sábado, 28 de julho de 2018

História se repete: Mouros invadem as praias da Espanha

Após o ano 711, e até o final da Reconquista, em 1492, a Espanha e Portugal, foram invadidos por ondas de muçulmanos, genéricamente chamados de Mouros.

A história se repete.

Dezenas de migrantes africanos desembarcaram na Praia Del Cañuelo de Tarifa, em um bote enorme antes de atravessar a areia. O vídeo mostra o momento dramático quando dezenas de "mouros" invadiram a praia, popular entre turistas, muitos deles nús. Os banhistas observavam atônitos enquanto o grupo de mais de 30 migrantes corria para uma floresta próxima para escapar dos guardas de fronteira espanhóis.


Os migrantes haviam acabado de cruzar o estreito de Gibraltar, quando navegavam da costa do Marrocos. Fatos como esse ocorridos ontem são comuns.

Enquanto mais este desembarque ocorria, o prefeito do Porto de Algeciras, nas proximidades, avisou que sua cidade, Tarifa, está no centro de uma "nova crise migratória" depois que 1.000 "mouros" a inundaram na semana passada.


José Ignacio Landaluce advertiu que sua cidade poderia se tornar "a nova Lampedusa", referindo-se a uma ilha italiana invadida por imigrantes.

Ele disse: "Espero que a UE esteja trabalhando em uma política global sobre isso: pode ser o nosso problema inicialmente, mas amanhã, ou daqui a uma semana, ou um mês, estará no coração da Europa.

"Nós nunca, nunca, tivemos 1.000 migrantes chegando à Espanha todo fim de semana. E tudo isso poderia ser apenas para iniciantes.

“Ainda falta muito verão e milhares e milhares de migrantes chegam às costas do norte da África e milhares e milhares de pessoas estão esperando para atravessar por meses ou anos.

"Temos que falar sobre as ações das pessoas que vêm a nossas terras para que nossa área não se torne a nova Lampedusa do Mediterrâneo Ocidental."

Tarifa, que tem uma população de 120 mil habitantes, não conseguiu alojar todos os migrantes que chegaram esta semana, com alguns sendo forçados a dormir em barcos de resgate e em celas da polícia.



Ontem, 600 imigrantes da África subsaariana cercaram duas vezes a fronteira em Ceuta, enclave espanhol fronteiriço ao Marrocos, com alguns jogando excremento ou cal virgem contra as forças de segurança para forçar sua entrada.
Leia depois o artigo Espanha: Nova Porta de Entrada da Migração em Massa para a Europa
Um porta-voz da polícia de Guardia Civil, em Ceuta, disse que os migrantes conseguiram ultrapassar a dupla barreira, coberta por pequenas lâminas.

Ele disse que eles brigaram "de repente, com muita violência".

Alguns atacaram a polícia com cal viva em tubos e garrafas, acrescentou.

Como resultado, "mais de uma dúzia de policiais" ficaram feridos com a substância, quatro dos quais tiveram que ir ao hospital para queimar seus rostos e braços.

Alguns dos imigrantes que escalaram as cercas jogaram fezes nos policiais que tentavam retê-los, informou a agência de notícias espanhola Europa Press, citando fontes policiais não identificadas e equipes de emergência.

A Cruz Vermelha Espanhola disse em um tweet que foi chamado para checar 592 pessoas após a invasão maciça.

Vídeo abaixo retrata os conflitos em Celta:


Vídeo abaixo mostra evento semelhante ocorrido em 2017: os mouros desembarcando nas praias da Espanha:


A Guarda Costeira nada fez, apenas assistiu o desembarque e a debandada dos ilegais Espanha adentro


https://www.thesun.co.uk/9785ccb4-ddf3-4415-9eff-de97812ed5cc

https://elpais.com/elpais/2018/07/27/album/1532692774_251025.html

https://elpais.com/elpais/2018/07/26/inenglish/1532599360_950584.html


3 comentários:

Anônimo disse...

Os portões do inferno foram abertos. Hordas malignas estão tomando e destruindo cidades do mundo ocidental, especialmente na Europa. O maligno e seus anjos estão agindo para beberem muito sangue em nome desse ser diabólico chamado Alá .

Daniel Liu disse...

Eu achando que eram imigrantes miseráveis... vieram bem vestidos em um bote motorizado!

Rodrigo disse...

Tem q mandar esses vermes de volta pro buraco de onde saíram