segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Islão: QUEM, O QUE, COMO. Vídeo para crianças (e adultos)


Este vídeo resume muito bem a essência do islã (ou islão, ou islamismo). Os pontos principais são apresentados abaixo. Assista ao vídeo e o compartilhe.


Pontos essenciais feitos no vídeo (o mesmo vídeo também em outros idiomas neste link):

Islão, QUEM:
Existe apenas um deus, Alá, e um último mensageiro, Maomé.
Islão, O QUE: Al Walaa wal Baraa.
Al Walaa. Ame o Islã e os todos muçulmanos. Seja bom para todos os muçulmanos. 
Wal Baraa. Seja contra tudo e contra todos os outros. Odeie todos os demais.
Islão: COMO: Hégira e Jihad. 
Hégira. Muçulmanos devem se mudar para um lugar e assumirem o controle.
Jihad. A principal parte da Jihad é: muçulmanos devem assumir o controle de qualquer modo possível.  
Guerra está bem, se for preciso. Trapaça é melhor. Em geral, vale tudo para obter sucesso.
O que se tem ao final de tudo isso? O Califado.
Califado: O Islão governa o mundo. Em toda parte, todos devem seguir o Islã.
Algumas regras do Islão:
  • Você não pode deixar o Islã (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • Você não tem permissão para criticar o Islã (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • Você pode bater na sua esposa (apenas se ela não obedecer).
  • Você não tem permissão para criticar o Islã (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • Não é OK ter cachorro em casa. 
  • Mas você pode ter escravos.
  • Todos os não muçulmanos são káfirs imundos e tem que pagar um imposto especial (jizia). Esta é a regra. 
  • Mas é contra as regras desenhar Maomé (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • E você não pode nunca mudar as regras  (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • O homem é sempre o chefe. A mulher nunca é o chefe.
  • Mulheres são chamadas de estúpidas e fracas. 
  • 'Não muçulmanos' são chamados de káfirs imundos, o que é muito ruim.
  • Muçulmanos são sempre os chefes. Káfirs nunca são chefes.
  • E quanto a gays e lébicas - no Islã, é morte para todos eles. 
No Islã, existem muitas regras - como cortar as mãos por roubo. Mas nós não precisamos olhar para todos os detalhes.

Eles dizem que todas as religiões estão erradas e são ruins.  Sim. De acordo com o Islã, todas as outras religiões estão erradas, então no fim vão desaparecer.

Mas eles não acreditam que cristãos e judeus são OK? Isso foi alterado há muito tempo, 1400 anos atrás. Isso foi ab-rogado.
Ab-rogar. Significa que existe uma regra. Então vem uma outra. A mais antiga cai fora. Apenas a nova regra vale. 

Abaixo, vídeo original em inglês com legendas.


domingo, 20 de agosto de 2017

Quem matou Maomé?


Um vídeo no qual David Woods discute quem matou Maomé, segundo as próprias escrituras islâmicas. O desfecho é supreendente.



Grato ao canal do YouTube Logos Apologética https://youtu.be/KRU0MvTMupU


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O camelô Muhammad, a "indústria da imigração" e a desonestidade política


O rompante de um camelô no Rio contra uma barraquinha de um muçulmano gerou convulsão na imprensa e nas redes sociais. É claro que a reação deste camelô não é mais apropriada para lidar com muçulmanos. Nós devemos lembrar que o problema do islamismo é o islamismo e não os muçulmanos. Muçulmanos são pessoas e tem os mesmos direitos humanos que quaisquer outros. O islamismo não.
Direitos Humanos se aplicam a pessoas e não a ideologias ou religiões. 
Devemos nos enfocar no islamismo e na sua implementação política, algo resumido no artigo Lei-Islâmica (Sharia), resumo do que não presta, e discutido um pouco mais a fundo no livro Lei-Islâmica (Sharia) para o não muçulmano. O Alcorão, e as Tradições de Maomé (Sunna), podem ser usados, sim, como um manual de guerra e a doutrina da Jihad é algo intrínsico (e único) ao islamismo.

Ao se tratar com muçulmanos, é preciso perguntar sobre as suas posições quanto à lei islâmica. Digo isso porque existem muitos muçulmanos que são contra a Sharia. E esse pode ser o caso do camelô muçulmano que foi acossado no Rio. Um muçulmano que seja contra a Sharia, bem como um ex-muçulmano, torna-se um grande aliado na luta contra a Sharia e a Jihad Global.

O problema é como os brasileiros, notadamente os mais pobres, são tratados com o crescimento do influxo de imigrantes e refugiados, incluindo-se aí o de muçulmanos. Tanto o governo, quanto ONGs e grupos (inclusive cristãos) estão formando o que eu chamaria de uma "indústria da imigração" (*), que parte do pressuposto que os brasileiros são intolerantes, e se utiliza de incidentes pouco frequentes para generalizar um fenômeno que não existe. Estas organizações, junto com uma parcela de setores políticos (pertencentes a partidos dos mais diversos, por exemplo, PT, PC do B, PMDB, PSDB) acabam criando condições privilegiadas para os imigrantes, condições essas negadas a brasileiros natos, em geral pertencentes às camadas mais pobres.
(*) A "industria da imigração" funciona deste modo. Organizações recebem recursos, sejam do exterior, seja do governo, para ajudarem os imigrantes. Quanto mais imigrantes, mais dinheiro. Deste modo, estas organizações passam a lutar pela ampliação da imigração (como visto no trâmite da votação da Lei da Migração), pois isso garante a longevidade delas, bem como o bem-estar dos seus dirigentes. 
O que começa a acontecer hoje com os brasileiros mais pobres é o mesmo que aconteceu com os negros no final do Império e começo da República: a prioridade é dada aos extrangeiros. Naquela época, os negros foram abandonados. Hoje, os brasileiros das camadas mais pobres estão sendo abandonados, mesmo por aqueles que reclamam da "dívida histórica" para com os negros. Uma nova "dívida histórica" está sendo criada.

Existem diversos exemplos disso, seja na indústria de abate (que contrata apenas muçulmanos para o abate halal - discriminação em base religiosa), seja, neste caso, na recusa de licença para trabalhar como camelô de rua. No vídeo abaixo, um brasileiro reclama estar pedindo autorização para vender na rua desde 2009, mas um muçulmano recém-chegado já tem a sua. O brasileiro reclama desta discriminação, dizendo ser também um "refugiado" por morar na favela com tiroteio, pessoas matando e morrendo, vivendo em um verdadeiro terrorismo. Os brasileiros valem menos que refugiados na sua própria terra.

Brasileiros preteridos por muçulmanos no comércio de rua

Um camelô brasileiro acabou se revoltando contra um camelô muçulmano. A imprensa não quiz saber o motivo deste rompante. Este camelô brasileiro foi logo taxado de racista, e uma campanha apelativa começou. Os brasileiros foram acusados de serem intolerantes, mesmo tendo-se criado uma enorme demanda para se comprar dos quitutes árabes da barraquinha do Muhammad. O incidente serviu de promoção para este vendedor de rua e do seu comércio.

O evento também foi explorado politicamente de modo até mesmo desonesto. Um artigo de Willy Delvalle em um blog de viés de Esquerda usou o evento para fazer propaganda contra um político. O artigo, cujo título é Como Bolsonaro virou ponta de lança da nova mania da direita brasileira: a islamofobia se utiliza do incidente com o camelô Muhammad, bem como de outros incidentes isolados, para culpar o Bolsonaro pela suposta islamofobia dos brasileiros. Eu não tenho nada com o Bolsonaro. Na verdade, eu gostaria que existisse no Brasil uma Esquerda nacionalista como a de outrora, e não a globalizante da atualidade. Mas o fato é que o Bolsonaro não tem absolutamente nada a ver com a revolta do camelô brasileiro: não é o Bolsonaro que dá licença para o trabalho de rua no Rio.

Este artigo cita um vídeo da Hebráica (veja abaixo), compartilhado por Bolsonaro, que fala sobre Jerusalém. O vídeo é historicamente correto. Mas o autor do artigo não sabe história. Ele critica citações sobre Jerusalém feitas no vídeo:  
Jerusalém, ela não é citada nenhuma vez no Alcorão, livro sagrado para o Islã. [O vídeo] Também defende que os judeus chegaram primeiro. Que, sob o domínio muçulmano, as outras religiões eram consideradas infiéis. Que se a cidade fosse realmente sagrada, por que os islâmicos rezariam voltados para Meca, e não para Jerusalém, como fazem os judeus?
Estas afirmações são verdadeiras! Qual o problema? Desde quando citar história se tornou xenofobia? Ou o autor do artigo é tão contra Bolsonaro que ele deixaria de respirar se Bolsonaro elogiasse o oxigênio?

Eu tratei sobre o Jerusalém no artigo Jerusalém, Al Aqsa, e o supremacismo islâmico.

O artigo de Willy Delvalle termina criticando os judeus e elogiando a Autoridade Palestina por pagar salário às famílias dos palestinos que assassinam israelenses. Isso é algo repugnante!

Que a definição de islamofobia feita pelo grande Christopher Hitchens sirva para Willy Delvalle abrir os seus olhos e a sua mente.


(Leia mais sobre islamofobia neste link)

Outro artigo que chamou a atenção foi publicado por Cléo Guimarães, no seu blog, intitulado Manifestantes chamam muçulmanos de assassinos pedófilos no Arpoador. Ela critica uma manifestação de evangélicos que ocorreu no bairro carioca do Arpoador. Eu não sei se a autora escreve sempre que existe manifestação contra algum grupo ou se ela se incomoda apenas quando o assunto é o islamismo. Contudo, fica aqui o meu comentário e sugestão para aqueles que desejem se manifestar: critiquem o islamismo como ideologia política e Maomé como o criminoso histórico que ele foi.

Não chamem os muçulmanos de pedófilos. Se existem muçulmanos pedófilos, não é o problema. O problema é que Maomé, o exemplo de conduta, foi um pedófilo (ao se casar com Aisha, 6 anos, quando ele tinha mais de 50) e que, devido a isso, casamento de menores é legislado pela lei islâmica (Sharia).

Não chamem muçulmanos de assassinos. Existem muçulmanos assassinos, mas o problema é o que os levou a cometerem assassinato. Por exemplo, assassinar uma pessoa por ela fazer uma análise crítica de Maomé é uma imitação do comportamento de Maomé, que assassinou os seus críticos. E Maomé é o homem perfeito.

Por favor, critiquem a ideologia e o seu fundador, pois ambos merecem crítica. Mas nunca critiquem muçulmanos em termos gerais, apenas em algo específico. Por exemplo, a pessoa que atropelou mais de 100 em Barcelona ontem é um psicopata assassino. Ele é muçulmano. Fica a pergunta se o que o levou a cometer este ato bárbaro foi o conceito de Jihad.

Denunciem a perseguição que os cristãos, bem como as demais minorias religiosas (por exemplo, os Baha'í no Irã), os ateus, os ex-muçulmanos e os homossexuais, sofrem no mundo islâmico.

Denunciem a situação de Asia Bibi, que está apodrecendo na prisão do Paquistão pelo crime de ter dito que Jesus é maior do que Maomé.

E discutir isso tudo não é xenofobia, islamofobia, racismo ou qualquer outro termo usado para calar aqueles que desejam discutir sobre a Jihad e a Sharia. Muito pelo contrário. Ficar calado é o que está errado.

O vídeo da Hebraica
https://youtu.be/d1P5PV3Up-8


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Atualizações em julho de 2017

Veja o que entrou de novo no blog em julho de 2017, exemplificando a aplicação da lei islâmica Sharia ao redor do mundo, seja por governos de países com maioria muçulmana, grupos islâmicos ou mesmo ações individuais.

Wafa-Sultan, síria e ex-muçulmana, comenta sobre o péssimo exemplo que Maomé oferece devido aos seus crimes durante a sua vida
Ela corretamente diz que não existe diferença entre islão moderado e radical, e narra o assassinato de Asma bint Marwan.


Apostasia

Nigéria: muçulmanos assassinam oito pessoas como "apóstatas que deixaram a nação do Islã"
Eles estavam com os olhos vendados e deitados de bruços no chão quando foram fuzilados por quatro homens armados mascarados. Imagens mostraram a multidão festejando. Um homem que usava um turbante branco disse à multidão antes da execução que os aldeões condenados eram "apóstatas (que) deixaram a nação do Islã".
Http://www.dailymail.co.uk/wires/afp/article-4685476/Boko-Haram-executes-eight-defying-Sharia-police-video.html



Direitos das Mulheres sob o Islão: Parte 3Parte 2Parte 1
A imigração muçulmana aliada ao políticamente correto do Ocidente estão tornando as mulheres ocidentais igualmente sem defesa frente ao avanço implacável da Sharia.
Grã-Bretanha: 3 ataques com ácido por semana são relatados em Londres
Dados da polícia metropolitana indicam um aumento de 83% este ano. (RT)

Grã-Bretanha: migrante sírio que traficou e agrediu sexualmente duas garotas, 13 e 14, enquanto sob fiança por estuprar um jovem de 17 anos, é condenado a 12 anos de prisão
Zohair Tomari, 20 anos, convidou uma vítima de 17 anos e sua amiga para o apartamento. Ele então embebedou a menina mais velha antes de violá-la. Mas ele recebeu a fiança e, em liberdade, passou a traficar duas adolescentes mais jovens.  Elas foram seduzidas em um carro e tomaram bebidas e cigarros antes de serem conduzidas para um apartamento em Foleshill, Coventry, onde ele as atacou sexualmente (Daily Mail).

Dinamarca: adolescente sendo processada por usar spray de pimenta para evitar estupro
Uma garota de 17 anos se salvou de estupro usando spray de pimenta. O agressor era um homem descrito como "de pele escura" no centro de Sønderborg. Mas usar spray de pimenta é ilegal e ela responde a processo. O uso de spray de pimenta se tornou comum entre as mulheres pois a polícia é incapaz de protegê-las da onda de ataques sexuais de requerentes de asilo e refugiados. (tribunist)

Alemanha: mulher abre "mesquita liberal" em Berlin. Agora, ameaçada de morte, precisa de proteção policial
Seyran Ates, uma feminista liberal - uma advogada descendente de turcos que migraram para a Alemanha - abriu uma mesquita "liberal" onde mulheres, homossexuais, xiitas e curdos poderiam rezar no mesmo local que homens sunitas turcos pró-Erdogan. Ela (uma mulher) seria a líder religiosa. Mas não demorou nem 1 mês após a abertura da "Mesquita Liberal" para que ela começasse a receber ameaças de morte, além de fatwas oriundas do "mundo muçulmano." Esse episódio ilustra bem toda a "tolerância" da ideologia islâmica. Onde isso ocorre? Em algum país islâmico que segue a Lei Sharia? NÃO, em Berlim, na Alemanha "multiculturalista" e "politicamente correta" de Merkel. (Breitbart)

Arábia Saudita: mulher se filma de mini-saia na rua; muçulmanos a querem morta
O escritor Ibrahim al-Munayif se aliou aos usuários que viram a audácia como uma infração e destacou que permitir a quebra das leis levaria o país ao caos.  (O Globo)

Austrália: poligamia e pedofilia (casamento de meninas) cada vez mais comuns
Um clérigo xiíta denuncia esta prática. A imprensa australiana comprova as ocorrências. O governo ignora o problema. E os demais clérigos e líderes muçulmanos aproveitam e avançam a lei islâmica (Sharia).


Canadá: dois ex-bispos Mórmons culpados de poligamia por tribunal canadense
A Suprema Corte da província da Columbia Britânica condenou dois ex-bispos mórmons de poligamaia. Um deles, de 60 anos, era casado com 25 mulheres, enquanto que o outro, de 53, tinha 5 esposas. O caso estabelece um precendente importante. Existia incerteza sobre se a seção do Código Penal que proíbe a poligamia violava os seus direitos religiosos até 2011, quando a Suprema Corte decidiu que a lei era constitucional e que a poligamia é um crime. O caso de desenrola até hoje. O caso para esta referência constitucional se baseia em que os danos da poligamia superam todas as reivindicações de liberdade de religião e incluem abuso físico e sexual, noivas infantis, subjugação de mulheres e expulsão de jovens, os chamados meninos perdidos, que não têm mulheres sobrando para se eles se casarem. Será que esta decisão vai ser aplicada sobre os muçulmanos no Canadá? (ctvnews)

Ex-modelo conta sua experiência como uma das 11 esposas de um saudita
Este artigo exemplifica bem o conceito islâmico do CASAMENTO TEMPORÁRIO, nada mais do que prostituição sagrada islâmica, praticada tanto por xiítas quanto por sunitas. (BBC)


EUA: muçulmano convertido da Virgínia "obcecado com o Islã" tentou se juntar aos militares dos EUA para imitar o assassino em massa da jihad no quartel Forte Hood
Ele era um hindu, mas se converteu ao islamismo, e foi ensinado sobre a doutrina da Jihad. (New India Times)

EUA: muçulmano convertido de Ohio se declarou culpado por tentar se juntar ao Estado islâmico e "conduzir a jihad violenta"
Me responda, foi ele quem corrompeu o islamismo ou foi o islamismo que o corrompeu? (Gephardt)

Iraque: mulher-bomba se explode segurando seu filho de colo
Ele fingiu estar fugindo do ISIS e quando passou passou por uma patrulha do exército iraquiano ela se explodiu, matando seu filho e alguns soldados. A foto mostra momentos antes dela detonar o gatilho da bomba. (Telegraph)


Costa Rica: homem preso por planejar explodir show the Ariana Grande, se comunicando em árabe
Caicedo Lopez é da Colombia (22 anos) e tinha enviado ameaças em árabe. Pelo nome ele deve ser recém-converso ao islamismo. (Daily Mail)



Leia este artigo "Boicote Produtos Halal" para saber o que é "comida halal" e o porquê de boicotá-la. E visite os demais links.



História (Arte e Jahiliyya)
  Síria: Estado Islâmico espalha bombas nos monumentos históricos de al-Rusafa
A cidade de al-Rusafa, cujo valor histórico é equivalente ao da célebre Palmira e tem mais de 1.500 anos. "As portas da cidade, a cidadela, a catedral de São Sérgio, a Basílica e os poços antigos, as paredes e torres da cidade, tudo está cheio de minas." O exército russo e sírio começarão a operação de desminagem destes lugares cristãos históricos nas próximas semanas. Antes do ISIS a cidade foi um importante centro de peregrinação da província de Al Raqa, pois ali aconteceu a perseguição de Diocleciano a São Sérgio, que foi um militar romano do século IV que foi martirizado (SOS Cristianos en Siria).


Islamização do Brasil

Al-Arifi, xeique wahabista que visitou o Brasil, foi banido pela Dinamarca por dois anos, acusado de "pregar o ódio" 
Muhammad Al-Arifi é notório promotor do salafismo/wahabismo. Ele esteve no Brasil inspecionando o processo de islamização. Entrou no Brasil como quiz, apesar de estar banido não apenas na Dinamarca, mas também na Grã-Bretanha, na Argélia, ... (RT). Outros 3 xeiques islâmicos promotores do salafismo/wahabismo também foram banidos. São eles: Salman al-Ouda (Arábia Saudita), Mohammed Rateb al-Nabulsi (Siria) e Kamal El-Mekki (EUA).

Os paquistaneses que invadiram o interior do Brasil estão dando calote
Eles têm usado serviços básicos na cidade de Estreito, como mototáxi e restaurantes, sem efetuarem nenhum tipo de pagamento. Ninguém até o momento denunciou os atos formalmente na delegacia, mas é grande a insatisfação. (Luis Cardoso)

Frutos da imigração islâmica: pelo menos 61 refugiados que entraram nos EUA se envolveram com terrorismo
Relatório da Heritage Foundation cobre o período entre 2002 a 2016. Se isso acontece nos EUA, pode muito bem acontecer no Brasil. (Fox)

Frutos da imigração islâmica: patrulhas islâmicas nas ruas de Berlin
"Eles vieram para a Alemanha porque queriam viver na Alemanha, mas continuam se empenhando em transformar o país em uma nova Chechênia com seus costumes medievais." (Gatestone) Se isso acontece na Alemanha, pode muito bem acontecer no Brasil.

Frutos da imigração islâmica: o estabelecimento de grupos terroristas islâmicos na Inglaterra
Eles se estabeleceram à vista das autoridades que nada fazem com receito de serem chamadas de islamófibas (O Globo). Se isso acontece na Inglaterra, pode muito bem acontecer no Brasil.

Muçulmano ataca outro por desrespeitar Maomé em Rondônia
Os dois são imigrantes ilegais (rondonia atual).

Islamização do Mundo e Colapso do Ocidente – Exemplos   

Canadá: governo irá pedir desculpas e doar 10 milhões para ex-jihadista do Afeganistão
Omar Khadr é filho de um jihadista. Quando ele tinha 15 anos, ele estava em um prédio no Afeganistão que estava sendo inspecionado por soldados americanos. Ele atirou uma granada matando um médico. Ele foi preso e levado para Guantanamo, onde ficou vários anos após ser condenado. Mas ele tinha passaporte canadense, e a esquerda pró-islâmica canadense (que é numerosa) fez uma campanha para libertá-lo, alegando que ele era apenas uma criança, um coitadinho canadense preso pelos estadunidenses raivosos. Com Obama no poder dos EUA ele foi transferido para cumprir sua pena no Canadá. Agora, com Justin Trudeau no poder no Canadá, Omar Khadr foi liberado e agora o governo irá pedir perdão e doar 10 milhões de dólares canadenses. A porção da sociedade que ainda têm juízo reclama que o governo não apoia os veteranos que lutaramcontra a Al-Qaeda no Afeganistão, mas corre para ajudar um jihadista (AP, Canadian Taxpayer Coalition). Ser jihadista no Canadá pró-islâmico de Justin Trudeau e seu Partido Liberal compensa!

EUA: Trump manda CIA parar de apoiar os "rebeldes sírios"
Este programa começou com Obama, e financiava grupos jihadistas, alguns aliados ao Estado Islâmico. Este apoio é uma das causas da crise de refugiados (Observador)

EUA: polícia investiga imagem de Jesus deixada no muro de uma mesquita como "crime de ódio"
Este é o ponto que chegamos. Na tentativa de satisfazer as demandas islâmicas (para não serem acusados de racistas ou islamófobos) a polícia de Nova York está implementando a lei islâmica, Sharia, que proíbe que os cristãos mostrem "nossas cruzes ou os nossos livros nas estradas ou mercados dos muçulmanos." (referência: Condições de Umar) (NBC)

Alemanha: Bill Gates alerta sobre imigração sem controle
Em entrevista, ele disse, "Por um lado, você quer demonstrar generosidade e aceitar refugiados, mas quanto mais generoso você for, mais mais se pessoas falam sobre isso, o que, por sua vez, motiva mais pessoas a deixarem a África. A Alemanha não absorver o enorme número de pessoas que querem abrir caminho para a Europa." Por isso, Gates enfatizou que "a Europa deve tornar mais difícil para os africanos chegarem ao continente através das rotas de trânsito." (Breitbart)

Alemanha: doenças infecciosas que se espalham onde os refugiados se instalam
Instituto Robert Koch confirma um aumento generalizado de doenças desde 2015. Médicos acusam o RKI de minimizar o problema de saúde pública em um esforço para evitar alimentar os sentimentos anti-imigração. (Gatestone)

Alemanha: cabelereiro sírio, usado como "exemplo de integração", corta o pescoço da sua patroa
Ele começou a falar sobre Alá cada vez mais durante o trabalho (infoliberation)

Grã-Bretanha: vendedor de hamburguer levado à corte, multado por "discurso de ódio" por criticar o Islã
Ele não serviu um cliente depois de discordar com ele sobre o Islã, algo rude. Mas o cliente relatou-o à polícia por "discurso de ódio." A liberdade de expressão está morta na Grã-Bretanha. É ilegal manter pontos de vista críticos sobre o Islã ou sobre os muçulmanos. Se o vendedor tivesse criticado o cristianismo e os cristãos, e recusado o serviço a um cristão, ele poderia ter sido justamente criticado por isso, mas ele nunca teria sido multado por "discurso de ódio". (thenorthernecho)

Suíça: "Se você rejeitar nossa cultura, rejeitaremos seu pedido de cidadania"
Muçulmanos que se recusam a participar de atividades escolares ou apertar as mãos de professores tem pedido de cidadania rejeitado. (100pcfedup)

Suécia: Quando a islamização da Europa está encoberta pela liberdade de religião!
Moça do Tempo de telejornal do Iraque NÃO USA HIJAB, enquanto a que a Moça do Tempo de telejornal da Suécia USA HIJAB e é apoiada pela esquerda "politicamente correta" e "multiculturalista".
Por que apenas uma religião específica sempre exige estar em palco público com seu uniforme na Europa?
Suécia (esquerda) e Iraque (direita)


Como se preparar para um evento "conheça seus vizinhos muçulmanos"
Um artigo que descreve como estes eventos promovidos por mesquitas não passam de propaganda para enganar os trouxas, mostrando uma versão higienizada do islamismo.

Lei Islâmica Sharia e Dez Mandamentos: nada em comum
Artigo de Nonie Darwish explica que o islamismo foi criado 600 anos após o cristianismo não para afirmar a Bíblia, mas para descreditá-la; não para coexistir com o "povo do livro" - cristãos e judeus - mas para substituí-los. (Descurtindo o Islã)

Papa Francisco: "defensor do islamismo"
Ahmed Muhammad al-Tayyib, o Grão-Imã da Universidade Al-Azhar, no Egito, o maior centro islâmico do mundo sunita, agradeceu o Papa Francisco por defender o islamismo contra as acusações de violência e terrorismo." O Papa Francisco torna-se o primeiro papa a ter este reconhecimento. Até onde eu saiba, espera-se que o papa em Roma seja um defensor do cristianismo! (Crux)

PS. Por favor, não usem esta notícia para começar uma briguinha entre protestantes e católicos. Não existe nada mais improdutivo do que protestantes e católicos discutindo sobre diferenças que as pessoas de fora não enxergam. Além do mais, para o islamismo, ambos são kufar (infiéis) e merecem o mesmo tratamento!
Além do mais, o papa não é a única liderança religiosa que está errado com respeito ao islamismo. Existem muitos líderes protestantes e igrejas protestantes que tem feito muito pior. O problema é sério, muito sério.
PS2. Me refiro a todos os protestantes, incusive os evangélicos.




Grã-Bretanha: BBC promove punição contra blasfêmia
A BBC pediu desculpas depois que um tweet da BBC Asian Network perguntou: "Qual é o castigo certo para a blasfêmia?" O tweet provocou críticas de que a BBC parece estar endossando severas restrições ao discurso. Em uma desculpa publicada no Twitter, a rede disse que tinha a intenção de debater preocupações sobre a blasfêmia nas mídias sociais no Paquistão. "Nós nunca pretendemos implicar que a blasfêmia deveria ser punida", disse. (Gatestone





Mulher abre "mesquita liberal" em Berlin. Agora, ameaçada de morte precisa de proteção policial
Seyran Ates, uma feminista liberal - uma advogada descendente de turcos que migraram para a Alemanha - abriu uma mesquita "liberal" onde mulheres, homossexuais, xiitas e curdos poderiam rezar no mesmo local que homens sunitas turcos pró-Erdogan. Ela (uma mulher) seria a líder religiosa. Mas não demorou nem 1 mês após a abertura da "Mesquita Liberal" para que ela começasse a receber ameaças de morte, além de fatwas oriundas do "mundo muçulmano." Esse episódio ilustra bem toda a "tolerância" da ideologia islâmica. Onde isso ocorre? Em algum país islâmico que segue a Lei Sharia? NÃO, em Berlim, na Alemanha "multiculturalista" e "politicamente correta" de Merkel. (Breitbart)

Turquia diz que mesquita em Berlin onde homens e mulheres rezam lado a lado é "incompatível" com o Islã
De acordo com a agência de assuntos religiosos da Turquia, a mesquita "negligencia" os princípios básicos do Islã, sendo "incompatível com o culto, conhecimento e metodologia", acumulada desde que a fé foi fundada pelo profeta Maomé há 14 séculos. (France24)

Arcebispo alerta na França: muçulmanos dizem que "um dia tudo isso será nosso"
O Arcebispo de Estrasburgo, na França, criticou que atualmente o aborto seja permitido no país e considerou que isso, junto com a baixa taxa de natalidade e a alta fecundidade dos muçulmanos, fazem com que estes últimos afirmem que “um dia tudo isso será nosso.” (acidigital)

Perseguição aos Ateus
Logo infundirei o terror nos corações dos descrentes; decapitai-os e decepai-lhes os dedos! (Alcorão 8:12)
Os ateus secretos do Paquistão
Ser ateu no Paquistão pode trazer riscos à vida. Mas por trás das paredes, os descrentes estão se juntando para dar apoio uns aos outros. Como podem sobreviver em uma nação onde a blasfêmia carrega uma sentença de morte? (ex-muçulmanos)

Perseguição Cristãos: Parte 1Parte 2
"Lute contra aqueles que não acreditam em Alá ou no Último Dia, que não proíbem o que foi proibido por Alá e Seu Mensageiro, e  que não reconhecem a Religião da Verdade (islão), mesmo que sejam do Povo do Livro (cristãos e judeus), até que paguem o imposto tributo jizyah em submissão, sentindo-se subjugados e humilhados. "[Outra tradução diz:] "paguem o imposto em reconhecimento da nossa superioridade e do seu estado de sujeição". (Alcorão 9:29)
Quênia: muçulmanos pedem aos cristãos que "recitem dogmas islâmicos", e os assassina quando eles não são capazes de fazê-lo
Cristãos do litoral do Quênia estão com medo após matança de 13 não-muçulmanos.
http://morningstarnews.org/2017/07/christians-coastal-kenya-fearful-slaughter-13-non-muslims/

Suécia: Muçulmana se infiltra na igreja para descobrir os conversos ao cristianismo e os denunciar para comunidade islâmica
A polícia sueca diz que "falta recursos" e não consegue ajudar as famílias de ex-muçulmanos (apóstatas). Isso é vergonhoso no extremo. Os ex-muçulmanos deveriam ter a prioridade dentre daqueles que a polícia sueca deveria proteger.
http://www.israelnationalnews.com/News/News.aspx/232261

Paquistão: anúncio para trabalhadores de esgoto "apenas para não-muçulmanos"
A lei islâmica proíbe os não-muçulmanos de exercerem autoridade sobre os muçulmanos, relegando-os aos empregos mais servis da sociedade. O Alcorão diz que os politeístas (dentre os quais se incluem os cristãos por crerem na Trindade e na divindade de Cristo, ver o Alcorão 5:17, 5:72, 5:116) são "imundos" (9:28). Por isso, esta especificação é totalmente compatível com a Sharia.
http://www.humanrights.asia/news/ahrc-news/AHRC-STM-077-2017

EUA: protesto à frente a embaixada do Catar: 'Parem de Matar Cristãos!'
Membros do National Black Church Initiative (Iniciativa Nacional da Igreja Negra) fizeram este protesto. De acordo com o CIA World Factbook, quase 14 por cento da população qatari é cristã, cerca de 68 por cento muçulmanos, quase 3 por cento de budistas e o resto judeus, outros ou não afiliados. O Catar é o 20o país que mais persegue cristãos no mundo, segundo a Portas Abertas (Breitbart). 

Polônia: iraniano destrói igreja e acaba preso
Ele destruiu as janelas de uma igreja na cidade de Mokotow (VladTepes)

"Lute contra aqueles que não acreditam em Alá ou no Último Dia, que não proíbem o que foi proibido por Alá e Seu Mensageiro, e  que não reconhecem a Religião da Verdade (islão), mesmo que sejam do Povo do Livro (cristãos e judeus), até que paguem o imposto tributo jizyah em submissão, sentindo-se subjugados e humilhados. "[Outra tradução diz:] "paguem o imposto em reconhecimento da nossa superioridade e do seu estado de sujeição". (Alcorão 9:29)
É intrigante que exista mulher que se diga feminista, que exista algum ativista LGBT, ou que existe algum "progressista de esquerda" que defenda o islamismo e critique Israel

França: muçulmanos que planejavam "fumar alguns judeus" na Grande Sinagoga de Marselha recebem dois anos de prisão
O anti-semitismo cresce com o aumento da população islâmica (Times of Israel)

A Incessante Encenação das Mentiras Palestinas
Artigo de Bassam Tawil oferece exemplos da taqiyya, a mentira sagrada, sendo posta em prática na Jihad contra Israel e contra os judeus (Gatestone).

Detectores de Metais e Mentiras Palestinas
Terroristas assassinaram dois policiais israelenses no Monte do Templo. Os policiais assassinados estavam lá para garantir a segurança dos fiéis muçulmanos. Para aumentar a segurança, o governo de Israel resolveu instalar dois detectores de metal para acesso. Palestinos aproveitam a oportunidade e se fazem de vítima dizendo que Israel os está impedindo de irem rezar na mesquita. (Gatestone Institute)


Mas quando os meses sagrados tiverem transcorrido, mate os idólatras onde quer que você os encontre, e capturai-os, e cerque-os, e arme ciladas para eles usando de todos os estratagemas (da guerra); mas caso eles se arrependam, observem a oração e paguem o zakat [ou seja, se tornem muçulmanos], abra o caminho para eles. Sabei que Alá é Indulgente, Misericordiosíssimo. (Alcorão 9:5)
Índia: jihadistas atacam peregrinos hindús, 7 mortos e 12 feridos
Esta foi uma opração conjunta dos grupos islâmicos Lashkar-e-Taiba e Hizbul Mujahideen. (Economic Times)


Ultraje Eterno

Tanzânia: cristãos presos por cozinhar peixe na sua cozinha durante o Ramadã
Policiais os acusaram de quebrar a lei, e os ameaçaram dizendo "hoje vocês vão prender como jejuar." Os policiais impusaram a Sharia, apesar da Constitução da Tanzania, um país dividido entre cristãos e muçulmanos) estabelecer liberdade religiosa. (Christian Radio)

Iraque: modelo masculino morto pela sua aparência
O modelo Karar Nushi foi morto de modo brutal. Amigos dizem que ele foi morto por islamistas radicais por causa do modo que ele se vestia, pelo seu cabelo comprido e sua amizade com atrizes.  (Independent)

Índia: Muçulmanos assassinam homem de 65 anos revoltados com uma postagem no Facebook ... que não era dele
Ele foi atacado por uma multidão ensandecida de amor a Alá e apunhalado até a morte ao voltar para casa de moticicleta. (hindustantimes)



💣