quinta-feira, 20 de abril de 2017

Nova Lei de Migração elimina as fronteiras do Brasil, tornando-o na "Casa da Mãe Joana"


Escreva para o presidente Temer pedindo para ele vetar esta lei. É difícil que ele a vete, mas pelo menos, estamos mostrando o nosso repúdio contra este verdadeiro crime de lesa pátria. Use este link https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/index.php e escreva algo simples, como "Presidente, VETE o Projeto da “nova Lei de Migração.” A lei é inconstitucional e anti-brasileira. Peça ao Congresso para redigir um lei de migração que proteja o Brasil."
E assine a petição neste link: http://citizengo.org/pt-pt/51774-por-favor-vete-lei-da-imigracao-que-destroi-soberania-do-povo-brasileiro 
O Senado Federal enviou para sanção presidencial a nova LEI DE MIGRAÇÃO que fere muitas normas constitucionais!

Esta lei, em termos práticos, deixa a política migratória brasileira na mão de organismo internacionais (por exemplo, ONU e UNASUL), sem qualquer representatividade junto ao povo brasileiro, e sem qualquer tipo de limite a ser imposto à quantidade de imigrantes que vem para o Brasil. Como disse o Ministro da Justiça: podem vir mil, dez mil, cem mil, por ano, todos são bem-vindos. Acontece que o Brasil não tem condições de prover para o seu povo, como é que irá prover para "cem mil por ano"?

Ministro da Justiça confirma que refugiados muçulmanos virão ao Brasil seja a quantidade que for

Esta lei garante que os estrangeiros, qualquer um, que queira ficar no Brasil, terá acesso a todos os serviços públicos de saúde e previdência como se fossem brasileiros. Quem irá pagar esta conta?

Esta lei define os direitos do migrante e do visitante, do imigrante, do apátrida. Ou seja, visitantes (turistas) passam a ser considerados como imigrantes, com todos os direitos.  E o controle de criminosos fica comprometido, pois a lei possibilita a "não criminalização da imigração", ignorando o fato de imigrantes e turistas perigosos ou ilegais existem! Deste modo, esta lei cria uma causa excludente de ilicitude para imigrantes.

Aos estrangeiros são concedidos direitos de cidadãos, tais como a formação de partidos políticos e sindicatos. Mas quais serão os interesses dos não-cidadãos? Estão eles comprometidos com a coisa pública do Brasil ou de forças e entidades externas?

Esta lei, viola os princípios da soberania nacional e expõe as fronteiras brasileiras a risco iminente de qualquer pessoa adentrar nosso território para qualquer fim, sem sofrer o devido controle. Fronteira não se trata apenas de um conceito na lei, fronteira são os limites geográficos entre os países, o que delimita sua materialidade. O presente projeto de lei aprofunda o desfazimento desses limites.

A lei expõe o Brasil a possíveis conflitos com os países vizinhos, pois seu território restará indeterminado ou melhor não delimitado. Ao oferecer livre acesso, esta lei torna mais difícil o combato ao tráfico de drogas, armas, pessoas e outros em nosso território, afetando a segurança publica.

A lei permite a criação de espaços de cidadania e de livre circulação das pessoas. Dessa forma serão criados diversos enclaves de estrangeiros no território brasileiro. Constata-se nesta lei uma tentativa clara de unificação do Brasil a alguma entidade da América do Sul como se fosse um só território. Só que quem comanda esse território unificado não será mais um órgão eleito ou nomeado pelo Brasil mas sim um órgão externo suprimindo a soberania popular do Brasil. A soberania do povo brasileiro fica extinta!

A concessão de vistos, antes privativos de embaixadas e consulados gerais, pode ser feita por quaisquer escritórios comerciais e de representação do Brasil no exterior. Ou seja, não haverá nenhum rigor na qualificação do solicitante de visto. O Brasil vira a própria Casa da Mãe Joana.

O Brasil vive confrontos da pior espécie, crise de confiança, crise moral, crise econômica, das irresponsabilidades, da falta de emprego, são milhões os desempregados, impera a falta de valores, há sobrecarga carga previdenciária , crises graves na saúde, peso tributário inviabilizador da prosperidade econômica, 60.000 mil assassinatos por anos, 38.000 estupros, 7,6 milhões de armas ilegais que entram pelas nossas fronteiras dando poder incontestável ao crime organizado e narcotraficantes e em verdade a impossibilidade de um cidadão sentir-se verdadeiramente representado.

Leis que permitem um mundo sem fronteiras falharam na Inglaterra, na Belgica e na Alemanha, todos eles países ricos, ao contrário do Brasil. Estes países há muito tempo não viam crimes como vêem agora em sua rotina. Da mesma maneira a Suécia, Holanda e até a França, da liberdade, fraternidade e igualdade hoje é refém de seu discurso permissivo onde seus cidadãos passam a sofrer a discriminação reversa.

Precisamos ser honestos e realistas. O discurso humanitário não vai sobreviver a falta de emprego, ao preconceito que surgirá na disputa corpo a corpo pelo pão, pelo remédio, pelas migalhas jogadas ao vento e essa lei vem com valores errados, sem olhar para o que está do lado de dentro da porta. Abrir nossas portas para o mundo desconhecido é fechar a porta para uma vida digna aos brasileiros.

Antes de propor uma lei para receber centenas de milhares de refugiados e imigrantes sem controles e limites, os nossos representantes deveriam compreender que qualquer absorção de migração só pode ser feita por quem tem condições e sob critérios em que estas condições se sustentem.

Considerando que a União Européia já manifestou o seu interesse em remanejar refugiados para fora da Europa, O Brasil corre o risco de se tornar a cloaca da União Européia ... e do mundo.

Quando o Brasil deixou de ser império e se tornou república, o governo promoveu imigração em massa de europeus e japoneses, abandonando os negros, que poderiam ter sido integrados à sociedade e cidadania naquele momento. Agora, o governo faz o mesmo, abandonando o povo brasileiro e dando todas as vantagens para os estrangeiros, a maiora dos quais nem no Brasil está.

 Mais uma vez, um governo brasileiro trái quem reside e trabalha no Brasil.


A maioria dos brasileiros irá continuar como cidadãos de segunda classe enquanto que uma nova classe de senhores vem para o Brasil com todo o apoio do governo

E para finalizar, quem está apoiando esta lei? Grupos internacionais. Veja, por exemplo, a ONG Conectas financiada por uma série de grupos internacionais, que apoiam uma agenda globalizante de um "mundo sem fronteiras." Fazem parte destes grupos a Open Society Foundation do ínfame (colaborador nazista) George Soros, a Fundação Ford, a agência canadense International Development Research Centre, o Sigrid Rausing Trust, e outros grupos internacionais. O que estes grupos internacionais têm de interesse com o povo brasileiro, mas sim com as agendas políticas dos seus donos, sejam governos de outros países, sejam multi-bilionários?  

Estes grupos estão tentando condzir a política migratória do Brasil. Com que objetivo? Como se diz, siga o dinheiro.

Conectas, uma ONG financiada por grupos e governos estrangeiros: 
sem interesse pelos brasileiros mas pela suas agendas particulares


Brazil, first nation to officially eliminate its borders: Muslims welcome


Artigo escrito para Vlad Tepes Blog
This article deals with the situation of the Islamization of Brazil under the light of the new Law of Immigration, approved by the country's Senate and sent to the presidential sanction. It highlights steps that have been taken to grow the nonexistent Islamic presence in Brazil into become an influential power. To understand the situation one needs to understand the deterioration of the political landscape of the country, which is briefly discussed in the course of the article (keeping in mind that politics in Brazil has a huge complicating factor: endemic corruption).  
In 2008 I heard the audio of a speech from an Iman, during an Islamic conference in Chicago, in which he described how Brazil would become an Islamic nation within 50 years. I was aware of what was happening in the West but I thought that Brazil would not be in the axis of Islamic interest. I was wrong. After all, Brazil is the powerhouse of South America not just due to the size of the country (remember, Brazil is larger than the US without Alaska) but also due to the size of its economy and influence. It is said that where Brazil goes so does South America.  Indeed.

In 1964, a democratic but USSR-leaned government was overthrown by the Brazilian military under the pretext to avoid Brazil to become a "New Cuba." The military regime remained in power, releasing it slowly under the pressure of a democratic front that encompassed politicians, the civil society and the Brazilian Roman Catholic bishops, most of them adherents of the Liberation Theology. During this time, communist-style guerrilla warfare took place and several of the guerrilla leaders ended up deported mostly to Chile (under Allende), Cuba or France. In 1988, a new Constitution was promulgated and in 1989 presidential elections were held. The guerrilla leaders returned to the country under an amnesty law and joined a number of pro-Socialist parties. The most notable of them was the Labor's Party (PT), led by the union leader Lula da Silva, who was compared by many to Lech Valesa and Václav Havel. The difference is that unlike Valesa and Havel Lula wanted Socialism and Globalism.

The new civilian regime reached it apex during President Fernando Cardoso (1995-2003), of the also Left-leaning Social Democrats (PSDB). He controlled inflation and led the country to a phenomenal growth, even though under accusations of rampant corruption. Lula da Silva was elected in 2003 remaining in power until 2011. He used the economical basis of his predecessor, creating his own corruption basis in an attempt to solidify power. His goal was to maintain the Labor's Party with a permanent control of the Federal Government. He was followed by Dilma Roussef in 2012 but the economy did not survive 8 years of Lula da Silva and the corruption that reached unprecedented levels. The corruption was made public by a few young and courageous judges in what has been known as Operation Car Wash. Dilma Roussef was impeached, being replaced by her vice-president, Michel Temer.

It should be mentioned that since Fernando Cardoso's presidency, Brazil has turned towards the Left and several former guerrilla members became Ministers of State. It continues until today under the current president.

Then enters the unholy alliance between the Left and Islam, Brazilian style. 

Most of the Left in Brazil is anti-Semitic, anti-Israel and Pro-Palestinian. Add to the equation the inherent animosity against the USA (accused of helping the military in 1964) and the overthrow of Saddam Hussein and al-Khadafi, as well as their sympathy towards Iran, then you have open doors for any Islamic leader to the high echelons of power.

Ahmed Rehad, from CAIR, meets with then Minister Maria do Rosário

Since the late 1990's there has been a growing presence of Saudi and UAE in support of an exponential effort in building mosques and massalas, even though the number of Muslims remains small (official records mentions less than 100 thousand whereas Islamic leaders mention 2 million).

Wahabbi cleric Muhammad al-Arifi (right) inspects a 
mussala located in a favela in São Paulo. (2016)

There has been also an increase in Islamic leaders of any kind visiting government officials at federal, municipal and federal levels. There has been also an increasing activity dealing with public safety, including the arrest of several Muslims accused of terror plots, as well as an increasing activity of Hezbollah in connection with organized crime.

But Islam has not made the impact onto the local population as their leaders would like. The only way for a faster growth is by fostering Muslim immigation to Brazil. There has been a concerted effort linking government officials, NGOs (e.g., funded by the likes of George Soros' Open Society Foundation and Ford Foundation), Christian groups and Islamic leaders to open the doors for more immigrants and refugees. The Halal industry is a door, but not to import enough Muslims. Meet the new Law of Immigration.

Senator Aloysio Nunes, himself a former guerrilla fighter, now Minister of Foreign Affairs, is the author of this legislation that, among other things, destroys the borders of the country. The main intention of the Brazilian Left is the "continental integration", i.e., that South America becomes a single Socialist entity (they have Venezuela as a model, seriously). So, the new legislation targets primarily the free transit of foreigners from bordering countries giving to them full citizenship rights. But anyone who comes to Brazil, even as tourist, can claim the same. The doors are open to anyone, from anywhere.

This law, in practical terms, leaves the Brazilian migration policy in the hands of international organizations (for example, UN and UNASUR), without limiting the number of immigrants coming to Brazil. As the Minister of Justice has said: there may be one thousand, ten thousand, one hundred thousand per year, everyone is welcome. It turns out that Brazil cannot provide for its people, with tens of millions living in poverty, how will it provide for "one hundred thousand refugees per year"?

This law guarantees that foreigners, anyone who wants to stay in Brazil, will have access to all services public health services, welfare as if they were Brazilians. But Brazil is not Sweden nor Germany. Who will pay for this bill?

Visitors (tourists) are considered as immigrants, with all rights, they just need to say so.

Foreigners are allowed to form political parties and trade unions. Who will they represent? Are they committed to the public common good or to external forces and entities?

The law allows the creation of "common spaces". In this way several enclaves of foreigners will be created in the Brazilian territory. No-go zones, anyone?

By creating a borderless country, this law makes it more difficult to fight drug and arms trafficking, which is already a big problem. The control of criminals is compromised, because the law allows for the "non-criminalization of immigration," ignoring the fact that illegal or dangerous immigrants and tourists exist!

Brazil is facing confrontations of the worst kind. A crisis of confidence, a moral crisis, an economic crisis, lack of employment with tens of millions of unemployed people, an overloading of social security, serious crisis in its public health system, and an excessive tax burden which hampers economic prosperity. There are 60,000 murders per year, 38,000 rapes, and 7.6 million illegal weapons entering our borders, and an undisputed power of organized crime and drug traffickers. The ci, and indeed the impossibility for a citizen to feel truly represented.

Laws that allow a world without borders have failed in Europe. We need to be honest and realistic. The humanitarian discourse will not survive the lack of employment, the prejudice that will arise in the melee dispute for bread, medicine, crumbs thrown to the wind and this law comes with wrong values, without looking at what is inside the door. To open our doors to the unknown world is to close the door to a life worthy of Brazilians.

Before proposing a law to receive hundreds of thousands of refugees and immigrants without controls and boundaries, our representatives should understand that any absorption of migration can only be made by those who have the conditions and under the criteria on which these conditions are sustained. But it seems that our representatives are no better than the European ones.

Considering that the European Union has already expressed its interest in relocating refugees outside of Europe, Brazil is in danger of becoming the sewer of the European Union.

Just one last thing. The mayor of São Paulo, João Dória, a Social Democrat, is selling municipal assets under the excuse that he wants to improve services. Where did he go to advertise them? To the Gulf countries. He is a strong presidential candidate for the elections next year. The prospects are not good.





This article was written for VladTepes blog.

José Atento is a Brazilian blogger, writing in Portuguese at Lei Islâmica em Ação. José Atento can be reached at joseatento@gmail.com.


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Trump ajuda "jihadistas moderados" na Síria? Lembre-se de Maloula!


Estou mesmo intrigado com o ataque que o presidente Trump autorizou contra instalações do governo sírio e preocupado com as consequências negativas que isso possa gerar sobre as minorias cristãs na Síria. Lembre-se de Maloula. 
Uma das consequências da "Primavera Árabe" foi o fortalecimento e disseminação da Irmandade Muçulmana e do Wahabismo com a consequente criação de grupos jihadistas filiais da Al-Qaeda, e de alguns novos, sendo o mais notório deles o Estado Islâmico. Todos, porém, compartilham da mesma ideologia!

O apoio do governo dos EUA (administração de Barack Hussein Obama) à Irmandade Muçulmana levou a que esta detivesse o poder no Egito, por cerca de um ano e meio (durante o qual os cristãos coptas foram cruelmente perseguidos), bem como a tribalização da Líbia (repartida por grupos jihadistas) e a guerra civil na Síria.

O Oriente Médio é uma região tremendamente influenciada pela ideologia islâmica na sua mais cruel pureza. Alguns líderes recentes, nenhum deles santos, tinham conseguido manter esta ideologia pelo cabresto: Sadam Hussein e os al-Assad (o pai, Hafez, e o filho Bashar). Cruéis contra os seus opositores, dentro deles os jihadistas, eles defendiam as minorias, e mantinham os seus países estáveis. Tanto Iraque quanto Síria possuíam uma minoria cristã significativa, algo entre 10% da população. Todos nós sabemos o que aconteceu com os cristãos do Iraque como consequência da derrubada de Sadam Hussein: o inferno se instalou. Dos 2 milhões de cristãos no Iraque, hoje restam menos de 200 mil. O resto foi expulso, morto ou fugiu.

Na Síria, os grupos anti-Assad são todos jihadistas. O governo dos EUA estava fornecendo armas para alguns deles, chamando-os (advinhem) de "moderados." Isso não existe! Todos os lugares que estes grupos jihadistas "moderados" conquistaram, os cristãos foram perseguidos implacávelmente. Isso segue o chamado de diversos clérigos, como Sa'ad Ateeq al-Ateeq que conclamou pela destruição dos cristãos (e dos infiéis xiítas, alauítas e judeus) durante pregação na Mesquita Imam Muhammad ibn Abd al-Wahhab.

Em 2011, a Síria caiu em um estado de guerra civil. Os rebeldes anti-Assad, que lutavam para derrubar Bashar Assad, tinham o apoio da CIA (dirigida de janeiro de 2013 a janeiro de 2017 pelo muçulmano pró-saudita John Brennan), além do apoio ostensivo da Arábia Saudita (que deseja completar a construção de um gasoduto pela Síria além de ampliar a área de influência do wahabismo) e da Turquia de Erdogan (que deseja aumentar a área de influência da Turquia dentro do seu sonho megalomaníaco de reviver o Império Otomano).

Estes rebeldes "moderados" que a CIA vem treinando e coordenando conquistou várias regiões da Síria. O maior grupo dentre eles é a Al-Nusra. A Al-Nusra é absolutamente selvagem e coligada com a Al-Qaeda, a tal ponto de muitos analistas considerarem Al-Nusra como Al-Qaeda. A Al-Nusra também tem ligações com o Estado Islâmico, por exemplo, material bélico dos EUA destinado a Al-Nusra tem sido usado pelo Estado Islâmico, bem como existe troca de jihadistas entre os dois grupos.

Para limpar a sua imagem, a Al-Nusra mudou seu nome para Fatah al-Sham. Mas continua sendo Al-Nusra pois o conteúdo é o mesmo.

Em 2014 a Al-Nusra conquistou a cidade de Khan Shekun e tem mantido o seu controle desde então.

No dia 4 de abril Bashar al-Assad mandou aviões da força aérea síria, situados na base militar de Shayrat, bombardear instalações da Al-Nusra em Khan Shekun que, dentre outras coisas, armazenava e produzia armas químicas. A Al-Nusra já havia usado armas químicas contra bairros cristãos anteriormente.

A reação da Al-Nusra a este bombardeio foi a de liberar vídeos mostrando adultos e crianças mortos pela ação de gás sarin, acusando o governo sírio por suas mortes.

A reação do presidente Trump foi a de, unilateralmente, atacar a base militar de Shayrat com 59 mísseis tomahawk, mesmo com o risco de atingir instalações militares russas.

A reação de Trump foi positiva para ele em termos políticos. Ele mostrou uma determinação e liderança que o seu predecessor, Barack Hussei Obama, nunca teve. E até mesmo muitos dos seus ferrenhos opositores o elogiaram. E ele também quebrou a acusação por parte da oposição de que ele está em conluio com o governo russo. Para Trump, os 59 míssies foram "fogos de artifício" para fortalecê-lo domésticamente.

Mas, existe o conflito entre duas narrativas. Por um lado a Al-Nusra, e sua rede de apoiadores, propagando a idéia de que Bashar al-Assad cometeu um crime contra a humanidade. Por um outro, o governo sírio e a Rússia acusando a Al-Nusra pelas mortes.

Talvez nunca venhamos a saber o que realmente ocorreu. Tanto Assad como os rebeldes têm acesso a armas químicas. Contudo, ficam as dúvidas. Por que o governo sírio iria usar gás sarin, contrariando um acordo anterior de destruir os seus estoques, em um momento do conflito em que o governo está derrotando os rebeldes? Será que a Al-Nusra seria capaz de usar gás sarin contra a população que a apoia (muito embora eles usem esta mesma população como escudo, além do fato deles "amarem a morte mais do que a vida")?

O que resta após tudo isso? O conflito humano. E a minha preocupação particular é com respeito às minorias na Síria, minorias estas que os sunitas salafistas e wahabistas desejam ver destruídas ou subjugadas, dentre elas as minorias cristãs.

Entre os "jihadistas moderados" e Bashar al-Assad, eu fico com o segundo. Lembre-se de Maloula (setembro de 2013).


Destruição e morte na cidade cristã de Maloula durante a sua ocupação pelos "jihadistas moderados" apoiados pelo ex-presidente dos EUA Hussein Obama

As lideranças cristãs da Síria reagiram negativamente aos mísseis dos EUA. Por exemplo, tanto o Patriarca Católico Siríaco Ignace Joseph Younan quando o Bispo do rito católico latino de Alepo Georges Khazen, declararam a sua preocupação. Eles sabem se os "rebeldes moderados" tomarem o poder será o fim do cristianismo na Síria (NRC).

Vale relembrar o testemunho da irmã Maria Guadalupe Rodrigo, sobre a guerra civil na Síria e sobre a atitude do governo sírio para com os cristãos.

irmã Maria Guadalupe Rodrigo


Nenhum míssil tomahawk pelas crianças de Maloula e al-Duvair

Maloula, a cidade cristã onde ainda se fala o aramáico

Bashar al-Assad visita uma das inúmeras igrejas destruídas pelos "rebeldes moderados"


terça-feira, 4 de abril de 2017

Atualizações em março de 2017

Veja o que entrou de novo no blog em fevereiro de 2017, exemplificando a aplicação da lei islâmica Sharia ao redor do mundo, seja por governos de países com maioria muçulmana, grupos islâmicos ou mesmo ações individuais.

Apostasia

Paquistão: muçulmanos sunitas matando muçulmanos ahmadi 
Em dezembro de 2016, Rasheed Ahmed, paquistanes com nacionalidade canadense, liderou um grupo de 3 mil zelosos seguidores de Maomé no ataque a histórica mesquita na cidade de Dulmial, que é de propriedade dos muçulmanos ahmadis. O ataque resultou em 2 mortos e outros tantos feridos, e na destruição da mesquita. O motivo do ataque foi para "liberar a mesquita dos infiéis." Isso mesmo. Os muçulmanos sunitas não consideram os muçulmanos ahmadis como tal, mas sim como apóstatas (ex-muçulmanos). Rasheed Ahmed está vivendo no Canadá. (Rabwah)

EUA: Representante do Paquistão na ONU retira mensagem de parabenização para vencedor do Oscar: ele é Ahmadi
Mahershala Ali fez história no domingo à noite ao se tornar o primeiro ator muçulmano a ganhar um Oscar de ator coadjuvante por seu papel no filme em Moonlight, um filme sobre homossexuais. O enviado do Paquistão na ONU celebrou isso na Internet com uma mensagen no Twitter. Mas, logo em seguida, ele apagou a mensagem. De acordo com a lei paquistanesa, Ali não é muçulmano: o ator segue a seita Ahmadiyya do islã, que é proibida no pelo governo do Paquistão. (Tribune

Três depoimentos de quem deixou o Islã
https://youtu.be/CKISB8qXRM4 OK

Direitos das Mulheres sob o Islão: Parte 1Parte 2
A imigração muçulmana aliada ao políticamente correto do Ocidente estão tornando as mulheres ocidentais igualmente sem defesa frente ao avanço implacável da Sharia.
Alemanha: duas mulheres, um fiscal e uma médica, atacadas
Um jovem de 19 anos assediou duas mulheres em um trem. O fiscal do trem que interviu foi também atacado. A polícia levou o jovem para o hospital onde ele atacou a médica. Como o artigo omite a origem do jovem, ele deve ser imigrante muçulmano, aplicando-se a lógica reversa do ocidente pró-islâmico. (Bild)

Grã-Bretanha: mulheres paquistanesas mutiladas com ácido jogado no rosto devido a "casamentos forçados"
Em 2012 movimentos populares organizados pela sociedade civil obrigaram o governo britânico a tornar esta uma ofensa criminal. A maioria dos casos envolveu mulheres menores de 18 anos, a maioria das vítimas foram identificadas como sendo migrantes do Paquistão, sendo que em 43% dos casos as vítimas eram descendentes de migrantes paquistaneses nascidos na Grã-Betanha, ou seja, cidadãs inglesas. As demais eram de Bangladesh com 121 casos, da Somália com 47 casos, do Afeganistão com 39 casos e a Arábia Saudita que teve 16 casos. O relatório afirma: "Em 2016, a "Unidade de Casamento Forçado" deu conselhos ou apoio relacionado a um possível casamento forçado em 1.428 casos." De acordo com o relatório 157 dos casos não tinha nenhum elemento ultramarino, ou seja, o que significa que o casamento forçado ocorreu inteiramente dentro do Reino Unido. (Mirror)

Grã-Bretanha: casamentos forçados crescem 17%
Um número recorde de crianças está sendo forçada a se casar. Estatísticas divulgadas no relatório dos ministérios do Interior e do Exterior mostram que a quantidade total de casamentos forçados saltou de 1.220 casos em 2015 para 1.428 em 2016, um aumento de 17%. (Express)

Grã-Bretanha: documentário mostra ação dos Tribunais da Sharia, e as mulheres se lascam 
Existem entre 85 e 100 tribunais de Sharia no Reino Unido, com permissão para resolver problemas de família e disputas financeiras na comunidade muçulmana. Mas as mulheres, e logo, os filhos, são tremendamente prejudicadas. Exemplos mostrados incluem (Daily Mail):
  • Aplicação do talaq triplo. Para se divorciar, basta ao marido dizer 3 vezes "Eu me divorcio de você"; para a esposa o processo é mais penoso. 
  • Fátima, uma mulher de 33 anos e mãe de quatro filhos tentou obter "permissão para se divorciar do marido traficante que tem abusado dela durante todo o seu casamento de 14 anos."
  • Um tribunal Sharia proferiu sentenças de aprovação das mortes por honra, e outro ordenou uma mulher traumatizada a voltar ao seu abusivo marido.
Abu Dabi: Casal estrangeiro é preso por "sexo antes do casamento"
Enquanto que o prefeito de São Paulo corre para vender o patrimônio do paulistano para o capital islâmico, em Abu Dabhi um casal de extrangeiros foi preso acusados de "sexo ilícito" já que eles não são casados. João Dória, Isso é a lei islâmica em ação. E você está trazendo-a para o Brasil. (Tião Cazeiro)

Rússia: clérigo muçulmano pede ablação de todas as mulheres na Rússia
Ablação é o nome técnico para a mutilação da genitália feminina, ou seja, a remoção do clítoris (IstoÉ).

Turquia: radicais gritando Allahu Akbar atacam ato no Dia Internacional da Mulher
"Um grupo de 15 a 20 pessoas atacou nesta quarta-feira aos gritos de “Alá é grande” um ato pelo Dia Internacional da Mulher que estava sendo realizando na Universidade Bilgi, em Istambul, na Turquia." (Turkeypurge, turkishminute)
https://www.turkishminute.com/2017/03/08/video-women-celebrating-intl-womens-day-attacked-mob-istanbul/

Mulher sem véu: carne exposta, pronta para os "predadores islâmicos"
 

Indonésia: Mutilação da Genitália Feminina
https://youtu.be/PyofZrbJ6kc OK


Austrália: estudantes do ensino médio "intimidados em frequentar orações muçulmanas, palestras sobre o Alcorão"
E o novo diretor que foi trazido para limpar a bagunça foi ameaçado pelos muçulmanos: "o Sr. Patruno foi confrontado por dois homens de aparência do Oriente Médio ontem que, segundo notícias, disseram-lhe: 'Vamos pegar você, vamos fud** com você, seu cachorro." (DailyMail)

França: Desradicalização de jihadistas é um "Total Fiasco"
  • O relatório conclui que a desradicalização, seja em centros especializados ou em prisões, não funciona pelo fato da maioria dos radicais islâmicos não aceitarem a desradicalização.
  • Estima-se que haja na França cerca de 8.250 radicais islâmicos extremamente violentos, apenas 17 apresentaram a papelada e apenas nove de fato foram até lá. Nenhum dos residentes permaneceu para completar o currículo de dez meses.
  • Ao alojá-los em pavilhões prisionais separados, os islamistas na realidade se tornaram ainda mais violentos por se sentirem encorajados pelo que eles chamavam de "efeito grupal", segundo o Ministro da Justiça Jean-Jacques Urvoas.
  • "Desradicalizar uma pessoa não é um trabalho de seis meses. Essas pessoas, às quais não foram dadas um ideal e que ainda não abraçaram a ideologia do Estado Islâmico, não irão se livrar dela facilmente. Não há um abre-te sésamo" — Senadora Esther Benbassa.
  • "O programa de desradicalização é um total fiasco. Tudo tem que ser repensado, tudo deve ser redesenhado a partir do zero". — Senador Philippe Bas, presidente da Comissão do Senado que encomendou o relatório. (Gatestone Institute)
O profeta (a paz esteja com ele) disse: "Se encontrardes alguém fazendo como o povo de Lot fez, matai aquele que faz e aquele a quem a coisa é feita." (Hadice Abu Dawood 38:4447) -- PS. O "povo de Lot" são os homens que aparecem na Bíblia querendo fazer sexo com os homens que se hospedaram na casa de Lot (Gênese 19:4-5)
Arábia Saudita: Dois paquistaneses transgêneros torturados até a morte pela polícia
Dois transexuais, ambos nativos de Khyber-Pakhtunkhwa (K-P), morreram nesta terça-feira após terem sido submetidos a tortura por parte da polícia saudita em Riade por se vestirem como mulheres em público. Outras trinta e cinco pessoas transgênero foram presas por uma agência de aplicação da lei pelo mesmo motivo, algo considerado como crime no "reino das duas mesquitas sagradas." (Tribune Pakistan)

Halal - Boicote Halal 

Leia este artigo "Boicote Produtos Halal" para saber o que é "comida halal" e o porquê de boicotá-la. E visite os demais links.

História (Arte e Jahiliyya)

4 de março
- 1218: Destruição do Império Corásmio por Genghis Khan. O recém-criado Império Mongol fazia fronteira oeste com o Império Corásmio (Khwarezm). O Império Corásmio tinha governo islâmico sunita e etnicidade turcomana (povos turcos), e cobria uma região um pouco maior do que o Irã de atualmente. Em 1218, Genghis Khan desejava fazer comércio com eles e enviou emissários, que foram executados. Após outras tentativas, e novas execuções de seus emissários, Genghis Khan organizou um exército de 200 mil, e começou uma campanha em 1220, que culminou na destruição total do Império Corásmio para sempre.
Mas a questão do islão não é militar, e sim cultural e política. Ao se estabelecerem na região, que mais tarde se tornaria em um Canato Mongól, muitos mongóis acabaram se convertendo ao islamismo.
https://youtu.be/3ZL2Km1RKGc OK


Autorizada a emissão de documentos de identidade para mulheres usando o véu islâmico
O Brasil se rende sem que existe demanda para tal (noticiasUOL).

Brasil, colônia islâmica: governo avança cooperação militar com Emirados Árabes e Arábia Saudita
O Brasil está se tornando uma colônia islâmica muito rápido. Colaboração na área militar e estratégica com um país lá longe, com o qual não temos nada em comum, e ainda dizendo que iremos aprender sobre experiência das forças armadas dos Emirados? Não seria melhor ir na fonte, ou seja, os EUA? E que experiência militar os Emirados possuem? E a notícia ainda diz que o ministro da defesa pretende receber os árabes em academias militares brasileiras. Lamento informar, mas isso é uma política de infiltração, dentro de um processo de islamização das forças armadas brasileiras. As forças armadas é o último baluarte que nos resta. (Sociedade Militar)

Brasil e Emirados Árabes Unidos assinam acordo para isenção de visto.
POR QUE? (Jovem Pan)

Descoberta uma rota para a circulação de militantes islâmicos desde o Brasil até a América Central com a anuência da Venezuela
As autoridades de vários países sulamericanos foram alertadas para a existência de uma rota utilizada por prováveis extremistas islâmicos cuja passagem pela Venezuela foi documentada. Esses indivíduos em trânsito chegam por aeroportos internacionais no Brasil; e após um tempo, têm como destino a fronteira com a Venezuela, país que usam como acesso para chegar à Colômbia e, na sequência, provavelmente seguir a sua rota para a América Central e até mesmo os Estados Unidos. (Terça Livre)

A esquerda e seu caso de amor com o terrorismo islâmico internacional


Xeique Xiíta afirma conexão com Irã e acusa sunitas no Brasil de radicalizarem seus conversos

Muçulmanos no Brasil querem fim do judaísmo e cristianismo
É preciso ver o islamismo pelo que ele é, e não pelo que se gostaria que ele fosse. Quer saber como é o islamismo? Basta olhar como é o tratamento das minorias nos países de maioria populacional muçulmana. (Rodrigo Constantino)

"Muçulmanos brasileiros estão se radicalizando
Rodrigo Jalloul, clérigo xiita denuncia: "Existe pregação radical no Brasil"
Alguns xeques erram em focar muito a política e pouco a religião. Eles dizem abertamente que os xiitas são hereges e malditos. Os brasileiros que se convertem não conhecem a história da religião e acabam caindo nessa farsa. A radicalização dos muçulmanos brasileiros deve-se ao excesso de informação disponível, mas sem um filtro adequado. Certa vez, encontrei uma muçulmana sunita na porta da mesquita do Brás e convidei-a para entrar. Ela se recusou, pois um xeque sunita lhe havia dito que se tratava de um lugar maldito. Era uma jovem normal, mas com uma visão totalmente radicalizada da religião. O wahabismo e o salafismo, que são as subcategorias mais radicais do sunismo, têm se manifestado de modo muito forte no Brasil. Isso é uma ameaça. A radicalização que afeta jovens na Europa também está acontecendo no Brasil. Todo cuidado é pouco." (agradecimentos ao O Antagonista )
http://m.oantagonista.com/posts/muculmanos-brasileiros-estao-se-radicalizando



Malásia: ativista reclama do "colonialismo árabe" 
A ativista social e filha de um ex-primeiro ministro, Datin Paduka Marina Mahathir vem criticando o que ela chama de "arabização" do islamismo na Malásia. Ela diz, por exemplo, que o traje tradicional “baju Melayu” vem sendo substituido pelo hijab. Um número crescente de malaios estão emulando as  mais atrasadas (por falta de um termo melhor) tradições árabes no dia-a-dia. Mulheres vestindo o niqab, homens crescendo barbas longas, separação entre os sexos em espaços públicos, condenação de antigas tradições malaias como não-islâmicas, e até a substituição de palavras comuns malaias por palavras árabes. (Malay Mail)

França: Parlamento Europeu deseja prender Marine Le Pen
O Parlamento Europeu revogou a imunidade da candidata à presidência da França, Marine Le Pen, sob a justificativa que ela está "promovendo ódio" ao denunciar as atrocidades cometidas pelo ISIS. O fato é que as elites que governam a União Européia, composta em grande parte pela Esquerda pró-islâmica, estão em pânico com o crescimento da Le Pen e querem pará-la de todos os modos. Isso irá a tornar mais popular ainda, a exemplo de Geert Wilders na Holanda. Estas elites estão perdendo o debate e tentam cercear a liberdade de expressão daqueles que pensam diferente delas, monstrando todo o seu autoritarismo   (Independent).

Canadá: parlamento aprova moção que condena a "islamofobia" sem definir o que isso significa
O parlamento canadense é controlado pelo "Partido Liberal" (que se tornou uma espécia de "Partido Islâmico do Canadá"). Mais de 70% do povo canadense é contra esta moção. (CBC)

Canadá: refugiado da Somália toma posse como Ministro da Imigração
E, curiosamente, o número de somalianos que estão "fugindo" dos EUA e entrando ilegalmente no Canadá está batendo recordes. (hypeness)

Canadá: muçulmanos rezam em saguão de hotel ... ao invés de rezarem no seu quarto
Château Montebello, Província de Quebec.
Rezar em saguão de hotel é considerado algo inconveniente pelas pessoas normais, notadamente sabendo-se que os hóspedes têm seus próprios quartos. Mas não para muçulmanos, que desejam tomar posse. Seria natural que alguém pedisse para estes fervorosos muçulmanos irem rezar em algum lugar mais apropriado. Mas as pessoas têm medo de serem acusadas de racistas ou xenófoboas ou islamófobas. Ou, pior, da policia ser chamada e elas terem que prestar depoimento e serem incomodadas, duplamente. Este é o estágio de intimidação que o povo canadense enfrenta, instigado pelo seu próprio governo, liderado pelo pró-islamista Justin Trudeau.
Perguntas:
1- Eles não têm um quarto PRIVADO para ir e orar?
2- Se não tem, eles não são hóspedes e o que eles estão fazendo no hotel?
3- O Islã é uma ideologia política?
4- Esta é uma nova maneira de criar uma atmosfera de angústia e se fazer de vítimia caso algúm infiél reclame?
5- Os Imãs lhes disseram que eles se vestissem como muçulmanos e rezassem em todos os lugares?
6- Qual é o propósito de tais orações em público? Religião ou propaganda? Alguém pode ter um tempo íntimo com o criador orando no saguão de um hotel?
7- Ou isso seria uma exibição de dominação com a intenção de atrair a atenção, afirmar sua presença islâmica e desafiar a cultura nativa com a intenção de conquista-la?
https://vladtepesblog.com/2017/03/16/chateau-montebello-qc-canada/


Dinamarca: governo irá cortar os benefícios sociais das muçulmanas que recusarem um emprego sob a alegação que não podem usar o véu
Reação aos problemas causados pelos supremacistas islâmicos na Dinamarca (Speiza).

Suécia: imigrantes muçulmanos sendo treinados como guardas presidiários 
Será que a Suécia não sabe que uma das maiores fontes do radicalismo islâmico é a pregação islâmica nas prisões (Breitbart).

Grã-Bretanha: estado de sitio não declarado: tropa de elite irá ficar estacionada permanentemente em Londres
para que novos ataques terroristas sejam respondidos rapidamente (DailyMail)

Bélgica: 51 organizações islâmicas de Bruxelas ligadas ao terrorismo
A polícia tem feito operações de busca no bairro islâmico de Molenbeek, considerado pelo jornal The Guardian como a Central da Jihad na Europa. Das 1.617 organizações islâmicas de Molenbeek, 51 tem ligações com o terrorismo. (Clarion)

Áustria não aguenta mais a "invasão" e quer abandonar o sistema de quotas imposto pelos burocratas da União Européia em Bruxelas
Governo austríaco diz que Áustria já cumpriu o seu papel. (RT)

Grécia chegou no limite e não irá aceitar refugiados retornados dos países europeus
O "Acordo de Dublin" diz que refugiados podem ser enviados de volta para o país europeu de entrada. O governo grego alega que a Grécia não tem condições de receber mais refugiados. (RT)



Alemanha: polícia e imprensa tentam esconder autor de novo atentado à machado
Sete pessoas, incluindo 2 policiais, ficaram feridas quando um homem empunhando um machado atacou a multidão em uma estação de trem em Dusseldorf. Suas vítimas incluíram 3 homens, 1 mulher e 1 menina de 13 anos de idade, com a adolescente sofrendo lacerações em seu braço. 3 das vítimas ficaram gravemente feridas e estão em estado crítico. O atacante é um muçulmano do Kosovo e um imigrante candidato a asilo chamado Fatmir H. (Frontpage)

França: homem morto no aerporto de Orly após roubar arma de policial
Ziyed Ben Belgacem foi morto após apontar uma pistola para a cabeça da policial feminina dizendo que ele queria "matá-la por Alá." (BBC)

Dinamarca: casal atacado por comer pizza contendo carne de porco
O casal foi atacado por quarto pessoas de "origem não-européia" na Pizzeria Eiffel, em Nygade em Silkeborg. "Origem não européia" ... hum ... quem se ofende com carne de porco a ponto de atacar os outros? (BT)

Grã-Bretanha: maometano mata cinco em Londres usando a "faca de Alá" e um "carro infiél"
A foto mostra claramente que ele é um maometano (Khalid Massod é o seu nome). Nenhum outro usa barba ridícula deste jeito. O sujeito atropelou pelo menos 20 na Ponte Westminster e depois atacou a polícia com uma faca em frente ao parlamento britânico. Vão dizer que ele é louco. Sim, verdade. Louco de amor por Maomé e seu alter-ego Alá. (Daily Mail)


Gra-Bretanha: leitores da Al-Jazeera e Estado Islâmico celebram o atentado em Londres
E o prefeito de Londres ficou em silêncio por várias horas antes de emitir uma note lacônica, dizendo que "ataques terroristas fazem parte da vida de uma grande cidade." (Express, Independent)


Grã-Bretanha: prefeito muçulmano de Londres diz que "terrorismo é comum em grandes cidades"
Ele se esqueceu que em Tóquio, a maior cidade do mundo, isso não acontece. (Observador)

Canadá: aeroporto de Montreal infiltrado por "elementos radicais"
Um relatório divulgado na estação de TV francesa Quebec TVA alega que quatro funcionários do Aeroporto Internacional de Trudeau em Montreal foram despojados de sua autorização de segurança devido a preocupações de radicalização e apoio ao Estado Islâmico, informou o Toronto Sun e CBC News. Pelo menos um funcionário tinha acesso a pistas e foi investigado pela polícia. (CIJ News)

Jihad Demográfica

Espanha: muçulmanos querem casar com cristãs para espalhar “a verdadeira religião”
Grupo muçulmano anônimo passou a espalhar centenas de cartazes em um bairro da cidade de Barcelona, na Espanha, estimulando aos homens muçulmanos a busca por mulheres cristãs e judias, para ensiná-las que “o Islã é a verdadeira religião”. (Gospelmais)

Jihad da Vitimização 

Muçulmano canadense forja ameaça de bomba contra muçulmanos, alegando ser da "extrema-direita"
polícia descobriu que as ameaças de um grupo racista fictício (Conselho dos Cidadãos Conservativos do Canadá) contra os muçulmanos da Universidade Concórdia foram feitas por um muçulmano, Hisham Saadi. Mais um crime inventado para se fazer de vítima. (National Post)

Canadá: homem que ameaçava atirar nos outros dentro de uma mesquita é ... muçulmano
Omid Ghaffouri, residente em London, província de Ontário, foi preso e acusado de proferir ameaças, perturbar cerimônia religiosa e se recusar a sair do prédio quando indicado. (Metro News)



França: vitória para a liberdade de expressão
Em uma vitória para a liberdade de expressão e um revés para os lobistas da islamofobia e seus apoiadores, um tribunal francês rejeitou as queixas civis e criminais apresentadas contra um historiador francês por um grupo de lobby islâmico. Em 2016, o Comité contra a Islamophobia em França (CCIF) apresentou queixas por incitamento ao ódio racial contra Georges Bensoussan, especialista em história cultural europeia dos séculos XIX e XX. Em entrevista à Radio France em 2015, Bensoussan se referiu a um documentário televisivo do sociólogo argelino Smaïn Laacher, que ele parafraseou dizendo que "em famílias árabes em França ... o antissemitismo é amamentado para as crianças". O CCIF aproveitou imediatamente esta oportunidade para atacar Bensoussan, descrevendo suas declarações como islamofóbicas.
No julgamento, um grupo de testemunhas distintas testemunharam a favor de Bensoussan. O eminente filósofo  Alain Finkielraut alertou os juízes de que "um movimento anti-racista abusivo está pedindo ao tribunal que criminalize uma preocupação legítima, em vez de combater o que deu origem a essa preocupação. Se o tribunal se submeter a essa exigência, será uma catástrofe intelectual e moral." Bensoussan foi absolvido de todas as acusações. (Clarion)

Mesquitas: lugar de oração ou central de operação?

Grécia: armas e munição encontradas em mesquita; imã foi preso
A mesquita fica localizada a meia hora da fronteira com a Turquia (Neos Cosmos)


Países islâmicos planejam "ações legais" para impor lei da blasfêmia à nível internacional
Ministros do Exterior de países islâmicos, reunidos no Paquistão, decidiram levar para a ONU os casos de blasfêmia encontrados nas redes sociais. "Houve unanimidade entre os participantes de que toda a Ummah [nação] muçulmana está unida para proteger a santidade e a dignidade da religião e do Santo Profeta Maomé (PBUH)." (Gulf Today)

Canadá: muçulmanos rezam em saguão de hotel ... ao invés de rezarem no seu quarto
Château Montebello, Província de Quebec.
Rezar em saguão de hotel é considerado algo inconveniente pelas pessoas normais, notadamente sabendo-se que os hóspedes têm seus próprios quartos. Mas não para muçulmanos, que desejam tomar posse. Seria natural que alguém pedisse para estes fervorosos muçulmanos irem rezar em algum lugar mais apropriado. Mas as pessoas têm medo de serem acusadas de racistas ou xenófoboas ou islamófobas. Ou, pior, da policia ser chamada e elas terem que prestar depoimento e serem incomodadas, duplamente. Este é o estágio de intimidação que o povo canadense enfrenta, instigado pelo seu próprio governo, liderado pelo pró-islamista Justin Trudeau.
Perguntas:
1- Eles não têm um quarto PRIVADO para ir e orar?
2- Se não tem, eles não são hóspedes e o que eles estão fazendo no hotel?
3- O Islã é uma ideologia política?
4- Esta é uma nova maneira de criar uma atmosfera de angústia e se fazer de vítimia caso algúm infiél reclame?
5- Os Imãs lhes disseram que eles se vestissem como muçulmanos e rezassem em todos os lugares?
6- Qual é o propósito de tais orações em público? Religião ou propaganda? Alguém pode ter um tempo íntimo com o criador orando no saguão de um hotel?
7- Ou isso seria uma exibição de dominação com a intenção de atrair a atenção, afirmar sua presença islâmica e desafiar a cultura nativa com a intenção de conquista-la?

https://vladtepesblog.com/2017/03/16/chateau-montebello-qc-canada/



Perseguição Cristãos: Parte 1Parte 2
"Lute contra aqueles que não acreditam em Alá ou no Último Dia, que não proíbem o que foi proibido por Alá e Seu Mensageiro, e  que não reconhecem a Religião da Verdade (islão), mesmo que sejam do Povo do Livro (cristãos e judeus), até que paguem o imposto tributo jizyah em submissão, sentindo-se subjugados e humilhados. "[Outra tradução diz:] "paguem o imposto em reconhecimento da nossa superioridade e do seu estado de sujeição". (Alcorão 9:29)
Iraque: os cristãos podem nunca serem capazes de retornar a Mosul: o Estado islâmico criou nova geração de jihadis
O Oriente Médio é o berço do cristianismo, mas os jihadis provocaram o quase total desaparecimento dos cristãos do Oriente Médio. Um vigário - Padre Daniel - disse que "a ideologia destrutiva do culto de terror já se espalhou para a próxima geração" de crianças e adverte: "Seria muito difícil para as crianças cristãs se reunirem com as crianças muçulmanas em Mosul, elas não se adaptariam umas às outras, pois as crianças em Mosul têm sido treinadas como "filhotes de califatos", mergulhadas na doutrina jihadista e familiarizadas com a violência nauseante. (Express

Bangladesh: cristãos paquistaneses refugiados são discriminados pela ONU
Cristãos paquistaneses pedem reformas durante uma reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU-sede de Bangladesh. Eles pleiteiam uma mudança no processo de asilo e recebimento de refugiados feito pelo a pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU- sede de Bangladesh, que atualmente, utiliza um processo da ONU "modificado" e que parece ser deliberadamente querer prejudicar os cristãos paquistaneses que compõem o maior corpo de requerentes de asilo na Tailândia. (British Pakistani Christians; British Pakistani Christians; British Pakistani Christians)

Egito: cristãos fugindo de suas casas sob ameaças do Estado Islâmico
Filial do Estado Islâmico no Egito manda aviso aos cristãos para que eles "fujam ou morram". Quarenta cristãos já foram assassinados em apenas três meses, mas autoridades não estão tomando as devidas providências contra a perseguição religiosa no local, denuncia Bispo (Gospelmais). Se não são os salafistas, é a Irmandade Muçulmana, ou a Al-Qaeda. E agora, o Estado Islâmico.

Sudão “declarou guerra aos cristãos”, diz pastor preso; Templos estão sendo demolidos
O governo do Sudão continua na sua luta pela erradicação do cristianismo do Sudão. Isso se chama Genocídio. (Gospelmais)

"Lute contra aqueles que não acreditam em Alá ou no Último Dia, que não proíbem o que foi proibido por Alá e Seu Mensageiro, e  que não reconhecem a Religião da Verdade (islão), mesmo que sejam do Povo do Livro (cristãos e judeus), até que paguem o imposto tributo jizyah em submissão, sentindo-se subjugados e humilhados. "[Outra tradução diz:] "paguem o imposto em reconhecimento da nossa superioridade e do seu estado de sujeição". (Alcorão 9:29)