domingo, 30 de outubro de 2016

Calais, França: invasão islâmica, terror, e inércia das autoridades


José Atento

A "Selva de Calais" está (aparentemente) sendo destruída (e outras "selvas" surgindo ao redor da França). Mas, o que é a Selva de Calais e o que ela representa?

A "Selva de Calais" é o nome dado para um acampamento de refugiados, cujo objetivo é o de cruzar o Canal da Mancha, de modo clandestino, através de barcos ou dos caminhões que rumam para a Inglaterra, o seu destino final. Segundo agências de ajuda, eles são oriundos do Sudão (45%), Afeganistão (30%), Paquistão (7%), Eritréia (6%) e Síria (1%). Eles são predominantemente homens jovens muçulmanos, sendo aproximadamente 800 menores desacompanhados. Todos eles são imigrantes ilegais, e a maioria não possui documentos.

A "Selva de Calais" em outubro de 2016
(repare a auto-estrada no lado esquerdo da foto)

Imigrantes ilegais já vivem em Calais desde 1999, quando um centro de triagem foi criado. Porém, a "Selva de Calais" tomou notoriedade com a explosão do número de ocupantes, de pouco mais de 100 em 2014 para mais de 6 mil em agosto de 2016 (veja infográfico abaixo, adaptado de France TV Info). Estima-se que, em outubro, este número tenha ultrapassado a marca de 8 mil pessoas (ou mesmo 10 mil, dependendo da fonte).

Número de refugiados em Calais

Junto com o aumento exponencial de habitantes do acampamento veio o aumento do número de ataques aos caminhões e demais veículos que transitam em direção à Inglaterra, e o aumento do crime dentro do acampamento, bem como na própria cidade de Calais e seus arredores.

A questão se tornou um problema também a nível político, devido a inércia do governo federal francês, e ao alinhamento da Esquerda globalista com os muçulmanos. Vários incidentes têm sido reportados ao longo destes anos. Vamos citar alguns abaixo para mostrar a seriedade do problema.

Violência dos "refugiados" que não se incomodam em queimar o seu próprio acampamento (vídeo):

https://youtu.be/X_S8eKMDlJk OK

Violência dos "refugiados" que atacam sistemáticamente os caminhões que rumam para a Inglaterra. O objetivo é parar os caminhões para que os refugiados possam entrar dentro deles e viajarem para a Inglaterra como clandestinos. Este vídeo da Russia Today (de 6 de setembro) mostra uma manifestação dos caminhoneiros contra a violência a qual eles são submetidos todos os dias, mostrando ataques que eles sofrem:

https://youtu.be/DPFTAHXnO04 ok

Repórteres sendo atacados, e repórteres do sexo feminino sendo estupradas.

A população se revolta. Uma cidadã de Calais, Simone Hericourt, narra em um vídeo, os problemas criados com a "Selva de Calais." Eles incluem destruição de propriedade, ataque contra automóveis, ataque contra pessoas, inclusive crianças, assaltos e estupros.

A Esquerda se aproveita da confusão. A estátua do general francês Charles Degaulle foi atacada, pichada e teve a bandeira do ISIS e do Movimento pró-Migração colocada em suas mãos por refugiados do Campo de Calais e por manifestantes de grupos de esquerda que são a favor da migração, na França.

Segurança pública. Um especialista em contra-terrorismo alertou que jihadistas do Estado Islâmico estariam se escondendo na "Selva."

Novos campos, semelhantes à "Selva de Calais", estão surgindo em outras cidades francesas (Dunquerque, Le Havre e Dieppe) e também na Bélgica (Zeebrugge). O objetivo é o mesmo: alcançar a Inglaterra.

Com tudo isso, o presidente da França. François Hollande, prometeu fechar a Selva de Calais. Porém, ele disse que iria relocar os habitantes da Selva para outros lugares da França, uma decisão que encontra resistência por parte de alguns governadores e prefeitos que dizem que isso irá criar várias "selvas de Calais" ao redor do país.

Leia mais sobre este assunto no artigo Prefeita de Paris criará (múltiplos) campos de refugiados ao redor da cidade.

O governo está de fato relocando os habitantes da Selva, e a destruindo. A questão a saber é por quanto tempo a Selva de Calais irá ficar fechada. A prefeita de Calais, Natacha Bouchard, acha que não por muito tempo. Reportagem da RT mostra que ainda existem refugiados vivendo no local.



Para finalizar, uma visão geral do problema através de vídeos. O primeiro vídeo abaixo mostra os "refugiados" (apenas homens) atacando os veículos que transitam em Calais na direção da Dover (Inglaterra), e manifestantes da classe alta (na maioria mulheres) fazendo manifestações pedindo para que o governo deixe os "refugiados" entrarem. 

https://youtu.be/yimMJMGQOdw OK

Um outro vídeo mostra uma visita do grupo Britain First a "Selva de Calais" onde eles constatam que os refugiados não são refugiados. 

https://youtu.be/CQdVwZKYUU4 OK

E um documentário, chamado Calais Caos, que mostra diversos aspectos relacionados aos habitantes da "Selva."

https://youtu.be/gaiJawAUyJ0 OK


Nenhum comentário: