segunda-feira, 18 de abril de 2016

Manifestação dos alunos da Mackenzie e a manipulação da notícia (aviso para a Esquerda: o islão odeia todos nós)



O Brasil de hoje está polarizado, algo que não é bom. Muitas pessoas têm investido em separar ao invés de unir, usando todo o tipo de argumento. E isso vai além da dicotomia "Direita vs Esquerda" que herdamos da Revolução Francesa, e que no fim só serve para desunir e confundir, já que a Esquerda de um pode ser a Direita do outro, quanto mais alguém se aproxima de um dos extremos. E também, nem sempre o modo que nós nos vemos é o modo como os outros nos vêm.


Este artigo não versa sobre sobre impeachment ou golpe (dependendo de onde você veja o problema) e nem sobre quem está roubando quem. O artigo versa sobre o cuidado que se deve ter ao disseminar a notícia, claro, partindo do pressuposto que o objetivo não seja distorce-la visando propaganda. O artigo também versa sobre o islão, que é uma ideologia contrária a qualquer ideal político, seja de Direita ou de Esquerda.

Dias atrás, os alunos da Universidade Mackenzie fizeram uma manifestação contra a corrupção e pelo impeachment da presidente Dilma. Uma pessoa, uma senhora, em uma ação independente. Pegou um cartaz dizendo "Não Islamização do Brasil - Fechar Fronteiras." Ela se juntou aos manifestantes. Muitos alunos da Mackenzie reclamaram do cartaz, achando que aquele não era o tema da manifestação.

Vejam bem. Este foi um cartaz no meio de centenas de outros.


Mas, alguns órgãos da imprensa alternativa não viram deste modo. O Pragmatismo Político, a Revista Forum, os Jornalistas Livres e a Catraca Livre apenas viram este cartaz e se perderam nas suas manchetes. Eles ampliaram o ocorrido, mas, pior, tentando mostrar o teor do cartaz como algo ruim.
Pragmatismo Político:
Revista Forum: 

Jornalistas Livres: 
Catraca Livre: 


Pessoal, olha só. Usar palavreado como "neonazistas", "cultura de ódio", "xenofobia", é conversinha de garotinho da terceira série primária para intimidar os menininhos da segunda série.

Amigos, o problema é sério! Querer esconder um problema com gritinhos estéricos de "islamofobia" não resolve. O islamismo é uma ideologia político-religiosa totalmente contraditória aos ideais de Esquerda. Abram o olho. Como é mesmo a atividade sindical na Arábia Saudita ou no Irã? Como é mesmo o tratamento das mulheres segundo a lei islâmica Sharia?  E os ateus? E os gays? Vejam o vídeo de como a Sharia manda tratar os gays.


O islamismo não é um problema da Direita ou da Esquerda. Ele é um problema para ambas, pois todo o espectro político e econômico desaparece sob a Sharia.

Olha só. Aproveita os artigos do meu blog para vocês expandirem a visão. Sugestão inicial:
Livro: Lei Islâmica Sharia para os não muçulmanos
Livro: A História de Maomé 
Ou seja, parafraseando a Luciana Genro, "vai estudar."




https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/em-ato-contra-corrupcao-manifestante-pede-fim-da-islamizacao-no-brasil/

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/03/alunos-do-mackenzie-imitam-neonazistas-europeus-em-ato-pro-impeachment.html













4 comentários:

SILVIO MARN disse...

Ok.Agora explica o paradoxo da relação da esquerda mundial com os jihadistas. Dicas - tem a ver com geo-politica. lula e dilma doaram milhões ao hamas.

Manelwar disse...

A ABIN confirmou as ameaças do Estado Islâmico ao Brasil. Essas Olimpíadas vão pegar fogo, literalmente.. http://br.blastingnews.com/mundo/2016/04/possiveis-alvos-do-estado-islamico-no-brasil-ja-avaliados-00883591.html

Mib disse...

Eu ainda fico impressionado com o fanatismo desse pessoal. Será que eles não entendem que proteger o islam e abrir o país para sua expansão é dar o passo inicial para a nossa destruição?

Os muçulmanos nos odeiam, e querem nossas riquezas, nossa liberdade e por fim nossas vidas.

Anônimo disse...

Falando em manipulação, hoje é que eu vi porque tanta mulher está se convertendo a essa religião misógina. Muitos sites islâmicos dizem que o islam dignifica a mulher, uns citam a misoginia de outras religiões e que no islamusmo isso não existe, falam só das partes "lights" do alcorão sobre as mulheres... Mas não falam do direito que o alcorão dá aos maridos de bater nas mulheres e de que todos devem guardar a castidade, menos com as esposas e as cativas. Além de permitir a agressão física, também permite o estupro, né? (Me corrija se minha dedução estiver errada) Se o marido quiser ter relações e ela não quiser, então estará desobedecendo e merecerá apanhar. E tem a parte das cativas...!