sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Padre do rito Siríaco Católico, de Belo Horizonte, ajuda cristãos da Síria no Brasil



Eu sou 100% a favor de ajudar refugiados cristãos do Oriente Médio ou de outras partes do mundo, inclusive trazendo-os para cá. A nossa civilização brasileira ("tupiniquim") tem alicerces cristãos e refugiados cristãos tem mais facilidade para se integrar a ela. O mesmo não pode ser dito sobre refugiados muçulmanos que, em se mantendo muçulmanos, vão reinvindicar a implementação lei islâmica onde vivem (isso sem falar no risco de ter membros do Estado Islâmico ou algum outro grupo jihadista metido no meio dos refugiados). 

Se for para dar o nosso quinhão para a questão dos refugiados dentro do concerto das nações, que sejam refugiados cristãos.

Agora, vem algo que eu desconhecia. O Padre George Massis, pároco da Igreja Sagrado Coração de Jesus, no bairro Santa Efigênia, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, organizou o acolhimento de mais de 70 jovens sírios que fugiram da guerra civil. Este padre, do rito Siríaco Católico, é natural de Homs, a cidade onde começou guerra civil na Síria. Ele se tornou referência para os refugiados sírios em Belo Horizonte. O texto abaixo é do G1
George Rateb Massis organiza o acolhimento de 77 conterrâneos, a maior parte deles jovens de 21 a 34 anos que fugiram do conflito na terra natal. E o número cresce aos poucos dia a dia.
Com ajuda da Arquidiocese de Belo Horizonte e de doações - sobretudo da comunidade síria em BH, estimada em até 75 mil pessoas -, Massis coordena uma casa matriz onde os imigrantes são recebidos.
A maioria dos refugiados sírios em BH são cristãos - grupo que representa apenas 10% da população do país de maioria muçulmana. Muitos vêm de famílias de classe média e possuem educação superior, e deixaram o país para evitar se envolver no conflito.
Padre George diz não ter restrições a ninguém - lembra que chegou a receber um muçulmano que acabou não se adaptando e voltou, e que é natural que a comunidade cristã recorra a ele como uma referência no Brasil: "Temos (cristãos e muçulmanos) uma longa história de vida juntos (na Síria)."
Segundo o Conare (Comitê Nacional para os Refugiados), do Ministério da Justiça, 2.077 sírios receberam asilo do governo brasileiro de 2011 até agosto deste ano. É a nacionalidade com mais refugiados reconhecidos no Brasil, à frente da angolana e da congolesa. 
Contudo, reportagem do The Economist desta semana diz que, apenas em 2014, o Brasil acolheu 1.700 refugiados sírios.

 Padre George Massis ao lado de refugiados sírios na Igreja Sagrado Coração de Jesus, em Belo Horizonte; religioso se tornou referência para conterrâneos em fuga da guerra  (Foto: Arquivo Pessoal)
Padre George Massis ao lado de refugiados sírios na Igreja Sagrado Coração de Jesus, em Belo Horizonte; religioso se tornou referência para conterrâneos em fuga da guerra (Foto: Arquivo Pessoal)

Este esforço está dentro da Campanha Juntos pela Síria, da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Eu acho que esta é uma iniciativa que vale a pena apoiar. Se você tem a consciência em ajudar o próximo, sendo um próximo que quer a sua ajuda sem querer te impor nada mais tarde, eis a sua oportunidade. 

O link da Campanha Juntos pela Síria tem mais detalhes sobre como ajudar. 





Nenhum comentário: