quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Site denunciado pela Lava Jato tenta assassinar a reputação de um professor universitário por críticas ao islamismo



Um artigo intitulado Avaliador do INEP/MEC em Rondônia dissemina ódio a muçulmanos nas redes sociais, escrito pela jornalista Luciana Oliveira, no website  Brasil 247, tece críticas ao professor Fabrício Moraes de Almeida, professor da Universidade Federal de Rondônia, devido a uma postagem sua no Facebook. Segundo o artigo, o professor teria escrito:
Muçulmano é a desgraça que assola a humanidade ... Seus mandamentos são: matar infiéis, tomar suas esposas e tomar suas propriedades. .. Então se declaram guerra. .. Merecem o perdão divino no além. .. E bala na cara dos homens de boa fé. .. 
Não sabemos o contexto desta postagem e nem o que veio antes ou depois dela, de modo que fica difícil avaliar o texto citado dentro de uma visão mais ampla.  O artigo, contudo usa este trecho para promover um verdadeiro "assassinato de reputação" do professor Almeida, acusando-o de (advinhem) islamófobo, extremista, intolerante religioso, que "adota em seu Facebook um posicionamento anti-petista, anti-esquerda e compartilha notícias de movimentos como MBL e MCC, que representam a direita mais raivosa e estúpida desde a redemocratização."

O restante do artigo é um rompante de vitimização islâmica, adotando a postura da Organização da Cooperação Islâmica (e da própria lei islâmica) que defende que criticar o islamismo é um crime, e dizendo que os muçulmanos estão sendo perseguidos pelo governo Temer.

É claro que a jornalista pertence à esquerda pró-islâmica. Bastaria ela ler um pouco para entender que o islamismo é uma ideologia política e que os muçulmanos são, na verdade, as suas primeiras vítimas. (Uma sugestão de leitura para a nobre jornalista: Estado Islâmico é islâmico e representa o verdadeiro rosto do islão)

O mais interessante é que a Editora 247 aparentemente está envolvida no Lava Jato, segundo O Globo, em artigo Editora 247 recebeu propina a pedido de Vaccari, diz Moro em despacho.
A Editora 247, representada pelo jornalista Leonardo Attuch e que edita o site Brasil 247, recebeu pelo menos R$ 120 mil do esquema de corrupção da Petrobras, a pedido do ex-tesoureiro do PT João Vaccari. Segundo um dos delatores da Operação Lava-Jato, Milton Pascowitch, o dinheiro pago à editora foi dado sem a prestação de qualquer serviço e tratou-se de uma operação "para dar legalidade ao apoio que o Partido dos Trabalhadores dava ao blog mantido por Attuch". Os pagamentos foram feitos nos meses de setembro e outubro de 2014.
Quanto aquilo que o professor Almeida escreveu, a minha sugestão é se focar na ideologia. Uma coisa é criticar o islamismo outra é criticar muçulmanos, a não ser que seja indivíduo ou um grupo por ação específica ou por comportamento (por exemplo, criticar o Califa al-Baghdadi, ou criticar o teor de um discurso). A generalização, mesmo que possa estar correta, deve ser evitada simplesmente pelo fato que Direitos Humanos se aplicam a pessoas e não a ideologias ou religiões.

Fica aqui a nossa solidariedade com o professor Fabrício Moraes de Almeida.

O escritor Robert Spencer explica do que é islamofobia




Um comentário:

Anônimo disse...

Foram anos de falacia afirmando que todas as culturas e religiões são importantes e tem o mesmo valor,isso é repetido tantas vezes que as pessoas acabam acreditando ou por que são ingenuas demais,preguiçosas ou por que não lhe interessam e acham que isso não lhe afetam mas isso é comum, as massas tendem a ser assim mesmo se tem casa, comida e uma certa segurança e dinheiro ficam alienadas e domesticadas quando acordam já é tarde demais.Uma religião que tem como profeta um tirano não tem como ser de paz, a propaganda deles é extremamente eficaz em espalhar mentiras,o nosso querido futuro ex presidente dos EUA OBAMA vivia papagaiando o quanto os muçulmanos contribuíram para a humanidade kkkkkkkkk a única coisa que conheço que eles trouxeram de importante principalmente para o Ocidente foi os números arábicos cof cof quero dizer Indianos, a vida deles é plagiar as conquistas dos outros povos e afirmar para o povo deles que foram os muçulmanos que realizaram.Os avanços mais importantes para o povo foram feitas pelos povos pagãos antigos ,cristãos,asiáticos, judeus que gozam do livre arbítrio tanto de origem religiosa judaico cristã como da liberdade cultural do sistema politico de seu país coisa que eles não desfrutam em sua maioria devido ao fato de que são escravos de ALÁ e como bons escravos seu dever não é pensar e sim obedecer.