domingo, 22 de janeiro de 2017

Feminismo politizado da "Marcha das Mulheres contra Trump" promove a Sharia e trai as mulheres


Ontem ocorreu a Marcha das Mulheres contra Trump. As participantes desta marcha são as eleitoras derrotadas da candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, que não se conformam com o resultado das urnas. Trump foi eleito com ampla vantagem dentro do Colégio Eleitoral, que é o que conta.

O Washington Post resumiu bem
As manifestantes - compostas principalmente de mulheres predominantemente brancas - disseram que elas vieram para tomar a posição mais pública possível contra Trump, um candidato, e agora presidente que, elas dizem, rotineiramente insultou as mulheres e as questões que se preocupam. Mas a reunião também proporcionou terapia para muitas, o bálsamo de se imergir em um mar de cidadãs que compartilharam sua ansiedade e decepção depois que a candidatura para a presidência da democrata Hillary Clinton terminou em derrota. 
O problema todo com esta manifestação é que ela foi organizada e financiada por grupos ligados ao bilionário pró-islamista George Soros. Mais de 50 organizações envolvidas na organização têm parceria com ele. Várias fontes de notícia alinhadas com o derrotado Partido Democrata, tais como o jornal inglês The Guardian e o grupo Vox, alardearam que a manifestação era espontânea. Mentira. Houve muito dinheiro gasto para que ela se concretizasse, incluindo-se aí apoio de transporte das manifestantes.

Ônibus chegando "espontâneamente" em um estacionamento "espontâneo" trazendo manifestantes "espontâneas" para participarem da manifestação política contra Trump, intitulada Marcha das Mulheres contra Trump

A organização da manifestação também deixou claro que ela era apenas para mulheres que são contra o presidente Trump. Elas deixaram claro que mulheres brancas teriam que ficar caladas, elas negaram a participação de grupos que não apoiam o aborto, ou de grupos que poderiam desviar a atenção do objetivo da manifestação: ser contra Trump.

Quatro pessoas se destacaram na organização desta manifestação "espontânea", todas elas ligadas ao Partido Democrata. Uma delas é a islamista Linda Sarsour.

Linda Sarsour é a diretora-executiva da Associação Árabe-Americana de Nova York. Vejamos que é esta pessoa.

Linda Sarsour é uma ativista em prol da implementação da lei islâmica (Sharia) nos EUA. Ela deixou isso claro em várias mensagens no Twitter (apresentadas abaixo) bem como em uma entrevista a rede de TV MNSBC na qual ela se disse estar indignada porque vinte e dois estados dos EUA ainda não permitem a implantação da Sharia.

Linda Sarsour é muito clara sobre seu ódio total para Israel e suas ligações com a organização terrorista Hamas. Como o Daily Caller relatou::
Linda Sarsour, uma das organizadoras da Semana Feminina de Sábado, realizada em Washington, DC, foi recentemente vista em uma grande convenção muçulmana em Chicago posando para fotos com um acusado do grupo terrorista Hamas.
Sarsour, líder da Associação Árabe-Americana de Nova York e uma "Campeã da Mudança" da Casa Branca de Obama, discursou na 15ª convenção anual do mês passado da Sociedade Americana Muçulmana e do Círculo Islâmico da América do Norte.
Enquanto estava lá, ela posou para uma foto com Salah Sarsour, um membro da Sociedade Islâmica de Milwaukee e ex-militante do Hamas que foi preso em Israel na década de 1990 por causa de seu suposto trabalho para o grupo terrorista.
"Se você está pagando juros então a Lei Sharia ainda não tomou conta dos EUA"

"Você saberá quando você vive sob a Lei Sharia se repentinamente todos os juros dos seus empréstimos e cartões de crédito se tornarem gratuitos. Parece legal, não é?"

As mensagens acima deixam claro que ela pratica a taqiyya, a mentira sagrada pela causa de Alá. Ela dissimula e tenta apresentar a Sharia como algo bom. Ela, claro, deseja enganar idiotas. Nós sabemos que a Sharia não presta!

Um outro exemplo de taqiyya foi quando, na entrevista para a TV MSNBC, ela disse que crianças muçulmanas estavam sendo executadas nos EUA. Isso é uma flagrante mentira, mas sempre existem idiotas que acreditam em bobagens (vídeo, em inglês, abaixo).

A entrevista mentirosa de Linda Sarsour para a MSNBC

Em 2011, Sarsour usou o twitter para ofender de modo vulgar a feminista Hirsi Ali e a fundadora do grupo ACT for America, Brigitte Gabriel, escrevendo: "Eu gostaria de poder arrancar fora as suas vaginas - elas não merecem ser mulheres." Isto é especialmente vulgar considerando o sofrimento que Hirsi Ali sofreu com a mutilação da genitália feminina. Logo após o tweet ter sido descoberto, em vez de se desculpar, Sarsour tentou excluí-lo antes que fosse visto por muitas pessoas.

Brigitte Gabriel= Ayaan Hirsi Ali. Ela está pedindo para apanhar na bunda. Eu gostaria de poder arrancar as vaginas delas - elas não merecem ser mulheres.

Assista a um vídeo no final do artigo.

E voltando para a Marcha das Mulheres contra Trump, veja só que patético. Durante a marcha, várias mulheres (idiotas ou ignorantes) portavam um cartaz que mostrava uma mulher vestindo um hijab com a bandeira dos EUA, no qual estava escrito "Nós o povo - somos maiores do que o medo." Estas mulheres querem a instalação do islamismo? Elas são tão suicídas assim? Com certeza, elas não representam o povo americano!

Feminazis em Berlim

Feminazis em Washington

E, para piorar, ainda houveram manifestantes que vestiram o hijab. Enquanto milhões de mulheres ao redor do mundo são forçadas a usar o hijab, um instrumento de opressão masculina sobre as mulheres, estas pessoas o experimentaram como um acessório de moda, e algumas se emocionaram com isso! 

Mulheres americanas traem as mulheres que sofrem sob a Sharia

Esta idéia de se usar o hijab foi dada pela artista Kathy Najimy. Transcrevo abaixo a resposta de uma mulher iraquiana postada no Facebook
O hijab é um tapa na cara de tudo o que é americano? Liberdade de se expressar é a base dos EUA e da civilização ocidental. Para cada mulher que está reivindicando hijab como sua escolha, existem dez que são forçadas a usá-lo silenciosamente. Quando as pessoas se levantarão contra este silêncio e em defesa das desprotegidas? Estas mulheres são levantadas a crer que não há escolha, e que para ser uma pessoa moral que é preciso  usar o hijab.
Como o hijab pode ser uma escolha quando meninas de cinco anos de idade são forçados a usá-lo? Como é uma escolha quando elas são ensinadas que mostrar o cabelo é algo vergonhoso? Como é uma escolha quando não se pode rezar sem usá-lo? Como é uma escolha quando a própria família e a comunidade começam a evitar a mulher se ela nao o usar? 
Quando aqueles que se auto-intitulam como "progressistas" irão se levantarão por nós? Para as mulheres que foram intimidadas em usá-lo e começaram a ser evitadas quando decidiram defender por si mesmos. Quando iremos aprender a apoiar as mulheres muçulmanas sem apoiar o hijab?
Então, basicamente: Kathy Najimy, aqui está um desafio para você: Por que você não usa essa merda por um ano inteiro, e depois nos relata sua experiência. Esta merda não é um traje de Halloween que você começa a usar por um dia para fazer algum ponto estúpido. Essa merda tem conseqüências reais.
Pare de ser preguiçosa e apoie as mulheres muçulmanas, fazendo mais do que usar um pedaço de tecido estúpido em sua cabeça por algumas horas.
E, para terminar, uma reflexão. Ontem presenciamos mais um exemplo de "manifestações de solidariedade" para a mulher nos EUA (um país onde a mulher é livre para protestar contra as injustiças), enquanto em todo o Oriente Médio e Norte da África, a mulher é tratada e vista como um cidadão de segunda classe, o testemunho da mulher vale a metade do que o de um homem, a mulher está sujeita a casamento forçado (alguns menores de idade), se for estuprada ela precisa de quatro testemunhas masculinas se não ela é acusada de comportamento imoral, possuem menos direitos civis ou proteção legal, e tantos outros exemplos.

No entanto, eu nunca vi um protesto de massa como o de ontem, em todo o mundo, onde mulheres indignadas mostram sua solidariedade para as milhões de mulheres que vivem hoje, no século XXI, e sofrem com tratamento deplorável ​​e desumano em termos civis e legais, e com pouca ou nenhuma justiça social, consideração pela igualdade de gênero ou direitos humanos e dignidade.

Leitura adicional: Meninas yazidis são vendidas como escravas sexuais enquanto mulheres marcham contra Trump.

Organizadora da Marcha das Mulheres defende a Lei Sharia

https://youtu.be/TaZzxQgxfvo OK

Paul Joseph Watson fala sobre a aliança profana entre a Esquerda Ocidental e o islamismo, à luz da Marcha das Mulheres contra Trump










12 comentários:

Anônimo disse...

Cara, da uma olhada no site da minha região:


http://www.mixvale.com.br/2017/01/22/tres-pessoas-ficam-feridas-com-suposto-atentado-com-onibus-na-dutra-em-cruzeiro-notebook-encontrado-com-diversos-artigos-do-estado-islamico/

Anônimo disse...

http://www.mixvale.com.br/2017/01/22/tres-pessoas-ficam-feridas-com-suposto-atentado-com-onibus-na-dutra-em-cruzeiro-notebook-encontrado-com-diversos-artigos-do-estado-islamico/

Anônimo disse...

Ó senhor me dê sabedoria, me ilumine para ter piedade dessas pobres criaturas com complexos de Maria vai com as outras;de vitimas injustiçadas;de salvadoras dos pobres e oprimidos.

Ó senhor como é difícil amar os ignorantes,me ajude a suportar as antas que encontramos pelo caminho e as que temos noticias.

Ó senhor abençoe TRUMP, FARAGE , LEN PEN ,WILDERS e todos os lideres do Ocidente que querem trazer novamente a sabedoria do seu povo que foi roubada por prostitutas traidoras maléficas.

Ó senhor abençoe todos os cidadãos comuns que tentam salvar os seus da própria destruição revelando a verdade que estava encoberto pelo o véu preto do Islamismo.

Ó senhor como agradeço por ter me provido com pessoas corajosas que me ajudaram a ter uma visão mais realista do mundo que me rodeia.

Ó senhor lhe peço que ajude a tirar a venda dos olhos dos boçais para que assim comecem a lutar verdadeiramente por seu povo.





Anônimo disse...

Se quiser resolver o problema do islamismo tem que desmascara lo fortemente sem receio assim como esses movimentos ditos sociais que só servem como massa de manobra para cegar o ocidente,é dizer se tu quer morar aqui vai te que viver de acordo com as regras se tu não quiser então saia um dos únicos países que vejo se impondo mais é a suíça mas mesmo assim ainda não é muito combativa para se fortalecer ela tem que ter apoio de seus vizinhos mergulhados na ignorância multicultural.

Anônimo disse...

Os que são contra o fortalecimento nacional e patriótico alega que isso trará guerra nunca escutei tanta idiotice o que vai trazer guerra é um país ceder espaço para essa pseudo religião se espalhar o maior exemplo que temos é o Líbano que acolheu refugiados muçulmanos que se juntaram aos que já moravam e iniciaram a guerra civil contra os cristãos resultado hoje os cristãos estão cada vez mais diminuindo o país que foi criado como reduto cristão foi tomado Israel sabe disso por isso não quer imigração desse povo mas do que ninguém eles conhecem as cobras parece que a Europa tem memória curta e esqueceram qual exército de que religião tentou conquista lá ,como podem serem tão ingênuos estão cuspindo nos cadáveres de seus ancestrais que morreram para defender a terra que eles desfrutam com liberdade

A Marreta do Azarão disse...

Encontrei seu blog por acaso e digo que gostei muito dele, pretendo ler outras postagens. Fui de esquerda em minha juventude, hoje tenho 50 anos e vejo a grande cagada que cometi, logo percebi que os tais esquerdistas não querem democracia, não querem igualdade, querem é leis que protejam alguns grupos que eles consideram como especiais. Essas mulheres americanas já não têm garantidos por lei os mesmos direitos que os homens? Pois, então. O que essas feministas, LGBTs e outros "injustiçados" estão com medo é de perder as regalias que conseguiram nos governos Obama, assim como, no Brasil, conseguiram durante os governos do PT. Elas reclamam pela possível (e justa) perda de regalias,isso sim. E quanto a elas marcharem em um movimento organizado por uma defensora da Sharia, é fácil entender : a extrema-esquerda é burra de dar dó. Já fui um desses, sei do que falo. Se quiser perder um tempinho :
http://amarretadoazarao.blogspot.com.br/2017/01/marcha-das-sovacudas-contra-donald-trump.html
http://amarretadoazarao.blogspot.com.br/2017/01/marcha-das-suvacudas-contra-trump-foi.html

Ad disse...

O que me deixa abismado é que este blog é o único que se indigna com essa farsa e baboseira que é o islamismo! Ao passo que os que dormem fazem como o Omelete.com quando os terroristas queimaram os livros do Nietzsche e até do Paulo Coelho: "Não é bom ser islamofóbico nesse momento! Oh!".

Anônimo disse...

Essa notícia saiu no G1 tbm

Anônimo disse...

Ad, eles são desonestos a mentira é norma para os seguidores dessa "religião da paz" se fingem de vitimas e são mais histéricos do que os outros idiotas metidos a justiceiros sociais quando se sentem ofendidos como gritam mais e explodem gente com o apoio descarado da mídia e de patrocinadores as pessoas normais ficam acoadas pois como minoria eles automaticamente são os oprimidos o apelo emocional é tão forte que mesmo com toda barbaridade que integrantes dessa seita pratiquem é minimizado ou nem mencionado me pergunto o que os mesmos precisaram fazer de tão grave para o povo imbecil cair na real.

Oliveira da Figueira disse...

Divulgando com destaque mais este excelente post, logo a abrir o que dedicámos a este lamentável evento da "Marcha das Mulheres":

http://amigodeisrael.blogspot.pt/2017/01/linda-sarsour-jihadista-da-marcha-das.html

CONCORDO com os anteriores comentadores. Infelizmente, aqui em Portugal, quem disser e mostrar que o islamismo é o que é, passa a ser imediatamente rotulado como fascista, nazi e outras barbaridades. As pessoas estão como que paralisadas por um medo inconsciente.

Oliveira

Anônimo disse...

Oliveira da figueira meu Deus que pena Portugal e Espanha que foram realmente ocupados por islâmicos deveriam dá exemplo como a Hungria se a situação tá braba até para vocês a situação tá cada vez pior os conservadores e nacionalistas tem que terem mais filhos e educa los nos costumes nativos senão o futuro será negro.

Oliveira da Figueira disse...

Imagine, amigo anónimo, que o partido espanhol "Podemos!", financiado pela Venezuela Chavista, pede desculpas públicas aos muçulmanos pela Reconquista Cristã, que rechaçou os muçulmanos da nossa Península. E quer que a Espanha o faça oficialmente.

Nos dias de hoje, aqui na Europa, se alertamos as pessoas contra os perigos da islamização, a resposta é gritaria e acusações de "racismo", e, em certos países (França, por exemplo) já dá pena de prisão de 2 anos, criticar o Islão. Abraço.