quinta-feira, 4 de junho de 2015

Palmira: a Jihad islâmica contra a História da Humanidade



É algo natural se pensar que a destruição dos Budas de Bamyan destruídos pelo Talibã ou a destruição dos sítios e artefatos arqueológicos de Nimrud (com o seu famoso Touro Alado), Hathra, Mosul, Níneve, e agora Palmira, seja algo de "doidos varridos." Na verdade, estes doidos varridos estão fazendo aquilo que o doido-varrido-mor Maomé os ordenou a fazer, ou seja, destruir.

O site Islam Question and Answer traz os motivos que tornam uma obrigação para os muçulmanos destruírem o que é dos outros. Isso vem de ordens da Maomé nos hadices:
"Não deixe qualquer imagem sem que seja desfigurada ou qualquer sepultura construída sem nivelá-la." (Muslim, 969)
"Com o que você foi enviado?" Ele disse: "Eu fui enviado para manter os laços de parentesco, para quebrar os ídolos, e para que Alá seja adorado sozinho, sem parceiro ou associado." (Muslim, 832)
E isso sem contar que Maomé, ao entrar vitorioso em Meca após forçar os seus residentes à rendição, destruiu todas as estátuas e pedras que representavam outras religiões da Arábia, ou seja, mostrou claramente toda a sua intolerância.

Bem, como o Estado Islâmico conquistou Palmira, aguarda-se o pior. Palmira é um destes lugares que parece ter parado no tempo.

Palmira é um Património Mundial da UNESCO, contendo algumas das maiores ruínas romanas do planeta. Fundada há três milênios, este antigo centro urbano romano continua a ser uma maravilha de colunas, arcos, e espaços abertos. Palmira é conhecida como a Pérola do Deserto, sendo que o seu nome significa cidade das Palmas, é um oásis de bem-preservados 200 km a nordeste de Damasco. Seu nome apareceu pela primeira vez inscrito em uma pedra no século 19 a.C. como um ponto de parada para as caravanas que viajavam na Rota da Seda. Mas foi durante o Império Romano, a partir do primeiro século antes de Cristo e com duração mais 400 anos, que Palmira alcançou o seu ápice.

O Estado Islâmico oblitera não apenas seres humanos, mas também os restos arqueológicos de sociedades que eles pretendem refazer.

Abaixo, um vídeo a algumas fotos. Eu achei interessante tê-las pois, possívelmente, Palmira vai se tornar em apenas mais uma lembrança.




Fotos de Palmira






O anfiteatro




Visão geral




O Leão de Palmira (aparentemente, ele já foi destruído)


O Leão de Palmira é uma estátua que representa o Leão de Al-Lat, e ficava situado do lado de fora do Templo de Bel. Esta estátua era dedicada a deusa Al-Lat. Esta deusa, junto com Manat e al-Uzza, chegou a ser reconhecida por Maomé, no episódio conhecido como Versos Satânicos.

Atualização em 23 de junho: dois templos islâmicos foram destruídos
Em um aviso que o islamismo verdadeiro é o salafismo wahabista do Estado Islâmico, e não um inexistente "islamismo moderado", dois templos islâmicos foram destruídos. Eles destruíram um templo que continha a tumba de Mohammed bin Ali, um descendente do sobrinho de Maomé, bem como o templo de Abu Brhadine, uma figura religiosa de Palmira. (ibtimes). Imagina a farra que estes caras vão fazer na Europa, ou em Tiradentes, MG.


Atualização em agosto de 2015: estudioso de 80 anos decapitado por se recusar a revelar a localização de objetos de valor
Semana passada, militantes do ISIS decapitaram Khaled al-Asaad, um renomado estudioso do mundo antigo de 80 anos, e pendurou-o em uma coluna romana nas ruínas de Palmira, na Síria. Al-Asaad não era uma ameaça: ele dedicou sua vida a estudar as antiguidades em Palmyra, um Patrimônio Mundial da UNESCO cheio de tesouros históricos insubstituíveis, como os 2.000 anos de antigos edifícios romanos e magníficas estátuas pré-islâmicas. Quando ISIS conquistou Palmyra em maio, al-Asaad se recusou a fugir, ficando para trás para tentar proteger o local contra ISIS pilhagem. Alegadamente, ele morreu após ISIS tê-lo interrogado, na expectativa dele revelar a localização de alguns dos objetos de valor escondidos de Palmyra. Para um estudioso como al-Asaad, proteger esses segredos é uma causa que vale a pena morrer (fonte, fonte).



Agosto de 2015: Califado Islâmico destroi templo de Baal Shamin 
O mundo acorda mais pobre esta manhã. O islão acrescenta mais um patrimônio cultural dos outros na sua lista de atrocidades contra o mundo civilizado. Eles fazem isso seguindo o exemplo de Maomé, que destruiu todos os símbolos religiosos dos outros após ocupar militarmente Meca. Os valorosos "soldados de Alá" do Estado Islâmico destruíram o templo de Baal Shamin. Esta edificação foi construída no ano 17 d.C. (exatos 1998 anos atrás!) e expandida pelo Imperador Romano Adriano no ano 130 d.C. (fonte)


Outubro de 2015
Estado Islâmico destrói o "Arco do Triunfo" de Palmira (CNN).

Março de 2016
Exército sírio recaptura Palmyra!

O presidente Bashar al-Assad elogiou a recaptura de Palmyra do chamado Estado Islâmico (IS) como uma "conquista importante" na "guerra ao terrorismo".
Fontes militares afirmam que o exército sírio agora tem "controle total" sobre a cidade de Palmyra, devido ao apoio russo. O exército sírio do presidente Bashir al-Assad vinha ganhando terreno durante vários dias, apoiado por ataques aéreos russos.
O presidente russo, Vladimir Putin felicita Assad, disse um porta-voz do Kremlin.
O Kremlin disse que o presidente Assad sabia que a operação Palmyra "teria sido impossível sem o apoio da Rússia" ....
(BBC)

Maio de 2016

Russos comemoram com um concerto no Anfiteatro Romano de Palmira.



Leituras Complementares

Obrigação de destruir "ídolos": a Jihad islâmica contra a Arte e a História da Humanidade (Islam Q&A)


Jahiliyya: ignorância pré-islâmica, e o ódio islâmico às artes, religiões e culturas dos outros - Exemplos


Maomé assassino e intolerante: execuções e destruição de "ídolos" após a ocupação de Meca




Mais sobre Palmira no wikipedia em inglês e um pouco em português.






8 comentários:

Anônimo disse...

Quando Abraão quebrou tudo não era terrorismo né ? Quando Jesus quebrou tudo no templo não era terrorismo tbm . Nem quando o profeta Maomé quebrou todas as estátuas da Caaba ? Palmira vai se tornar pó pq é esse o certo a se fazer .

José Atento disse...

Abrahão é ficção. Jesus expulsou os vendilhões do templo, não quebrou nada. Maomé mostrou a sua intolerância ao quebrar os 300 artefatos religiosos dos outros. Sim, isso foi um ato de intolerância. E ela ainda mandou os muçulmanos fazerem isso. A sua afirmação que "Palmira vai se tornar pó pq é esse o certo a se fazer" apenas confirma o que eu escreví.

Apenas psicopatas podem afirmar isso.

Anônimo disse...

Tem objetos de idolatria lá querendo ou não . Idolatria é proibida a todos , cristões , judeus e muçulmanos . Seria dever de todos quebrar AS IMAGENS , não as construções ou a história da humanidade, apenas as imagens . Se estivessem fazendo isso , teriam o apoio de todos os outros muçulmanos . Mas muitos assim como eu , reprovam o que esses idiotas fazem e distorcem uma filosofia tão bela quanto o Islam

José Atento disse...

Anônimo. Você é um psicopata igualzinho ao Maomé. Você não respeita nada dos outros.

Agora, imagina a festa que você e os jihadistas que pensam como você vão fazer na Europa, destruindo toda a arte que lá existe.

Anônimo disse...

José Atento , qual é o propósito da criação do homem ? ADORAR A DEUS ! , não adorar coisas , quadros , idolos , "celebridades" . Apenas UM Deus e nada mais ... Eu odeio a violência mas neste caso é uma ordem direta de Deus , por mais que os homens não entendam . Deus ficou bem tranquilo e mandou carinhos e ursinhos carinhosos cair do céu no Egito ? Foram PRAGAS , pessoas MORRERAM , incluindo os primogênitos do Egito pq ? PQ ELES IDOLATRAVAM DEUSES . Por mais que a gente não entenda certas coisas , quem somos nós para questionar a Deus ? Não sou um psicopata ou delinquente como aqueles em TODAS as áreas e religiões que se aproveitam das vantagens para fazer o mal . Sou uma pessoa que trabalha , paga seus impostos , ajuda as pessoas sempre que possível e vivo minha vida.

José Atento disse...

Eu adoro quando vocês expõem todo o vosso ódio e intolerância. Obrigado.

E ainda mais interessante quando vocês tentam justificar os crimes do islão envolvendo outros que não tem nada a ver com a história.

Teria sido tão bom se Maomé tivesse mostrado tolerância e não tivesse quebrado os símbolos religiosos dos outros. Mas não, ele quebrou tudo e impôs o seu modo de pensar. Uma pena. O islão é monocultural e intolerante até o talo.

Anônimo disse...

Porque ao contrario de alguns muçulmanos que querem brincar de ser deuses.
Judeus e cristaos respeitamos algo que o criador deu a cada ser humano chamado livre arbitrio. Sabe o que e isso?
E cabe a cada individuo respeitar isso. Se pagaos acreditam ou deixam de acreditar em outros deuses. Isso seria com eles. Se fosse certo ou errado. A salvaçao e individual, a salvaçao é feita por escolha e nao por imposiçao.
Se fosse assim o criador nao nos daria a liberdade de escolha.

Anônimo disse...

Como vc mesmo afirmou.
O criador enviou as pragas. Os primogenitos foram mortos.
Em momento algum o criador disse para moises ir jogar as pragas no palacio do farao. Nem tampouco mandou moises ir na calada da noite e matar os primogenitos.
Mais uma coisa as pragas foram lançadas, nao foi pela idolatria, mas sim porque o farao se negou a libertar o povo hebreu.