domingo, 29 de junho de 2014

Maomé e Aisha (trailer do filme "A vida dramática de uma pequena menina casada com o profeta do islão")



O fato de Maomé ter sido pedófilo e pervertido sexual não nos afetaria, não fosse o fato de que as ações e dizeres de Maomé definirem o padrão de conduta do islamismo, padrão este que deve ser imitado, e defendido, por todos os muçulmanos.

Este é o trailer de um filme sendo feito por um grupo de ex-muçulmanos e ativistas pró liberdade de expressão. Todos eles têm a sua cabeça à prêmio por parte dos adeptos da "Religião da Paz."

O que é pior, o ex-muçulmano paquistanês que aparece no video, Imran Firasat, é um refugiado na Espanha. Mas como ele fala a verdade sobre o islamismo e sobre Maomé, o governo espanhol o acusa de ser uma ameaça à segurança nacional da Espanha e existe um processo de extradição. O fato é, que se Imran for deportado de volta para o Paquistão ele será preso, e possívelmente morto, sob a perversa "lei da blasfêmia" do Paquistão. Isso parece brincadeira, mas é verdade. A Espanha, bem como a Europa Ocidental como um todo, precisa defender a nossa civilização, baseada na liberdade e livre escolha, e não se submeter ao regime politico mais retrógrado jamais engendrado pelo ser humano: o islamismo.

Precisamos nos vacinar, e nos defender, contra o islamismo.

PS - O YouTube se rendeu à Sharia e não permite que o vídeo seja mostrado. Para torná-lo accessivel, eu o cortei em 3 pedaços. Assista-os em sequência. Se você quiser o vídeo por inteiro, ele está accessível aqui: https://drive.google.com/file/d/0B29FzH0EG92RVUJKSEZSRGVWSU0/edit?usp=sharing


video


video


video











8 comentários:

Anônimo disse...

Estou chocado de saber que o terrorismo e destacadamente o vinculo com a perversão sexual e até pedofilia são fundamentadas e santificadas pelo próprio livro sagrado do Islã.

Se o livro sagrado deles e o modelo de comportamento (Maomé) e o próprio Alah deles aprova e santifica coisas repugnantes até mesmo para moral de pessoas ateístas e reconhecidas em todas as épocas como perversão... imagine o que os seguidores fieis desse livro são capazes...

José Atento disse...

Está tudo codificado na lei islâmica (Sharia). Você já teve oportunidade de ler "Sharia para não-muçulmnanos"?

Vale a pena http://infielatento.blogspot.ca/2011/06/lei-islamica-sharia-para-os-nao.html

Anônimo disse...

È realmente uma BÀ Sharia.......

alien13 disse...

ISLAMOFOBIA...

TODOS OS MUÇULMANOS PRECISAM SER EXPATRIADOS DA EUROPA E DE TODOS OS PAÍSES CIVILIZADOS, PARA O ORIENTE MÉDIO!

ENQUANTO NÃO SAIREM, DEVERÃO SER CONFINADOS EM CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, ONDE PODERÃO COLOCAR NO PORTÃO DE ENTRADA: "EURÁBIA", COMO SONHAVAM.

Antes de mais nada, ISLAMISMO NÃO É RELIGIÃO, mas, é uma SEITA PEDOFÍLICA E POLÍTICA, na qual a pedofilia é legalizada por lei do ISLÃ.

A realidade: os cristãos ou membros de outras religiões não enviam assassinos para matar no Oriente Médio, porém, os muçulmanos enviam suas facções Terroristas, sob o pretexto que são "Fundamentalistas Islâmicos", para matar no Ocidente.
Muçulmanos recolhem dízimos nas Mesquitas, para o Terrorismo, então são cúmplices.

No Oriente Médio, constantemente, estupram, mutilam e matam cristãos e membros de outras religiões.

Por que então, temos que os tolerar na Europa e em outros países civilizados, se eles nos odeiam e matam?

Os islamitas seguem, rigorosamente, o que está escrito no CORÃO (escrito pelo pedófilo Maomé, que chamam de Profeta), por esse motivo a PEDOFILIA é legalizada pela lei do ISLÃ.

Também, nesse livro satânico que chamam de sagrado, o CORÃO, está escrito que todos têm que serem convertidos ao islamismo ou assassinados, de acordo com a tal "Guerra Santa", que de santa não tem nada.

Nos noticiários, poderemos saber das atrocidades que praticam nas indefesas aldeias e pequenas cidades da África: estupram suas meninas e jovens, e matam todos os homens, para que não mais procriem: os "Cães Infiéis, ao Maomé" (como chamam todos que não são muçulmanos). Em seguida obrigam suas vítimas a colocar o véu, e as transformam em muçulmanas, contra a vontade delas.

Depois alegam, descaradamente, que islamismo é a "religião" que mais cresce no mundo.

Entre outras perversidades: estupros de mais de seiscentas meninas e adolescentes, obviamente virgens, como foi amplamente divulgado na Itália. Na Inglaterra estupraram centenas de meninas, também amplamente divulgado. Assim como em todos os países europeus, onde estão infiltrados, acontece a mesma coisa.

Ainda, picham todas as Igrejas nos países europeus, que os acolheram, onde podemos observar que apenas as Mesquitas não estão pichadas. Se fosse obra de pichadores, as Mesquitas também estariam.

Depois reclamam da ISLAMOFOBIA?

E, viva a ISLAMOFOBIA, que varrerá do mundo, a chaga da humanidade, o islamismo, e suas perversões sexuais: a pedofilia

Anônimo disse...

sou muçulmano. eu sempre consideri não passarem de mitos todos "hadithes" que nos enganam que o profeta casou uma CRIANÇA. se o não muçulmano acha que isso é verdade, então muito firme é a sua fé nos hadithes, pois também exitem outros hadithes que nos dizem que ele dividio a lua como um dos maiores milagres! Já dá para imaginar que também concordam com isso!

Anônimo disse...

Anônimo muçulmano, como vc pode seguir uma religião que fala em matar, em escravizar, em cortar as mãos de ladrões, em estuprar mulheres infiéis, fazê-las escravas sexuais, entre outras barbaridades??? Como pode crer que isso agrada ao Criador de todas as coisas??? Ele é AMOR, entenda isso, Ele não é ódio, violência, tortura, escravidão, assassinatos... Os que pensam assim não vão para junto Dele, para o paraíso, mas para um lugar muito ruim, horroroso, que muitos chamam inferno.... Acorde enquanto há tempo!....

Maurício Sousa disse...

Dá para imaginar Sr. Muçulmano que os "Hadith" são um incrível manual de imoralidade que nenhum humano à face da Terra destruiu, e que o Corão se complementa até certo ponto com eles.

Anônimo disse...

Caro Anónimo que se diz muçulmano, saiba que sou um ex-muçulmano e que enquanto muçulmano tive de aceitar os "Hadith" como fatuais. Se os "Hadith" são um engano, o Islão é o primeiro a enganar-nos por aceitar os "Hadith" como parte da sua doutrina.