terça-feira, 13 de junho de 2017

A aliança entre o narcotráfico e o avanço islâmico no Brasil


Existem muitas pessoas com que eu converso que são de opinião que o islamismo não tem chance de se espalhar nas favelas porque os traficantes não irão deixar. Na verdade, o oposto é mais provável de ocorrer.

Imagine o que os líderes do tráfico irão fazer quando souberem que o islamismo aprova a sua atividade, desde que eles se tornem muçulmanos e paguem a "caridade islâmica" chamada de zakat?

Imagine o que os líderes do tráfico irão fazer quando souberem que o islamismo permite que eles tenham várias mulheres, incluindo várias esposas, concubinas e amantes  através do casamento temporário) ?

Imagine o que os líderes do tráfico irão fazer quando souberem que a lei islâmica define que matar infiéis não é crime?

Imagine o que os líderes do tráfico irão fazer quando souberem que o profeta islâmico Maomé foi tão criminoso quanto eles, mas que ele (Maomé) é o modelo de conduta e imitá-lo significa o máximo da perfeição islâmica?

Imagine o que os líderes do tráfico irão fazer quando souberem que eles podem acusar a polícia de "discriminação religiosa" e "islamofobia" ao serem presos?

O fato é que já existem indícios de que esta aliança entre o narcotráfico e o terrorismo islâmico já está ocorrendo. Por exemplo, recentemente, nove pessoas foram presas em decorrência da Operação Inconfidência Mineira, deflagrada em 15-05-2017. Esta operação da polícia federal desarticulou uma célula do Primeiro Comando da Capital (PCC) que atuava em Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo. Segundo Adilson Aquino, delegado titular da Seccional de Guarulhos, apenas duas dessas pessoas foram presas em 15-05-2017– as demais já cumpriam penas. O nome da operação se refere ao bairro onde ela ocorreu, que leva o nome do líder da Inconfidência Mineira.

Dentre os presos os presos está o libanês (muçulmano) Mohamad Hassan Atris, conhecido como "Hezbolah", que ocupava uma posição de alta patente dentro da facção criminosa; PCC." (Agência Brasil)

Mas isso não é de hoje. Já existem indícios de envolvimento de grupos muçulmanos no narcotráfico, sejam grupos da linha sunita quanto da linha xiíta (por exemplo, o Hezbollah).

O Hezbollah vem atuando na América do Sul, com conexões com o tráfico de drogas, motivo pelo qual ele é referido, algumas vezes, como uma organização narco-jihadista. Por exemplo, notícias recentes dizem que Hezbollah movimenta 'toneladas de cocaína' na América do Sul, Europa para financiar operações terroristas, que redes de tráfico de drogas internacionais 'conectam o Hezbollah aos cartéis da América Latina, e especialistas dizem que os cartéis da América Latina estão pagando uma 'taxa do Hezbollah' para movimentar drogas para a Europa. Uma análise estratégica também recente diz que o Irã e o Hezbollah continuam super ativos na América Latina. Esta mesma análise menciona que as atividades do Hezbollah no Brasil e países vizinhos não podem ser ignoradas."

Para se compreender o tamanho do perigo e do poder do narco-tráfico, em fevereiro deste ano, os EUA acusaram o então recém-empossado vice-presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, de ser um narco-traficante, afirmando que ele tem "um papel importante no tráfico internacional de narcóticos", com conexões com os cartéis no México (CNN). O governo da Venezuela tem sido acusado de emitir passaportes para terroristas em Bagdá (CNN).

Existem vários casos de políticos brasileiros ligados ao narco-tráfico (Congresso em Foco). A questão então torna-se muito mais séria. Não é apenas canalizar lucros das drogas para financiar a jihad, mas a possibilidde de influenciar o próprio governo.

A Polícia Federal tem uma tarefa árdua à sua frente. O governo federal precisa reforçá-la. E o Ministério da Defesa também precisa ficar ainda mais atento do que já está.

A coisa é muito séria!

Não podemos permitir que o Brasil se torne um Líbano. É melhor evitar que estes grupos islâmicos se instalem no Brasil, pois isso acontecendo irá ser muito difícil extraí-los sem provocar dor.

Traficantes exibem armas pesadas


Policiais militares executados por traficantes (PatosTV). 
Só faltava terem sido degolados aos gritos de Allahu Akar e chamados de káfir (infiél). 
Será este o futuro próximo?



6 comentários:

Wilson Santos disse...

Acontecendo como descrito no livro O Relatório da CIA: como será o mundo em 2020 ... quem lê entende como será, infelizmente.
E olha que o livro foi publicado em meados de 2005.

http://noticias.terra.com.br/brasil/,79974edd06399410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Graça Fernandes disse...

E mas já entraram cada cidadão. Cproteja sua vida e familia

Corvo José disse...

Cara, você vai acabar arrumando treta com a polícia por causa dessas lorotas pesadas que você manda.

José Atento disse...

Grato pela preocupacão, Corvo amigo, mas as referências infelizmente indicam que o perigo é verdadeiro. Abraços.

Unknown disse...

Olá amigo fico muito feliz pela sua lucidez. Faço parte de uma liderança numa igreja protestante de fé reformada e tenho alertado sobre isso em alguns estudos... espero que eles entendam a gravidade do assunto. Não sei qual tu fé. Peço assim mesmo que Deus te abençoe e te livre de todo o mal! (Soli Deo Glória)

Anônimo disse...

A culpa é do próprio povo que são totalmente dementes e retardados, que so vivem atrás de putaria e não podem ver um politico vagabundo e bandido que já oferecem o cú e a buceta