sábado, 21 de julho de 2018

Jihad do Incêndio: pipas e balões incendiários contra Israel

Já tinhamos escrito sobre a jihad do incêndio florestal: incêndio criminoso pela causa de Alá. Em mais um novo capítulo, os jihadistas do Hamas estão montando pipas e balões transportando bombas incendiárias, lançadas contra o território israelense. Estas pipas e balões caem aleatóriamente sobre campos, florestas, plantações, casas, escolas, causando incêndios de diversa magnitute. Claro, que estes eventos perturbam a vida diária das pessoas causando prejuízos, algumas vezes bastante significantes.

A coisa fica mais perigosa agora que atiradores de elite do Hamas começam a atirar nos israelenses do outro lado da fronteira, que tentam apagar os incêndios. Um soldado israelense foi morto.

Depois de 100 dias de pipas e balões incendiários queimando o sul de Israel, muitos estão se perguntando se Israel está próximo de retornar à guerra em Gaza.

As chamas causaram estragos em uma paisagem outrora bela, deixando os campos queimados e as florestas destruídas por dispositivos incendiários. Moradores do Sul estão chateados, frustrados e cansados.

Hamas já avisou que vai continuar com a sua jihad incendiária.

Pipa sendo preparada por jihadistas do Hamas

Pipa sendo preparada por jihadistas do Hamas

Bombeiros e equipes de segurança lutam contra um incêndio em um estábulo, causado por uma pipa carregada com um dispositivo incendiário de Gaza, no Kibbutz Nahal-Oz em 21 de julho de 2018. (Gili Yaari / FLASH90)

A fumaça enche o estábulo no Kibbutz Nahal-Oz no sábado, enquanto os bombeiros combatem um incêndio causado por um incêndio criminoso lançado de Gaza em 21 de julho de 2018 (Gili Yaari / FLASH90)

Incêndios diversos

Incêndios violentos no sul de Israel provocados por pipas incendiárias lançadas de Gaza. (crédito da foto: JONATHAN KELLERMAN / TPS)

Incêndios diversos

Gaza mulheres lançam "balões incendiários" 
Durante o verão, as mães costumam levar seus filhos para brincadeiras. Mas em Gaza, as mães jihadistas sopram balões e os prendem a bombas incendiarias para lançá-las na direção do território israelense para provocar incêndio nos plantações e florestas, afetando aa vida selvagem, a alimentação e a subsistência das pessoas.

https://www.bitchute.com/video/RD3L9Hv6P7iu/


2 comentários:

Anônimo disse...

*O Islã antes do Meio Ambiente: a ativista ambiental da ONU, Amina Mohammed, se recusa a condenar o Hamas por cometer "Eco-Terrorismo" contra Israel*

Comentário de Pamella Gueller: "O Hamas se envolve em terrorismo ecológico e a ONU está em silêncio. Isso porque o terrorismo é cometido contra Israel. A vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, é conhecida por seu ativismo ambiental. Ela serviu como ministra do Meio Ambiente da Nigéria e agora é uma das principais defensoras de proteção ambiental na ONU. No entanto, sua paixão por proteger o meio ambiente não parece se aplicar a Israel. A principal ambientalista da ONU não emitiu uma declaração de condenação do Hamas, apesar dos terroristas do Hamas causarem danos ecológicos incalculáveis ​​a Israel.

O Hamas tem cometido eco-terrorismo contra Israel desde o início de março, lançando milhares de pipas e balões de hélio, que foram carregados com explosivos e coquetéis molotov. Os ataques devastaram as comunidades no sul de Israel. Mais de 8000 acres de parques e reservas naturais, juntamente com 1500 acres de terra agrícola, foram destruídos pelas bombas de pipa. Milhares de animais morreram também.

Se Amina realmente se importasse com o ambientalismo, ela teria condenado o Hamas por sua destruição ecológica em Israel. Israel talvez crie mais tecnologia para proteção ambiental do que qualquer outro país. Mohammed já elogiou Israel por sua eco-tecnologia? Duvidoso. Mohammed entende que a organização anti-semita da cooperação islâmica paga seu salário. Portanto, ela não diz uma palavra.

"Israel para a ONU: Por que nenhuma condenação dos ataques do Hamas?", Arutz Sheva , 12 de julho de 20 18:

O embaixador israelense nas Nações Unidas, Danny Danon, pediu na quinta-feira a vice-secretária-geral, Amina Mohammed, para condenar o Hamas pelo uso contínuo de ataques incendiários que incendiaram terras israelenses e aterrorizaram seus cidadãos.
Nas últimas semanas, milhares de balões e pipas carregando explosivos incendiários e improvisados ​​foram lançados da Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, para o território israelense, onde provocaram centenas de incêndios e causaram milhões de dólares em danos materiais.

“Por mais de cem dias, terroristas do Hamas… usaram pipas de fogo e outros meios aéreos para estabelecer quase 700 incêndios que incendiaram milhares de acres, incluindo mais de 1.500 acres de campos agrícolas em Israel. Essa é uma nova face do terrorismo que visa diretamente o ecossistema de Israel e causou mais de US $ 2 milhões em danos ”, escreveu o embaixador Danon em uma carta ao secretário-geral adjunto.

“Como um país que orgulhosamente lidera o avanço da tecnologia agrícola nas Nações Unidas e em todo o mundo através da nossa resolução bianual sobre Tecnologia Agrícola para o Desenvolvimento Sustentável, é enfurecedor ver os terroristas do Hamas fazerem o oposto. O Hamas está atacando a fonte de meios de subsistência do sul de Israel e seus atos de eco-terrorismo não só devastaram terras que fornecem alimentos e sustento a nossos civis, mas também causaram danos irreparáveis ​​a reservas naturais e dezenas de espécies de animais selvagens ”, continuou ele.

FONTE: https://gellerreport.com/2018/07/mohammad-refuses-hamas.html/

Unknown disse...

Muito bom