terça-feira, 4 de setembro de 2018

Escravidão islâmica moderna, narrada por uma vítima

Escape from Slavery: The True Story of My Ten Years in Captivity and My Journey to Freedom in America (Escapando da escravidão: a verdadeira história dos meus dez anos em cativeiro e minha jornada para a liberdade nos Estado Unidos), livro de autoria de Francis Bok, publicaco pela St Martin Griffin (Amazon)

Nesta narrativa de escravos moderna inovadora, Francis Bok compartilha sua história notável com graça, honestidade e uma sabedoria adquirida da sobrevivência de dez anos em cativeiro.

Maio de 1986: Em um dia comum, enquanto vendia ovos e amendoins ao lado de sua mãe perto de sua aldeia no sul do Sudão, Francis Bok, então com sete anos de idade, teria sua vida destruída. Assaltantes árabes à cavalo(*), armados com rifles e facas longas, invadiram repentinamente o mercado, matando homens, mulheres e as crianças pequenas que estavam em um grupo. Francisco e outros  foram amarrado a cavalos e burros, e levados para o norte, para uma vida de escravos sob ricos fazendeiros muçulmanos.
(*) Ao mencionar "assaltantes árabes à cavalo", ele se refere aos Janjawid, uma milícia que opera no oeste do Sudão e no leste do Chade. Os Janjawid são um conjunto de tribos árabes sudanesas, envolvidas no pastoreio de camelos e gado. O nome da tribo significa "demônios à cavalo", das palavras árabes جن jinn "demônio" e أَجَاوِيد 'ajāwīd "cavalo". Eles foram elementos importantes durante o Genocído de Darfur, sendo responsáveis pela morte de um número estimado entre 200 mil a 400 mil civis, a maioria cristãos e animistas, à mando do presidente sudanês Omar al-Bashir (que tem sua ordem de prisão decretada pelo Tribunal Penal Internacional). Os Janjawid também se tornaram famosos pelo tráfico de escravos. Segundo a Enciclopédia britânica "um ataque típico de Janjaweed começava com um ataque da força aérea sudanesa, com helicópteros armados ou bombardeiros Antonov, visando os assentamentos civis. Em poucas horas, Janjaweed, montados invadiam a área, matando e mutilando os homens, estuprando as mulheres e matando ou sequestrando as crianças. Os invasores então destruiriam as necessidades básicas da vida da aldeia - queimando campos e casas, envenenando poços e apreendendo qualquer coisa de valor. Entre 2003 e 2008, centenas de milhares de pessoas foram mortas e milhões foram deslocadas quando os Janjaweed atingiram populações civis em toda a região de Darfur." 
Janjawid, demônios à cavalo 

Durante dez anos, Francis viveu sozinho em um galpão perto dos bodes e do gado que eram de sua responsabilidade. Alimentado-se com restos da mesa, e aprendendo lentamente a língua e a religião desconhecidas, o menino quase não tinha contato humano além da família de seu seqüestrador. Depois de duas tentativas fracassadas de fuga - cada uma trazendo espancamentos e ameaças de morte - Francis finalmente escapou, aos dezessete anos, em uma fuga dramática à pé, naquilo que foi sua última chance. No entanto, sua escravidão não terminou aí, pois enquanto ele se dirigia para a capital do Sudão, Cartum, outros procuravam privá-lo de sua liberdade. Determinado a evitar esse destino e descobrir o que havia acontecido com sua família naquele dia terrível em 1986, o adolescente perseverou por mais três anos na prisão e em campos de refugiados, ganhando a atenção de funcionários das Nações Unidas e recebendo passagem para os Estados Unidos.

Agora, como estudante e ativista anti-escravidão, Francis Bok fez como sua missão de vida a de combater a escravidão mundial. O seu livro, Escape from Slavery, é ao mesmo tempo uma aventura fascinante, uma história de desespero e triunfo, e uma janela revelando um mundo que poucos sobreviveram para contar. (https://youtu.be/cfD2SHlkPOE)

Francis Bok: Story of an escaped slave from Sudan



Um comentário:

Unknown disse...

É triste José para min eles não são árabes parecem muito com africanos Dante tinha razão Maomé dividio ou mundo até os próprios negros não se reconcem como tal queria ver os demônios a cavalo no Arábia para ver como os árabes os tratarían