sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Interessante, o próprio Alcorão infere que Jesus é Deus


Eu procuro me ater ao islamismo como a ideologia política poderosa que é. A religião islâmica é apenas uma forma de enjaular os seus adeptos de modo a se tornarem propagadores da ideologia, prontos para mentir e para matar por ela. Mas como eles usam da religião para enganar e atrair novos adeptos, é preciso ficar ciente de como rebater os argumentos.

Um dos truques usado ardilosamente pelos muçulmanos, para criar confusão e enganar os cristãos e os não-cristãos, fazendo-os baixar a guarda, é dizer que em momento algum Jesus diz ser Deus. Na verdade, Jesus diz ser Deus várias vezes nos Evangelhos. O mais interessante é que o próprio Alcorão indica que Jesus é Deus ao definir sinônimos para Alá que Jesus havia usado para sí mesmo.
Por isso, da próxima vez que algum muçulmano ou apologista disser que Jesus nunca disse ser Deus, você vai pode dizer que ele não só disse isso no Evangelho, como o próprio Alcorão também afirma isso! E você pode explicar isso, independente de você ser cristão ou não.

Prepare para o embate! Lembre-se que não é o caso de se defender uma religião (neste caso, o cristianismo) mas sim o de defender a liberdade frente à submissão ... ou seja, defender a sua civilização. 
Muçulmanos frequentemente perguntam os cristãos para mostrar onde nos Evangelhos Jesus diz ser Deus? Na verdade, Jesus diz ser Deus várias vezes. Mas o interessante, é que o próprio Alcorão diz isso, através dos nomes de Alá.

Os nomes de Alá. Alá tem 99 nomes, e todos são iguais em importância. Alá é apenas um deles. Muçulmano algum pode negar estes 99 nomes, pois se ele assim o fizer, ele está negando o próprio Alá. De um ponto-de-vista islâmico, ninguém pode se apoderar de algum destes nomes, referindo-se a sí próprio ou a outra pessoa. São nomes apenas de Alá. Então, se Jesus adotar algum destes nomes, ele está dizendo diretamente para os muçulmanos "Eu sou seu Deus."

Um dos nomes do Deus do islão é Al Haq, que significa A Verdade. Jesus disse "Eu sou o Caminho, A Verdade, e a Vida" (João, 14:6). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Haq, A Verdade? Jesus diz ser Al Haq.

Um dos nomes do Deus do islão é Al Baeth, A Ressureição. "E Jesus disse para ela: Eu Sou a Ressureição e a Vida. Aquele que crê em mim, embora ele possa morrer, viverá eternamente" (João 11:25). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Baeth, A Ressureição? E Jesus diz ser Al Baeth.

Um dos nomes do Deus do islão é Al Awal e Al Akher, O Primeiro e O Último. Na Bíblia, Deus diz ser o Primeiro e o Último (Isaías, 41:4). E, Jesus disse no Livro do Apocalipse "Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim" (Apocalipse 22:13-16). Jesus usa os dois nomes de uma única vez. Jesus é o Awal e o Akher, o Primeiro e o Último. Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Awal e Akher, o Primeiro e o Último? E Jesus diz ser Awal e Akher.

Um dos nomes do Deus do islão é Rei dos reis, Al Malek. "Eles irão fazer guerra contra o Cordeiro, mas o Cordeiro irá os sobrepujar porque ele é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis" (Apocalipse 17:14). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Malek, Rei dos reis? E Jesus diz ser Al Malek.

Um dos nomes do Deus do islão é o Guia, al Hadi. "Jesus disse: eu sou a porta, se alguém entra através de mim, ele será salvo e encontrará pastagens" (João 10:9). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Hadi, o Guia? E Jesus diz ser Al Hadi.

Um dos nomes do Deus do islão é al Nur, a Luz. Jesus disse "Eu sou a Luz do mundo" (João 8:12). Em outra parte, Jesus disse "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida (João 8:12). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Nur, a Luz? E Jesus diz ser Al Nur.

Depois do exposto, algum muçulmano pode negar que Jesus afirma ser Deus?

É claro que sim, por exemplo, um muçulmano pode dizer que o Alcorão é mais antigo que a Bíblia e que os cristãos copiaram isso tudo ... mas é claro que isso não faz sentido, pois o Alcorão foi montado no século VIII, muito depois do Novo Testamento ter sido escrito.

Algum muçulmano irá certamente dizer que a Bíblia foi corrompida, mas sem oferecer nenhuma evidência histórica disso.

Você pode achar este outro artigo interessante: Muçulmanos e cristãos não adoram o mesmo Deus.

saved


7 comentários:

Rafael Maron disse...

Esse argumento é falacioso por duas razões. 1 - Ele precisa de informações bíblicas para corroborar a informação corânica, só que os muçulmanos seguem tão somente o corão, e não a bíblia. Por isso o argumento utilizado não é válido para convencer os muçulmanos. 2 - Está ERRADA a informação de que ninguém pode ser nomeado com os atributos de Allah, até mesmo porque muitos desses atributos estão presentes em nós, seres humanos. No mundo muçulmano existem milhares de pessoas chamadas de Malik, Rashid, Karim, dentre vários outros. Todos esses são atributos de Allah, mas não há nada nas regras islâmicas que proíbam pessoas de terem esses nomes.

José Atento disse...

Os seus argumentos estão errados.
1. É um erro querer interpretar o Alcorão à luz da Bíblia ou vice-versa. São dois livros totalmente contraditórios. Aliás, em termos históricos, o Alcorão está cheio de erros por distorcer as narrativas bíblicas, um livro muito mais antigo.
2. Ter nome é uma coisa. Assumir o atributo é outra totalmente diferente. O nome mais comum é Muhammad, mas nenhum deles se diz ser o próprio. Do mesmo modo, os demais nomes: ninguém que os possui diz possuir os atributos.

Cordialmente

José

Anônimo disse...

Bravissimo!!!!!!

Anônimo disse...

Blasfêmia pra lá, blasfêmia pra cá...

Nomear um HOMEM qualquer - Mortal, falho, pecador, cheio de erros, DE MOHAMMED, não seria também uma blasfêmia? - Já que o nome do Profeta estaria sendo invocado e citado sobre todos os erros e crimes de um homem qualquer ?

Agora, olha para Brasil, e me mostre quantas pessoas se chamam "Jesus" ?
Esporadicamente você encontra, mas é muito raro.

Estranhamente, a maioria dos muçulmanos se chama Mohammed. Para mim, todos eles estão BLASFEMANDO CONTRA O PROFETA por terem cometido esse erro.

Isso apenas demonstra "o quão subjetivo é" o conceito de blasfêmia.

Daqui a pouco, se um clérigo "acha" que tal coisa é blasfêmia, e outro clérigo "acha" que a mesma coisa não é blasfêmia, então teremos uma facção atacando a outra, o que necessitará de uma reposta à altura, e teremos um conflito, baseado no ACHISMO de duas pessoas.

Se vamos matar pessoas baseadas em conceitos subjetivos, não vai sobrar ninguém na face da Terra.

Cleiton Serafim disse...

Jose atento, obrigado por este blog! Se vc tem algum custo para mante lo, gostaria de poder contribuir, pois este blog é muito util e importante para mim.

José Atento disse...

Grato, Cleiton. Eu faço isso gratuitamente. Minha pequena contribuição em prol da liberdade no mundo.

Alessandro santos disse...

Vdd se fosse tao importante proibiriam esse nome de ser usado por la kkk .ninguem ta interesado emnsaber se esse corão e verdadeiro, a bilia e muito mais antiga e continua atual alem de ter a hiatoria que prova sua veracidade ja o corão ninguém esteve la para testemunhar nada as pessoas se apegam mesmo na maldade que ele ensina e na carnalidade que aguça o ser humano em geral so por isso,espiritualidade mesmo so a biblia tem!!!