sábado, 4 de agosto de 2018

Tommy Robinson: o herói da resistência anti-Jihad é odiado pelo governo britânico

O caso de Tommy Robinson mostra o quanto as elites européias trabalham em prol do islamismo.

Tommy Robinson é fundador e ex-líder da Liga de Defesa Inglesa (EDL), um grupo que surgiu após um grupo de muçulmanos do Al-Muhajiroun and Ahlus Sunnah wal Jamaah tentou interromper uma marcha de soldados britânicos que voltavam do Afeganistão (Os membros destes grupos islâmicos, claro, não foram presos).

Ele deixou a EDL e se colaborou por algum tempo com o grupo Quilliam, liderado por  Maajid Nawazum muçulmano ex-jihadista. Tommy também colaborou com o movimento Pegida (Patriotic Europeans Against the Islamisation of the West)

Seu ativismo começou a incomodar as elites multiculturais da Grã-Bretanha, e ele começou a ser perseguido e preso pelos motivos mais ridículos. Por exemplo, ao assisitir a um jogo do Campeonato Europeu de Futebol usando uma camisa que caçoava do Estado Islâmico: ele foi acusado de denegrir a imagem dos muçulmanos.  

Em 2012, Tommy foi acusado de apresentar declaração falsa ao pedir uma hipeteca e foi condenado a 18 meses de prisão. Na prisão, ele foi agredido por um gangue de prisioneiros muçulmanos, o que quase lhe custou a vida.

Ser preso e ser agredido (sem que os agressores fossem presos) tornou-se uma constante na vida de Tommy Robinson.

Recentemente, Tommy se tornou jornalista independente, trabalhando para o Rebel Media, um grupo jornalístico canadense.

Em junho, ele foi preso fazer um filme caseiro, com o seu celular, na entrada do tribunal onde 26 membros de uma gangue de estupradores muçulmanos estavam sendo julgados. Mas este caso não pode ser noticiado, pois  ele evidencia a falha da política de imigração incontrolada de muçulmanos por parte do governo britânico. Tommy Robinson foi preso pela polícia e levado para um juiz, que o condenou imediatamente a 13 meses de prisão. Enquanto que os estupradores são julgados com direito a advogados, um patriota que denuncia os estupros foi preso e condenado sem a presença de um advogado. O vídeo abaixo mostra o momento da sua prisão, quando ele foi acusado de "perturbar a paz."

O artigo do Gatestone Institute Injustiça Rápida: o Caso de Tommy Robinson descreve bem a situação até o momento da prisão e condenação sumária de Tommy. 


https://youtu.be/dFkwUm1Vo-Q

Tommy Robinson foi liberado, sob fiança, dias atrás. O jornalista Erza Levant, do Rebel Media, disse: "Então agora sabemos, irrefutavelmente, do próprio Juiz de Justiça Supremo, que Tommy Robinson foi indevidamente julgado, condenado indevidamente e tratado indevidamente na prisão. Cada elemento de seu tratamento era ilegal. Tudo. Ele era um prisioneiro político." 

Sim, ele teve um tratamento monstruoso na prisão. Ele foi colocado em confinamento solitário, com quase nenhum contato externo. Tommy sofre de síndrome pós-traumática. Mas ele foi mantido isolado mesmo com os tribunais tendo as suas informações médicas. 

Na prisão, onde a maioria dos detentos é muçulmano, ele quase não comeu devido ao potencial de envenenamento de sua comida, como foi preparado por outros presos, dos quais um em cada três são condenados muçulmanos. Como resultado, ele perdeu 40 quilos. Ele tinha que comprar lata de atum para poder se alimentar. 

Os detentos cuspiam e jogavam fezes pela janela da cela da prisão, fazendo com que Tommy sofresse ainda mais, tendo que barricar sua janela, mesmo durante as ondas de calor.

O governo britânico tentou quebrar Tommy Robinson. Mas não conseguiu. Tommy é um herói da resistência anti-Jihad, e a sua perseguição mostra bem o que as elites ocidentais pró-islâmicas são capazes de fazer para silenciar aqueles que as opõem. 

O vídeo mostra o momento em que Tommy Robinson se reencontra com os filhos, e sua entrevista na FoxNews




Nenhum comentário: