terça-feira, 2 de junho de 2015

Obrigação de destruir "ídolos": a Jihad islâmica contra a Arte e a História da Humanidade (Islam Q&A)


A única maneira de se aprender sobre o islamismo é ouvindo ou lendo aquilo que os imãs muçulmanos dizem ou ensinam aos muçulmanos, pois o que eles dizem para os káfirs (não muçulmanos) é geralmente uma versão higienizada e mentirosa do islão, usada com intenção de angariar simpatias (ou talvez novos adeptos) bem como a de facilitar a penetração da Sharia na sociedade onde vivem. 
O site Islam Question and Answer traz os motivos que tornam uma obrigação para os muçulmanos destruírem o que seja dos outros (considerado como 'não islâmico'). Vale a pena ler tudo. Mas, resumidamente, esta obrigação vem de ordens da Maomé nos hadices:
"Não deixe qualquer imagem sem que seja desfigurada ou qualquer sepultura construída sem nivelá-la." (Muslim, 969)
"Com o que você foi enviado?" Ele disse: "Eu fui enviado para manter os laços de parentesco, para quebrar os ídolos, e para que apenas Alá seja adorado, sem parceiro ou associado." (Muslim, 832)
E isso sem contar que Maomé, ao entrar vitorioso em Meca após forçar os seus residentes à rendição, destruiu todas as estátuas e pedras que representavam outras religiões da Arábia, ou seja, mostrou claramente toda a sua intolerância.
O texto abaixo diz, dentre outras coisas que "é prescrito que se removam as coisas que podem seduzir ou confundir as pessoas, quer sejam edifícios, pessoas, animais ou objetos inanimados." O texto diz ainda que "no tocante à desculpa de que essas estátuas são parte do legado da humanidade, não deve ser dada atenção a essas palavras. Este é um legado, mas é um legado haram [proibido] que deve ser extirpado." 
O texto ainda diz que as pirâmides do Egito e a Esfinge só não foram destruídas quando da invasão islâmica porque elas estavam encobertas com areia, e não havia tecnologia suficiente na época para destruí-las de modo eficiente mais tarde.  
Artigos relacionados: Jahiliyya: ignorância pré-islâmica, e o ódio islâmico às artes, religiões e culturas dos outros - ExemplosPalmira: a jihad islâmica contra a história da humanidade. (a serem publicados nos próximos dias)

20894: Obrigação de destruir ídolos

[Pergunta]

É obrigatório a destruição de estátuas no Islã, mesmo se elas sejam parte do legado da civilização humana? Por que é que quando os Sahaabah [companheiros de Maomé] conquistaram outras terras e viram estátuas eles não as destruiram?

[Resposta]

Louvado seja Alá.

A evidência da Sharia indica que é obrigatório destruir ídolos, por exemplo [hadices de Muslim]:

1 - Muslim (969) narrou que Abu'l-Hayaaj al-Asadi disse: 'Ali ibn Abi Taalib disse-me: "Não hei de enviar-lhe com as mesmas instruções que o Mensageiro de Alá (que a paz e as bênçãos de Alá estejam com ele) me enviou? "Não deixe qualquer imagem sem desfigurar ou qualquer sepultura construída sem nivelá-la.'"

2 - Muslim (832) narrou a partir de 'Urwah ibn' Abasah que ele disse ao Profeta (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele): Ele disse: "Eu fui enviado para manter os laços de parentesco, para quebrar os ídolos, e para que apenas Alá seja adorado, sem parceiro ou associado."

A obrigação de destruí-los é ainda mais forte se eles são adorados em vez de Alá.

3 - al-Bukhari (3020) e Muslim (2476) narraram que Jareer ibn 'Abd Allah-al-Bajali disse: O Mensageiro de Alá (paz e bênçãos de Alá estejam sobre ele) disse-me: "O Jareer, você não me livra de Dhu'l-Khalsah? "Essa foi uma casa (no Iêmen) pertencente à (tribo de) Khath'am, que foi chamado Ka'bat al-Yamaaniyyah. Parti com cento e cinquenta cavaleiros. Eu não costumava sentar firme em cavalos e eu mencionei ao Mensageiro de Alá (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele). Ele me bateu no meu peito com a mão e disse: "Ó Alá! Faça-o firme e faça-o aquele que guia os outros e é guiado no caminho certo." "Então Jareer foi e queimou isso com fogo, em seguida, Jareer enviou um homem chamado Abu Artaat ao Mensageiro de Alá (paz e bênçãos de Alá estejam sobre ele). Ele disse:" Eu não vim para você até que nós tivéssemos deixado tudo tal como um camelo sarnento. "Então o Mensageiro de Alá (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele), abençoou os cavalos da (tribo de) Ahmas e os seus homens cinco vezes.

Al-Haafiz Ibn Hajar disse:

Este hadice indica que é prescrito que se removam as coisas que podem seduzir ou confundir as pessoas, quer sejam edifícios, pessoas, animais ou objetos inanimados. [o grifo é nosso]

4 - O Profeta (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele) enviou Khaalid ibn al-Waleed (que Alá esteja satisfeito com ele) em uma campanha para destruir a Al-'Uzza.

5 - e ele enviou Sad ibn Zayd al-Ashhali (que Alá esteja satisfeito com ele) em uma campanha para destruir Manaat.

6 - E enviou 'Amr ibn al-'Aas (que Alá esteja satisfeito com ele) em uma campanha para destruir Suwaa'. Tudo isso aconteceu depois da conquista de Meca.

Al-Bidaayah wa'l-Nihaayah, 4/712. 776. 5/83; al-Seerah al-Nabawiyyah pelo Dr. Ali al-Salaabi, 2/1186.

Al-Nawawi disse em Sharh Muslim quando se discute a questão da tomada de imagem:

Eles concordaram por unanimidade que  tudo o que lançar uma sombra não permitida deve ser mudado.

Imagens que lançam uma sombra são imagens tridimensionais como estas estátuas.

Com relação ao que é dito sobre os Sahaabah [companheiros de Maomé] (que Alá esteja satisfeito com eles) não terem destruído ídolos nas terras conquistadas, isto é apenas conjectura. Os companheiros do Profeta (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele) não teriam deixado ídolos e estátuas sozinhos, especialmente desde que eles fossem adorados naquele momento.

Se for perguntado, como é que os Sahaabah [companheiros de Maomé] deixaram em paz os antigos ídolos dos faraós e fenícios? A resposta é que esses ídolos cairam em uma das três categorias:

1 - Estes ídolos podem ter estado em lugares remotos que os Sahaabah não alcançaram; quando os Sahaabah conquistaram o Egito, por exemplo, isso não significa que eles chegaram a todas as partes da terra.

2 - Esses ídolos podem não ter sido visíveis, ao contrário, eles podem ter estado dentro de prédios faraônicos, etc. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Alá esteja sobre ele) disse-nos apressar para atravessar as moradas dos malfeitores e aqueles que tinham sido punidos, e ele proibiu de entrar em tais lugares. Em al-Saheehayn é dito: "Não entre sobre aqueles que foram punidos, a menos que você esteja chorando, para que não suceda-lhe algo como aquilo que lhes sucederá." Ele (paz e bênçãos de Alá estejam sobre ele) disse que, quando ele passou por ashaab al-Hijr [os habitantes do trato rochoso - ver al-Hijr 15:80], na terra de Samud, o povo de Saalih (que a paz esteja com ele).

De acordo com outro relatório narrado em al-Saheehayn, "Se você não está chorando, então não entre em cima deles, para que não suceda-lhe algo como aquilo que lhes acontecer."

O que nós pensamos é que, se os companheiros do Profeta (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele) viram um templo ou edifício pertencente dessas pessoas, eles não entraram nem mesmo olharam para o que estava dentro dele.

Isto irá dissipar qualquer confusão sobre o porquê os Sahaabah não viram as pirâmides ou o que está dentro delas. Há também a possibilidade de que as suas portas de entradas estavam cobertas com areia naquele momento.

3 - Muitos desses ídolos que são visíveis hoje em dia foram cobertos e escondidos, e só foram descobertos recentemente, ou eles foram trazidos de lugares remotos que os companheiros do Profeta (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele) não atingiram.

Al-Zarkali foi questionado sobre as Pirâmides e a Esfinge, etc: Será que os Sahaabah que entraram no Egito não as viram?

Ele disse: Elas estavam principalmente cobertas com areia, especialmente a Esfinge.

Shibh Jazeerat al-'Arab, 4/1188

Então, mesmo se assumirmos que havia uma estátua que era visível e não escondida, então ainda temos que provar que os Sahaabah a viu e foram capazes de destruí-la.

O fato é que os Sahaabah [companheiros de Maomé] (que Alá esteja satisfeito com eles) não teriam sido capazes de destruir algumas dessas estátuas. Levou-se 20 dias para destruir algumas dessas estátuas, mesmo com ferramentas, equipamentos e explosivos, etc. que não estavam disponíveis para os Sahaabah de modo algum.

Isto é indicado pelo que Ibn Khuldoon disse em al-Muqaddimah (p. 383), que o califa al-Rasheed era incapaz de destruir a plataforma de Chosroes [rei sassânida da Pérsia]. Ele começou a fazer isso, e ele reuniu homens e ferramentas, e queimou-a com fogo, e derramou vinagre sobre ela, mas ele foi incapaz de destruir. E o califa al-Ma'moon queria destruir as pirâmides do Egito, e reuniu trabalhadores para isso, mas ele não foi capaz de fazê-lo.

No tocante à desculpa de que essas estátuas são parte do legado da humanidade, não deve ser dada atenção a essas palavras. Al-Laat, al-'Uzaa, Hubal, Manaat e outros ídolos eram também um legado para aqueles que os adoraram entre os Coraixitas e os árabes.

Este é um legado, mas é um legado haram [proibido] que deve ser extirpado. Quando o comando vem de Alá e Seu Mensageiro, em seguida, o crente deve apressar a obedecer, e o comando de Alá e do Seu Mensageiro não pode ser rejeitado com o fundamento desta desculpa esfarrapada. Alá diz (interpretação do significado):

"A única resposta dos fiéis crentes, quando eles são chamados a Alá (suas palavras, o Alcorão) e Seu Mensageiro, para julgar entre eles, é que eles digam:" Nós ouvimos e obedecemos." E esses são os que obtém sucesso (aqueles que vão viver para sempre no Paraíso) "

[Al-Noor 24:51]

Pedimos a Alá para ajudar os muçulmanos a fazer o que Ele ama e que Lhe agrada.

E Alá sabe melhor.



Abaixo, uma screen capture da fatwa do Islam Question and Answer.








Nenhum comentário: