segunda-feira, 9 de julho de 2018

Refugiado degola menina de 1 ano de idade na Alemanha; Merkel proíbe imprensa de reportar a degola

O governo pró-migrante de Angela Merkel proibiu a mídia alemã de denunciar um crime bárbaro envolvendo um imigrante muçulmano que decapitou sua filhinha de um ano em uma plataforma da estação de trem em Hamburgo. De fato, o crime chegou a ser notícia no Süddeutesche Zeitung, no Welt, no Spiegel, no Focus e no Der Tagesspiegel, mas nenhum deles menciona o degolamento!

De acordo com testemunhas, o suspeito de 33 anos, Mourtala Madou, original do Niger, decapitou sua filha de um ano na frente de uma multidão de passageiros horrorizados na estação de Jungfernstieg na quinta-feira 12 de abril, e então esfaqueou sua ex-namorada alemã, a mãe criança.

Mourtala Madou

O suspeito esfaqueou a criança por trás, enquanto ela estava sentada no seu carrinho, e depois cortou o pescoço dela. Ele então esfaqueou a namorada no peito antes de fugir da cena, jogando a arma do crime em uma lata de lixo na estação de trem. Ele foi preso mais tarde

A mulher, mãe de outros quatro filhos, morreu no hospital.

Imagens de vídeo foram carregadas na internet mostrando as conseqüências do duplo assassinato que foi descrito como "proposital e planejado" pelo porta-voz da polícia, Timo Zill, e como um "assassinato de honra" pelas testemunhas. Os corpos das vítimas podem ser vistos no vídeo, mas não os seus rostos. Testemunhas oculares podem ser ouvidas dizendo que o suspeito cortou a cabeça dos bebês.

No vídeo, ouve-se o cantor evangélico cristão de Gana, que capturou as imagens em seu celular, dizendo: "Oh meu Deus. É inacreditável. Meu Deus. É inacreditável. Oh Jesus, oh Jesus, ai Jesus. Eles cortaram a cabeça do bebê. Eles cortaram a cabeça do bebê. Meu Deus. Ai Jesus."

Quando você encontrar os incrédulos, degole-os (Alcorão, 47:4).

AVISO: o vídeo contém conteúdo gráfico.


Um dos sites globalistas que tentam identificar notícias falsas (fake news), chamado Hoax Alert, disse que não houve proibição alguma da Merkel. Ele então cita o artigo do no Süddeutesche Zeitung, do Welt, do Spiegel e do Focus, que, como já mencionamos acima, ignoram o detalhe fundamental do degolamento. Ou seja, o site que busca identificar notícias falsas é quem espalha notícias falsas! (Um outro site para ficar desconfiado é o Snopes)

O assassino, Mourtala Madou, entrou na Europa através da ilha italiana de Lampedusa. a mesma que foi visitada pelo Papa Francisco 5 anos atrás, quando ele pediu por uma Europa sem fronteiras.

O governo de Merkel tem estado sob intensa pressão nos últimos meses em relação à política de fronteiras abertas que é responsável por milhões de imigrantes muçulmanos que se estabeleceram na Alemanha nos últimos três anos. Muitos alemães acreditam que o governo emitiu uma proibição geral de relatar esta história porque ela vai ampliar a pressão popular contra o governo.

É um fato conhecido e documentado que as autoridades alemãs receberam ordens para reprimir os blogueiros independentes alemãos que vem noticiando sobre os crimes cometidos pelos refugiados.

Quando o blogueiro de Hamburgo Heinrich Kordewiner postou o vídeo no Facebook e no seu canal do YouTube, a polícia foi acionada. O apartamento de Kordewiner foi revistado e os seus pertences pessoais foram confiscados. Kordewiner diz que ele e seu companheiro de quarto foram acordados às 6:45 da manhã por um esquadrão de promotores e policiais que buscavam acesso a sua casa. Eles se recusaram a abrir a porta, que acabou sendo aberta à força, perfurando a fechadura da porta.

O cantor gospel cristão que gravou o vídeo em seu celular também teve sua casa invadida e seus pertences pessoais confiscados. A polícia alega que está operando sob ordens de confiscar material para proteger os direitos das vítimas.

Mas quem eles estão realmente protegendo? Muitos alemães acreditam que quem está sendo protegido é o assassino, Mourtala Madou, além, é claro, do governo alemão, culpado por permitir que milhões de imigrantes se estabeleçam na Alemanha contra a vontade do seu povo.

No entanto, eles não podem manter o caso encoberto para sempre. Por exemplo, o arquivo do Tribunal Distrital de Hamburgo cita que a criança teve seu pescoço decepado. (Stefan Frank reporta no achgut.com sobre isso).
Gerações futuras de alemães livres irão amaldiçoar o nome de Angela Merkel. Mas se ela conseguir concluir o que ela começou, não restará Alemanha alguma.

Leia mais sobre a criminalização da crítica contra a política migratória do governo alemão neste artigo: Alemanha: 'Decapitando' a Liberdade de Imprensa?.


Fonte extra: https://www.frontpagemag.com/fpm/270677/germany-muslim-migrant-beheads-baby-robert-spencer


Nenhum comentário: