sábado, 5 de maio de 2018

São Paulo: Muçulmanos do Senegal em confronto com a PM no Bairro do Brás


Vídeos mostram o confronto entre a polícia municipal e senegaleses muçulmanos que faziam comércio de rua de forma ilegal. Em geral, quando a polícia intervém para coibir o comércio ilegal, os ambulantes fogem (claro, tentando preserver suas mercadorias). Mas a atitude dos muçulmanos é de confronto com a polícia!

O Bairro do Brás tem visto uma chegada maciça e crescente de muçulmanos nos dois últimos anos. Eles vêm de Bangladesh, Marrocos, Mali, Mauritânia e outros países islâmicos, mas, principalmente do Senegal. Hoje em dia nas ruas do Brás os brasileiros já são minoria. Isso sem contar que muitas mulheres brasileiras estão se casando com os muçulmanos, jogando fora a sua cultura e crença, e se tornando muçulmanas!

Os senegaleses estão tentando tomar conta do comércio de rua e usam até mesmo de ameaças para este propósito. Os senegalesas são jovens e muito fortes, treinados para a luta e muitos sabem artes marciais. Quem fornece as mercadorias para eles é algo que permanece uma incógnita.

Pouco a pouco eles tentam afastar os ambulantes brasileiros, haitianos e angolanos (que na sua maioria são cristãos).

O Bairro do Brás se torna, pouco a pouco, na "Molenbeek Paulista" (Molenbeek é um bairro de Bruxelas, capital da Bélgica, conhecido como uma "zona proibida" (no-go zone), que se tornou famoso por ser um esconderijo de jihadistas que atuam na Europa).

Este problema passa totalmente despercebido pela população e sem qualquer tipo de menção pela imprensa.

Leia também:
Bélgica: Jihad pela causa de Alá em Bruxelas
Porque a Bélgica é o Marco Zero dos Jihadistas Europeus




6 comentários:

Rodrigo disse...

Tem q sentar a bala nesses vermes e mostrar quem manda nessa p***a!

Anônimo disse...

Baixa o porrete! Que polícia frouxa |é essa ???

Boroc disse...

https://gellerreport.com/2018/05/young-muslim-a-no-2-islam.html/

Leandro disse...

Que polícia mais destreinada! 3 policias para render 1 pessoa, o negócio tá ruim aí.

Anônimo disse...

Sou brasileiro, estudei 4 anos seguidos no bairro do Brás e é tudo verdade. Antigamente a imigração majoritária nesse bairro era de italianos que traziam contigo o cristianismo, hoje é de mulçumanos (não vou direcionar a paises) que acham que são donos do país. Se a polícia vai para cima é criticada pela mídia e pelos "direitos humanos"...

Anônimo disse...

Eles pegam a mercadoria com os chineses. Porto Alegre tem 1 ou 2 a cada esquina.