igreja protestante de Oberhausen não quer ofender os muçulmanos. E para fazê-los sentir bem-vindos ele destrói antecipamente o que é seu. Este pastor é um dhimmi, ele sabe o seu lugar de cidadão de terceira classe segundo a lei islâmica (Express).